Via Magica

Sinopse:

Em Via Magica os jogadores são aspirantes a Feiticeiros certificados e ao longo da partida vão procurar cristalizar os Animus Spiritus específicos de cada Portal para os conseguirem abrir. O primeiro a conseguir abrir 7 portais ganha a partida.

Como se joga:

⇒ Setup

Baralham-se as cartas de portal e distribuem 6 a cada jogador. Depois de as verem, cada jogador revela 3 delas à sua frente e descartas as outras 3, tendo o cuidado de não ficar com portais iguais, porque é proibido ter portais iguais.

Além das cartas de portal, cada jogador recebe ainda 7 cristais azuis e uma ficha com o resumo do número de Animus Spiritus no saco.

No centro da mesa colocam-se as cartas de bónus e o monte de cartas de portal, do qual se revelam 5 portais visíveis para todos os jogadores.

Define-se o jogador inicial que recebe o saco com todos os discos de Animus Spiritus (23).

⇒ Desenvolvimento

Fase 1 – O jogador inicial tira do saco uma ficha de Animus Spiritus e anuncia-o (Ar, Água, Terra, Vida, Fogo, Sobra ou Joker).

Fase 2 – Todos os jogadores podem agora colocar um cristal sobre esse Animus (cristalização), se o tiver nalgum dos seus 3 portais, mas só num deles, no caso de ter mais do que um nos seus portais.

Quando um jogador já não tem cristais disponíveis na sua reserva por estarem todos colocados nos seus portais incompletos, pode mover os já usados.

Fase 3 – Quando um jogo cristaliza o último Animus de um portal, tem de anunciar em voz alta esse acontecimento dizendo “Incantatum“. Se mais do que um jogador tiver dito ”Incantatum“, começa a resolver este acontecimento o jogador que o disse primeiro.

Um portal aberto é colocado na área de portais abertos (sobre os portais incompletos); o jogador recolhe os cristais usados nesse portal, para a sua reserva pessoal, e execute eventuais efeitos dele. Depois escolhe um novo portal para repor o espaço deixado pelo que acabou de abrir. Repondo novamente a reserva geral com uma carta do topo do monte de cartas de portal até ficarem 5 visíveis.

Fase 4 – Os jogadores podem reclamar cartas de bónus em função dos portais que tenham já abertos:

  • Bónus por cor – Ter 3 portais amarelos ou 3 portais roxos ou 3 portais verdes ou 3 portais azuis.
  • Bónus por quantidade – Após a abertura de um portal o jogador pode optar por ir buscar o bónus referente ao número de portais abertos. Por exemplo, se um jogador completou o seu quinto portal, pode reclamar a carta de bónus respetiva, desde que ainda não tenha nenhuma carta de bónus por quantidade. Cada jogador só pode reclamar 1 carta de bónus deste tipo e nunca uma de valor inferior ao número de portais abertos, isto é, pegando no exemplo anterior, o jogador não poderia ir buscar nem as cartas de 4, 3 ou 2 caso a 5 já tivesse sido reclamada por outro jogador.

 

⇒ Fim do jogo 

O jogo termina assim que um jogador abra o seu sétimo portal.

Em seguida contam-se os pontos dos portais completos e das eventuais cartas de bónus reclamadas durante a partida. Ganha quem tiver mais pontos!

Avaliação:

Via Magica é uma nova versão do jogo Rise of Augustus e como tal as diferenças de um para o outro em termos de mecânica são praticamente inexistentes.

O que realmente muda é a temática do jogo e algum material. Via Magica vem numa caixa quadrada de dimensão média, embora as cartas de portal sejam do mesmo tamanho; os meeples em madeira de Rise of Augustus são agora substituídos por pequenos cristais azuis em plástico, enquanto os elementos ligados à civilização romana transformam-se agora em elementos naturais, não perdendo no entanto, a sua forma redonda e continuando a ser em cartão de boa qualidade.

A fórmula que foi um sucesso em Rise of Augustus repete-se aqui, o que para quem já tem o jogo acaba por ser apenas uma decisão de gosto temático, mas para quem não teve oportunidade de descobrir o seu antecessor, esta é a oportunidade de ter um jogo inovador à época e que ainda hoje consegue prender pela sua dinâmica simples, fluída e regras intuitivas.

Via Magica é um familiar por excelência que se dá muito ao efeito de partidas em cadeia, com a vantagem de jogar bem quer seja a 4 como a 6 jogadores, sem quase nenhum comprometimento da sua fluidez. A sorte obviamente está presente e não se espere daqui mais do que aquilo a que ele se propõe: entreter e propiciar tensão, à semelhança do efeito que o bingo provoca em que o joga.

Pessoalmente gosto imenso deste Via Magica, sobretudo pela sua apresentação, qualidade geral dos materiais e dimensões adequadas, mas não me atrevo a recomendá-lo a quem já tenha Rise of Augustus, pois para lá da temática não há novidade. Contudo, quem ainda não tem o irmão mais velho, não devia deixar passar esta oportunidade para o juntar à sua coleção.