Boardgames - o hobbie ou vício que causa depressão...?

Retrato de Yes Master

Interessante a exposição sintética deste jogador e youtubber. Parece seguro afirmar que variadas vezes uma opinião semelhante tende a perpassar o nosso pensamento. Mas, logo a mesma é afastada; sobretudo quando o ritmo de edição de jogos é tão elevada!

Mas, pensando bem, será que não existe, de facto, um elemento desgastador ínsito no já vulgar, por vezes automático, ato de comprar jogos? Desgaste esse que se pode reforçar quando se compram tantos jogos e nem sequer existe o tempo de os jogar; ou pelo menos, jogar como seria desejável.

E, que procuramos nós (se é que procuramos) retirar dos jogos de tabuleiro? Os seus componentes? Uma nova mecânica? Um novo tema? Uma garantia de re-jogabilidade? E, se assim for, já não há jogos que cheguem para esses efeitos? Ou será que este hobbie, como qualquer outro, por vezes, nos dopa o intelecto e acende o nosso piloto automático, como se fosse um vício?

Uma coisa é certa. A maioria dos jogadores de tabuleiro tem prateleiras cheias de jogos, uma lista de jogos comprados com data de entrega, e uma lista de jogos por comprar. Mas, então, se o ritmo de publicação e compra de jogos é cada vez mais elevado, o que impede o jogador de jogar os jogos, por que motivo continua este a comprar regularmente/diariamente jogos?

Ou seja, se tivéssemos que escolher, qual seria a escolha: jogar exclusivamente jogos de tabuleiro? Ou comprar os jogos de tabuleiro?

Divirtam-se!

https://www.youtube.com/watch?v=t4rfqNn6q8Q

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

duvido muito que..

duvido muito que essa seja uma questão que alguém terá dificuldade a responder, e que não seja sempre a 1ª hipótese a escolhida

isto nos casos extremos, agora, acredito que subconscientemente algumas pessoas não joguem mais, porque não têm tempo, mas depois invistam muitas horas a ver reviews e em busca dos bons negócios :p que por serem menos planeados passam despercebidos (pode fazer-se 20minutos de cada vez, sozinho, online

num topic ao lado falavamos sobre a questão do experimentar muitos 1-2 vezes, vs explorar mais a fundo uns quantos que gostamos, e essa já me parece uma pergunta com respostas mais variadas, aliás, nos encontros aqui em Lisboa temos os 2 casos extremos

ps: agora que penso nisso, há malta que colecciona moedas e selos.. ^^ mas no caso dos jogos toda a gente os quer jogar, nem que seja uma vez :p




Ultimas partidas:

Fadiga?

Acho que tudo depende do espirito. confused Comprar jogos (ou outra coisa qualquer) é algo que por vezes se torna impulsivo. No meu caso, houve uma altura que comprava dezenas de jogos quase seguidos devido ao hype, às promoções, a encomendas gigantes da MilanSpiele, à procura de descobrir alguma pérola meio escondida, etc, etc. Entretanto chegou um ponto em que houve uma inversão e que quis essencialmente jogar todos esses jogos que tinha comprado e que ainda não tinha conseguido experimentar (chegaram a ser mais de 70 nessas condições). Demorou anos (até porque continuei sempre a comprar, embora um pouco menos). Actualmente compro muito menos jogos (apesar de continuar a comprar) e tento aproveitar para jogar mais o que realmente quero jogar. De qualquer modo, todas essas fases têm sido excelentes e não me arrependo de nenhuma. Quer dizer, houve alguns jogos que agora que já os joguei preferiria não os ter comprado... blush

 
Definitivamente, entre optar por deixar de comprar jogos e jogar apenas o que tenho, a minha resposta seria simples. No entanto, felizmente, não tenho de fazer essa opção smiley