Abril 2010 - O que joguei

Retrato de Mallgur

Comparar o mês de Abril entre este ano e o passado seria absurdo. Uma enorme quantidade de jogos de Jenga registados em 2009 fez com que tivesse 51 partidas e a realização da TricaCon ajudou a que jogasse 31 jogos diferentes nesse excelente mês de jogatina.

Por isso falarei de Abril de 2010 isoladamente.

Até agora foi o segundo mês do ano, em termos de partidas registadas, 24, assim como em termos de variedade com 19 jogos diferentes jogados.

A sessão de Werewolf na Casa da Horta levou a que este fosse o jogo com mais partidas, seguido de um regresso ao Pandemic. Time's Up também foi jogado duas vezes, tantas como o Vasco da Gama ou o Volcano que marca o começo da exploração do sistema Treehouse.

Como novidades pude experimentar o Steam que apresenta algumas diferenças para o Age of Steam, tendo maior tolerância para com os erros dos jogadores menos experientes. A possibilidade de um maior controlo sobre os novos fornecimentos de bens a transportar parece-me uma ligeira melhoria. Ainda assim, tanto jogarei um como outro, talvez tendendo para o Steam no caso de estar a jogar com malta menos habituada a estas lides.

Pude também estrear a minha expansão do Power Grid com o mapa de França. Uma variação engraçada que ajuda a manter este soberbo jogo fresco e apetecível.

A última das novidades foi Maria. Foi uma boa experiência que espero repetir em breve. Sendo os jogadores quase todos estreantes, foi um pouco confuso e talvez menos tenso do que poderia ser com uma vitória algo fácil para os Prussianos. Para a próxima creio que será ainda melhor.

Uma nota final para a chegada às 5 partidas no ano de Batlestar Galactica, Homesteaders e Time's Up!

Até breve!