24 de Julho - Estreia do Batman ou Encontro em Espinho... You must be joking, right?

Retrato de Mallgur

Hehe... Título enganador este. Nunca houve dúvida.

Atrasei-me um pouco para este encontro. Já se jogava por lá quando chegamos.

Um Airships mesmo a terminar com JohnnyBeGood, Femme Fatale, Joana e Asur. Um Mykerinos com o Larkin e dois parceiros (lá está a minha memória falhar com os nomes) e o Dugy e a Cristy num Aton.

No fim do Airships preparámo-nos para o Brass.

Brass, que vou deixar para o fim.

A saber, entretanto, que a Zenaida, o Egas, o Pedro, seu filho, e a Cat Ballou jogaram Blokus, Geschenkt e Bohnanza.

A Joana acabaria a noite a jogar Battleline com o Crashburner, que esteve algum tempo a assistir ao Brass.

A Femme Fatale e a Cristy foram tentar fazer mais um par de conversões para o Tichu. Terão sido bem sucedidas? Estará o bichinho do Tichu à beira de se tornar pandémico?

E o Brass? O jogo do ano para os nossos amigos do SpielPortugal. Que penso eu deste Brass? E que é que isso vos interessa?
Não sei... Mas vou dizer na mesma.

Não fiquei fascinado. É um jogo um bocado picuinhas. A certa altura pensei, "isto são mais regras que jogo". Mas na segunda fase já comecei a apanhar melhor os conceitos e ideias. De tal modo que ao fim do primeiro turno na fase de caminhos de ferro acertei em quem ia ganhar. Isto porque nessa altura, depois de ter visto a pontuação da primeira fase, pude vislumbrar uma possível estratégia de vitória.

É um jogo económico, complexo e pesadote. Tem algumas coisas que me parecem mal conseguidas, por exemplo o sistema de procura internacional que nunca sobe, só desce, e só compensa realmente ser usado pelo primeiro a conseguir fazê-lo. Mas por outro lado tem algumas coisas engraçadas, como seja a mudança entre a fase dos canais e do caminho de ferro, que faz lembrar o Amun-Re.

Não vou julgar este jogo com apenas uma partida, principalmente quando nenhum dos intervenientes estava muito seguro das regras. Seria injusto.
É um jogo a tentar de novo, com mais tempo e conhecimento das regras, certamente. Talvez nessa altura vos possa trazer realmente uma review.

Foi mais uma boa noite de jogatina.

Até à próxima.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

=)

Quando quiserem jogar outra vez, é dizeres. Laughing

A cotton demand track tem 9 espaços. 2x 3£, 2x 2£, 2x 1£, 2x 0£ e 1x "no more demand".

No caso dos distant market tiles, 0 é o valor mínimo que reduz, -4 o máximo, e -2 o valor médio dos tiles.

Basicamente, o que aconteceu no jogo foi invulgar. Ainda não percebi é se podes de facto usar as localizações exteriores como um porto não virado, ou só para usar para mercados distantes.

   

 


Top10:

2 ou 3 coisas

- Refill a demand track de Coal/Iron

Só se repõe Coal se a mina estiver ligada a um porto (construído) via Canal/Rail ou Distant Market, e apenas no momento de construção da mina.

Iron repõe-se sempre, mesmo que não esteja ligado a um porto.

- Distant market

Pode ser usado como sendo um porto construído. (Pág. 7 Constructed Ports)

- Shipyards

Esta bem que me parecia! Na fase Rail, apenas Shipyards Level 2 são permitidos.

Para a confusão contribui uma gafe de impressão dos tiles, onde não foi impresso o simbolo da era Canal/Rail (como assumido em errata nas regras).

Acho que este foi o jogo que joguei até hoje, onde mais regras (picuinhices) foram atropeladas. Mas de facto, as picuinhices são detalhes a que o tema obriga., e o tema está bem explorado e aplicado, não fosse a bandalheira de uns e outros usarem os canais e vias férreas dos outros sem pedir autorização Tongue out.

 

Herrar é umano.

JohnnyBeGood escreveu: -

JohnnyBeGood escreveu:

- Refill a demand track de Coal/Iron

Só se repõe Coal se a mina estiver ligada a um porto (construído) via Canal/Rail ou Distant Market, e apenas no momento de construção da mina.

Iron repõe-se sempre, mesmo que não esteja ligado a um porto.

- Distant market

Pode ser usado como sendo um porto construído. (Pág. 7 Constructed Ports)

 

Sim, a partir de certa altura (lol) fizemos assim. Tipo eu com carvão no último turno. 

 

JohnnyBeGood escreveu:

- Shipyards

Esta bem que me parecia! Na fase Rail, apenas Shipyards Level 2 são permitidos.

Para a confusão contribui uma gafe de impressão dos tiles, onde não foi impresso o simbolo da era Canal/Rail (como assumido em errata nas regras).

Pois, por acaso li isso mas esqueci-me de mencionar porque está nos player aids que imprimiste. Enfim... lol

 

 


Top10:

Também não sei...

Mas li que não se recebe o dinheiro logo. O valor apresentado aqui serve como avanço no income track, ou seja, é como se virasses mais uma indústria.

Se virares uma fábrica de algodão que avança 5 e venderes para o distant market e ficares no espaço 2, avanças 7 na income track.

Mais uma coisa que fizemos mal...

-

Gamer profile

hum

"if the marker is above the bottom space you can sell your cotton. You gain an additional amount shown next to the space."

É mesmo como estavamos a fazer, acho.

 


Top10:

Nop

Vê a FAQ oficial no site da Warfrog.

Do BGG:

Cash from 4 sources only:
Income, Loan, Coal Demand, Iron Demand.

http://www.boardgamegeek.com/thread/312268

Da FAQ:

Distant Markets – if you sell to the Distant Market then the additional income shown on the Cotton Demand track is added to your income level, it is not taken as cash.

http://www.warfroggames.com/brassfaq.html

-

Gamer profile

O 4º jogador

Eu, como 4º jogador desta noite de Brass, pronuncio-me:

Além do uso "comunitário" dos canais e rails que me parece despropositado pois não traz penalização para quem usa os do adversário, nem bonificação a quem "empresta" os mesmos, além do que já foi falado acerca do "distant marker" só decrescer ao longo do jogo (menos na transição canais - rails onde o marcador é zerado), além do construção exclusiva de tiles de nível 2 (como o caso do shipyard) na fase de rails, além da venda para o "distant market" não se traduzir em recebimento directo de dinheiro mas sim na subida do "income", além disto tudo só posso dizer que, de facto, o jogo impressiona pelo trabalho de concepção que deu e como tal, merece ser jogado e avaliado com todos os jogadores integrados nas complexas regras que o mesmo comporta.

Isto quer dizer que, por mim, haverá jogatina de "Brass" amiúde... nem que me traga dissabores de última hora como as ultrapassagens pela esquerda que me fizeram Cry...

Abraços

 

O lado positivo dos vossos apontamentos negativos! ;)

 Em relação aos canais e rails comunitários acho que eles só dão verdadeiro benefício a quem os constrói pois são eles que te dão os pontos no final de cada era, obviamente que também ajudam quem os utilizada, mesmo que não sejam donos, mas vamos lá ver, os donos também os usam!

Também não vejo porque razão acham mal subir o extra income na income track! Se pensarem bem, subir 3£ na income track pode equivaler a poderem pedir um loan de 10£ sem sairem da posição anterior à subida de 3£ no income track, e consequentemente receberem 10£! Não acham bom? 

 A obrigatoriedade de construção de nível 2 é muito interessante na medida em que precipita o consumo de iron e logo a valorização dos iron works com consequentes mais-valias para os seus donos!

E acho que já falei no lado positivo de todos os casos em que vocês só vêem o lado negro !? hehe

 Brass é um grande jogo, e acreditem que não é só pelo prémio que a malta de Leiria lhe atribuiu, esse prémio é só a consequência óbvia de reconhecer um grande jogo por parte de jogadores experiente. Aliás, até me sinto muito à vontade pois o meu caminho nos boardgames não passa tanto por este tipo de jogos complexos, no entanto sei reconhecer um bom jogo complexo e este é-o sem dúvidas nenhumas!

Bons jogos e abraços lúdicos daqui das bandas da cidade dos canais...

Carlos Abrunhosa

 

http://jogoeu.blogspot.com

 

humm

Abruk escreveu:

 Também não vejo porque razão acham mal subir o extra income na income track! Se pensarem bem, subir 3£ na income track pode equivaler a poderem pedir um loan de 10£ sem sairem da posição anterior à subida de 3£ no income track, e consequentemente receberem 10£! Não acham bom? 

 

Acho que ninguém disse que era mau!!! Se afinal o objectivo do jogo é conseguir subir o Income de forma a receber mais, seria uma martelada na ferradura dizer que é mau!

Quanto à questão da construcção nivel 2, só se falou dos shipyards porque há uma falha nos tiles e não nos apercebemos da errata.

 

Herrar é umano.

São só apontamentos...

Abruk escreveu:

 Em relação aos canais e rails comunitários acho que eles só dão verdadeiro benefício a quem os constrói pois são eles que te dão os pontos no final de cada era, obviamente que também ajudam quem os utilizada, mesmo que não sejam donos, mas vamos lá ver, os donos também os usam!

Sim. A verdade é que a estratégia que vislumbrei para tentar ganhar o jogo foi, precisamente, construir linhas de comboio entre as cidades onde estavam mais indústrias implementadas. Resultou. Aliás, só tinha 5 tokens no final da partida para indústrias e só uma no fim da época de canais...

Citação:

Também não vejo porque razão acham mal subir o extra income na income track! Se pensarem bem, subir 3£ na income track pode equivaler a poderem pedir um loan de 10£ sem sairem da posição anterior à subida de 3£ no income track, e consequentemente receberem 10£! Não acham bom? 

Acho. Aqui creio que o problema é mais de iconografia e redacção das regras que outra coisa. Se junto à tabela de retorno dos mercados externos estivesse um símbolo igual ao usado nos tokens para progressão no income, este problema não sucedia. Assim, fica-se coma ideia de que o dinheiro é recebido de imediato e uma só vez... e é um bocado mau ter que ir ler uma FAQ para perceber isso.

Citação:

 A obrigatoriedade de construção de nível 2 é muito interessante na medida em que precipita o consumo de iron e logo a valorização dos iron works com consequentes mais-valias para os seus donos!

Não me recordo de ter dito o contrário...

Citação:

E acho que já falei no lado positivo de todos os casos em que vocês só vêem o lado negro !? hehe

 Brass é um grande jogo, e acreditem que não é só pelo prémio que a malta de Leiria lhe atribuiu, esse prémio é só a consequência óbvia de reconhecer um grande jogo por parte de jogadores experiente. Aliás, até me sinto muito à vontade pois o meu caminho nos boardgames não passa tanto por este tipo de jogos complexos, no entanto sei reconhecer um bom jogo complexo e este é-o sem dúvidas nenhumas!

Pois. Mas não creio que ninguém neste thread tenha visto só o lado negro. São só apontamentos de coisas que numa primeira partida pareceram menos interessantes ou potenciais problemas.
Acho que este jogo se aprecia melhor com mais partidas. A ideia do income rate está muito interessante, mas não transparece como aquilo que é à primeira vista. Ao ler os esclarecimentos no site da Warfrog pude perceber a ideia por trás da mecânica, e faz sentido. Mas seria muito melhor que a mesma fosse transmitida nas regras, não?
É por essa razão que disse que não julgaria o jogo com base nesta única partida. Creio que as coisas que apontei ao jogo derivam de alguns problemas de clareza na transmissão de informação para os jogadores, não da falta de qualidade do jogo. Afinal, também não sou propriamente novato nestas coisas para condenar um jogo deste nível de complexidade sem o jogar algumas vezes...

-

Gamer profile

Ah, porreiro, mais uma

Ah, porreiro, mais uma gralha no manual. Dá sempre jeito...

 


Top10:

É mesmo como diz o

É mesmo como diz o Mallgur! O extra income só se efectua através da income track!

http://jogoeu.blogspot.com