Sessão de Conan GG I

Retrato de MGBM

E cá esta o primeiro dos reports do grupo grande.

Neste grupo temos um Cimério Thief/Barbarian, um Bossoniano Soldier/Borderer, um Aesir Soldier, um Zingaro Pirate e um Zingaro Noble.

O grupo vê-se na Aquilonia, a seguir até Tarantia, a capital, para irem falar com o rei depois de terem morto um perigoso feiticeiro que destruiu uma aldeia completamente, ou pelo menos é o que eles pensam.

Param numa vila grande e deparam-se com um cenário dantesco. Muita gente na vila comporta-se como zombies. Depois de falarem com pessoas normais, descobrem que são cabeças de lotus, drogados viciados em lotus que já não têm vontade própria, vivem só do vicio.

O grupo recebe informações. Ninguém sabe, ou não querem dizer, quem é o traficante de lotus e onde ele está. No entanto dizem que a taverna mais rasca da vila é um sitio onde se compra lotus. Eles entram nessa taverna, uma taverna horrivel cheia de cabeças de lotus.

Nesse momento um homem, um capitão da cavalaria Aquiloniana chamado Osvald, aparece à frente do grupo. Ele afirma que está a investigar o tráfico de lotus e que está prestes a fazer progressos. Perante a teima do grupo em dizer que também estão lá para investigar, Osvald ordena o grupo a irem-se embora pois não estão a fazer nada na vila. Sem conhecimento do grupo, Osvald já tinha mandado vir uma companhia de cavalaria Aquiloniana e que já estavam muito perto da vila. O grupo diz que quer dormir nesta taverna, mas Osvald é intragisente, ninguém dorme na taverna.

O grupo decide ir para a estalagem mais fina sem conhecimento de Osvald. Problema, ninguém tem dinheiro excepto o Aesir que tinha um rubi de boa qualidade. Mesmo assim decidem ir para a estalagem. Entrando, o Aesir paga o rubi e diz para o estalagadeiro dar tudo de bom a ele e ao pirata e porcaria aos restantes membros do grupo. O nobre, descobrindo dinheiro escondido numa bolsa, contrata 3 prostitutas e vai para um quarto. Durante algum tempo, podem imaginar o que ele fez.

De repente, uma mulher aparece na estalagem, vai até ao Aesir e pede-lhe que a ajudem. Ela foi atacada por um homem e tem medo de sair. O Aesir encolhe os ombros e lá vai ajudar a mulher, seguido sem notar pelo pirata e pelo Cimério. A mulher leva-o a um beco onde o Aesir é emboscado por um homem. O Aesir faz parry a dois golpes do homem e dodge ao próximo, mas algo horrivel acontece. Ao fazer dodge, ele desvia-se duma estocada que em vez de trespassar o Aesir trespassa a mulher que estava atrás do Aesir. O homem, vendo isto, cai ao chão gritando de dor. O Aesir ameaça o homem para contar tudo e o homem diz que a mulher era, de facto, a mulher dele. O Cimério e o pirata já estão na cena, e tanto o Aesir como o Cimério acham isto extremamente odioso. Só resta fazer uma coisa, vingança contra alguém que propociona lotus. O homem confessa onde é a casa do traficante.

Indo buscar o resto do grupo, menos o nobre que está entretido. Eles vão até à casa indicada e notam que a casa parece um armazém com uma carroça de palha lá fora e com muitos cabeças de lotus a rodear. Notam em dois cabeças de lotus invulgares, dois homens armados com espadas na entrada do armazém. Com um olhar vazio, os homens no entanto pareciam perigosos.

Primeiro o grupo ateia fogo à carroça, o que faz toda a gente fugir de dentro do armazém. Depois atiram-se aos dois cabeças de lotus armados. A luta é renhida, pois embora eles sejam drogados, eram extremamente rápidos. Depois de despachados, eles entram no aramzém.

O armazém tinha muitas caixas e também sete homens lá dentro. cinco homens em aramdura pesada e espadas, um Picto em plate armour e Mart, o traficante. O grupo afirma que vieram ali para acabar com o negócio, ao que os homens preparam-se para uma luta. O Aesir começa a picar e a insultar o Picto, e depois de uma troca de insultos, o Picto decide lutar com o Aesir um contra um, sem interferências. O Picto diz aos homens para não se envolverem, o Aesir diz o mesmo ao grupo.

Há dias de sorte, e o que aconteceu a seguir foi da mais sorte que alguma vez vi. O Aesir ganha a iniciativa. Ambos têm uma greatsword. O Aesir rola para atingir o Picto, tem dois ataques. Critical no primeiro. Critical no segundo. Dano quase máximo. Depois de adicionado todos os bonus das feats e do resto, o Aesir dá um dano total de mais de 65 pontos. O Picto falhar o Fort save. O Picto é literalmente cortado ao meio transversalmente, destruindo a plate armour no processo.

Mart fica impressionado e propõe ao grupo um negócio, vendo que este grupo é forte. Dá 100 gold pieces ao grupo e eles vão-se embora. Depois de negociar um pouco, fica acertado que cada elemento do grupo recebe 75 gold pieces. O grupo vai-se embora.
O fogo na carroça já tinha sido apagado.

O Aesir volta para se encontrar com Osvlad. Ele continua na taverna rasca. O Aesir conta o que aconteceu e qu está próximo de descobrir quem está envolvido no tráfico de lotus. Osvald ouve com atenção e, de repente, saca de uma adaga envenenada e tenta matar o Aesir. O Aesir mexe-se antes do golpe e a adaga só acerta na armadura. O Aesir dá um soco no Osvald, pondo-o inconsciente.

Lá vai o Aesir buscar de novo o grupo e decide atacar Mart, algo que o grupo ia fazer à mesma. Entrando no armazém e largando o Osvald na porta, o grupo decide que vão todos morrer. Osvald acorda, vê onde está, levanta-se e tranca a porta. Começa uma luta terrivel.

A luta dura muito tempo. Matam dois dos homens, imobilizam Osvald com três setas na perna dele. Depois de matarem o terceiro homem, os restantes decidem renderem-se. Toda a gente está ferida. O grupo manda-os embora, eles não são o alvo. Mart está assustado e o pirata afiram que se vão divertir com ele. Mart tenta matar o Pirata com uma adaga, mas o pirata tira-lhe a adaga.

O Cimério sai para fora e nota que estão rodeados por uma companhia de cavalaria Aquiloniana. O restante grupo de dentro do armazém nota isso e decidem matar o Osvald antes que alguém da companhia entre, e isso acontece, matam o Osvald com a adaga do Mart.

O capitão da companhia apresenta-se e pergunta o que raio se passa ali, ao que respondem que estavam a destruir uma rede de tráfico de lotus. O capitão pergunta pelo Osvald, ao que respondem que foi morto pelo Mart, está lá a adaga dele e tudo. O capitão pergunta-se porque o Osvald tem setas nas pernas quando ninguém morto ou vivo tem arcos excepto o Cimério e o Bossoniano. O grupo dá a volta, dizendo que fugiram mais gente do Mart de dentro do armazém que tinha arcos. O capitão pergunta à população se Mart é realmente o traficante, e a populção responde que sim. Isto é confirmado por descobrirem muito lotus dentro do armazém. O capitão diz então que está tudo bem e que Mart deve ser executado pela população.

O pirata, todo contente, diz que trata do assunto. Amarra Mart, depois amarra a corda ao cavalo, e dá três voltas à vila com o cavalo a cavalgar bem rápido. Apesar disto, no fim, Mart ainda está vivo. O Cimério corta-lhe a cabeça. E assim acaba o reino de lotus de Mart.

E assim acabou. A viagem para Tarantia continua da próxima vez. Foi muito interessante ver o Aesir tirar 60 pontos de dano de um só golpe, foi brutal mesmo. Matou o Picto, que era um adevrsário extremamente poderoso, de uma só vez.