o blogue de MGBM

Retrato de MGBM

Lovecraft - 118 anos

À 118 anos atrás, no dia de 20 de Agosto, nascia em Providence, Rhode Island o homem que se tornaria no melhor escritor de terror do Seculo XX. Nascia Howard Phillips Lovecraft e a sua obra tornar-se-ia essencial para muitos RPers.

Eis aqui uma homenagem ao homem que criou o Cthulhu Mythos e fez tremer, suar e deu pesadelos a tantas pessoas.

Obrigado, Lovecraft.

Retrato de MGBM

Sessão de Conan IV

E cá vai mais uma sessão do grupo pequeno. Era para ter sido o grupo grande mas não deu. Fui preparado com ideias para o grupo grande e, como não tinha ideias para este grupo, depois de ter sido convencido lá decidi que faria uma sessão de puro improviso, construindo a estória conforme o que os jogadores faziam. No fim, isto tornou-se um conto de racismo e vingança.

Numa taverna em Messantia, a Shemita e o Picto estavam bem da vida. Mandaram vir comida, neste caso um guisado, mas o sabor era ínsípido. A Shemita atirou-se logo ao taverneiro e perguntou descaradamente se não havia sal nesta terra. O taverneiro, sendo um homem robusto, respondeu que o seu caregamento de sal nunca chegou ao destino. Tinha sido um Aquiloniano a trazer o sal e chegaram a entrar em Messantia, mas desapareceram. O taverneiro pede a ajuda dos aventureiros em troco de uma recompensa, ao que eles aceitam. Claro que toda a gente olhava para o Picto com cara de quem queria matá-lo, ao que o Picto ignorava isto tudo e tava bem da vida.

Retrato de MGBM

Sessão de Conan III

E mais uma sessão do grupo pequeno de Conan.

A sessão começa exactamente onde acabou da última vez, em Messantia, jóia de Argos. Depois de procurarem por rumores numa taverna e de o Picto ser discriminado à força toda por toda a gente, os PCs estavam a pensar que não iam conseguir arranjar nenhum trabalho.

A meio do dia entra na taverna um bando de guardas reais que faz o anuncio de andarem a procura de criminosos e de precisarem de bounty hunters capazes.

Retrato de MGBM

Sessão de Conan II

E aconteceu mais uma sessão de Conan RPG com o grupo pequeno. Um Picto Borderer/Thief e uma Shemita Scholar.

A acção decorre imediatamente a seguir aos eventos da última sessão. A Shemita tenta seduzir o nobre mais uma vez mas falha, visto o nobre ter posto guardas a volta da sua mansão.

Sem nada para fazer, o grupo dirige-se à estalagem de forma a comer algo. Aí, são contratados por um mercador Shemita para servirem de guardas a uma caravana que tem como destino Messantia, em Argos.

Retrato de MGBM

Sessão de Conan

E cá vai uma sessão de Conan com o meu grupo pequeno.

O grupo consiste de Uma Shemita Scholar bem bonita e um Pict Borderer/Thief.

A sessão durou só por volta de três horas e basicamente voltei a usar o conceito da campanha do meu grupo grande.

A estória começa em Selhia, na fronteira de Zingara com as florestas Pictas. O grupo primeiro procura um weaponsmith, onde a Shemita vende duas Arming Swords por 60 silver pieces. Depois procuram uma taverna. Nesta vila existem duas, o Picto Torto, uma taverna de gente do campo, o a Fenix Dourada, uma taverna para gente mais abastada financeiramente.

Retrato de MGBM

Sourcebooks de Conan

Eis a lista completa de tudo o que existe para Conan ou vai sair para Conan ainda este ano, para quem estiver interessado.

Across Thunder River - Sourcebook das Pictish Wilderness

Aquilonia - Sourcebook da Aquilonia

Argos & Zingara - Ainda não lançado, sourcebook de Argos e Zingara

Conan - The RPG - Atlantean Edition - O livro base

Conan and the Lurking Terror of Nahab - Aventura passada em Corinthia

Retrato de MGBM

A minha primeira campanha de Conan

E prontos, hoje acabei a minha primeira campanha de Conan e posso dizer que toda a gente divertiu-se.

A base da campanha era uma estoria plagiarizada do Realms of Arkannia. Basicamente os exércitos Khorajanos iam invadir Koth. No entanto, os Khorajanos são muito supersticiosos.

Os PCs entram em cena e são recrutados para encontrarem a Espada do Destino. Ora, a Espada do Destino tinha sido forjada por um feiticeiro e dada a Gramir, um Aesir famoso em Koth. Esta espada têm a fama de ser extremamente mágica e de dar o temor dos deuses a quem a veja. Numa incursão às montanhas de Khoraja, Gramir e quase todo o seu grupo foram mortos. Os sobreviventes desenharam um mapa de onde a espada estaria e depois espalharam o mapa por Koth em vários pedaços. Agora, os PCs são recrutados para encontrarem a Espada do Destino e a enfiar no coração negro do lider Khorajano, aumentando assim o temor que os Khorajanos têm dessa espada, pois eles pensam que é uma espada divina.

Retrato de MGBM

Earthdawn

O bom velho Earthdawn, que nao é assim tão velho. Para mim, ao lado do Conan RPG, o melhor RPG de fantasia, este sendo High Fantasy.

Descobri à pouco tempo o segunite, que a RedBrick está a lançar um redone do velho Earthdawn 1a edição. Promete, mas é quase impossivel mandar vir os livros infelizmente.

Enfim, eis o site

http://www.earthdawn.com/projects/announcements.html

A ver

Retrato de MGBM

Porque adoro a Era Hyboriana

No seguimento desta thread na RPG.net, decidi falar sobre a Era Hyboriana e o Conan RPG. Gosto bastante deste mundo e acho que o Robert E. Howard é um génio e um dos verdadeiros pais do género de fantasia e o pai do género de Swords & Sorcery.

Primeiro, antes de tudo, esqueçam tudo o que viram no filme Conan, O Bárbaro, com o Arnold. Conan nunca foi escravo, nunca teve a possessão de uma espada por mais de um mês, nunca teve um feiticeiro como amigo, a Valeria não morre e certamente o Thulsa Doom não existe na Era Hyboriana (existe na era Atlante do Rei Kull mas na Era Hyboriana ele nem uma memoria é sequer). Pondo isto de lado, posso dizer que as estórias do Howard sobre a Era Hyboriana é, na minha opinião, da melhor literatura de fantasia  que existe. Ler Howard é realmente do melhor que há, ele imerge-nos em contos tão fantásticos e espectaculares que uma pessoa não consegue parar de ler; sem falar que os contos dão aventuras de RPG perfeitas, é só mudar o herói de Conan para os PCs.

Retrato de MGBM

Como não gerir uma empresa

Estava eu muito bem a ler os foruns da rpg.net quando deparei-me com isto:

http://forum.rpg.net/showthread.php?t=267725&page=2

Leiam os posts do Jack. Se o que ele disse é nem que seja metade verdade entao aquilo é, como economista, a pior maneira de gerir um negocio que alguem alguma vez me descreveu.

É assustador pensar que existem gestores da industria que gostamos tanto, a de RPGs,