Retrato de LadyEntropy

7th Sea (GBU Review)

7th Sea - Alderac
http://www.swashbucklingadv.com/

7th Sea (como referi no primeiro post) faz parte de uma linha de jogos criada pela AEG que se passa num mundo semelhante ao nosso, mas alternativo. Desta feita, o local é a europa do sec 17 (na propria capa do livro diz 1668, o que dá uma muito boa indicação quanto à temporalidade dos acontecimentos. A linha temporal de l5r está num ano de 1300 e qq coisa, por isso, aparentemente, eles estão a manter uma linha estável em relação à cronologia "real").

Tal como L5R, começou como um jogo de cartas, mas mostrou-se bem mais popular como RPG, porque o jogo de cartas acabou entretanto, mas continuam a sair suplementos para o RPG.

A primeira ideia que dá este jogo é que é "um jogo de piratas". Apesar que isto é a ideia principal do jogo de cartas, no RPG, isto toma um contorno muito, mas muito diferente. A ideia principal é ser um jogo de aventuras, cheio de estilo e "panache" (não, não estou a falar da bebida). Vilões, intrigas, duelos de capa e espada, herois ousados e dialogo e humor cortante constituem o cerne deste jogo.

Ao contrário de L5R (sobretudo na primeira edição) o realismo é atirado um pouco pela janela - se os filme de samurais são letais, os dos de Capa e Espada são sempre estilosos. Isso reflecte-se em dois aspectos do jogo:

Retrato de LadyEntropy

Legend of the Five Rings (GBU Review)

Como uma fanática acérrima de RPGs... (alternativos ou n) à uns tempos atrás criei um "Guia do RPG Alternativo". Basicamente, são reviews de vários jogos menos conhecidos, que incluem uma breve descrição do setting e da mecânica.

O termo GBU relaciona-se com os famosissimos "Good, Bad and Ugly" que a Inquest usava nas suas reviews (quando era ainda uma boa revista).

Comentários e duvidas apreciam-se.


LEGEND OF THE FIVE RINGS

Este RPG é inspirado pelo jogo de cartas do mesmo nome, e a acção desenrola-se em Rokugan, uma versão ficticia do Japão feudal (originalmente, a ideia da AEG era criar um mundo ficticio inspirado no nosso, em diversos estágios da história mundial - ideia que n chegaram a completar, mas estiveram muito proximos disso: para além dos jogos baseados no Japão Feudal (l5r); houve tb um na Europa do sec 17 (7th Sea, um jogo de piratas), um na América no tempo dos cowboys (Deadlands), e um passado na Africa Antiga que não passou do jogo de cartas (Legend of the Burning Sands - um jogo das arábias) -- era suposto ter havido um jogo passado na Australia, mas mais detalhes são desconhecidos).

Dirtside: Episódio 1

Bom, depois de uma hora a criar a personagem do Paulo e a discutir e a afinar os conceitos da série/setting, era finalmente chegada a altura de pôr as coisas em marcha e ver a que destinos inexplorados a série nos levava desta vez. A entrada do Paulo em jogo veio realmente aquecer as coisas! Nem sequer acusou a estar a ser transportado de um para o interior de um RPG que não era como nenhum outro que já lhe tivesse sido apresentado. Nunca bloqueou sequer, ou seja, nunca ficou ali parado durante cinco minutos a tentar lembrar-se de alguma cena boa para chamar. O jogo limitou-se a fluir, muito livre, e sempre com óptimas sugestões de toda a gente... não só isso, como também houve muitas ideias individuais fortes o suficiente para se aguentarem sozinhas e que às vezes apanhavam todos de surpresa.

ABC do Tema/Premissa nos RPGs

Vincent Baker continua a desmistificar a teoria da Forge e a colocá-la em linguagem que o homem comum pode entender. Desta vez o tema é exactamente O Tema, esse Gral Sagrado do Narrativismo:

http://www.lumpley.com/creatingtheme.html

Recomenda-se!

PTA: Nova Folha de Personagem

Okay, não é uma alteração tão significativa como isso, mas é uma óptima desculpa para falar de PTA! ;)

A partir de hoje há uma nova folha de personagem disponível - ligeiramente mais bonita - para download no site da editora do jogo:

http://www.dog-eared-designs.com/

E, lá bem na primeira página, estão links para os posts de Actual Play do JMendes na Forge sobre as nossas sessões de Heritage.

Tiro ao Alvo (PTA & Issues)

Estava a escrever o resumo da última sessão de PTA quando entrei numa "tangente" sobre os issues e a forma como eles funcionam dentro das regras. A tal tangente cresceu e tornou-se tão grande que ganhou direito a um post próprio aqui no meu blog.

É que isto dos issues tem muito que se lhe diga, amigos. À primeira vista parecem apenas uma forma simples – e relativamente bidimensional – de atribuir características psicológicas, ou profundidade, ou “objectivos de vida“ aos personagens. Jogadores habituados a escrever páginas e páginas de background e/ou a definir as personalidades dos seus personagens através de listas meticulosas de atributos, habilidades, características psicológicas, etc, julgarão que não pode haver nada que um personagem criado em PTA possa fazer por eles. PTA, afinal, é um jogo onde cada personagem tem um atributo (Screen Presence), duas ou três habilidades/características, dois ou três contactos, e um issue. Como é que algo tão simples pode fazer o que quer que seja melhor do que aquilo que eles já fazem com tantas páginas de background e personagens cuidadosamente definidos?

Retrato de Elora

Dragão

Take the quiz: "What dragon species are you? (Stunning pics)"

Psi Dragon
You knew you'd get this result didnt you? the psi dragopn is more like a spiritual or host of dragon. You have the sixth sense of premonition and knows things before they happen, hence giving you an advantage over most of your adversaries. You feel you are smart and significantly better then all others.

Retrato de Elora

E a personagem de hoje é:

Take the quiz: "Which Star Wars character are you?"

Leia
You are Leia Organa Skywalker Solo. Quite a mouthful! You are daughter of Vader, Wife of Han Solo, Mother of Anakin Solo and Founder of the New Republic. You are brave, intelligient, cunning, force powerful and politically adept. You were adopted by Senator Mothma and gained valuable information needed for the destruction of the Death Star. You are a rue heroine!

Sempre quiz ser a Leia!

Dirtside: Episódio Piloto

Portanto, com o 25 de Abril a oferecer-nos um fim-de-semana de três dias, havia que aproveitar para jogar até cair para o lado, não? Ora, Sexta-feira à noite fora PTA (o último episódio de Heritage), Sábado à noite fora preparação para Sorcerer e... agora o que é que se podia fazer no Domingo? Era suposto ser a continuação da nossa campanha de 2300AD, mas um casamento atrapalhou a logística e não dava para reunir toda a gente.

Mesmo assim, estávamos com vontade de jogar algo, de modo que eu, o Jota e a Raquel nos reunimos em minha casa, onde estivemos a ver uns divertidos episódios de Spaced. Depois, era chegada então a altura de escolher um jogo e jogar.

O Jota tinha trazido o Heroquest, e a Raquel sentia-se minimamente à vontade para tentar improvisar algo de Babewatch se a gente a ameaçasse. Quanto a mim, eu confesso, tinha tudo planeado desde o início! Agora que já não tinha Heritage para coçar o meu bichinho de PTA, precisa de arranjar uma alternativa rapidamente. Já sentia a minha imaginação a secar só de pensar que não ia jogar PTA durante várias semanas!

Heroquest é sempre muito atraente, mas... eu estava mesmo numa de PTA, o que pode um gajo fazer? De modo que lá fiz o meu choradinho, subornei quem tinha de subornar, ameacei de morte quem tinha de ameaçar e convenci o gang a criar e jogar uma nova série de PTA! Apenas um produtor e dois jogadores não parecia boa ideia a nenhum de nós, mas mesmo assim eu insisti... só mostra o quanto eu estava desesperado por mais PTA!

Retrato de Elora

Se eu fosse vampira...

Take the quiz: "Which Vampire Clan Do You Belng To?"

Tzimisce
You are elegant, mysterious, cynical and can change your appearance. Clan quote: 'Welcome; a thousand welcomes! I am honored that we could put aside the Jyhad's foolish rivalries for a night, that you might come under my eaves in the spirit of-eh? you start? Ahh-that noise! A trifle! Nothing that need concern you, sweet guest!'

Fóruns: discussões activas

Blogues: novos posts

Outros conteúdos novos