Retalhos da vida de um jogador - Boardgames

Já lá vão mais de dois meses (xiça!) desde a minha última entrada neste blogue, de modo que vou fazer um série de apanhados do que tenho andado a fazer. Este aqui é só sobre jogos de tabuleiro porque se é verdade que não tenho dado muitas notícias, também é verdade que pelo menos em termos de jogos de tabuleiro dá para ver boa parte do que tenho jogado nas galerias de fotos do site.

[acidfree:590 style=image align=right]Começo por dizer que recentemente eu e a Irina (bom, na realidade foi ela quem os convenceu a vir jogar e lhes criou o bichinho) introduzimos um casal amigo ao Betrayal at House on the Hill e numa semana devemos ter jogado uns sete ou oito jogos daquilo; eles andam agora de olho nos boardgames que encontram por essas lojas fora, e estão interessadíssimos eu experimentar mais jogos. Entretanto até já descobriram um conhecido que possui alguns boardgames e no outro dia a Irina foi juntar-se a eles para um jogo de Warcraft - The Boardgame. Eu? Eu fiquei em casa, a descansar com a nossa filhota Diana. Zzzzz...

[acidfree:663 style=image align=left]Olhando para a minha bola de cristal, prevejo um futuro recheado de boardgames. Já esta semana, eu e a Raquel deveremos ter nas mãos uma cópia do fabuloso Formula Dé, com uma selecção jeitosa de pistas. A Raquel já tem estado a viciar mais pessoal com a versão para PC do jogo, e está cada vez mais entusiasmada, de modo que prevejo que em breve vai ser organizado um pequeno campeonato entre o pessoal. Eu não tenho é treinado nada, enquanto a Raquel & Cia passam a vida a jogar aquilo, mas pronto... vamos ver se consigo fazer boa figura. Pois é, vem aí a FDéMania, e a culpa é toda dessa pessoa genial que é o Manuel "Firepigeon" Pombeiro.

Mais, junto com os exemplares de F-Dé vem uma cópia do Twilight Imperium 3a Edição, um monstruoso (em tamanho!) jogo com algum renome de construção de impérios galácticos que eu espero poder jogar com alguém ainda antes de morrer... acho que estou com saudades de jogar Master of Orion no PC, daí a compra, eheh. De resto, também está a caminho uma cópia do Runebound, um boardgame de fantasia com um cheirinho de RPG à mistura que, esse sim, me parece que vai fazer as delícias de toda malta.

Depois disso, a meio de Dezembro, vão regressar dos EUA os meus irmãos, e vêm carregadinhos de boardgames novos comprados ao preço da chuva; nessa altura, e já a gozar umas merecidas férias, é que vai ser jogar! Aqui está a minha lista de aquisições... se o tamanho parece enorme é porque são o resultado acumulado de múltiplas compras feitas ao longo de quase seis meses, e também porque tenho de aproveitar o facto de os meus irmãos só virem a casa duas vezes por ano.

  • Vanished Planet (outra dica do Manuel, que possui o jogo; por mero acaso vi na semana passada um anúncio ao jogo, que o autor vende no seu site a um preço íncrível, de modo que não resisti)
  • Ticket To Ride Europe (se pudesse voltar atrás, acho que não o comprava agora que já comprei e experimentei o Ticket to Ride original, uma vez que este último não me atraiu tanto como isso)
  • Robo Rally (experimentei há tempos uma edição antiga em casa do Rogério e pareceu-me extremamente divertido!)
  • HeroScape: Rise of the Valkyrie (este comprei mais para ver se entusiamo o meu sobrinho de seis anos; aposto que vai adorar guerrear com as miniaturas!)
  • Battlestations & Battlestations: Galactic Civil War (RPG/Boardgame no espaço; parece divertido e intrigante. O Manuel já possui um exemplar do jogo e da expansão e também ele jura que deve ser muito divertido!)
  • Mare NostrumMare Nostrum - Mythology Expansion (um jogo de construção de impérios - tipo Civilization, mas diferente, talvez mais soft - que parece estar a ter boas críticas; há algum tempo que queria experimentar algo assim! Saudades de jogar Civilization no computador, talvez?)
  • Serenissima (idem, mas um jogo mais virado para aspectos comerciais, penso eu de que)
  • Tigris & Euphrates (um grande clássico que tenho mesmo de experimentar!)
  • Ra (outro clássico, com mecânicas de "leilão", que é algo que me intriga e que me parece fascinante... era comprar este ou o Modern Art, mas acabei por escolher este que parece ter mais substância)
  • A Game of Thrones Board Game (reinos em luta, baseado na obra homónima de George R. R. Martin; dizem muito, muito bem deste jogo! infelizmente a expansão estava out-of-stock, mas essa posso comprar depois já aqui na Europa)
  • Carcassonne & Count of Carcassonne & Carcassonne: Inns and Cathedrals & Carcassonne: King & Scout & Carcassonne: The Princess & the Dragon & Carcassonne: Traders and Builders (o Carcassone é outro clássico, que me parece que vai fazer sucesso entre os meus companheiros do costume; quanto às expansões, ei, eu sei que exagerei na quantidade mas cada uma custava meia-dúzia de dólares, portanto não resisti)
  • Puerto Rico & Puerto Rico Expansion (outro grande clássico, já louvado de passagem aqui pelo nosso guru João "MGBM" Marum)

Querem saber uma coisa engraçada? É que só agora, que estava a compilar esta esta lista, é que me dei conta de que já comprei duas cópias do Tigris & Euphrates em lojas diferentes, em alturas diferentes, e as mandei para irmãos diferentes. Duh! A vontade de experimentar o jogo devia ser tanta que deu nisto. Bom, ao menos não me parece que seja difícil recuperar o dinheiro que paguei pela cópia a mais. Algum dos nossos boardgamers fanáticos está interessado numa cópia selada e por estrear do jogo por €27,50? Cá em Portugal, infelizmente, acho que só podem encontrá-lo ao dobro desse preço ou bem pior.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

1a. visita!!!

Saudações! É a primeira vez que acesso este blog, e gostei muito daqui! Voltarei sempre!

Visite também o meu blog e comente.

Abraço, Jefferson (from Brazil)

http://www.cronicasartonianas.blogspot.com/ 

RE: Boardgames!

Bem, estás cheio de novidades! Alguns comentários:

Tigris & Euphrates: muito engraçado, com uma lógica de expansão por padrões de território que é mais parecido com Xadrez do que com um wargame. Complexo :)

Game of Thrones: pareceu-me um "wargame" tradicional, com uma componente económica. Talvez eu o descrevesse como um dos jogos tradicionais que adoptou algumas regras dos jogos mais modernos. Mas não o chamaria de clássico.

Carcassone: mais um jogo com padões espaciais :) Passa-se demasiado tempo à espera na minha opinião, mas quem me mandou jogar com grupos grandes?

Puerto Rico: merece a fama que tem. Infelizmente jogo com um grupo que jogou 10x mais que eu, por isso ontém lá fiquei outra vez em último :(

Ricmadeira escreveu:

Ra (outro clássico, com mecânicas de "leilão", que é algo que me intriga e que me parece fascinante... era comprar este ou o Modern Art, mas acabei por escolher este que parece ter mais substância)

Pá, a mecânica de leilão do Rá não é tão importante como a do Modern Art acho. Quer dizer, sofre-se um bocado mas é mais "quanta massa posso eu gastar sem comprometer a minha estratégia"...

De resto, eu aconselho alguns jogos que tenho experimentado ultimamente:

Funkenschlag: Fabuloso :) Os jogadores são companhias de electricidade que têm que abastecer a Alemanha ou os Estados Unidos. Cada um tem que construir uma rede de pontos de distribuição, ocupando uma série de cidades no mapa de forma a construir ligações entre elas ao preço mais baixo e a impedir que os outros jogadores se expandam. Tem uma mecânica de leilões muito fixe, porque toda a gente precisa de centrais eléctricas para abastecer a rede, e à medida que o jogo avança vêm a leilão centrais cada vez mais eficientes, abastecendo mais cidades com menos gastos de combustivel. Sim, porque o preço do combustível também é um factor: há um mercado onde, quanto mais raro é um combustível, mais se paga por ele.

Acaba por ser um jogo fácil de jogar, com três níveis tácticos distintos: o dos leilões para comprar centrais de energia, o do mercado de combustível para abastecer a central, e o tabuleiro de jogo onde se constroem padrões espaciais de redes de distribuição. O papel da sorte é pequeno, suficiente apenas para desempates entre os cromos; é preciso fazerem-se contas :)

Outros jogos: um chamado Fiese Freunde Fette Feten, qualquer coisa como "amigos fixes, festas porreiras" (ou a nossa tradução de "Companheiros Compinchas, Convivios Coloridos" para preservar o uso de uma só letra :P) é um jogo em que se joga a vida de um gajo, desde a adolescência até atingir (ou não) objectivos de vida dados secretamente no início, coisas como "ser um alcóolico em recuperação" ou "fazer uma lipoaspiração". Há um leilão de eventos de vida, como por exemplo "sexo em grupo", "apanhado a fumar drogas" e outras coisas engraçadas (acho que a versão em inglês vai ser poiliticamente correcta, eu só joguei a alemã). Cada evento faz mover índicadores como "falta de saúde", "vício em tabaco" ou "ex-namoradas" que são pre-requisitos para outras cartas (por exemplo uma lipoaspiração exige que se seja gordo e se tenha dinheiro). É um joguito muito engraçado e, para mim, muito viciante :) E curiosamente do mesmo gajo que fez o Funkenschalg, o Friedemann Friese (sim, os jogos dele tendem a ter nomes começados por "F").

Outros jogos que temos jogado:

Byzantium - é giro porque apesar de ser um jogo de estratégia, os jogadores controlam facções nas duas potências em guerra (Bizâncio e os Àrabes) e quanto mais porrada melhor, independente de quem ganhe :)

Ost von Theben - um joguito indep que veio da "Spiel" sobre a vida de investigadores científicos, ou seja, algo que me diz bastante - sou biased mas adoro o jogo :))

Oltremare - faz lembrar o Settlers of Catan, têm que se fazer combinações de cartas o que leva a muitas negociatas entre jogadores - mas algo previsivel a partir de antes de metade.

Louis XIV - um dos jogos mais estranhos que já joguei, que mistura jogo espacial estilo xadrez com leilões e gestão de recursos - ainda não decidi se gosto...

Queen's Necklace - este por outro lado não gosto nada.

De vez em quando voltamos aos tradicionais, desde o Civilization (pensava que era compelxo até ver o Europa Universalis!) até ao Goa, Merchants of Amsterdam, Carcassone, Modern Art, Rá, Tigris & Euphrates, Puerto Rico, o velhinho Settlers, o dos dinossauros, o das cartas com mercenários para conquistar a Itália, o dos munchkins de D&D, o outro dos arquitectos medievais, enfim, andam praí tantos jogos que às tantas um gajo esquece-se...

JP

Re: Retalhos da vida de um jogador - Boardgames

ricmadeira escreveu:

Puerto Rico & Puerto Rico Expansion (outro grande clássico, já louvado de passagem aqui pelo nosso guru João "MGBM" Marum)

Bem, se gostares do Puerto Rico recomendo-te o San Juan, que é a versao cardgame desse boardgame. Nao esta ao nivel genial do Puerto Rico mas para um cardgame nao é mesmo nada mau. De facto, é extremamente bom e viciante e muito mais simples que o Puerto Rico. O unico mal é que so da para 4 jogadores, mas fora isso vale a pena compra-lo.

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!