2 de Junho na XXL - Uma sessão longa mas proveitosa.

Retrato de Mallgur

Como estava combinado, no passado sábado lá se realizou a sessão de Full Métal Planète.

Este jogo é a jóia da minha colecção com valores acima dos 300 dólares no ebay. Um clássico Francês de 1988 que apresenta o sistema de alocação de pontos de acção como mecânica principal, uma quase total ausência de factores aleatórios e um engenhoso mecanismo de promoção do conflito pela escassez dos recursos disponíveis.

Em breve farei uma session report como deve ser com reportagem fotográfica e tudo, mas entretanto fica aqui um breve relato dos acontecimentos.

Creio que, após as explicações mais ou menos detalhadas que dei do jogo e das regras, começamos lá para as 16:00. A colocação inicial foi interessante. Basicamente ficamos um em cada canto do mapa, sendo que o Eddie e o Neonaeon ficaram mais próximos um do outro do lado esquerdo (de acordo com a minha posição na mesa e as fotos que se verão mais tarde). Eu e o Filipe ficamos mais afastados no lado direito.

Um factor curioso nesta colocação foi a maior escassez de minério do lado esquerdo porque, como pude aperceber-me só numa análise posterior ao jogo, as zonas de aterragem dos cantos levam mais minério e, como todo o minério é retirado das zonas onde efectivamente se aterra, o Neonaeon e o Eddie, ao aterrarem lá eliminaram mais minério que eu e o Filipe.

Os primeiros turnos foram pacíficos. Eu e o Neonaeon corremos para a ilha central a recolher o minério que por lá havia enquanto o Filipe e o Eddie se atarefaram a recolher o minério próximo das suas zonas.

O Neonaeon optou por uma estratégia pacifista não tendo construído muitos tanques ao princípio. Um dos factores interessantes deste jogo é que aquilo que se pode construir é limitado por uma reserva comum a todos os jogadores. Assim, o Neonaeon já não tinha tanques para construir quando pensou em fazê-lo.

Em resultado disto, quando o primeiro ataque de todo o jogo surgiu, já não havendo minério no lado esquerdo do tabuleiro, o Neonaeon ficou mesmo à mercê do Eddie. Do outro lado eu e o Filipe ainda estávamos a recolher o pouco minério que sobrava. O Neonaeon ainda tentou uma aliança com o Eddie contra mim e o Filipe, tendo também tomado as corvetas de ataque do Eddie... Ele ainda alinhou ao princípio e deixou o Neonaeon sobreviver.

Pouco depois eu ataquei o Filipe em força, tendo poupado pontos de acção nos turnos anteriores para poder desferir um ataque rápido e o mais devastador possível. Ele tentou resistir, mas não teve sorte com as marés e eu usei-as para me colocar numa posição defensiva que me permitiria atacar mais tarde a sua nave mãe.

Entretanto o Neonaeon caíu na asneira de lembrar o Eddie de que ele ficaria com os seu recursos se lhe tomasse a nave mãe. Foi uma lembrança por acaso, mas o Eddie aproveitou para lhe tomar mesmo a nave mãe e assim o afastar do jogo garantindo também uma série de pontos no final do jogo.

Ao 21º turno toda a gente partiu do planeta, menos eu. Não tive tempo para tomar a nave do Filipe, restando-me apenas recolher as minhas unidades e umas poucas amostras de minério à nave mãe nos turnos que restaram até ao 25º.

O Eddie ganhou graças aos pontos da tomada da nave do Neonaeon, com um total, se não me engano de 45 pontos. Eu fiquei em segundo com 39 e o Filipe terminou, creio, com 30. Creio que o jogo durou um pouco acima das três horas... mas passaram muito bem. Não fui muito rigoroso na aplicação dos três minutos por jogada porque iam surgindo algumas dúvidas acerca das regras. Mesmo assim acho que a maioria não chegou ao tempo limite.

Depois disso O Filipe e o Eddie foram embora.

O Nazgul tinha chegado entretanto e jogou Clans com o Neonaeon depois de ele ter saído do Full Métal Planète.

Quando eles terminaram jogamos duas mãos de Fairy Tale a três. Um jogo a revisitar...

Uma tarde bem passada.

 

O meu próximo plano para uma sessão mais alargada em tempo é jogar Armada. Veremos.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Boas! Não joguei mas

Boas!

Não joguei mas assisti ao fim do jogo e chamou a atenção! Conta comigo para o próximo!!

:D

_____________________________________________________________
Evil never dies, it just waits to be reborn...

Bem, não foi por acaso que

Bem, não foi por acaso que lembrei o Eddie da sua estratégia vencedora. Na realidade, perante o facto de estar bastante atrás na quantidade de minério, estava eu próprio a tentar considerar hipóteses de como sair do último lugar. Mas, é verdade, não construindo tanques para tentar poupar minério, acabei por hipotecar as minhas hipóteses a longo prazo.

De resto, um jogo muito interessante, muito temático, e espantosamente pesado tendo em conta a simplicidade das regras.

O Clans, continuo a achá-lo um jogo bastante agradável e equilibrado, com mais profundidade táctica do que aquilo que parece à primeira vista.

Gostei muito do Fairy Tale: parece-me um jogo muito simples, com as doses certas de aleatoriedade, estratégia e ambiente. As regras são pouco claras em alguns pontos, mas julgo que é mesmo um jogo a revisitar.