Dezembro - O mês e o ano...

Retrato de Mallgur

Após um longo período de indisponibilidade o site de estatísticas do Frindless, membro destacado do BGG está de novo disponível.

Para quem não conhece, trata-se de um local onde são coligidos muitos dados dos membros do BGG que para isso se inscrevem e onde se podem consultar estatísticas mais avançadas e detalhadas acerca dos jogos jogados por estes e das suas colecções. Normalmente vejo por aí como anda o meu aproveitamento da colecção, isto é, qual a percentagem dos jogos que tenho são, de facto, jogados.

Também posso ver mais rapidamente quantos jogos joguei num determinado mês e quantos desses foram novidades, etc...

E como foi Dezembro?

Foi razoável. Tive meses em que joguei mais e mais novidades, mas não foi mau. 25 jogos jogados, 20 diferentes com 9 jogos registados pela primeira vez.

As novidades foram portanto bastantes e todas boas. A expansão do Saint Petersburg não desiludiu e trouxe um pouco de ar fresco a este título que já andava a ficar um pouco descurado. O Jamaica é um joguinho leve, com bastante sorte à mistura, um tema engraçado e uma qualidade de produção muito acima da média e gostei muito de estrear o meu exemplar.

Também pude estrear uma compra quase de impulso feita numa lojinha com jogos mais infantis, mas onde pude encontrar o engraçado Xe Queo! de Alex Randolph. Se puderem, vão até à didakto no Centro Comercial Miguel Bombarda. Pode ser que encontrem lá algo que vos agrade e é um bom sítio para encontrar prendas para os mais novos. Xe Queo, é um jogo de bluff para dois, original e muito rápido.

O mês trouxe o primeiro encontro de Wargames do Grupo de Boardgamers do Porto onde pude estrear também o meu Nexus Ops. Esta primeira partida não me deixou fascinado com o jogo, mas entretanto posso dizer-vos que já joguei de novo e foi melhor. Também aí pude experimentar um clássico, Guerrilla. Jogo interessante, um pouco caótico e talvez demasiado longo para o que é, mas até foi divertido.

Até que enfim, pude jogar Goa! Foi óptimo, apesar de ter jogado bastante mal. Vasco da Gama foi a outra nova experiência relacionada com a história de Portugal. Bom jogo, com algumas particularidades mecânicas originais.

Também um dos sucessos surpresa (ou talvez não) de Essen me foi apresentado. Power Struggle... Não pude completar a partida, mas os turnos que fiz foram giros. A repetir certamente.

Finalmente, Zendo. Um jogo de dedução muito interessante que infelizmente já não é editado pois merece bem a compra, ainda por cima porque dá para usar os componentes numa razoável quantidade de jogos alternativos.

E que mais se pode ver neste site?

Estatísticas a um prazo mais alargado e de forma progressiva ao longo desse prazo.

Não sou muito de dar grande importância ao fim de ano, mas efectivamente é um acontecimento que convida a alguma reflexão porque o ano é realmente um período de tempo com o qual estão relacionados muitos aspectos da nossa vida. Portanto fica aqui uma breve visão do que foi este ano, em termos lúdicos, para mim.

Janeiro registou 45 partidas de 32 jogos diferentes, com 12 novidades para esse início de ano. Só neste mês pude usar 11,8% da minha colecção. Isto correspondeu a 43 horas de jogo estimadas.

Fevereiro teve menos jogos, talvez por ter menos dias. Foram 29 partidas de 17 jogos diferentes com 6 novidades. Correspondem a 26 horas de jogo e elevaram a utilização da colecção para 17,1%.

Março foi o mês com menos partidas, apenas 21. 16 jogos diferentes e 4 novidades. 21 horas de jogo que, ao finalizar o primeiro trimestre, elevaram para 95 as partidas no ano, de 55 jogos diferentes com 22 novas experiências. A colecção estava aproveitada a 22.4% nesta altura.

Abril voltou a animar. 51 partidas de 31 jogos diferentes e mais 12 novidades. 38 horas a jogar, aproveitando já 29,4% da colecção.

Maio foi um dos melhores meses do ano com 63 partidas, 24 jogos distintos e 9 novidades. 33 horas de jogo, 35,9% da colecção aproveitada.

Junho fechou o 2º trimestre com nova quebra. Apenas 23 partidas de 17 jogos diferentes e 5 novidades. 21 horas de jogo que trouxeram o número de jogos no ano para 232, com 106 diferentes e 48 novidades. 38,8% de uso da colecção.

Em Julho as coisas melhoraram bastante. 58 partidas, 26 jogos diferentes e mais 5 novidades. 43 horas de jogatina e 44,7% da colecção aproveitada.

Agosto, mês de baixa em quase todas as actividades, não foi diferente aqui. 28 sessões de 21 jogos diferentes e 6 novidades. A colecção fica quase meia aproveitada com 48,8% graças às 31 horas que joguei neste mês.

Setembro fecha o terceiro trimestre e foi o pior mês do ano. Empata com Março em partidas, 21, e perde por um em variedade, 15 jogos diferentes e em novidades também com apenas 3. As escassas 21 horas de jogo trazem o aproveitamento da colecção para pouco acima de meio com 50,6%. O ano ficava assim com 339 partidas registadas, 137 jogos diferentes e 63 novidades.

Após a tempestade, vem a bonança. Outubro foi o mês dos recordes. 69 partidas de 40 jogos diferentes e 21 novidades. Tantos jogos novos como partidas no total do mês anterior! 44 horas de jogo é também um recorde para o ano. A colecção fica aproveitada a 57,1%.

Em Novembro acalmou-se um pouco. 39 partidas de 24 jogos diferentes com 8 novidades. 30 horas de jogo para arredondar o aproveitamento da colecção nos 60%.

De Dezembro já falei. O ano fecha com 472 partidas registadas, 185 jogos diferentes, 101 dos quais novidades. 63,5% da colecção usada em 376 horas de diversão.

Não sou grande entusiasta de estatística, mas é engraçado ter uma ferramenta que nos permite dizer, por exemplo, e com o devido orgulho que jogámos 185 jogos diferentes num ano. Que estivemos o equivalente a mais de 15 dias seguidos à volta de uma mesa com amigos a partilhar um jogo, algo como 47 dias de trabalho...

Deve fazer inveja a muita gente e, espero eu, abrir horizontes e dar que pensar a outros tantos. Porque não andarão eles a aproveitar assim o tempo? Quanto deste tempo de diversão quase garantida gastarão inutilmente em frente a um televisor? Passarão assim tanto tempo com os seus amigos? Terão tantas actividades diferentes ou falarão sempre dos mesmos casos da bola?

Portanto, Thanks a lot John Farrell, doubtfully Friendless, for allowing me to brag for so much good time spent with friends.

Este ano foi também o ano do pleno das Cons para mim. Fui a todos os Encontros Nacionais e ainda pude realizar o sonho de ir a Essen... Foi um ano em cheio!

Até breve!

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

47 dias?

Realmente dá que pensar. Se puderes leva o Xe Queo! para a LeiriaCon que gostaria de experimentar.