10 de Janeiro - Japão Medieval e jogos novos...

Retrato de Mallgur

Ontem realizou-se mais uma sessão regular no Cristal Park.

Eu, a Cat Ballou, a Zenaida e a Nádia fomos jantar ao "Chorar por Mais" que tem sido o amável cedente da esplanada onde temos realizado estas nossas sessões. Antes de jantar iniciamos um Tichu que viríamos a terminar durante a sobremesa, estavam já outros elementos a chegar.

Devo deixar aqui uma palavrinha à comida deste restaurante que é, de facto, excelente. Comi um bife da vazia em molho de cerveja que repetiria com gosto, acompanhado de uma sempre agradável Super Bock Stout. Terminei com uma variante de bolo de bolacha, coberto com natas e chocolate ao invés do molho de manteiga, que, ainda que não sendo concorrente para o melhor bolo de bolacha do mundo feito pela minha mãe, era realmente muito bom.

O Tichu, esse, correu mal. Eu e a Nádia fomos completamente esmagados... nem vale a pena falar mais nisso.

Depois fomos ter com o Nazgul, o AlbinScott, o PCC1972 e um novo participante, o Jorge, que estavam todos com vontade de jogar Shogun que já antes estava meio combinado...

Entretanto havia que encontrar algo para que as moças jogassem. Sugeri um Pillars of the Earth que chegou a ser montado e brevemente explicado, mas como o João e a Cristina, também novos participantes, apareceram entretanto, optou-se por uma solução alternativa, bem curiosa, que foi experimentar um design novo que eles traziam.

Pareceu-me ser um curioso jogo de colocação de tiles e corrida, com um tema automobilístico adequado. Creio que jogaram três partidas incluindo variantes e depois um Pickomino que terminou depois do nosso Shogun, já a noite ia adiantada.

E este Shogun foi muito bom...

A primavera chegou ao país do sol nascente com augúrios de guerra nas províncias centrais... Todos os Daimyo aí presentes se reforçaram e a província de Hida viria a ser um dos pontos de confronto.

Também no Sul a situação tendia para confrontos violentos. De Aki partiria uma invasão a Iyo, na grande ilha. Durante o resto do ano estabelecer-se-ia um equilibrio de forças precário entre Iyo e Tosa, de um lado os estandartes negros de Takeda Shingen (Mallgur) do outro os amarelos de Mori Motonari (PCC1972).

Ao norte Izu era tomada a Usesugi Kenshin (Jorge) por Hashiba Hideyoshi (Nazgul), partindo de Shima e aproveitando os confrontos entre Usesugi com Tokugawa Ieyasu (AlbinScott) em Kazusa e Shimosa.

Takeda conseguiu todas as suas manobras de primavera sem perder fundos para o verão. Alargara o seu domínio a mais duas províncias com poucas baixas. A produção de arroz foi boa para ele nessa estação pois Hoki está cheia de arrozais em flor e bambus fortes onde as Katana dos Samurai podem ser testadas.

O verão assistiria ao recrudescer de algum destes confrontos. Takeda foi atacado em Etchu por Hashiba a partir de Noto. Tomou Hida a Mori com um castelo. Repeliu também uma tentativa de invasão de Usesugi em Hoki tendo os seus exércitos sido muito valorosos contra uma força invasora superior em números. Por todo o Japão a ênfase mudava de guerra para construção, mas lentamente. O espectro de morte estava sempre por perto.

No Outono Takeda apercebia-se das dificuldades causadas pela sua política expansionista. As suas 10 províncias exigiam atenção e os recursos eram escassos para satisfazer todos os pedidos. Reforçou a sua posição defensiva em Hoki, Etchu e Shinano. Mas perdeu Hida para uma reocupação de Mori. Esta foi a estação com mais construções. Todos os Daymio queriam apoio popular para os cálculos políticos do fim do ano.

O Inverno provou ser rigoroso e duro para com todos os Daimyo. Apesar de ter uma boa reserva de arroz, Takeda não se escapou a dois inícios de revolta. Usesugi seria o mais afectado pela falta de alimentos.

Takeda ponderava a sua posição. No fim do ano estava mais bem colocado que qualquer dos seus opositores para ser declarado Shogun de todo o Japão, mas este novo ano não seria fácil. A sua posição atraia as atenções dos outros Daimyo e o grande número de províncias controladas provava ser uma dificuldade inesperada... Talvez optasse por abandonar uma delas no próximo ano e reforçasse posições nas que mais impostos e arroz produziam, apostando em construir infra-estruturas que lhe permitissem garantir o apoio dos vários sectores da sociedade e assim confirmar o estatuto de Shogun ao fim do ano...

Dirigiu-se aos aposentos onde praticava a sua escrita, pegou num pincel e numa folha branca compôs um Haiku:

 

A neve estala

De Shogun estou perto

O Negro vingará?

 

Nunca o saberemos. O enorme gongo do tempo soou...

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Shogun

Esta admirável prosa do Malgur relembra-me o Haiku a que ele se refere. :)

Quando voltarem a jogá-lo digam-me qualquer coisa por favor.

À uns anos atrás li as regras do príncipio ao fim, mas nunca cheguei

a jogá-lo por falta de adversários... :(

Obrigado,

Nuno.

Napoleon(greatest military genius of last centuries, if not ever!):

«Le meilleur soldat n'est pas tant celui qui se bat que celui qui marche.»

Napoleon(greatest military genius of last centuries, if not ever!):
«Le meilleur soldat n'est pas tant celui qui se bat que celui qui marche.»

Os encontros regulares

Os encontros regulares estão cada vez mais cheios de malta! Parabéns a todos os participantes. Seria para mim um prazer estar aí convosco.

Quando deixar de ser emigrante junto-me a vós. Um grande abraço.

Por acaso não...

Parece-me a mim que a malta anda com frio! Já tivemos mais pessoas nos encontros. Mas deve ser coisa passageira... Em breve cresceremos de novo!

-

Gamer profile