Elemental Campaign (D&D 3.5)

Aqui irei postar os resumos da minha actual campanha de D&D 3.5, baseada numa intensa invasão de elementais e como está o mundo da campanha anterior passados 50 anos, o que aconteceu, as mudanças introduzidas e afins.

Não necessariamente elementals R us mas de tudo um pouco.

 

Artigos do DM sobre a Campanha

Aqui irei colar vários artigos a responder a dúvidas ou como vai a minha campanha :)

Fortune Points

Decidi instalar na minha campanha o conceito de Fortune Points, tirado do Advanced Gamemaster´s Guide publicado pela Green Ronin Publishing.
Já tinha tentado anteriormente com os Action Points do Unearthead Arcana publicado pela WOTC, mas não era bem o que eu tinha em mente.
E que tinha eu em mente afinal?
Encontrar uma maneira de que os pcs na minha campanha pudessem safar-se daquelas ocasiões onde morrem por causa apenas de um mau lançamento dos dados, ajudar numa luta em que fiquem à rasca e o lançamento necessário fica aquém do que queriam.
Os action points pareciam-me o necessário para isso, mas… após umas sessões vi que não estavam a dar o efeito que queria e provocavam mais desequilíbrio a favor dos pcs do que apenas ajudá-los em algumas ocasiões.
Assim decidi trocá-los pelos Fortune Points.
Por esta altura já devem estar a pensar, mas que raio são action points e fortune points... Ora bem, os action points são pontos que cada pc tem que pode usar para fazer n coisas que as regras não permitem, desde por exemplo ter um ataque extra assim do ar, como num round poder usar um feat que não possui mas que tem todos os pré-requisitos para o mesmo, etc.
E não era o que eu tinha em mente…
Já os Fortune Points apenas permitem 5 coisas:

- Evitar que um pc morra gastando para isso metade dos fortune points que tenha (no mínimo tem de ter 2) e só uma vez por sessão de jogo
- Rolar 2 dados ao invés de um para um ataque ou um check (gasta-se 1 fortune point)
- Após falhar qualquer lançamento de um D20, gastar 2 fortune points e lançar de novo (apenas pode ser feito uma vez por sessão)
- Lançar de novo o dano de um ataque ou um spell (1 fortune point)
- Perder metade do dano (1 fortune point e apenas uma vez por encontro e na vez do pc)

Tendo em conta que um pc tem apenas 1 fortune point por nível, e só ganha mais um quando passa de nível ou quando realiza alguma acção que o DM (aqui o vosso amigo) acha heróica ou quando a party acaba uma quest ou realiza algo com impacto na campanha, é preciso ter em atenção o número que se tem e onde se gastam. Porque são mesmo pouco e preciosos.
Já os action points estavam a ser muitos e já estavam a tornar-se banais.
Até ver das 2 sessões em que estiveram em jogo gostei de os ver e penso que o conceito de serem preciosos e terem cuidado como os gastam está a entrar neles, excepto claro o Rafa (Diogo) que já os gastou…. LOL
Os outros pelo menos tentaram ficar com os tais 2 que permitem pelo menos evitar por uma vez o abraço da morte, que não sendo eterna em D&D custa um bom bocado… Se custa!

Suplementos usados, Ambiente nas sessões, e tipo de aventuras

Isto que o Rick Danger diz:

Rick Danger escreveu:

Gostava de ouvir falar mais deste que é o maior RPG do mundo.

Quais são os suplementos que estão na berra e que regras são mais ignoradas? Qual é o ambiente das sessões e que tipo de aventuras se fazem? Que experiências é que a party gosta de jogar?

O Demon Knight também vai dizendo qualquer coisa, mas é praticamente só informação in-character. Contem-me mais.

pos-me a pensar e é bem verdade, hora de começar a falar também do behind the scenes.

Para começar responder a estas perguntas:

Os suplementos na berra mais usados são os completes, sao a origem de vários feats e spells que são usados, ou até de mudanças em raças e classes.
Regras ignoradas... bem, não me lembro de nenhuma... sempre fui um by the book DM e acredito que o sistema funciona, até ver tudo ok :)

O ambiente das sessões tem sido agradavel, afinal a malta já joga ai há uns 4 anos regularmente, fala-se de coisas antes da sessao e vai se jogando, há sempre momentos de tensão com lutas ou decisões mais extremas especialmente quando a mesma divide a party sobre a maneira de actuar, por exemplo numa sessão o personagem do Diogo (Rafa) decidiu que iria preservar a vida de crias de owlbears e devolve-los à mae natureza, curando a mãe deles enquanto para a personagem da Claudia (Myeva) eram Gold Pieces prontas para serem vendidas.

Depois há mistérios nas classes de alguns jogadores o que dá situações giras in game e claro muito riso interior para o DM :P

No tipo de aventuras é uma party mista, gostam de desenvolvimento da historia, de interacção com os NPCs e de explorar o mundo, mas gostam também de uma boa luta que afinal é onde se mostra mais as qualidades de um PC em D&D.

E pronto, aqui está um inicio no Demonknight Behind the Scenes.

Background da campanha, vários artigos

Vários artigos sobre o Background da campanha e o que se terá passado no Mundo

Estado da Magia

" Com os elementais vieram novos seres e novas formas de magia, lutámos contra criaturas que usavam o poder da mente como arma, outras que usavam estranhos objectos como armas e componentes mágicos. No fim a guerra que parecia interminável deixou marcas, por todo o reino a magia por vezes não obedece, tornou-se selvagem, incontrolável, um spell tanto pode funcionar bem como se virar contra quem o lançou. E por vezes há zonas onde simplesmente a magia não responde, é como se ficássemos sem contacto com parte do nosso ser
Com elementais ainda á solta e todo o legado da guerra espalhado por todo o reino a ordem dispersa-se e corre o risco da extinção
Vou levar um grupo de escolhidos para o Norte em procura de algo que nos ajude, o meu companheiro Shadow verá com bom grado mais ajuda para combater os golems de gelo que têm atacado a sua tribo"

Extracto do journal de Gorax, Regent of the Arcane Order

Queda do Bastião do Norte

"Não sei quanto mais tempo iremos resistir, os homens estão desmoralizados e sem saber o que fazer. Esperamos reforços mas de Zamora apenas se vêem grossas colunas de fumo no horizonte, seres estranhos que parecem forjados de metal atacaram-nos e com uma precisão militar foram dizimando tudo o que mandámos contra eles, apoiados por elementais como nunca vimos antes, só restou refugiarmo-nos no forte mas agora estamos cercados, com falta de provisões e com os nossos números a diminuírem.
Os homens falam de seres que aparecem da escuridão e raptam companheiros de armas.
Vou tentar fazer uma investida para salvar alguns de nós e continuar a luta pelo nosso reino, por Yaztromo!"

Entrada final no journal de Ravhin, defensor do Bastião do Norte

Resumo Pré-Campanha

50 AE

A terra continua em tumulto, falta-nos liderança para sairmos desta idade de trevas. Há 50 anos sem um rei para nos liderar após a morte de Yaztromo e o desaparecimento da sua filha, o reino de Rasand foi desmembrado.
Zamora varrida da face da terra, Shadizar, a magnifica Shadizar consumida pelas chamas e pelo vento, Xhankta não passa de um amontoado de ruínas e Halea´s Reach é local para mortos e não para os vivos.
Novas vilas apareceram e desapareceram no rasto dos elementais e da guerra que se seguiu.
À medida que a guerra pela sobrevivência se intensificava mudaram nomes e locais, mudou a paisagem.
Darkwood… verde, imensa Darkwood, recheada de mistérios…
Agora pouco mais resta do que um pedaço da grande floresta que enchi todo o reino… só a parte a este sobreviveu, defendida tenazmente por um grupo de druidas e rangers ao longo de todas estas décadas, má sorte de quem entrar em Darkwood com maus pensamentos para a floresta.
Junta-se a isto os sobreviventes dos Elfos de West Darkwood e sem dúvida que a floresta pode estar mais reduzida mas não deixa de ser tão mortífera como antes.
O rio Stynx continua a percorrer o reino de um lado ao outro, mas agora alberga perigos para o viajante incauto, elementais e outros seres abundam nele.
Viajar sozinho é brincar com o beijo eterno da morte….
A guerra deixou mazelas e resíduos, desde elementais a monstros, tudo há neste nosso reino devastado. Onde estão os heróis de outrora.. correm lendas mas nada há.
Fala-se de guerreiros capazes de dispararem 5 flechas em segundos, de partirem pedras com o punho nu, de derrubarem monstros poderosos com espadas que lançam fogo e raios, de com gestos derrubarem montanhas e lançarem bolas de fogo! Mas onde estão eles???
Nas vilas de Marronburg, Maple Ridge, Bremer e Tallenberry clama-se por alguém! E nas aldeias também. São cada vez mais pelo reino à medida que aparecem á velocidade que são dizimadas do mapa...
Já vieram ditos heróis e desapareceram, charlatães alguns, déspotas, outros. De tudo tem acontecido….
Mas… Nem tudo é mau agora.
Uniões estranhas aconteceram devido à necessidade e algumas ainda se mantêm.
Percebeu-se que a raça não separa, as mentalidades é que o fazem. Onde antes se matava apenas pela diferença vive-se em paz.
Tribos de kobolds, goblins, até de orcs vivem em paz com aldeias onde humanos, anões, elfos e halflings vivem. Até se fala de ogres a defenderem anões com o custo das próprias vidas. Tempos estranhos deram origem a coisas mais estranhas e no entanto muito boas.
Só falta agora a união final, alguém que eleve o espírito das gentes, que acabe de vez com a ameaça elemental e nos leve de novo a outros tempos, ao nosso glorioso reino, que agora é uma jóia sem brilho….

"Crónicas de um reino desaparecido" por Aluen Loremaster

PC's Participantes

Aqui serão colocados textos referentes à composição actual da party

Composição Actual da Party em Nov 2006

E eis a lista da party e a sua composição actual:

Morg, Male Elven Rogue 3 / Ranger 2

Myeva, Female Orc Barbarian 4

Ravhin, Elan Psyhic Warrior 4

Lanarien, Male Gray Elf Wizard 4

Rafa, Male Gold Dwarf Cleric 5

Himo, Male Snow Elf Monk 2 / ? 2

Puella, Female Axani Swordsage 2

Composição após a Sessão XL (09/02/2008)

E após esta sessão houve três subidas de nível,

Morg

Myeva

Ravhin

Eis a lista, irão reparar que nem todos os pcs têm tudo explicado, uns querem tudo secreto ;)

Morg Elf Rogue 3 Ranger 4 NightSong Enforcer 4

Myeva Orc Barbarian 11

Ravhin Elan Psychic Warrior 11

Lanarien Gray Elf Wizard 5 / ? 6

Rafa Gold Dwarf Cleric 10

Himo Snow Elf Monk 2 / ? 9

A esta lista junta-se ainda o cohort de Rafa, um anão clerigo de Kord de 8º nivel, chamado Tormik

Composição após a Sessão XXIV (Abril 07)

E após esta sessão pela primeira vez desde o inicio do jogo que toda a party está no mesmo nivel:

Todos a nivel 7, eis a lista, irão reparar que nem todos os pcs têm tudo explicado, uns querem tudo secreto

Morg Elf Rogue 3 Ranger 4

Myeva Orc Barbarian 7

Ravhin Elan Psychic Warrior 7

Lanarien Gray Elf Wizard 5 / ? 2

Rafa Gold Dwarf Cleric 7

Himo Snow Elf Monk 2 / ? 5

A esta lista junta-se ainda o cohort de Rafa, um anão clerigo de Kord de 5º nivel

Composição após a Sessão XXVI (11/08/07)

E após esta sessão houve duas subidas de nível,

Morg

Myeva

Para além do cohort de Rafa que também subiu de nível.

Eis a lista, irão reparar que nem todos os pcs têm tudo explicado, uns querem tudo secreto

Morg Elf Rogue 3 Ranger 4 NightSong Enforcer 1

Myeva Orc Barbarian 8

Ravhin Elan Psychic Warrior 7

Lanarien Gray Elf Wizard 5 / ? 2

Rafa Gold Dwarf Cleric 7

Himo Snow Elf Monk 2 / ? 5

A esta lista junta-se ainda o cohort de Rafa, um anão clerigo de Kord de 6º nivel

Resumos

Resumos das sessões

001 - Sessão I e II

     Cinco aventureiros seguiam por uma estrada, destino, umas ruínas de um forte abandonado.
     Indo de encontro ao apelo de uma aldeia queixando-se de ataques de undeads próximos ás ruínas do forte, chegando lá depararam-se com as ruínas do forte e numa clareira à volta tinha tudo sido estranhamente limpo de qualquer destroços, os mesmos estavam empilhados dentro das próprias ruínas em largos e vários montes.
     Explorando os destroços e seguindo pelas pilhas de pedra e restos de madeira podre foram emboscados ainda mal se tinham acostumado às sombras por entre as ruínas, um trio de undeads atacou os nossos heróis, 2 ghouls e 1 skeleton caíram sobre eles e uma rápida mas furiosa batalha se desenrolou, foi claro que os monstros não eram ameaça para os nossos heróis que no seu baptismo rapidamente os conseguiram derrotar.
     Avançando mais pelas ruínas encontraram a causa dos problemas e o líder dos undeads, um demónio pequeno, verde, que lançou um trio de zombies para cima dos nossos heróis, mas nem estes nem uma nuvem tóxica que o demónio lançou travou a decisão deles e derrotando os undeads capturaram o demónio e interrogaram-no, este cedendo à ameaça de Myeva e à promessa de golpes da Greatsword de Ravhin foi dizendo o que estava ali a fazer, procurava uma chave que iria abrir algo, mas isto ele não sabia, apenas seguia ordens de um elfo, um feiticeiro poderoso.
     Dizendo o que sabia e escapando à fúria de Himo que o queria matar, o demónio fugiu e deixou a party com um scroll nas mãos, abrindo-o levaram com um jacto de chamas, ao longe o demónio gargalhava...
     Decididos os heróis pernoitaram nas ruínas e escavando acharam a dita chave, dentro de uma caixa com um símbolo de uma rosa nas mandíbulas de um javali.
     Seguiram para a aldeia de Tyr onde foram recebidos por Bulvora, uma das anciãs da aldeia que os recepcionou e lhes serviu um festim onde tiveram direito a musica e contos de heróis por parte de Farvin Runesong, um anão bardo que não passava despercebido com a sua roupa de cores várias e berrantes.
     Inquirindo sobre a caixa e o símbolo da mesma Farvin lembrou-se de uma antiga família nobre de Shadizar que usava aquele símbolo, mas o porquê da chave, isso nada vinha à memória.

     Estavam os nossos heróis a acabar o festim quando são interrompidos por uma entrada no hall onde almoçavam, um halfling acompanhado de dois seres parecidos com pedaços de papel com forma humanóide animados, entrou pelo hall, de forma arrogante exigiu a saída da party e foi comendo um pedaço de carne de um dos pratos que estava em cima da mesa, Bulvora, bastante nervosa pediu à party para se retirarem que precisava de falar com o halfling.
     A party saiu do hall mas manteve-se à porta atenta a qualquer ruído e quando o som de uma estalada e um baque de um corpo no chão se fez ouvir apressaram-se a entrar de rompante pelo ar deparando com Bulvora no chão e o halfling ainda com a mão levantada a rodeá-la com as duas criaturas.
     Vendo a intrusão dos pcs, deu ordens ás criaturas e um feroz combate se desenrolou, com os golpes poderosos de Myeva as criaturas foram destruídas e o halfling tombou no chão esvaindo-se em sangue, apressando-se a party impediu a morte dele, queriam informação do que se passava...
     Uma muito nervosa Bulvora explicou que o halfling era lacaio de um ogre que extorquia dinheiro da aldeia bem como de outras da região.
     A party decidiu-se a acabar com esta ameaça, mas não obtendo o acordo de Bulvora, bastante receosa pelo que poderá acontecer à aldeia caso eles falhem, lembrou que há vários anos atrás um grupo de valorosos anões tentaram o mesmo e acabaram mortos, os corpos numa pilha como demonstração do que acontece a quem tenta resistir!
     Saindo Bulvora do hall e indo esta falar com os restantes anciões, foi dado o inicio ao interrogatório, tremendo de medo pelo poder intimidante de Myeva, o halfling foi dando informações, quase duas dezenas de inimigos, o chefe ogre, um wizard aliado do ogre que adorava construir criaturas, vários orcs no bando... o modo como iam mês após mês visitando as aldeias e extorquindo o dinheiro e depois voltando a um esconderijo na floresta.
     Até falou sobre os dois orcs na floresta vizinha à aldeia preparados para lançarem pombos correio caso ele não voltasse são e salvo passado x tempo.
     Pensava no que fazer a party e já Himo andava decidido pela aldeia querendo fazer armadilhas em toda a volta, covas e mais covas...
     Receberam a visita de um kobold e um half-orc, o dueto invulgar parecendo colegas de varias aventuras, apressou-se a indicar a sua união com a party e o desprezo pelo halfling e pelo que ele representava, por sugestão do kobold, içaram o halfling e foi usado como uma pinhata para gáudio das crianças da aldeia que se desforram do medo e ódio que sentiam aos bandidos.
     A party decidiu avançar para a floresta fazendo como se fossem sair da aldeia e caso achassem os bandidos flanqueá-los e indo surpreendê-los depois. Juntamente com a party seguiu o kobold, ficando o half-orc de vigia ao halfling que servia de brinquedo para as crianças.
     Avançando pela floresta viram os bandidos e seguiram como se não os tivessem visto e foram dar a volta pela floresta, Himo e Morg seguiram para dentro da floresta indo à frente da party sendo eles os elementos mais furtivos, no entanto não conseguiram surpreender os bandidos que ouviram os nossos heróis e rapidamente abriram uma caixa de onde saíram a voar 3 pombos que rapidamente chegam à copa as arvores... onde são abatidos pelo kobold e por Lanarien. Os dois orcs são rapidamente derrotados sem dificuldade e assim a party acaba com a ameaça de o chefe dos bandidos ser avisado que algo poderia estar mal na aldeia......

 

002 - Sessão III (22/04/2006)

     Após terem revistado os inimigos e levando um deles vivo para ser interrogado, a party volta à aldeia. Chegando lá deparam-se com um tumulto em frente ao edifício onde tinham deixado o outro prisioneiro capturado a servir de pinhata para as crianças da aldeia e sob a vigia do half-orc, amigo do kobold que com eles foi impedir o envio de pombos para avisar os bandidos de problemas na aldeia.
     Entrando depararam-se com tanto o half-orc como o halfling capturado, mortos. O half-orc com a garganta cortada e o halfling com uma adaga cravada no coração.

     Perguntando em redor, Bulvora apenas indicou que foi lá buscar as crianças já que aquilo não era diversão para elas e passado pouco tempo quando voltou, já encontrou aquela cena dantesca, foi logo chamar Galoban, o clérico da aldeia mas o mesmo não conseguiu evitar que ambos perecessem.
     O kobold ficou aterrado e furioso, e quando a party começou a interrogar o orc que trouxeram prisioneiro e tendo Myeva e Morg falhado a intimida-lo, este descarregou um jacto de chamas em cima do prisioneiro exigindo que falasse ou....
     Foi um orc muito aterrado que depois começou a balbuciar tudo que lhe perguntavam, não sabia se haveria ou não pessoas do bando infiltradas na aldeia, sim, os pombos eram o sinal especial, havia uma cor de pombos para cada aldeia, caso enviassem x numero era a indicação para que o bando enviasse um grupo pequeno ou o bando todo em peso.
     Enquanto o interrogatório continuava, Himo ia fazendo pits em volta da aldeia como modo de defende-la de um possível ataque e Ravhin investigava por possíveis noticias de idas ou vindas da aldeia, mas quanto a isso nem rasto.
     A party decidiu fazer uma armadilha e esperar para ver se alguém vinha durante a noite tentar assassinar o prisioneiro que tinham, enquanto isso Myeva ajudava os lenhadores a cortar madeira tendo claramente impressionado com o seu poder físico, Morg dedicou a noite a investigar Bulvora, já que não tinha gostado da maneira como ela defendeu que a aldeia continuasse a pagar o que o bando queria para evitar qualquer derramamento de sangue. Não obstante a tomada de posição de Bulvora numa reunião entre os anciães, espionada por Morg, foi decidido que na manhã seguinte seriam enviados mensageiros às aldeias vizinhas.
     A noite passou e nada aconteceu, Himo permaneceu de vigia às traseiras da casa onde tinham o prisioneiro e Morg foi explorando a loja de Bulvora, mas nada de suspeito foi encontrado.
     Mais uma noite passou e nessa noite Morg nas suas explorações nocturnas viu actividade suspeita no moinho da aldeia, e investigando viu o moleiro e 2 homens com aspecto suspeito a moverem sacos de farinha e a saírem por um alçapão que estava dissimulado no chão do moinho.
     Voltando para avisar o resto da party decidiram ir investigar o que se passava, Rafa ainda não tinha rezado para recuperar os seus spells mas avançaram na mesma.
     Chegando lá e tentando abrir a porta principal verificaram que a mesma tinha uma cara de metal incrustada que se animou e claramente disse que a porta não se iria abrir... o facto não impediu Myeva de tentar várias vezes derrubar a porta, mas esta não se mexia, Morg enquanto isso investigou o resto do moinho e encontrou outra porta, pela qual a party entrou.
     Mas o barulho provocado pelas tentativas de abrir a porta já tinham posto os habitantes do moinho de sobre aviso e a aguardar a porta encontravam-se os dois homens que Morg tinha visto na companhia do moleiro e armados de warhammers aguardavam a party.
     Após uma troca de insultos iniciais, uma luta desenrolou-se, um dos homens tombou no chão vitima de um golpe certeiro de Myeva e de um magic missile de Lanarien. Assim que este caiu, o moleiro juntou-se à luta vindo do interior do moinho, este agora revelava nas suas feições que era claramente um wererat e atacou a party de maneira decidida, lado a lado ele e o seu aliado ainda de pé deram uma luta feroz à party, Ravhin foi o primeiro a tombar , vitima de golpes devastadores, Himo depois juntou-se a ele tendo sido mordido também pelo moleiro, Myeva estava gravemente ferida mas continuava a luta feroz com os dois inimigos, Lanarien tinha esgotado o seu stock de feitiços e impotente observava a luta, Morg foi dar uma volta ao moinho e não tenho conseguido passar pela porta principal, partiu uma janela e entrou de modo a flanquear os oponentes, mas foi emboscado por um dire rat.
     Ferido pelo mesmo saiu pela janela e foi novamente juntar-se à party.
     Esta estava embrenhada numa luta titânica de vida e morte, Myeva com um golpe derradeiro e já quando vacilava no limiar da resistência derrotou o moleiro mas não resistiu e ela mesma com o ultimo esforço derradeiro tombou no chão também a esvair-se em sangue.
     Restava um ultimo inimigo, o qual contou com um aliado de ultima hora, o dire rat que tinha ferido Morg ainda estava em pé e a atacar, Rafa já não tinha spells para parar as hemorragias dos seus aliados e usava a sua habilidade em healing, Morg tentava derrotar o inimigo mas foi o mais improvável que deu o golpe fatal, Lanarien usando o quarterstaff que era de Himo, tombado no chão deu o golpe certeiro no ultimo inimigo humanóide, restando o dire rat que teimava em não morrer, tendo já mordido vários dos heróis o gosto por sangue dava-lhe energias para não desistir.
     Já no limiar da resistência a party consegue derrotar este ultimo inimigo e bastante feridos e cansados, com vários membros tombados olham em volta para o cenário de morte e destruição.
     Foram ao limiar da derrota, mas no final saborearam o doce sabor de uma vitória épica!

003 - Sessão IV (29/04/2006)

     Após derrotarem os inimigos no moinho os nossos heróis regressaram à aldeia sentindo-se mais experientes após a dura provação que tinham sofrido.
     Antes um preocupado Himo fez com que Morg fosse procurar beladona já que a mordidela do wererat tinha-o deixando bem preocupado com a próxima lua cheia, Morg achou a planta e Himo comeu-a e passou-a na ferida, chegado à aldeia foi logo ao templo de Heironeous onde falando com o acólito de serviço foi-lhe dito para voltar na manhã seguinte, ai o superior do templo comunicou-lhe que não havia certezas, só saberia na próxima lua cheia e o melhor seria mesmo comprar umas correntes fortes e uma jaula…

     Enquanto isso todos aproveitaram para recuperar forças e depois voltaram ao moinho deixando Rafa e Lanarien a dormirem para recuperarem as suas capacidades totais já que tinham usado todos os spells.
     Pelo meio passaram pelo smithy onde regatearam uma troca de equipamento e vendaram algumas armaduras capturadas, mas a aldeia não será o melhor local para vender, há falta de dinheiro para comprar aquilo que os pcs já arranjaram.
     Voltando ao moinho descobriram um aviso colocado na porta a informar que o moleiro iria ausentar-se por tempo indeterminado, e nem rasto dos cadáveres da luta anterior, explorando o moinho e descendo pelo alçapão a party deparou com uma armadilha que lançava spells de maneira rotativa e que os colocou em fuga, não tendo Rafa ao lado para dar apoio em termos de healing e sem a força dos spells de Lanarie era melhor regressarem à aldeia e assim fizeram.
     Pelo caminho encontraram uns aldeões, os quais informaram de que seria melhor não entrarem no moinho, após uma curta troca de conversas foi comunicado aos pcs que haveria uma reunião para indagar dos motivos pelos quais entraram à força no moinho.
     À noite nova reunião do concelho dos anciões e foi uma Bulvora bastante frustrada e chateada que foi demitida da função de comunicar com os pcs tendo isso passado para outro membro do conselho, a hostilidade de Bulvora para com os pcs não seria o melhor tendo em conta o papel que os pcs estavam a desempenhar na defesa da aldeia dos bandidos.
     Mais um dia passou e a party a preparar-se para o que podia acontecer no próximo dia, Himo continuava na sua senda de cavar buracos e preparar armadilhas desta vez com a ajuda de caçadores locais influenciados pelo smithy que parece decidido a ajudar a party no que puder, o clérigo disponibilizou o topo do templo como observação para descobrir quando chegam os bandidos, colocou-se logo lá um elfo que Morg criou amizade na aldeia, de arco preparado já havia sentinela atenta.
     Pelo meio lembraram-se de irem interrogar quem capturaram no moinho, mas dias deixado a tentar derrotar sozinho as graves feridas resultaram na morte do mesmo…
     À aldeia chegam dois representantes das aldeias vizinhas faltando chegar um terceiro e ainda sem novidades do emissário que a aldeia enviou ao gnomo wizard que habita a um dia de distância.
     Finalmente amanhece o dia em que a party espera enfrentar os bandidos enviados para investigar o que se teria passado de errado em resposta ao engodo da party que enviou os pombos para os chamar de propósito.
     E amanhece com Rafa, Myeva e Morg doentes… as mordidelas do dire rat parece que deram o seu efeito e Morg foi rápido ao clérigo do templo pedir ajuda, assim foi dada em troca de 3 das 4 poções mágicas que os pcs tinham, mas um mal entendido no que foi pedido deu azo a uma troca azeda de palavras, Morg queria que fosse curado o dano que tinham sofrido devido à doença e não a cura da mesma mas foi isso que o clérigo percebeu e assim o fez.
     A intervenção de Leonard, o novo emissário da aldeia para os pcs resultou em que o mal-entendido fosse reparado e o clérigo ajudou a curar parte do dano deixando os pcs afectados pela doença melhor preparados para a luta que poderia ver.
     Ainda assim há desconfiança do clérigo que aparecendo aos pcs sempre sonolento frente a Morg que o procurou de madrugada quando sentiu logo os efeitos da doença, apareceu bem desperto e com lama nas botas…
     Pondo estes pensamentos de party e vendo os bandidos a aproximarem-se no horizonte, a party preparou-se e colocaram-se dentro da casa mais próxima do hall para onde os bandidos se costumavam dirigir.
     Os mesmos chegaram lá montados nos seus cavalos, 6 bandidos, um deles, um orc poderoso fisicamente, a sua armadura brilhante à luz do sol.
     E… a party caiu em cima delas nem o mesmo orc tinha acabado de dar um pontapé na porta do hall…
Morg abriu a porta da casa onde estavam e…Myeva carregou com o seu greataxe desferindo um golpe poderoso no aparente líder dos bandidos, Lanarien pôs a dormir dois dos cavalos e 1 dos bandidos, Ravhin avançou de greatsword empunhada e atacou um dos bandidos, Himo juntou-se a ele no ataque e Rafa lançou um bane para os inimigos da party.
     A luta foi rápida e decisiva, Myeva deu golpes poderosos e derrubou inimigos, mesmo bastante ferida permaneceu de pé no final da batalha, a ajuda de Rafa foi preciosa, Lanarien permaneceu na retaguarda a lançar os seus magic missile enquanto Ravhin e Himo percorriam os inimigos derrubando-os, Morg lutava um duelo pessoal com um dos bandidos, que o tinha ferido, e no final, a party triunfante, 5 bandidos mortos e 1 capturado, para além do equipamento.
     Os dois emissários das aldeias vizinhas ficaram bastante impressionados pela eficácia e limpeza com que a party despachou os bandidos e foram-se embora levar as boas novas para as suas aldeias e espera-se trazer mais ajuda.
     Amanhã será um novo dia, os próximos prometem!

004 - Sessão V (06/05/2006)

Após derrotada a primeira vaga de bandidos que atacaram a aldeia, a party apressa-se a interrogar o bandido capturado e é Himo que com um golpe certeiro nas partes baixas o intimida a dizer tudo o que sabe.
Este revela que um símbolo de Hextor num papel enviado por um dos pombos será a indicação de que tudo correu bem na aldeia e assim a party faz isso, tendo assim ganho mais uns dias até que os bandidos descubram que algo de errado se passa.
Para Himo é a altura de ir à vila mais próxima tentar resolver de vez o que o atormenta, a hipótese de na próxima lua cheia se transformar num wererat e já não são muitos os dias que faltam até lá.
Assim na companhia de Rafa, encarregado de levar o loot da party e de o vender, partem ambos para a vila de Diamond Lake.
Pelo caminho são emboscados por pequenas criaturas azuis, as mesmas que já há dias tinham também atacado parte dos elementos da party, Rafa já os conseguia mas Himo nunca os tinha defrontado.
Duas redes foram lançadas sobre os dois heróis, mas enquanto a de Rafa passou ao lado sem perigo de maior tendo a própria criatura que lançou a rede ficado enrodilhada na mesma, já Himo ficou preso na rede tendo caído do seu cavalo.
Uma feroz luta desenrolou-se, Himo tombou no chão a sangrar e foi Rafa que sozinho conseguiu eliminar as restantes criaturas deixando-a uma no chão inconsciente, durante a luta conseguiu estabilizar Himo e assim salvar o companheiro.
Já recuperados seguiram para a vila.
Enquanto isso na aldeia, e enquanto Lanarien ficava a descansar para poder recuperar de novo todas as suas capacidades arcanas, Morg, Myeva e Ravhin após uma conversa com Leonard foram explorar de novo o moinho e tentarem derrubar a armadilha que estava situada na mó do moinho.
Após varias tentativas conseguiram, a habilidade de Morg para achar a armadilha e desarma-la foi essencial e a protecção dada por Myeva e Ravhin dando espaço ao companheiro para a sua difícil tarefa no meio de uma luta onde até sofreu golpes mas nada o desviou do seu intento.
No final após a armadilha desarmada foi feita uma revista completa à sala onde encontraram uma caixa com um loot armazenado pelo moleiro bem como um compartimento secreto numa parede, lá uma fechadura onde encaixou perfeitamente a chave encontrada pela party nas ruínas do keep do blackguard.
Abriu-se um corredor do qual saiu uma lufada de vento, seco, cheio de mofo… pó pelo corredor mostrando que ninguém percorria aquele corredor há muito tempo.Decidiram os três fechar a porta e voltar lá quando a party estivesse toda reunida.
Himo e Rafa chegaram à vila, Rafa levando com ele a criatura que tinha ficado inconsciente na luta, estava fascinado por ela. Na entrada os guardas responsabilizaram Rafa pelo que a mesma pudesse fazer na vila e assim os dois entraram.
Himo dirigiu-se rapidamente para o templo local de Heironeous onde solicitou a ajuda para o livrarem do mal que se tinha abatido sobre ele, foi indicado que o poderiam ajudar e teriam uma cela onde ele poderia ser algemado e preso para se verificar do que pudesse acontecer.
Assim sendo Himo decidiu ficar na cidade até acontecer a primeira lua cheia que seria no espaço de 2 dias e enviou um mensageiro para a aldeia de Tyr, avisando assim os restantes companheiros.
Rafa foi vender o loot que a party tinha conseguido, vendeu todos os objectos trazidos regateando um acordo com o comerciante e trazendo não apenas dinheiro mas também uma wand ainda com 35 cargas, no entanto não sabe bem o que ela faz…
Recebeu uma oferta para vender a criatura por parte do comerciante que tinha uma menagerie local com vários monstros interessantes, como por exemplo um shocker lizard.
Decidiu-se por manter a criatura, a mesma quando acordou tentou morde-lo, atacou com os dentes a coleira e a corrente de ferro que Rafa usou para a prender no quarto que tinha na estalagem e não parava de vociferar numa linguagem que Rafa não entendia. Quando Himo se juntou a ele, e após as primeiras palavras que a criatura lançou contra ele decidiu coloca-la de novo inconsciente, afinal insultos em goblin à sua progenitora é algo que ele dispensa.
Finalmente chegou a noite de lua cheia e Rafa foi assistir ao que se poderia passar com o seu companheiro. E Himo transformou-se, o seu corpo encheu-se de pelos espessos, bigodes como o de um rato apareceram-lhe, a cara tornou-se inumana, como se de uma ratazana se tratasse, e longas garras cresceram-lhe…
Rapidamente um dos clérigos lançou-lhe um spell e Himo tombou cansado nas correntes, de novo à sua forma normal, tinha vencido a maldição.
Na aldeia o restante da party tinha entretanto ido visitar o gnomo wizard que habitava a meio dia de distância e encontraram um divertido e poderoso ilusionista que adorava criar armadilhas e criações como a da porta onde estava uma cara do mesmo género que a party tinha encontrado na porta do moleiro.
Para além dessa que tinha vendido a ele criou uma armadilha muito gira que vendeu ao clérigo da aldeia…
Pela descrição a mesma armadilha que os quatro tinham enfrentado nesse mesmo dia…
Falando com o mesmo entenderam que estaria disponível para ajuda-os em algumas coisas podendo fornecer ajuda em arranjar-lhes algumas potions ou scrolls mas que não se iria envolver directamente em qualquer luta, o lugar dele era ali na sua torre e com a sua arte arcana.
Despediu-se da party com um sumo delicioso servido por um… Balor ou foi isso que aos olhos aterrorizados de Morg e Myeva pareceu, para Ravhin ele viu para além da ilusão e para Lanarien já a subir nas artes mágicas reparou o quão soberbo era a ilusão.
E lá se foi a party de volta à aldeia, com cumprimentos para o gnomo e para a sua porta tão bem humorada e amigável.
Depois de saberem que Himo e Rafa ainda ficariam alguns dias na vila, decidiram ir confrontar o clérigo local de Heironeous, suspeitavam de actividades ilícitas por partes dele e entraram os 4 no templo, falaram com os acólitos e exigiram a presença do seu superior.
Este chegou bastante ensonado e nada decidido a responder ao que quer que fosse, assuntos da igreja não eram para se falar a estranhos que nada tinham a ver e assim deu as costas à party e foi-se embora.
Mas Myeva não ia deixar aquilo por ali e foi atrás dele quando o mesmo já tinha saído por uma porta e ai tudo se complicou, um dos acólitos lançou um spell sobre Myeva paralisando-a, o outro colocou-se à frente da porta de espada desembainha, mas rapidamente Myeva voltou ao normal e uma troca de palavras azedas ameaçava desencadear num confronto sangrento.
Quando já os dois acólitos estavam decididos a morrerem defendendo o seu templo de invasores rudes, chegou de novo o clérigo, zangando com toda a situação, após a insistência veemente da party revelou que sim, ele vendeu a armadilha ao moleiro e assim conseguiu mais dinheiro para o templo, que as politicas internas deles não eram para desconhecidos e que não actua contra os bandidos porque prefere continuar a ajudar a aldeia do que caso intervenha e acabem por destruir a igreja, os aldeões fiquem sem ninguém para os ajudar.
De seguida exigiu que saíssem do templo e assim fizeram os 4, ambiente continuava tenso no ar entre os 4 e os clérigos.
Com um novo local para ser explorado, aberto pela chave estranha achada nas ruínas, com a ameaça sempre presente dos bandidos que ainda poderão vir, e com a região em constante tumulto como se nota pelos ataques em viagens efectuadas pela party, o que irá acontecer a seguir?

005 - Sessão VI (20/05/2006)

Rafa e Himo regressam à aldeia de Tyr, Rafa trazendo com ele ainda a criatura azul a que tanto se afeiçoou apesar da mesma passar o tempo a insulta-lo em goblin.
Chegando à aldeia são informados pelo resto da party do que se passou, incluindo que confrontaram o clérigo e que ainda não chegou qualquer mensageiro ou ajuda das outras aldeias. Rafa e Himo entregam a cada um da party a parte das suas vendas e a Lanarien é entregue a wand que Rafa comprou, um teste revela que o efeito é do spell Burning Hands e Lanarien guarda-a para o seu arsenal arcano.
Após deliberarem decidiram então enviar alguém para uma das aldeias para verificar o que se passava, após um par de dias regressa a pessoa enviada, ainda chocada com o que tinha visto, mesmo à entrada da aldeia estavam expostos os corpos de 5 aldeões, entre os quais uma mulher e uma criança.
Tal visão fê-lo voltar apressadamente para Tyr nem tendo entrar na aldeia, apenas disse que aparentemente o que viu ao longe da aldeia confirmou que a vida lá decorria normalmente mas aqueles corpos na entrada…
A party após este relato desconfia que os bandidos ao contrário do que esperavam foram antes às outras aldeias o que pode relevar que a aldeia contem um informador bastante activo, Morg faz uma ronda em busca de informação mas revela na maioria factos banais, embora suspeitem de um lenhador que chegou antes de começarem os ataques dos bandidos.
Assim sendo Morg paga umas bebidas ao homem, mas nada de mais revelam a não ser a vinda dele de Diamond Lake após um fogo provocado por elementais que transformou em cinzas parte da floresta e o seu anterior trabalho, balbuciando algo sobre aventureiros de sorte que entram num buraco na terra e regressam de lá ricos, tombou em cima da mesa totalmente embriagado.
Reunida novamente a party e tendo falado com um elfo de quem Morg se tornou amigo decidem ir investigar a porta secreta que tinham encontrado no moinho, o elfo ficará de vigia caso venha alguém para a aldeia e assim sabe onde a party se encontra.
Assim entram no moinho, descendo para a cave e lá mais uma vez usam a chave encontrada nas ruínas do keep do blackguard e entram no corredor que lhes apresenta.
Ar abafado, pó e umas pegadas no chão identificadas por Morg como de lobos é o que a party encontra e avançam com cuidado, Morg à frente investigando armadilhas com a protecção de Myeva e Himo bem próximos, Rafa e Lanarien fecham o grupo juntamente com Ravhin.
Após uns metros chegam a um cruzamento, para o lado esquerdo o corredor avança um bocado acabando num beco sem saída onde encontram restos do que poderá ser um portal segundo as suspeitas de Lanarien, símbolos arcanos na base dos restos do possível portal revelam o símbolo dos Wind Dukes de Aaqa criadores do lendário Rod of The Seven Parts.
Para o lado esquerdo apenas pilhas de rochas que fecham o corredor, aparentemente uma derrocada provocou que este lado do túnel tivesse sido selado.
Seguindo em frente avançam por um corredor similar ao primeiro onde enfrentam uma larga sala maior que a anterior e no centro de novo cruzamento.
Do lado esquerdo, o corredor após uns metros acaba num beco sem saída, onde está pintado um mural, a tinta apesar de antiga e descolorida ligeiramente ainda revela uma sala em forma de estrela de 7 pontas onde em cada ponta há uma lanterna iluminada, 7 lanternas de cor diferentes perfeitamente iluminadas.
Do lado direito, deve ter ocorrido também aqui um desabamento, o túnel que observam está quase que totalmente obstruído, vislumbram uma abertura mas não larga o bastante para passarem normalmente, teriam que ir de gatas para passarem pela abertura.
A party decide ignorar aquela abertura suspeitando da presença dos lobos naquele local, já que as pegadas do mesmo estavam por toda esta sala e tendo em conta que o ultimo corredor de saída da sala, oposto aquele por onde entraram, estava coberto de teias de aranha, não conseguem vislumbrar o que há depois embora uma ligeira luz verde aparece do outro lado das teias.
No centro da sala onde se encontram, vislumbram uma tigela no chão da mesma, examinando e não tendo achado qualquer armadilha fazem um teste de colocar um liquido lá dentro ao que a mesma fica logo cheia de uma espécie de papa, Myeva experimentando confirma que não sabe lá muito bem mas é comestível.
Deixando para trás isso e após Himo queimar as teias com uma tocha seguem então em frente descobrindo o que estará por detrás e de onde vem tal luz verde.
Encontram então o que acham que deve ser a sala descrita no mural, no meio um sarcófago de pedra, e da sala saem então 7 corredores, 5 dos quais com lanternas penduradas, nos outros dois apenas a corrente que sai do tecto onde estaria presa a lanterna.
Morg examina o sarcófago, não detecta qualquer armadilha e tenta abri-lo, imediatamente sai um jacto de chamas do sarcófago, Morg desvia-se mas não sem antes receber uma ligeira queimadura, lá dentro… nada… completamente vazio.
Decidem voltar à sala anterior para verem de novo o mural e são confrontados com um trio de lobos, dois deles quase pele e osso e um robusto, claramente o líder desta pequena matilha, com o uso de rações e a habilidade de Morg para com animais conseguem evitar o conflito e deixam os animais alimentarem-se.
Morg penetra no covil dos lobos e consegue tirar de lá uma mochila, lá dentro uma das lanternas em falta na sala que descobriram com o sarcófago.
Decidem voltar à sala das lanternas novamente e testar várias hipóteses.
O facto de a pedra onde está o sarcófago ter forma de seta leva a que Myeva tenta rodar o mesmo e consegue, tentam então apontar o mesmo para vários dos corredores, até que ao som do ranger de pedra contra pedra sai do chão do corredor verde um cilindro, este abre-se revelando uma abertura circular dentro do mesmo com espaço para uma criatura de tamanho médio.
Morg entra para investigar e a abertura fecha-se levando em seguida o cilindro a descer e com o mesmo, Morg. Chegando ao fim da descida, abre-se novamente revelando a ele após ter usado um sunrod para ver na escuridão que se apresentava, uma nova sala, a parede decorada com vários baixo relevos de figuras com a cara reprovadora a olharem na direcção do cilindro, as mesmas já revelavam sinais de gasto, bem como algumas já não tinham cabeça como se tivessem levado golpes e outras com sinais de corrosão.
Mas Morg não teve mais tempo para admirar tal coisa já que a abertura fechou-se de novo e com o som de pedra com pedra o cilindro subiu de novo. A party tinha virado de novo a seta para a lanterna verde e provocou de novo a subida do dispositivo, para alivio de todos Morg estava dentro e intacto.
Decidiram então investigar melhor os outros corredores e mal tinham visto que no que continha a lanterna azul, no fundo do mesmo o tecto era superior aos restantes e tinha uma abertura na parte superior, a cerca de 60 feet do chão, no fundo do corredor um esqueleto com vários ossos partidos assinalava o risco de uma queda.
Mas não tiveram tempo de analisar isto já que com um estrondo a espécie de elevador que Morg tinha usado desabou provocando que ficasse um buraco que daria então para a sala que Morg tinha visto, desse mesmo buraco saia agora o som de um forte zumbido….
A party preparou-se para o pior e Himo, Myeva e Ravhin ficaram juntos ao buraco preparados para atacarem qualquer ameaça que surgisse…
Milhares de besouros saíram por lá, um autentico swarm que atacou os nossos heróis, atrás dele uma aberração, uma criatura cujo corpo parecia nada mais que um gigantesco olho, com cerca de 6 pernas na parte de baixo e dois braços onde garras afiadas eram uma ameaça bem visível para a party.
Myeva e Himo enfrentaram o swarm e cedo viram que as armas deles eram impotentes, nada provocava o mínimo dano à consistência do swarm, nem os punhos e pontapés de Himo, nem a lamina afiada de Myeva, Ravhin enfrentava a ameaça de uma criatura saída de um pesadelo, sob vários pés estava apoiado um olho gigantesco e do mesmo saíam dois braços que terminavam em garras afiadas.
Morg começou a fornecer o seu apoio com as suas setas enquanto Ravhin sofria a pressão da criatura, a party recuou perante o facto de as armas nada fazerem ao swarm e Lanarien avançou, wand empunhada preparado para verificar o que a sua magia poderia fazer e com apenas um único jacto de chamas o swarm dispersou-se, a ameaça derrotada, o outro monstro tomava perante a força demolidora de Myeva.
Decidiram-se então por explorar a abertura criada pela queda do elevador, foram descendo um a um e verificaram aquilo que Morg já tinha visto de relance, a sala com os baixos-relevos e pouco depois da saída da sala, um cruzamento, lá ao fundo Myeva via que o corredor após uns metros dava para uma sala inundada, para a direita uma sala infestada com milhares daqueles besouros, vários deles de volta de um besouro gigantesco como que alimentando-se Estes não reagiram e cautelosos os pcs foram explorar o que se apresentava à esquerda, com Morg, Myeva e Himo à frente, a party avançou, Rafa, Ravhin e Lanarien fechavam a retaguarda sempre atentos ao que se passava na outro sala com os insectos.
Entrando nesta encontraram outro besouro gigante que recebeu a party com um jacto de fumo tóxico, estes resistem facilmente e aniquilam com facilidade o inimigo.
Explorando a sala descobrem um esqueleto ainda com uma armadura intacta e nela um símbolo de Hextor gravado.
Após examinarem a sala decidem entrar na outra com os insectos, imediatamente vários milhares formam um swarm e atacam juntamente com o outro besouro gigante, desta vez já precavidos contra o swarm acabam rapidamente com a ameaça dele bem como a do besouro.
Por fim observam a sala coberto de uma gosma provocada pelos insectos, nela existia uma tigela similar à que encontraram numa das salas anteriores, para além disso encontram mais 3 corpos também com as mesmas armaduras e o mesmo símbolo.

E para a semana haverá mais;)

006 - Sessão VII (27/05/2006)

Continuando a exploração, a party avançou para a zona que estava inundada, ai, Morg lançou um sunrod para dentro de água na esperança de iluminar um bocado mais e descobrirem qual a profundidade, acharam que seria cerca de 15 feet.
E ai foi Myeva, lançando-se para a água começou a nadar para explorar aquela zona quando subitamente foi atacada, a própria água tomava forma e golpeava-a.
Com a ajuda de um míssil mágico de Lanarien, Myeva derrubou a criatura com golpes do seu greataxe, finalmente a criatura convocada por Rafa aparece mas tarde demais para ajuda na luta, no entanto abriu umas portas que a party estava receosa para abrir revelando.. outra sala bem pequena.
Myeva continuou a nadar, investigando a zona e quando entrava numa outra sala sentiu uma garra a golpeá-la, um ghoul atacou-a debaixo de água, resistindo à sensação paralisante Myeva respondeu de volta e com golpes certeiros o Ghoul foi derrotado, mais exploração da zona revelou um corpo com uma lanterna vermelha agarrada, uma das em falta na zona superior do complexo. Para além disso no dedo do Ghoul que Myeva tinha derrotado estava um anel com o símbolo de Hextor.
Myeva saiu da água, nela entrando Morg que tinha ido buscar uma mesa para servir de jangada improvisada, não sendo bom nadador, Morg usou uma corda à cintura enquanto explorava a zona mas nada de novo descobriu.
Decidiram então voltar para a zona das lanternas e experimentarem novas hipóteses.
Ai, a party escalou pela corrente situada no corredor da lanterna azul trocando entre si o uso de um anel of feather fall para precaver quedas já que a altura de 40 feet daria um tombo considerável.
Lá em cima vislumbraram um longo corredor que acabava numa parede na qual estava esculpida uma face humana, a boca aberta num grito raivoso.
Decidiram que Morg iria explorar o corredor munido do anel de feather fall, já que várias marcas pelo corredor demonstravam que alguém tinha sido projectado por ali e possivelmente tentado inutilmente parar a queda, os ossos anteriormente descobertos no corredor com a lanterna azul confirmavam essa hipótese.
Morg avançou pelo corredor e quase perto do final do corredor foi acometido pelo forte vento que começou a soprar da boca da face de pedra, ao mesmo tempo um arco-íris de várias cores deixava-o fascinado e paralisado, após uns momentos o seu corpo foi projectado pelo corredor, recuperando o controle sobre os músculos e notando que o vento soprava com intensidade cada vez maior lançou-se pela abertura por onde tinham escalado e ai voltou ao convívio da party caindo de forma segura graças ao anel de feather fall.
Decidiram então explorar melhor a questão de acenderem as lanternas e começaram por acende-las uma a uma já que tinham o conjunto completo, e quando acendessem rodavam o sarcófago na direcção do corredor que continha a lanterna acesa, fazendo isso para o corredor amarelo, ouviu-se um ranger de pedra sobre pedra e mais um elevador surgiu do chão do final do corredor.
Morg seguiu para dentro do corredor indo dar a outra sala de tamanho semelhante à primeira que tinha explorado após usar o primeiro elevador, saiu e decidiu verificar a sala, esta continha baixos-relevos, figuras em sinal de adoração, a saída da sala, essa, estava bloqueada por um enorme bloco de pedra, Morg explorou melhor esta secção e detectou uma armadilha, um gás seria lançado sobre quem abrisse a saída da sala, com cuidado Morg desarmou a armadilha, pouco depois o restante da party juntou-se a ele, e Myeva, Ravhin, Morg e Himo conseguiram juntos remover a pedra da abertura.
Em frente deles um longo corredor, lá ao fundo vislumbrava-se uma sala, avançando cautelosamente com Morg verificando o caminho e o resto da party na sua peugada.
Estavam a meio do corredor quando sobre eles caiu o ataque de uma aberração, um monstro que não passava de dois olhos enormes unidos por uma espécie de cordão umbilical, nem a party tinha ainda visto bem a anatomia da criatura e já esta lançava um raio na direcção de Myeva, esta tomba no chão ressonando.
Mas rapidamente Himo, Ravhin e Morg matam a criatura com setas certeiras, esta ainda tentou acertar mais um raio em Morg, mas falhou.
Após a derrota desta ameaça avançam para a sala no final do corredor, novamente a mesma configuração da sala que estava inundada, duas aberturas, do lado esquerdo e direito e portas duplas no final da sala.
Myeva explora a abertura do lado esquerdo e nada encontra a não ser bancos de pedra e a figura de uma estátua de braços estendidos para um banco mais em forma de cama que estava esculpido na parede, a abertura do lado direito estava tapada por um bolor castanho que também ocupava boa parte da sala desse lado.
Para além da abertura vislumbrava-se na sala uma estátua ao lado de um pequeno pilar e nele uma espécie de ovo do tamanho de um pequeno pedregulho de uma cor negra.
Myeva avançou pelo bolor e logo este explodiu assim que ela o tocou provocando-lhe fortes dores e ligeiro frio, a party decidiu tentar arranjar maneira de remover o bolor, Himo tentou lançar uma tocha acesa para o meio do bolor mas só conseguiu que o mesmo duplicasse de tamanho.
Decidiram então usar um dos blocos de pedra da sala da abertura da esquerda como cunha para ir explodindo o bolor, e assim com a ajuda de todos conseguiram. Todos? Menos, Rafa que se manteve longe desse trabalho físico, reacção que motivou que Ravhin lançasse contra ele o cadáver da criatura que tinham morto no corredor e que Myeva lhe desse um golpe com a sua spiked gauntlet.
Fora destas confusões Morg seguiu para a sala a seguir à abertura do lado direito
E mal tocou no ovo, este transformou-se na forma de um ser feito de rocha, um earth elemental, colocando-se a curta distância de Morg gritou algo na sua língua, mas ninguém da party entende Terran.
Morg tentou recuar cautelosamente, mas assim que deu um passo para trás a criatura caiu sobre ele, e de um só golpe colocou Morg inconsciente, o seu corpo já dorido dos golpes devido ao vento forte no corredor da face de pedra não aguentou.
Ravhin avançou e com um único golpe certeiro e demolidor derrubou a criatura.
Rafa ajudou Morg a ficar de novo consciente e a party decidiu que era melhor regressarem à aldeia já que estavam a ficar feridos e não saberiam se estariam prontos para nova luta.
Passando pela sala onde estavam os lobos, Morg convenceu a party a coloca-los inconscientes para poder retira-los daquele local e soltá-los na floresta em redor da aldeia, com um bocado de mais trabalho para colocarem inconsciente o maior dos lobos, facto que Morg já não assistiu já que tombou inconsciente no chão, vitima dos mesmos lobos que estava a ajudar.
Mas a party conseguiu e assim carregando os fardos dos 3 lobos e de Morg saíram do complexo, fechando a porta por onde tinham entrado e saindo do moinho.
A party levou Morg e os lobos para a orla da floresta onde Myeva ficou de guarda, com o colega recuperado , este assistiu depois aos lobos a irem para a floresta, contente Morg voltou à aldeia.
Na aldeia a party continuou com os seus contactos, Morg pagou a um camponês para ir a outra aldeia verificar se teria tido o mesmo destino que a outra aldeia vizinha deles, e no dia a seguir, confirmou-se isso mesmo, o camponês voltou contando a história de como tinha encontrado logo na entrada da aldeia 10 corpos pendurados, entre os quais mulheres e crianças.
Rafa iniciava uma pesquisa para procurar algo que mudasse a natureza da criatura a que se tinha afeiçoado, pagando o aluguer da biblioteca do templo de Heironeous. Ravhin deambulava pela aldeia atento a tudo ao seu redor enquanto Myeva seguia com os caçadores da aldeia em busca de indícios.
Himo e Lanarien decidiram ir à torre do gnomo feiticeiro, para tentarem procurar formas de investigar por onde andariam os bandidos, Himo também queria saber que poder seria necessário para construir criaturas como aquelas de papel que a party tinha enfrentado nos seus primeiros dias na aldeia.
Nada souberam quanto a isso mas o gnomo contou-lhes da lenda do Rod of The Seven Parts e dos Wind Duques de Aaqa, um poderoso artefacto que segundo a lenda pode controlar e convocar elementais. Sobre os Wind Duques o gnomo falou do concelho dos 7 e de como haveria túmulos algures carregados de riquezas.
Saindo da torre do gnomo os dois heróis juntaram-se aos restantes companheiros.
Na aldeia Morg tinha decidido recuperar as 10 moedas de ouro que tinha entregue ao mensageiro e foi investigar a casa do mesmo, na casa não encontrou nada, mas faltava ainda o quarto, colocando com uma forte pancada o camponês inconsciente, descobriu uma tábua solta e várias moedas escondidas, no meio daquilo tudo no entanto algo saltou-lhe à vista, um anel com um símbolo de Hextor.
Rapidamente agarrou no camponês, amarrou-o e levou-o para o hall da aldeia onde o resto da party pernoitava. Ai falou do que tinha encontrado e das suas suspeitas, Rafa ainda dormia, Ravhin estava a deambular pela aldeia bem como Himo, e juntamente com Myeva e Lanarien levaram o camponês para o moinho para ser interrogado.
Colocando um saco em cima da face dele para depois não os reconhecer, a party fez pressão no camponês mas rapidamente perceberam que o pobre homem só tinha encontrado um corpo com o anel e tendo aproveitado a situação ficou com o anel já pensando no valor do mesmo.
Myeva decidiu sair do moinho e ir ter com os caçadores em mais uma saída deles. Morg então decidiu ir para a floresta e deixar lá o camponês de novo inconsciente para ele depois ir para a aldeia. Ficou no entanto numa árvore para ficar atento não fosse o caso de algum perigo aparecer enquanto o camponês estava indefeso.
E eis que chega algo, ou alguém… Myeva com os caçadores, estes rapidamente agarram no companheiro e levam-no para a aldeia, não reparando em Morg no cimo de uma árvore, Myeva nota o colega mas decide ignorar e segue para a aldeia.
Pouco depois Morg junta-se ao resto da party, pelo caminho encontra o corpo de uma das criaturas azuis que tinham enfrentado antes, marcas de lobos nela. Com um sorriso nos lábios continua o caminho para a aldeia.

E para a semana há mais ;)

007 - Sessão VIII (03/06/2006)

Estando a party reunida na aldeia, é hora de pensar no que fazer, voltar ao complexo que estavam a explorar? Ir à vila vizinha? Esperarem na aldeia pelos bandidos ou ir em busca da toca deles?
Após várias considerações a party decide-se por sair da aldeia e indo pelos bosques dar uma volta e esconderem-se no moinho da mesma, já que estando o mesmo fora da aldeia podem vigia-la sem revelar a sua presença.
Passando pelo bosque eis que um silencio cai sobre a zona onde a party passa e o motivo é logo revelado, cerca de duas dezenas daquelas criaturas azuis lançam-se sobre a party numa embosca furiosa, parecem decididos a atacar a party e ao mesmo tempo resgatando a criatura que continua na posse de Rafa.
Este até aprendeu Goblin deixando de lado o uso da linguagem élfica de modo a poder comunicar com o seu protegido.
Vários dos nossos heróis caiem enrodilhados em redes lançadas pelas criaturas, e em breve uma furiosa batalha se desenrola, os cavalos assustados dos nossos heróis nada fazem, tirando claro o warhorse de Myeva que habituado à batalha rapidamente mostra que é uma mais-valia.
Rafa é quem tem mais dificuldades tal como Himo que enrodilhados demoram muito tempo a conseguirem manter-se de pé, e são feridos bastantes vezes.
Mas uma a uma as criaturas caiem, e no final até a que escapa pelos bosques é morta por uma veloz Myeva.
No final nada mais resta do que 18 corpos azuis mortos no chão e um profundo olhar de ódio na criatura amarrada e amordaçada que vai juntamente com Rafa no cavalo deste.
Usando o conhecimento de Morg e Myeva dos bosques conseguem arranjar uma caverna que dá relativamente para colocar quase todos os cavalos, a party decide deixa-los lá e ir para o moinho, toda a party? Não, Myeva recusa-se a deixar o seu warhorse sozinho e mantém-se por lá.
Com a restante party a descansar no moinho Morg parte para a sua ronda nocturna e decide explorar mais uma casa, desta vez de Leonard, o novo contacto da party com a aldeia, após ter sido retirada essa função a Bulvora.
Entrando lá o nosso herói não encontra Leonard. Não estava deitado na cama nem em lado nenhum da casa, não encontrado pegadas na parte traseira da casa resolve esperar e observar se o mesmo regressa a casa.
E já na manhã do dia seguinte, Leonard aparece… mas a sair da porta principal de sua casa. Tendo visto isso Morg volta a entrar na casa de Leonard e faz uma busca extensiva à casa, desta vez após busca tão minuciosa encontra um alçapão, abrindo-o revela um túnel, usando um sunrod resolve explorar o caminho que se lhe apresenta.
O túnel avança afastando-se da aldeia, e avançando sem pensar Morg quase cai numa armadilha quando o chão se abre dos seus pés, mas com reflexos rápidos consegue evitar cair e continua a avançar, desta vez com mais cuidado encontra outra armadilha que consegue desarmar e por fim chega a uma porta de ferro, nela um símbolo de Hextor.
Resolve então voltar rapidamente ao moinho para o restante da party, estes indo buscar Myeva decidem investigar esse túnel.
Entrando na mesma resolvem esperar a ver se alguém sai de dentro da porta e após uma boa espera, tentam abrir a porta à força do machado de Myeva já que Morg não conseguiu abrir com as suas ferramentas.
A porta abre-se, ou melhor uma janela na mesma, que se fecha rapidamente, nem um indício de uma abertura fica na mesma do lado de onde a party está.
Estes ficam em expectativa e eis que a porta abre-se e numa sala com certa de 40 feet de comprimento e a meio dela esta uma criatura, esquelética de aparência, com uma ligeira camada de pele por cima, braços compridos que terminam em garras afiadas, lentamente contrai as garras esticando os braços até uma distância de quase 10 feet, por detrás da criatura, está Leonard, uma maça nas mãos, nas suas vestes ostenta o símbolo de Hextor.
Rapidamente a party ataca a criatura, e descobrem o quão longe é o alcance dos braços da mesma, Myeva entra na sala e é logo atacada, a criatura atingindo uma distancia de 20 feet com os seus longos braços, um a um os heróis entram na sala e sofrem investidas da criatura que aproveita a oportunidade dada para ataca-los, os reflexos da mesma aliados a um longo alcance daqueles braços provocam estragos.
Uma feroz luta desenrola-se e a criatura vai ferindo os nossos heróis enquanto Leonard aparentemente só observa, um olhar frio e calculista.
Durante a luta eis que Himo pede a Lanarien a wand de Burning Hands que este usa e eis que Himo consegue activa-la, ferindo também ele a criatura.
Esta finalmente tomba, já Rafa teve que intervir resgatando Myeva que sangrava no chão da sala, Leonard tentou ainda cegar Morg, mas falhando os seus intentos proferiu uma única palavra e tocando num anel que tinha no dedo desapareceu da sala, Lanarien viu ali os efeitos de um teleport.
Com a revelação de que afinal Leonard seria o traidor a party prepara-se para ir buscar ajuda ao clérigo de Heironeous de quem desconfiavam antes, ironia?
Para a semana… não há mais… mas daqui a duas haverá :P

008 - Sessão IX, X e XI (16-09-2006)

Mal a party regressou à aldeia foi logo falar com o clérigo de Heironeous e contar-lhe do que encontraram na casa de Leonard e da batalha deles com o mesmo e a criatura que estava ao lado dele, um boneclaw.
A tensão entre a party e o clérigo desapareceu assim que o inimigo comum foi encontrado, o novo aliado da party decidiu contar-lhes o que andava a fazer nas noites em que perdia o sono, e este fazia itens mágicos já que esperava serem úteis mais tarde e efectivamente é hora de colocá-los em acção, distribuiu pelos pcs poções para que possam usar em caso de emergência.
De seguida foi efectuada uma reunião de emergência do concelho da aldeia, aí um novo conselho foi formado, os seus membros, o clérigo Galoban, o smithy Svensson, Bulvora e da parte da party, Morg.
Ai decidiram que Galoban iria tentar arranjar um exército nas aldeias já atacadas pelos bandidos e depois fazer uma busca e dizimar os bandidos.
Morg depois da reunião foi ter com a party onde lhes contou do que foi decidido, e estando os nossos heróis a falar começa-se a ouvir um som como de um trovão a ribombar pela aldeia, investigando por uma das janelas do hall onde a party fica viram uma nuvem a movimentar-se pela aldeia, a inteligência presente em mais um elemental que vinha aterrorizar as pessoas.
A party lança-se em luta contra o monstro, um storm elemental e observa como o Galoban também está a lutar pela sua vida com outra dessas criaturas.
A batalha é rápida e decisiva, os heróis estão feridos, cansados mas conseguiram derrotar os inimigos, Galoban recupera das suas feridas e parte em viagem prometendo regressar com um exército.
No dia seguinte e mal a party ainda está refeita da luta do dia anterior começa-se a ouvir-se o som de gritos na aldeia, investigando o que se passa, observam duas criaturas feitas de lata a atacarem os aldeões, já com alguns tombados no chão a party vai à luta, após uns rounds de duro combate eis que chegam mais dois inimigos para a party. Dois Orcs carregam sobre a party, espumando de raiva, e um deles num golpe brutal coloca Himo no chão a sangrar, isto depois de este ter colocado um deles a dormir com um spell….
Mas o resto da party intervém e conseguem derrotar os golems, Himo regressa à luta ainda a tempo de ajudar a derrotar os Orcs e assim é uma party cansada mas satisfeita que acaba mais uma dura luta.
Morg decide investigar melhor de onde terão vindo os Orcs e as suas pegadas, e embrenha-se na floresta, encontra um trilho, seguindo esse trilho encontra uma clareira, nela o que parece ser um altar e a entoar um cântico, está uma criatura, Morg reconhece-a como sendo o mesmo demónio que tinham enfrentado numas ruínas, ainda a party dava os seus passos iniciais como equipa.
O demónio acaba o seu cântico e eis que outra criatura aparece, pelo seu aspecto outro demónio, pele verde escamada, uma cauda e uma barba espessa numa cara cruel e retorcida, com ele leva uma arma com uma lâmina enorme, o demónio que o convocou dá-lhe ordens e este sai pelo trilho, Morg não tem dúvidas, ele está a ir na direcção da aldeia.
O demónio avança a passos largos e Morg corre na direcção dele, enquanto isso na aldeia Himo decide ir procurar o colega e o resto da party vai com ele, e assim é que encontram o demónio a sair da orla da floresta.
Mal têm tempo para reagir e este já se teleportou para a entrada da aldeia, mesmo perto de Rafa, ignorando o clérigo volta a teleportar-se para o templo de Heironeous e lá enfrentando a ameaça dos dois elfos que se encontram de vigia no topo da torre, com rápidos movimentos derrota-os e deixa-os no chão a sangrarem.
Enquanto isso a party tinha corrido para o templo, para avisar os acólitos do que se passava, estes avançam para o topo da aldeia mas ambos são derrotados facilmente pelo demónio, por ultimo este ainda ignorando a party prepara-se para sair do templo e prosseguir para a aldeia, mas enfrenta oposição de Svensson que o ataca dando-lhe um ligeiro golpe, o demónio responde com um golpe que fere o smithy de tal maneira que este fica sem fala, da garganta saem gotas de sangue.
Deixando assim mais um oponente no chão o demónio sorri, mas é um sorriso que dura pouco, com um golpe poderoso Ravhin fere fortemente o demónio e indo buscar forças onde elas não existiam consegue desferir outro golpe e eis que aos pés de Ravhin tomba o demónio, um ar de incredulidade no seu rosto.
No seu rasto, um dos elfos que estava de vigia no topo do templo está morto, bem como um dos acólitos de Heironeous.
Aproveitando o facto de o acólito sobrevivente estar bastante ferido e inconsciente, Morg investiga o templo, consegue passar por várias armadilhas embora tenha despoletado algumas e por várias vezes teve que reiniciar a sua tarefa, encontra no entanto varias armas mágicas, scrolls e potions que poderão ser úteis, deixa-as no local onde as encontrou já que as mesmas serão pertença de Galoban.
A party pensa no que poderá fazer a seguir quando com um grande clarão surge no centro da aldeia uma criatura cuja pele parece ser feita de gelo, de aspecto humanóide, tem na sua face um sorriso cruel composto de vários dentes bem afiados.
A acompanhar a mesma um frio intenso, e eis que a criatura dá provas do porquê desse frio, abre a boca e um cone de gelo sai na direcção da party, Lanarien não aguenta este primeiro embate e tomba no chão a sangrar.
A party reage e luta contra o monstro, é uma luta brutal e sangrenta, no final Myeva tomba ferida pelo monstro, este também tomba, mas explode assim que o seu corpo tomba no chão, os corpos inertes de Myeva e Lanarien sofrem o embate dos estilhaços do corpo do monstro bem como o frio intenso que sai daquela explosão.
A restante party está bastante ferida mas ainda estão em pé. Tentam ver de Myeva e Lanarien mas é inútil, estão mortos, vitimas dos estertores mortais do monstro.
A party consegue que os corpos de Myeva e Lanarien fiquem juntos no templo de Heironeus e decidem aguardar pela chegada de Galoban, já que segundo o acólito este terá na sua posse scrolls que possam ajudar a resgatar Myeva e Lanarien das garras do esquecimento. Morg sabe quais são esses scrolls já que os viu quando investigou o quarto de Galoban e assim decidem aguardar pela chegada deste.
Morg no entanto ainda decide ir novamente à floresta e encontra o demónio novamente a entoar um cântico junto ao altar, com uma seta certeira Morg interrompe o demónio, este olha em volta e tocando num anel desaparece.
Morg volta à floresta e relata o que se passou à party que aguarda que chegue Galoban e espera que não apareçam mais monstros.
No dia a seguir chega Galoban, cansado acompanhado de cerca de 15/20 pessoas, segundo ele o exército que conseguiu arranjar, a viagem não deve ter sido fácil, vários deles têm feridas e descarregam 5 corpos dos cavalos.
Rapidamente a party coloca Galoban ao corrente do que se passa bem como do altar que Morg viu na floresta, este usa então os scrolls que possui para fazer raise deads a Myeva e Lanarien, no entanto ironicamente não consegue fazer o mesmo ao acólito que também estava morto.
Galoban pede então à party que arrasem esse tal altar onde Morg viu o demónio invocar monstros e diz que com ele veio também uma guerreira que ele acha que pode ser uma mais valia para a party.
Assim com a nova aliada a party segue para a floresta e com a ajuda de Morg ficam escondidos à volta da clareira e preparados para atacarem o demónio em bloco assim que ele aparecer.
O tempo vai passando e num clarão eis que chega o demónio e acompanhado aparentemente de outro envolto em correntes.
A party reage de imediato como um bloco de fúria e raiva, e o demónio não resiste aos ataques combinados, e tomba ferido de morte no chão, o outro com as correntes também resiste pouco e cai no chão.
Por fim, destroem o altar e espera-se que deixem de aparecer monstros a atacar a aldeia.

009 - Sessao XII (30/09/2006)

Com a destruição do altar, a party fica mais descansada e Himo convence o resto do grupo a irem explorar o restante do complexo subterrâneo que descobriram no moinho da aldeia.
Chegando novamente à zona onde havia o sarcófago e as lanternas, Morg decide novamente ir investigar a zona da lanterna azul, trepa pela corda e avança pelo túnel, novamente um vento inclemente ataca o nosso herói e ele é fustigado até cair por onde trepou, felizmente o ring of feather falling continua no seu dedo.
Mas ele reparou numa coisa, no arco-íris de cores que apareceu quando o vento começou a fustiga-lo faltava a cor verde… da única lanterna acesa….
Decidem então acender todas as lanternas e Morg novamente tenta a sua sorte.
Trepa e avança pelo túnel mas desta vez ao fundo do túnel surge uma abertura na enorme boca lá esculpida, para além dessa entrada, uma viga pouco larga leva a uma porta de ferro. Debaixo da viga um fosso coberto por pequenas bolas de ferro, à volta nas paredes aberturas mais ou menos do tamanho das bolas de ferro.
O resto da party junta-se a Morg e decidem avançar, mas nesse instante um Grick surge do fosso e ataca-os, mas a criatura não é grande ameaça e facilmente lidam com aquilo.
Morg avança pela viga mas imediatamente varias bolas de ferro disparam dos buracos das paredes e lançam-se contra ele, felizmente estava amarrado com uma corda bem presa graças à força de Myeva.
A party decide descer pelo fosso e passar por cima das bolas de ferro, Morg teimosamente decide que a armadilha há de ser desarmada e assim consegue após umas tentativas.
Em frente a eles uma porta de ferro e … um fantasma… pelo aspecto um adolescente magricelas e com o pescoço partido…
Após o susto inicial este mergulha no corpo de um dos pcs e revela que está ali porque os ossos dele estão algures no complexo e sem estarem enterrados no cemitério da sua família não poderá descansar.
Promete que caso a party devolva os ossos dele, ele abrirá a porta de ferro já que pode atravessar a parede e do outro lado fazer isso.
Morg tenta abrir a porta e nada, Myeva com o seu machado também não. Tentam ameaçar o fantasma, puxar por ele mas nada, com uma última careta desaparece por trás da porta numa fantástica e pura birra de adolescente.
A party decide então ajuda-lo já que será a única maneira de passarem por aquela porta, acham os ossos dele que estavam meio roídos no covil dos lobos que Morg retirou do complexo, e decidem partir para Diamond Lake que segundo ele é a cidade mais próxima da quinta.
Como a viagem seria longa decidem usar o anel de teleporte que capturaram com o dretch que mataram junto ao altar, mas apenas 3 pessoas podem ir junto com quem usa o anel. Ravhin decide então ficar na aldeia enquanto a party segue para o que pensavam ser uma curta viagem.
Chegados à cidade, Himo decide ir procurar um cartógrafo enquanto Morg vai tentar vender espólio de lutas e explorações anteriores.
Para Rafa e Myeva fica a tarefa de acharem onde seria a quinta e lá seguem eles, como lhes foi indicado a quinta está em ruínas, já que toda a família morreu de uma doença. Chegados lá observam que as campas da família foram abertas, a terra foi revolvida e recentemente, há marcas visíveis de um carrinho de mão que vão desde as campas até à saída da quinta.
Rafa e Myeva decidem ir tentar ver onde levará aquela trilha quando ouvem um rugido e vêem a carregar sobre eles um owlbear, bastante ferido mas a rugir ferozmente, Myeva sem problemas derrota o animal e vai observar o sitio de onde ele saiu, a casa da família, o telhado meio caído, entrando lá dentro observa o porquê do ataque do animal, 3 crias de owlbear aninhadas a um canto assustadas. A um canto um braço com uma tatuagem, e o corpo de outro owlbear. Aparentemente quem foi saquear os túmulos deu de caras com o casal de owlbears e as crias e a luta foi feroz.
Myeva decide então levar as 3 crias já que sabe que poderão render uma bela maquia! Podem ser treinadas em tenra idade e darão excelentes animais de guarda.
Rafa enquanto isso estabilizou a mãe das crias, com a sua já habitual afinidade por animais, e inclusive tenta curar o animal até ele ficar consciente, mas assim que este fica, ferozmente ataca-o para logo em seguida tombar novamente a sangrar do esforço.
Rafa decide então apenas deixa-lo estável e segue em perseguição de Myeva que ignorando os apelos deste para não levar as crias já esta velozmente a caminho de Diamond Lake para vende-los.
Enquanto isso Himo é confrontado por um preço que ele acha absurdo por um mapa e decide apenas pagar para vislumbrar mapas da região, assim fica com uma ideia geral do que terão que explorar para atacar a ameaça do bando dos bandidos de vez. Sai de lá a resmungar do abuso pedido pela Guilda de cartógrafos.
Morg por sua vez faz negocio a vender armas e equipamento e por ultimo pede indicações para alguém que lhe possa dar ajuda com objectos mágicos, dão-lhe a indicação de Alluster, um feiticeiro de renome que vive numa casa com um jardim bem tratado.
Morg assim faz e encontra facilmente a casa, é a única que não tem qualquer indício de ter sido vandalizada naquela vizinhança, claramente há muito respeito pelo mago.
Este prestável consegue ajudar a identificar as poções por uma quantia adequada e inclusive mostra-se prestável a identificar outros objectos.
Com o serviço concluído Morg decide ir procurar os restantes membros da party e eis que os apanha…
Rafa e Myeva embrenhados em discussão sobre os bichos já quando esta se prestava a vendem por uma óptima maquia de dinheiro.
Himo também se junta e a discussão é tão feroz que o dono da loja chama a guarda e estes decidem solicitar ajuda para dar um julgamento rápido à questão.
Eis que alguns momentos depois chega Alluster, que rapidamente decide que os bichos poderão ser vendidos e o dinheiro repartido entre todos, inclusive Rafa que fará com a parte dele o que entender.
A multidão que estava a assistir dispersa assim, mas não sem antes de Myeva ter vislumbrado um homem que no braço ostentava a mesma tatuagem do outro que ela tinha encontrado na quinta.
Morg com alguma exploração descobre que aquela tatuagem é para identificar os membros de um bando liderado por um half-orc albino e que fazem serviço para uma das minas da região. Descobre-os num bar, mete conversa com eles fingindo-se de bêbado e paga-lhes umas bebidas, pela conversa descobre que estão um bocado chateados já que o ultimo serviço correu um bocado mal devido a um owlbear, o líder faz sinal para se calarem devido à presença de Morg e eles levantam-se e seguem para a mina onde pernoitam.
Morg consegue entrar nas instalações da mina e ataca um dos membros do bando, mas não consegue deixa-lo inconsciente de um só golpe, este dá o alerta e rapidamente Morg foge do local, vai ter com Myeva que o esperava e juntos seguem rapidamente para o inn onde também estavam Rafa e Himo.
Lá são confrontados pelo bando, o half-orc e os seus 3 aliados. A sala deserta excepto por 3 anões a beberem cerveja e a seguirem os acontecimentos divertidos, o estalajadeiro e o guarda-costas de serviço não mostram sinal de se meterem no meio, a reputação do half-orc albino é bem conhecida na zona.
Um dos membros do bando faz um spell sobre Himo e este é compelido a juntar-se ao half-orc, estes fazem chantagem com a vida de Himo, a party não cede e uma luta furiosa é desenrolada, os anões aplaudem e berram incentivos aos combatentes enquanto o aço embate em aço e os spells são trocados.
Luta-se em cima das mesas e em volta delas, corpos tombam no chão, mas no fim, restam apenas 9 pessoas na sala, o estalajadeiro e o seu guarda-costas que por instantes atacou a party mas decidiu no final que seria mais prudente baixar a arma ante o greataxe ensanguentado de Myeva, os 3 anões que aplaudem a party enquanto pedem mais uma rodada, e os 4 membros da party, Myeva e o seu machado, Morg e as suas laminas duplas, Himo com os seus punhos e spells e Rafa, com o poder divino de Kord que para além da cura também lhe fornece meios de atacar os inimigos da party.
Mas nem todos morreram, deixaram um vivo para ser interrogado e levam-no para fora da cidade, ai amarram-no a uma árvore e descobrem que estes saquearam os túmulos para venderem os ossos a um necromante que habita perto da cidade.
Por fim Morg saca deles a localização de onde têm os seus pertences mais valiosos e este vai às instalações da minha para alivia-los desse fardo.
No final um Rafa bastante furioso pergunta se eles mataram o owlbear que encontraram na quinta e feriram a fêmea, este responde e é o ultimo som que sai dos seus lábios à medida que com um golpe poderoso da maça, Rafa mata-o.
Há um momento de silencio a medida que a party decide o que fazer a seguir, Deixam parte da party na cidade e decidem usar o anel no dia seguinte para irem buscar o resto dos membros da party.

010 - Sessão XIII (14/10/2006)

PC´s Participantes: Morg, Myeva, Lanarien, Rafa, Himo, Gaja

Com a ajuda do anel reúnem toda a party novamente, enquanto isso, Morg na cidade investiga quem comprou as crias de owlbears e quais os principais mercadores da região.
Munidos então da maioria de todos os membros da party seguem na direcção do observatório sito perto da cidade, local onde estaria o necromante Filcher, responsável pelo desaparecimento dos ossos da família do fantasma.
Chegando lá deparam-se com uma escadaria de pedra que leva à entrada do observatório, umas portas duplas. De lado na parede uma outra porta, esta bastante minúscula. Morg investiga as duas, destranca-as e resolvem abrir a menor delas e são atacados por uma criatura minúscula composta de matéria morta. Derrotam-na facilmente e decidem entrar pelas portas duplas.
Antes de entrarem Rafa usa um hide from undead para a party ficar invisível na presença de undeads já que parece que é isso que irão enfrentar bastante.
Assim abrem as portas e entram na sala, e deparam-se logo com 3 esqueletos munidos de heavys crossbows, mas estes nem notam a party, não têm qualquer reacção.
Assim a party avança de divisão em divisão, deparam-se com uma cena grotesca na sala de jantar, ainda no piso térreo, em volta de mesa 9 zombies estão sentados como que preparados para uma refeição. A mesa está bem servida de comida e bebida, mas os pratos dos convivas estão vazios.
Decidem então subir para o 1º andar onde encontram o quarto de Filge, outra cena macabra com a visão de algo mumificado a segurar uma bandeja prata, nela uma cabeça humana feminina com a língua de fora e uma moeda de platina nesta.
Ignorando estas visões continuam a subir até ao piso seguinte, o último, e lá deparam-se com Filge rodeado de zombies e com um esqueleto armado ao seu lado, este imediatamente lança uma ordem de comando e com a ajuda de uma spectral hand lança um feitiço em Morg que imediatamente fica paralisado, um odor nauseabundo emana do corpo dela e afecta alguns membros da party.
Para frustração de Filge os zombies e o esqueleto não atacam a party já que nem notam que ela lá esteja e é assim que o necromante nada pode fazer e a situação só pior quando nos instantes iniciais da luta, Himo aproxima-se e fazendo gestos arcanos coloca Filge a dormir, este tomba no chão e Myeva rapidamente mata-o.
Os undeads são rapidamente derrotados, assim sucedendo o mesmo aos da sala de jantar e aos que estavam munidos de crossbows, estes ainda têm reacção mas após Himo ter atraído os disparos para ele, Rafa com a fé de Kord destrói-os num só gesto.
Tendo explorado todo o observatório e recolhido o spellbook do necromante e uma carta que o liga a um dos mercadores e gerente de uma mina de Diamond Lake é hora de sair e só resta à party recolher os ossos da família do fantasma e ir colocá-los no seu descanso devido.
Myeva encarrega-se disso e após umas viagens com o anel eis que de novo está toda a party reunida na aldeia de Tyr.
Avançam então para o complexo subterrâneo debaixo do moinho, o fantasma adolescente já não se encontra por lá e fiel à sua promessa, a porta está destrancada.
Morg avança com cautela seguido do resto da party, deparam-se com uma grande sala circular, em volta 4 murais animados invocam cenas que Himo, Rafa e Lanariel identificam como sendo representações da luta entre Law e Caos. Os Wind Duques de Aaqa contra Mishka, a rainha do caos.
Nelas vê-se a criação de um legendário artefacto, o Rod of Seven Parts e como foi usado na morte da rainha.
Fora isso a sala tem no seu centro uma coluna de ar, no meio dele parece estar uma arca, a mesma só acessível por duas passagens sobre um abismo.
Morg avança então cautelosamente, uma corda em volta da sua cintura nas mãos firmes de Myeva. Eis que assim que Morg dá o primeiro passo numa das passagens duas criaturas saem de dentro da coluna de ar, Lanarien sabe que são os lendários Wind Warriors, que em tempos serviam os Duques de Aaqa.
Estes atacam Morg de imediato, não obstante os pedidos de Himo que tenta falar com eles em Auran.
Morg bastante ferido consegue recuar à medida que Myeva, Gaja, Himo e Rafa avançam, à distância Lanarien e Morg tentam ajudar com disparos.
A luta é dura e as criaturas invocam poderes sónicos e o uso rápido de duas longswords gémeas mas no final dissipam-se perante os golpes certeiros da party.
A coluna de ar dissipa-se e a tampa da arca abre-se…
Dentro dela está o que parece ser parte de um Rod….

011 - Sessão XIV (11/11/2006)

Pc´s Participantes: Morg, Myeva, Ravhin, Lanarien, Rafa, Himo, Puella

Com a tampa da arca aberta e vendo um Rod, a party precipita-se para o mesmo e começam por examina-lo, está inteiro, e detecta-se magia no mesmo. Após uma examinação mais cuidada Morg acha uma reentrância no mesmo e Himo usando uma palavra em Auran consegue abrir o mesmo.
Lá dentro está um pergaminho contendo uma profecia, falam de um artefacto roubado a uma cidade no meio de destruição e que foi levado para outro mundo, fala também de como o caminho para o mesmo é através de um ser não deste mundo que viaja com todas as cores do arco-íris. Por ultimo uma indicação de que as maravilhas deste Rod os ajudem na sua demanda.
Munidos desta informação, Lanarien reconhece a descrição da cidade como sendo a sua cidade natal do artefacto como sendo o Olho de Shen´Dilar, algo roubado por elementais do fogo e que dava vida e poder onde estivesse localizado.
Restava saber quem seria o ser, não tendo ideia decidiram regressar à aldeia de Tyr e vislumbrar como andavam os treinos da milícia e para possíveis notícias do bando que assola a região.
Não há noticias tirando a existência ainda de um grupo de 6 anões que na aldeia procuram por Farvir Runesong, o bardo desaparecido sem rasto há vários dias.
Uns dias passam sem noticias….
E a única coisa de relevante é que o grupo de anões prepara-se para ir seguir uma pista do paradeiro de Farvir, a party oferece-se para ajudar mas os anões recusam e seguem sozinhos.
Curiosos, os nossos heróis decidem segui-los, o que se revela bastante fácil devido às armaduras que usam e à sua falta de cuidado, passam pelo local do que seria uma embosca feita por aquelas criaturas azuis que já tinham enfrentado antes, cerca de uma dezena destas estão pelo chão, sinais de explosões e nada, os anões continuaram após o que pareceu uma breve luta.
Avançando umas horas chegam ao pé de uma clareira e dela ouvem vozes irritadas, uma discussão em dwarven entre Farvir e o grupo de anões, aparentemente estes querem levá-lo de volta para uma prisão, este diz que nunca voltará para pagar pena por algo injusto.
Falam de outro mundo e para a party tudo fica claro.. O bardo Farvir Runesong, que se vestiu sempre de vestes tão garridas, é ele a chave para outro mundo!
De repente ouve-se um grande ruído que diminui rapidamente e a party corre para a clareira.
Chegados lá observam o grupo dos 6 anões dispostos em semi-circulo ao redor de umas ruínas, de dentro das mesmas vem a voz de Farvir Runesong.
Este ouvindo a party pede ajuda para o salvarem. Trocam-se palavras entre a party e o grupo de anões e eis que num momento tudo se desencadeia!
Rafa preparava-se para fazer um Detect Evil e um dos anões em resposta empunha uma wand e lança algo sobre a party, no entanto Himo já preparado para algo assim lança por sua vez um spell sobre parte dos anões.
E é uma luta feroz que se desenrola. Os anões lançam fireballs e ondas sónicas sobre a party, esta carrega sobre eles, há choque de armas, espadas contra machados, machado contra machado, palavras arcanas ecoam, Farvir canta uma canção de coragem que enche os corações da party de vigor e força na luta.
Por vezes parece tudo perdido para qualquer um dos lados, os anões usam armas que para além de darem dano mortal também dão dano para colocar alguém apenas inconsciente e a maré da batalha parece virar de um momento para o outro, mas no fim, quando a poeira assenta, estão 7 pessoas de pé… e todas elas da party.
Farvir sai então das ruínas enquanto a party revista os inimigos caídos e Ravhin procede a algo bem estranho para o resto da party. Usando o sangue de um dos anões caídos, passa o mesmo pelo corpo e pela sua espada…
Farvir relata então o que sabe, diz que é de outro mundo, denominado Eberron, e que fugiu para este mundo por um portal situado num continente povoado por gigantes e drows.
Farvir diz que tem sangue real, irmão gémeo de um rei, e posto numa prisão por causa disso mesmo, após um golpe que matou o irmão e que para fazer com que Farvir não soubesse ao poder (já que estava escondido desde a nascença no caso de algo acontecer ao irmão dele, uma espécie de salvaguarda para o trono e protecção contra assassinos) o mesmo foi colocado numa prisão da qual ninguém conseguiria sair.
Mas Farvir era paciente e com a ajuda de um guarda escapou de lá e fugiu para este mundo.
Está cá já antes da invasão de elementais e pensava ele, a desfrutar bem a vida e a sua liberdade, mas agora foi encontrado não sabe bem como…
E foi assim que a party se encontrou, com o que acham ser a chave para o outro mundo…
Falando mais com Farvir descobriram que o mesmo sabia onde estava acampado o bando e era bem mais perto do que eles achavam, a meras horas de distancia e não a dias como pensavam!
Morg e Farvir foram juntos pela floresta, tendo Morg reparado em como Farvir mesmo munido do seu cloack arco-iris parecia ficar quase que invisível em plena floresta…
Assim chegaram perto do acampamento e ai viram várias tendas, uns ogres e a chegada de um hill giant, para além destes cerca de 30 orcs, half-orcs e humanos andavam por ali.
Morg decide investigar melhor e tomando uma poção de invisibilidade entra dentro do acampamento, imediatamente um alarme é accionado, Morg prosegue aparentemente não tendo sido detectado e vai directo a uma tenda mesmo ao lado da tenda principal, desta sai um gnomo vestido em robes de aspecto bem elaborado, Morg passa ao lado deste, entra na tenda e agarra um livro grande, este estava ao lado de um golem de aspecto estranho composto por fungos, Morg leva com uma nuvem em cima, resiste aos seus efeitos e foge do acampamento, não sem antes ser detectado pelo gnomo que lhe lançou um spell em cima, este sente os músculos a enrijecerem mas resiste a isso e consegue escapar.
Junta-se depois a Farvir que tinha voltado para junto da party quando viu o acampamento em alvoroço e todos juntos seguem para a aldeia esperando um ataque do bando a qualquer momento.
Descobrem que o livro é uma ferramenta valiosa para a criação de golems menores.
Na aldeia e com a possibilidade de o bando vir a caminho e estando lado a lado com o ser de outro mundo….

Para a semana há mais…

012 - Sessão XV, XVI e XVII (10-02-07)

Os nossos heróis seguiram para a aldeia, trazendo notícias da proximidade do acampamento dos bandidos e da vinda deles para a aldeia.
Com a ajuda de Galoban uma defesa é preparada e as pessoas da aldeia preparam-se para uma feroz luta.
A chegada da noite e o bater de tambores anuncia a carga de orcs contra a aldeia, esta, defende-se por detrás de barricadas improvisadas, um verdadeiro teste para a milícia improvisada.
Com um choque brutal os orcs carregam sobre as barricadas e uma luta feroz desencadeia-se quando as mesmas cedem e o som de aço contra aço ecoa pela aldeia, juntam-se os gritos de guerra, os corpos feridos de morte a tombarem, palavras arcanas e divinas a soarem e o silvo de setas pelo ar.
Aos orcs juntam-se ogres e golems e os defensores começam a recuar na sua luta, finalmente Ravhin sente algo e diz para todos se refugiarem numa das casas, a que contém um túnel que leva para fora da aldeia, e assim todos fazem, quando já se vê ao longe um ogre de full-plate a vir na direcção da aldeia, acompanhado de outros dois, e já à frente deles um hill giant com um greatclub gigantesco.
Os nossos heróis escapam assim com os sobreviventes da milícia e uns poucos membros da aldeia e seguem para a floresta.
Na aldeia e refugiados numa cave debaixo do edifício principal ficam as mulheres e as crianças da aldeia, escondidos por enquanto da fúria dos invasores.
Seguindo pela floresta, os nossos heróis conseguem encontrar a meio caminho da aldeia, 3 clérigos de Pelor que iriam ajudar na defesa da aldeia.
Decidem refugiar-se nas ruínas onde tinham encontrado Farvir. Lá decidem desferir um golpe nos bandidos e a party acompanhada dos 3 clérigos de Pelor e do Farvir seguem para o acampamento.
Lá vislumbram vários orcs e um ogre. Várias tendas compõem o acampamento, uma delas de tamanho superior.
Um forte e rápido ataque é desferido, tombado o ogre logo no início da luta, sem sequer ter tempo de fazer seja o que for, Com a ajuda dos 3 clérigos que desferem bolts de energia sobre os nossos heróis curando parte das suas feridas, o acampamento é rapidamente derrotado e nem a aparição de um golem e de um demónio conseguem derrotar os nossos heróis.
Do acampamento levam uma arca que estava guardada na maior das tendas, e após umas tentativas fracassadas e electrizantes de Morg, decidem levar a mesma com eles para posteriores tentativas.
Quando se aproximam das ruínas, ouvem ruídos de luta e apressam-se a correr para ajudar os aliados que ficaram lá.
Chegam a tempo de verem Galoban tombar, mercê de um golpe brutal de um Hill Giant, nas ruínas, há dezenas de corpos de criaturas azuis, semelhantes aquelas que já tinham atacado antes a party e aquela pela qual Rafa se tinha afeiçoado.
Também há outros corpos, humanos, orcs, e um ogre de half-plate.
Em pé apenas o Hill Giant e um golem, o corpo composto de fungos, igual ao que a party tinha enfrentado no acampamento dos bandidos.
A luta é feroz mas conseguem derrotar o Hill Giant, Puella quase tomba mas com a ajuda dos clérigos de Pelor conseguem aguentar a luta permanecendo todos de pé no final da luta.
Após mais esta batalha, os clérigos de Pelor fazem uma pilha com todos os corpos azuis, e colocam de lado o corpo de Galoban, bem como de outros aliados dos nossos heróis. Das ruínas há 3 rastos que saíam, dois deles para a floresta, um outro para dentro das ruínas, todos estes rastos ainda antes da luta ter começado, segundo pensa Morg.
Este decide seguir um dos rastos que julga ser de um humano, procurando então achar Svensson na selva, Farvir entra nas ruínas para procurar o elfo que teria entrado lá dentro, chegando lá, chama Myeva para ajuda-lo com uma derrocada que teria ocorrido e seria preciso alguém forte.
Sem a party saber o Farvir tinha caído vítima de um vampiro e do poder mental deste, e levou Myeva como futura vitima, esta também não resiste e decide chamar outra vítima e leva Ravhin para baixo.
Este resiste ao poder mental do Vampiro e foge do local escapando a um golpe de Myeva, correndo para fora das ruínas e subindo as escadas que dão acesso ás mesmas, grita que há vampiros lá em baixo e que Myeva e o Farvir estão ambos sob o domínio dos vampiros.
A party decide ficar no topo das escadas em expectativa para o que pode surgir de dentro das ruínas, e…
Nada surge…
Após algum tempo uma canção enche o ar, triste, lúgubre, a elogiar a morte… vários dos membros da party caiem vitimas dessa canção e ficam fascinados e um deles, Lanarien, é depois atraído para ir ter com o autor dessa canção. Ravhin corre para impedi-lo e a meio das escadas consegue agarrá-lo e tenta arrasta-lo para fora das ruínas.
Mas surgem das escadas 4 shadows que avançam sobre a party, quando isso acontece surge à volta de Himo, uma névoa que tapa toda a visão para além de 5 feet em redor de cada membro da party, e uma luta desenrola-se no meio da névoa, as shadows atacam, o toque delas roubando a força, enquanto a party e os seus aliados lutam para sobreviver.
Ravhin larga Lanarien, e corre para fora da névoa, chamando Rafa que estava a rezar, ausente do que se estava a passar, ouvindo então o que diz Ravhin, decide ficar preparado para usar o poder de Kord para repelir as shadow caso elas apareçam enquanto começa a chamar os membros da party e os aliados para saírem da névoa.
Um a um os membros da party e os aliados saíam da névoa, as shadows vêm atrás deles, Rafa destrói duas delas com o poder de Kord, Ravhin mata outra com uma carga poderosa enquanto Himo destrói a ultima.
Um dos clérigos de Pelor cai no entanto vítima de uma das Shadows, o corpo dele tomba inerte, os membros atrofiados pela fraqueza provocada pelo monstro.
E é assim que os heróis ficam, com 2 membros da party algures nas ruínas, um dos seus aliados também. Na selva Morg procura Svensson.
O que irá acontecer a seguir?

013 - Sessão XVIII (24/02/07)

Mal a party tinha absorvido a vitória sobre as shadows e já uma nova se formava saindo do cadáver do clérigo de Pelor morto por uma delas.
Mas rapidamente a party extermina mais esta abominação.
Com dois membros da party e com Farvir também nas garras do vampiro, a party decide-se por tentar um ataque frontal e assim derrotar a ameaça e impedir que algo pior ainda aconteça a Myeva, Lanarien e Farvir.
Avançam cautelosamente pelas ruínas e Himo assim que espreita pela primeira abertura é logo emboscado por Myeva, esta sob o comando mental do vampiro.
Uma luta desenrola-se, tanto entre Myeva e os seus aliados como pelo domínio da mente desta, Rafa consegue quebrar o domínio do vampiro, mas este consegue recupera-lo novamente e um jogo de gato e rato desenrola-se entre a party, a sua companheira dominada, o vampiro, e também Farvir, que sob o efeito da canção não desiste de cantar e encorajando Myeva a atacar os companheiros.
A um canto, inconsciente e amarrado está Lanarien, a party decide não o acordar durante a luta já que não sabem se ele também poderá estar ou não sob o domínio do vampiro.
A luta avança, golpe após golpe, a party consegue desferir uns golpes no vampiro, mas notam horrorizados como este é bastante resistente aos golpes de armas e para além disso, as feridas que sofre, fecham-se passados poucos segundos.
Conseguem observar numa sala o que parece ser o caixão do vampiro e a um canto do mesmo, o corpo inerte de um elfo, duas marcas no pescoço indicam a causa da morte.
Resolvem então mudar de táctica e conseguindo colocar Myeva e Farvir inconscientes (a grande custo), saíam das ruínas, para recuperar da luta. Para trás ficou o vampiro, que fugiu, vítima do poder de Kord, empunhado no símbolo religioso ostentado por Rafa. Com eles já está Lanarien que tendo sido curado por um dos clérigos sobreviventes de Pelor, é uma mais valia para a party.
Para trás ficou este mesmo clérigo, vítima de um golpe certeiro do vampiro.
A party sai das ruínas, e resolve amarrar bem alto Myeva e Farvir, já que estes ainda estão sob o poder do vampiro.
A party recupera ligeiramente, mas não tem tempo de respirar muito já que das ruínas sai novamente o monstro que tem em seu poder as mentes de dois aliados.
Um feroz combate se desenrola e finalmente a luta pende para o lado dos heróis, mas só quando estes fazem uso de wands que tinham e libertam o poder de bolas de fogo sobre o vampiro, aliado aos golpes de espada de Ravhin. O vampiro é ferido de morte e imediatamente transforma-se numa sombra que desliza para dentro das ruínas.
A party rapidamente corre para dentro das mesmas, até junto do caixão do mesmo, a tempo de o verem a formar-se lá dentro, imóvel e a recuperar energia.
Com golpes certeiros destroem o vampiro e o caixão, pondo fim á ameaça que paira naquelas ruínas.
Desamarram Myeva, e verificam que esta já é de novo a sua aliada de tantas outras lutas. Farvir também já está de novo na posse da sua mente.
Morg parte em procura do último elfo que com eles tinha saído da aldeia e consegue encontra-lo na aldeia.
Para além de Farvir, com a party também está Svensson. Após estes dias de dura luta, são os sobreviventes do grupo que saiu da aldeia. Todos os restantes estão tombados e caídos, e a party apressa-se a examinar os corpos em busca de algo que os possa ajudar nas duras provações que ainda faltam!
E eis que Morg se lembra de examinar a arca que tinham tirado de uma tenda do acampamento dos bandidos, tenta mais uma vez abri-la mas não consegue, temendo que provoque mais uma queda de raios em cima dele, resolve uma nova táctica, usando um efeito de roldana numa árvore, sobe e deixa cair a arca varias vezes de uma grande altura.
Todo este barulho provoca a atenção de um rinoceronte que surge carregando o grupo dos nossos heróis, mas não é um rinoceronte normal, este parece ser feito de rocha e magma, o seu primeiro golpe é devastador provocando uma grave ferida em Rafa, que fica a temer pela própria vida.
Imediatamente Himo faz surgir uma névoa que tapa a visão em redor dele, e dentro dela dificulta bastante ver até mesmo quem está a um passo de distância.
Isso salva Rafa de outro ataque brutal do Rinoceronte já que este vítima da névoa falha o ataque, Rafa usa o seu anel com o efeito de teleporte e foge de dentro da névoa.
Tanto Himo como o rinoceronte saem da névoa e depois este cai sob o poder de Myeva e do seu greataxe.
Morg continua o seu trabalho na arca que finalmente se parte lá dentro….

Que estará na arca? Onde está Farvir que aparentemente desapareceu durante a luta com o rinoceronte?

Para a semana há mais…

014 - Sessão XIX (10/03/07)

Verificando então o conteúdo da arca descobrem vários objectos mágicos, desde armas, armaduras, wands, anéis e poções.

Himo identifica alguns dos anéis que podem revelar-se bastante úteis.

E é hora de tentarem ver por onde Farvir tinha ido.

Morg investiga as pistas e facilmente vê que ele foi novamente para dentro das ruínas, ai a party entra novamente no local onde enfrentou o vampiro, mas explora o lado oposto ao covil do mesmo, descobrem um enorme hall com pilares do chão até o tecto e no meio da mesma uma visão peculiar, uma porta está suspensa no ar, a um palmo do chão, está fechada, aparente já ter muitos anos, talvez séculos, já a mostrar o desgaste. E as pegadas de Farvir acabam em frente à mesma.

Dando à volta à porta observam que nada existe, o caminho será mesmo passando através da mesma, mas antes disso Morg acha uma passagem secreta.

Abrindo a mesma, Myeva é logo alvo de ataques por parte de duas criaturas, Boneclaws! Undeads munidos de garras com longo alcance, já tinham antes enfrentado uma e tinha sido um combate duro, e o inicio do mesmo mostrou isso, o longo alcance das garras das criaturas e o dano que elas provocam faz com que a party retire das ruínas e decida descansar durante a noite para no dia seguinte já mais recuperados e com Rafa na posse de todos os spells, poderem enfrentar melhor esta ameaça.

E assim é, no dia seguinte, e assim que a porta é aberta para a sala onde estão as criaturas, Himo liberta em volta dela uma névoa que obscura a visão (Obscuring Mist) e permite á party entrar na sala e confrontar as criaturas sem ser atacado por estas mediante o longo alcance das garras das mesmas (evitam AOO).

Uma dura luta segue-se mas o poder bruto da party ganha o dia e derrotam os monstros, na sala tirando estes guardiões, um sarcófago, e dentro do mesmo, entre ossos ressequidos 4 frascos que se revelam depois como sendo elemental elixirs que permitem a transformação em um elemental de quem o beber.

Após isto decidem inspecionar melhor o resto das ruínas e na sala onde estava o caixão do vampiro descobrem uma passagem secreta e uma sala com colunas do chão ao tecto e com vários caracteres em dwarf e no centro da sala um circulo feito de mármore preto, em redor do mesmo uma linha com caracteres, os mesmos entendidos por Rafa referem que quem entrar será julgado e recompensado caso seja de bom coração.

Uns vão entrando e sentem uma grande calma e um desejo que todos entrem lá dentro e assim quando todos se encontram lá partilham uma visão de um grupo de anões (Ironsworn) que morreu a defender a fuga dos anões de uma fortaleza enquanto eram atacados por uma horde de goblins e orcs.

Por fim os Ironsworn são derrotados mas com o seu sacrifício conseguem que os restantes anões consigam escapar e que provoquem uma derrocada para enterrar os invasores. Depois vêem a construção da sala em homenagem aos heróis.

A party é então julgada e recompensada, a partir de agora e uma vez por dia podem invocar a memória dos Ironsworn para durante uma hora ganharem hp temporários para ajudá-los nas lutas que virão.

Depois falam com Svensson e decidem que este irá usar o anel de teleporte limitado que a party tem para ir resgatar a população da aldeia que está escondida no interior da cave do hall da aldeia.

Usando então o anel e após um par de dias Svensson consegue resgatar todas as pessoas lá escondidas, cerca de 10 crianças e 7 adultos.

Depois usando o mesmo anel a party teleporta-se para uma casa que Morg tinha inspecionado em saídas nocturnas anteriores, e ai decidem o que fazer.

Ai Rafa coloca um spell de silence numa pedra e a party actua sob o manto do silêncio. Rafa só guarda a pedra quando é necessário fazer algum spell.

Ravhin envia algo que tinha dentro do bolso, uma espécie de jóia com pernas feitas de plasma começa a andar e vai se colocar na parede e depois no telhado da casa onde a party está e ai envia o que vê para Ravhin.

Este informa então a party que estão dois orcs em cima de telhados, um de cada lado da rua, bem como 2 golems posicionados nas entradas da aldeia. O hall é aparentemente o local onde se encontram os restantes orcs do bando. Da igreja de Heironeous só restam ruínas, grandes o suficientemente para a party poder se esconder por lá, a mesma coisa na casa por onde escaparam, reduzida a escombros.

Rafa diz para se lembrarem dos Ironsworn e a party sente o apoio de heróis que o tempo já esqueceu.

Himo então posiciona-se de modo a usar o Ring of the Ram contra um dos orcs e com um golpe potente o mesmo é projectado do telhado e cai já morto no chão.

Em seguida saiem pelas traseiras da casa sempre sob o manto do silencio e vão-se posicionar nas traseiras das ruínas da igreja, lá vêem, mas não ouvem o segundo orc em cima do telhado, este estará a gritar algo e a apontar para o local onde terá caído o primeiro orc, imediatamente meia dúzia de orcs saiem do hall e vão investigar o que se passa.

A party fica de emboscada preparada para o regresso dos orcs, e antes disso com umas setas certeiras matam o segundo orc de vigia.

E assim que um dos orcs entra na linha de fogo (vindos de onde tinham ido verificar o que se tinha passado com o companheiro deles), é rapidamente abatido por setas certeiras disparadas pela party.

Sobram 3 orcs, estes aparentemente mais fortes que os que já tinham morrido e carregam sobre a party, chamando pela ajuda dos 2 golems que pouco depois se juntam à luta.

No calor da luta dois dos orcs mostram reconhecer Myeva e focam os ataques nela. Esta decide então colocar um a KO para poder… falar depois com ele melhor…

Os restantes são mortos bem como os golems que com maior dificuldade são destruídos, por fim resta um silencio na aldeia… do Ogre e do seu aliado nem rasto… pelo menos aparentemente…

015 - Sessão XX (24/03/07)

Pc´s Participantes: Morg, Myeva, Ravhin, Lanarien e Rafa

Após a luta a party decide revistar a aldeia, começando pelo hall principal, ai encontram 2 golems que derrotam com certa facilidade. Estes estavam a proteger um símbolo arcano desenhado no chão que Lanarien verifica tratar-se de algo necessário para chamar seres de outros planos nomeadamente demons ou devils. Assim sendo apagam o circulo para evitar certo tipo de surpresas. Revistando o resto do hall e a aldeia não encontram mais nada, do ogre e do seu aliado gnomo, nem rasto....
Começam então por explorar melhor as ruínas na aldeia e Morg encontra (o que já tinha descoberto em noites anteriores de exploração) os objectos mágicos que Galoban tinha na cave da igreja de Heironeous e que incumbiu Bulvora (que falou disso a Lanarien) de usa-los para pagar a reincarnação das pessoas da aldeia caídas na luta contra os bandidos, caso isso fosse necessário... E tendo em conta o que aconteceu no ataque dos bandidos à aldeia é deveras necessário!
A party usando cavalos que os bandidos tinham segue então para as ruínas onde se encontram os sobreviventes da aldeia. Lá chegados é hora de Myeva ir falar sozinha com o orc capturado na aldeia, e ai o passado que ela pensa ter deixado para trás revela-se afinal bem perto e na peugada dela.
Enquanto o resto da party fica nas ruínas, Morg e Lanarien munidos de 3 longswords e 1 armadura (2 wands encontradas estão agora na posse de Rafa após a party ter pensado que seria melhor ficarem eles com elas.) partem para Darkwood usando o anel de lesser teleport e tendo em vista usar os itens mágicos para pagar o custo de reincarnações para os membros da aldeia caídos em combate, conforme o desejo de Galoban numa carta que deixou com Bulvora. E é assim que Morg volta ao sítio de onde partiu, a floresta de Darkwood...
Lá chegados são interpelados por um par de rune golems enquanto são interpelados em élfico por uma voz que sai da floresta, são então autorizados a avançar e escoltados pelos golems chegam a uma clareira onde são recebidos por um trio de druidas e onde avistam uma visão familiar, o kobold que tinham conhecido numa aventura anterior encontra-se lá a falar com os druidas, parece que o companheiro dele precisou novamente de ajuda druidica.
Morg relata o que se passou, mostrando os druidas conhecimento de quem é Galoban e aceitam uma das espadas em troca de reincarnarem os membros da aldeia caídos na luta. Morg reencontra a família mas é um reencontro seco, a separação ainda é recente, medida por anos de humanos quanto mais do ponto de vista élfico...
Um a um os membros da aldeia são reincarnados até que todos voltam à vida, Galoban, agora no corpo de um half-elf agradece a Morg e Lanarien o que a party fez pela aldeia e a derrota dos bandidos, embora claro ainda falte encontrar o chefe deles e o seu principal aliado.
Morg faz um negócio com Galoban ficando ele na posse das duas espadas mágicas extra em troca das duas que antes possuía. E é hora do regresso à aldeia, um grupo grande que consegue fazer a viagem sem incidentes.
Depois disto a party reúne-se nas ruínas, 3 deles decidem ir à cidade de Diamond´s Lake (Lanarien, Morg e Rafa) enquanto que Myeva e Ravhin ficam na aldeia onde começam a tratar da reconstrução da mesma.
Chegados a Diamond Lake, os membros da party separam-se, cada um tem tarefas a fazer. Lanarien parte para encontrar o mago Allustan, é recebido por este na sua casa e mostra que Lanarien é digno da confiança dele e fornece um laboratório que ele já não usa para que Lanarien possa trabalhar.
Ai Lanarien completa algo que há muito ansiava. (Podem verificar o que se passou aqui)
Rafa vai até ao templo de Kord onde falando com o clérigo-mor aguarda que este lhe revele alguns candidatos para andarem junto com Rafa, que tenham o mesmo espírito de Rafa. Este diz que já tem em mentes alguns candidatos mais... necessitados de irem à aventura e libertarem alguma tensão.
Morg por sua vez dedica-se à venda do loot que a party acumulou começando pelas armas básicas e acabando nos itens mágicos, pelo meio é interpelado por alguém que se revela como membro de uma guilda interessada em recrutar Morg, este aceita já que também vai ao encontro do que procurava. Depois investiga algo que Rafa lhe pediu (tentar salvar as 3 crias de owlbear anteriormente vendidas). Com a ajuda de uma poção de invisibilidade e um bag of holding, Morg consegue salvar uma das crias, com claros sinais de espancamento que estava acorrentada na entrada de uma das minas de Smensk (Um dos principais chefes de minas de Diamond´s Lake), e vai ter com Rafa, que entretanto tinha ido se hospedar num inn pagando bastante bem para um quarto com todas as mordomias e muita privacidade.
Juntos decidem então o que fazer com a cria, ao que os novos contactos de Morg dão a indicação que ela poderá estar bem com a cria junto de, também ela à frente de algumas minas, mas de um carácter diferente do de Smensk e que apenas queria os animais para exposição e não para guardas, assim não os iria tratar cruelmente.
A guilda consegue um encontro entre Morg e a interessada na aquisição do owlbear, falando conseguem chegar a um acordo e por uma boa maquia a cria passa para as mãos dela.
Com isto resolvido reúnem-se a Lanarien já na posse de um novo staff e seguem para a aldeia. Lá chegados e acompanhados de Morg e Myeva vão tentar seguir as pistas do Ogre, o líder dos bandidos, com a indicação de Morg que segue o rasto deixado por ele, Myeva está expectante e angustiada já que parece que o Ogre foi montado no warhorse a que ela se tinha afeiçoado bastante e ela teme que o peso do ogre se revele fatal para o cavalo numa longa viagem.
A meio caminho é o encontro... Os dois grupos (a party e o ogre e os seus aliados) encontram-se a curta distância. De um lado os 5 elementos (hoje) da party, do outro o Ogre, acompanhado do seu aliado gnomo e de dois outros ogres. Estes ao contrário do gnomo montado num cavalo e do ogre montado num warhorse (que Myeva reconhece como o dela) com um tamanho superior ao normal, encontram-se a pé.
A batalha inicia-se, o gnomo rapidamente faz algo na armadura do Ogre, Lanarien puxando de uma wand lança uma fireball para o meio dos bandidos, mas destes só os dois ogres a pé reagem, tanto o gnomo como o Ogre líder não são afectados, já os cavalos são, e um cheiro de carne queimada enche o ar no que parece ser o inicio de uma dura batalha.
Os dois ogres bastante feridos e a pé, lançam-se na direcção dos pcs, estes espalham-se, Morg bebe uma poção de invisibilidade e avança na direcção do gnomo, antes Rafa faz-lhe um silence tornando Morg uma ameaça ainda mais silenciosa no meio do caos da batalha.
Ravhin e Myeva desmontam e preparam-se, greatswords em punho, olhar focado nos dois ogres que vêm na direcção da party.
O líder Ogre avança o cavalo e depois desmonta revelando uma enorme confiança no olhar e na maneira como empunha a enorme greatsword cuja lâmina mostra chamas a bailar ao longo do gume.
Lanarien lança mais uma fireball pondo-se depois a distância segura do centro da batalha, os dois ogres tombam mortos no chão, o líder Ogre também sofre um bocado, mas eis que é a vez da party sofrer o mesmo destino quando o gnomo empunha também uma wand e faz com que a party prove do próprio remédio.
Rafa aproxima-se de Myeva e faz-lhe um shield other, criando um laço entre ele e ela e assim partilhar da dor dos golpes que Myeva sofra.
Morg consegue aproximar-se do gnomo, mas é detectado por uma criatura que sai das robes deste e olha intensamente na direcção de Morg, o gnomo também olha como que vendo Morg mesmo através do manto de invisibilidade, mas o olhar do gnomo muda assim que vê que não consegue usar a wand já que o silêncio mágico em volta de Morg o afecta também.
Assim decide afastar-se de Morg para tentar usar a wand e consegue mais uma vez lançar fogo para o meio da party.
Estes já estão embrenhados na luta com o Ogre que usa a greatsword de uma maneira devastadora e Myeva sofre os efeitos brutais da mesma, Rafa também sente na pele o elo que o une a Myeva e à medida que os danos das feridas que Myeva sofre e os danos das fireballs se acumulam, este teme pela própria vida.
Ravhin tenta juntar-se na luta ao ogre mas este com um golpe fortíssimo lança-o para trás mantendo-o no mesmo local, o líder Ogre mantendo o domínio do campo de batalha.
Lanarien lança feitiço após feitiço, mas o seu poder arcano não é forte o suficiente para passar pela protecção mágica do líder Ogre e do Gnomo.
Este sofre o primeiro golpe das espadas de Morg e imediatamente também ele fica invisível deixando Morg bastante surpreendido.
Enquanto isso a luta que parecia pender no início (e bastante bem) para o lado dos heróis, começa a ganhar contornos menos favoráveis.
O líder Ogre desfere golpes devastadores com a enorme greatsword e Myeva sofre na pele o efeito dos mesmos, ela e Rafa ligado à barbarian pelo spell anteriormente lançado. Lanarien tenta lançar spells para o Ogre mas este resiste e estes não têm qualquer efeito nele.
Ravhin não consegue penetrar na área para lutar com o adversário.
E eis que de novo surge o gnomo, de wand na mão e lançado mais uma fireball para o meio da party, Rafa fica então às portas da morte e quebra o elo entre ele e Myeva para se poder curar ele e não correr o risco de morrer caso o Ogre desfira mais um golpe brutal em Myeva.
Esta sofre golpe após golpe por parte do Ogre, cai ao chão uma vez, levanta-se com um novo fôlego e carrega sobre o Ogre, sempre com a fúria característica no olhar.
Morg e Ravhin juntam-se à luta ao Ogre que por sua vez serve de protecção ao gnomo que fugindo de Morg, descobre que pode tentar ficar junto ao Ogre que possuindo maior alcance pode protegê-lo da party. Lanarien não cessa de lançar feitiços do seu arsenal procurando aquele que irá quebrar a protecção dos dois inimigos.
A situação atinge o momento mais critico quando Myeva sofre um golpe devastador e tomba no chão às portas da morte, Rafa no entanto consegue com o uso de um scroll de Revivify consegue impedir que a alma de Myeva deixe o corpo mesmo quando esta iria começar a sua viagem para outro plano.
Lanarien enquanto isso aproximou-se mais para tentar usar outro tipo de spells do seu arsenal mágico e aproveita para invocar a memória dos Ironsworn.
Por sua vez Morg e Ravhin mordem os calcanhares ao Ogre, o gnomo já está tombado no chão, morto. Lanarien puxando do seu reportório de spells consegue usar uns que passam pela protecção do Ogre como se ela não existisse, este perseguido agora pela party inteira já está bastante ferido, mas ainda recupera forças temporariamente através de uma poção que bebe.
Continua a desferir golpes brutais ferindo tanto Myeva como Morg e Ravhin, este indo aos limites do seu poder mental.
Finalmente com um ultimo golpe desferido por Morg tomba o Ogre no chão, um grito de vitória ecoa no meio dos restos de uma batalha que durando pouco mais de 1 minuto puxou bastante pelas forças da party.
Está derrotada a ameaça do bando que aterrorizava a região!

E para a semana há mais aventuras

016 - Sessão XXI (31/03/07)

Pc´s Participantes: Morg, Myeva, Ravhin, Lanarien, Rafa, Himo

Com o Ogre derrotado e a ameaça do bando de bandidos por fim afastada da região, a party pode respirar mais livremente mas não por muito tempo.
Após uns assuntos resolvidos na cidade, mais a ver com trabalho de pesquisa de Lanarien e a venda de objectos encontrados pela party, é hora de se porem a caminho para o Sul, rumo às montanhas e à região das vários tribos de orcs, uma delas, a de Myeva que consegue convencer a party da necessidade de irem para lá já que ela precisa de tratar de assuntos de foro familiar.
Após saberem por parte de Galoban, mais algumas informações do que poderiam encontrar pelo caminho, é hora de rumarem numa viagem difícil.
Pelo caminho são emboscados por um storm elemental, este aparece camuflado num céu de tempestade e a party é atacada de surpresa, apesar do ataque inicial que quase coloca Himo às portas da morte, a luta é bem rápida e o elemental é derrotado.
Avançam até que ao cair da noite chegam perto das ruínas de Shadizar, perto das mesmas Morg encontra um local relativamente abrigado já que em redor das mesmas o terreno está completamente limpo e sem abrigo.
Assim perto de uma árvore isolada e numas rochas é que a party prepara-se para pernoitar, durante a noite são visíveis várias fogueiras nas ruínas, Himo envia a sua coruja para investigar e a mesma volta rapidamente com uma seta cravada numa asa.
Aparentemente quem quer que lá esteja ou não gosta de corujas ou apenas queira caçá-las.
Assim que amanhece Morg decide investigar, chega a uma distância que lhe permite ver dois orcs na orla das ruínas e tenta falar com eles, a resposta é bem elucidativa e são trocadas ameaças, Morg lança uma seta mas falha e depois apressa-se a correr de volta para o acampamento, das ruínas ouve-se uma trompa e 8 cavaleiros (orcs) saem montados de lá.
Morg consegue abrigar-se num arbusto e esconder-se e é assim que os cavaleiros passam sem o notar, mas por sua vez notam o acampamento da party e seguem para lá, Morg lança uma seta para o último, o que faz com que estes mudem de rumo e resolvam atacar o elfo, mas este com um toque no seu anel de lesser teleport volta para as ruínas ao lado da party.
Os cavaleiros frustrados e furiosos por esta desfeita avançam para as ruínas, cavalgando furiosamente, Himo e Lanarien esperam calmamente por eles e lançam um inferno de chamas para cima deles, fireballs explodem no ar no meio dos cavalos, estes habituados à lide da guerra continuam a carga, os cavaleiros é que mudam de táctica e espalham-se mais no terreno de modo a evitarem serem apanhados em grande numero pelas bolas de fogo e para poderem apanhar a party num arco.
Himo e Lanarien lançam novamente fireballs para grupos de cavaleiros, dois deles sofrem quedas já que as montadas não resistem ao poder arcano dos dois heróis.
Por fim 6 dos cavaleiros atingem as ruínas e carregam sobre a party, mas não são grande ameaça face ao machado demolidor de Myeva e à espada certeira de Ravhin, que protegido pelo seu poder mental vê como os adversários se revelam impotentes para acertar-lhe um único golpe. Morg desfere golpes certeiros aproveitando cada oportunidade para acertar em pontos mais vulneráveis dos adversários, Himo com o poder arcano faz com que fiquem cegos e tontos, tornando-os presas fáceis, Rafa provoca o mesmo efeito noutro, e no meio disto tudo ainda têm que sofrer os efeitos dos spells de Lanarien que evocando palavras arcanas faz com o que o ar pareça percorrido por electricidade que sai do seu staff que parece adquirir vida própria nas mãos do seu criador.
É sem surpresa que a party derrota os cavaleiros, impedem ainda que dois deles fujam para as ruínas da cidade já que não têm a mesma velocidade de Myeva que impede a fuga, um deles com a ajuda preciosa de Morg que sem piedade desfere um golpe que tem tanto de certeiro como de mortal.
Sobra um dos orcs, deixado inconsciente para futuras averiguações, Rafa contente por mais uma ocasião de mostrar a força de Kord e extorquir informações de mais uma vítima.

Para a semana há mais ;)

017 - Sessão XXII (07/04/07)

Pc´s Participantes: Morg, Myeva, Ravhin, Lanarien, Rafa, Himo

Mal tinha a party se refeito da luta anterior e já se ouvia o som de várias trompetas a sair das ruínas de Shadizar, e dezenas de orcs começam a sair das mesmas na direcção da party, a acompanhá-los vários trolls, pelo meio o silvo de grandes pedras a serem lançadas por catapultas na direcção dos nossos heróis.
Tendo em conta o que vem na direcção deles, decidem que é altura de uma retirada estratégica e montando rapidamente nos cavalos (levando o prisioneiro orc que conseguiram) põem uma larga distância entre quem os persegue, chegando à orla da parte Oeste de Darkwood, ai chegados apressam-se a interrogar o prisioneiro, este revela que só sabe que irão marchar para norte ao amanhecer do próximo dia, diz que estarão cerca de 8 centenas de orcs, bem como vários trolls, os quais estão com poderes elementais, a juntar isso um grupo de feiticeiros kobolds, e talvez outros monstros.
O interrogatório ao prisioneiro e os movimentos deste atraem a atenção de um Bullette que saindo do chão ataca os heróis, a party consegue lidar bem com a ameaça mas não sem antes experimentar o poder do tubarão terrestre.
Perante a informação deste grande contingente que está a marchar, Morg avisa os pais em Darkwood que informam que irão adoptar defesas para que cada orc que ponha o pé na floresta se arrependa amargamente, por sua vez Himo envia a sua coruja para avisar o templo de Pelor em Diamond´s Lake de modo a estarem prevenidos.
Por fim o prisioneiro é morto já que nada mais pode revelar e o ódio dos elfos ao orcs ainda é profundo. Os heróis acampam na orla de Darkwood, e aguardam para ver se o exército vem na direcção deles ou seguirá outro caminho. Após regressar a coruja de Himo decidem avançar e verificar se o exército já vem a caminho.
Encontram um scout do exército, o qual tenta galopar e regressar ao corpo principal das tropas, mas com um simples teleport é emboscado pela party, que o mata para evitar que este avise o resto das tropas, avançam então novamente para as ruínas de Shadizar, onde chegando perto das mesmas são recebidos por disparos de duas balistas que acertam em Himo e Lanarien, este ultimo ficando logo invisível assim que as primeiras gotas do seu sangue caiem no chão. Imediatamente das ruínas saem dois owlbears que carregam sobre os heróis, acompanhados por 1 troll com a pele laranja e o cabelo vermelho, Lanarien identifica-o como um Troll com traços elementais de fogo, contra este só o ácido irá provocar danos duradouros! Himo rapidamente cria uma parede de névoa para pelo menos proteger a party de futuros disparos de balistas.
Uma rápida luta desenrola-se enquanto a party percebe que para além do que já enfrentam fora das ruínas ainda têm a ameaça de um spellcaster dentro das mesmas, o qual envia spell após spell para cima da party, por fim um grupo de criaturas que parecem como se tivessem misturado 2 goblins sai das mesmas e apressa-se na direcção de Morg que tinha se aproximado sorrateiramente da entrada das mesmas.
E ainda por cima eis que do próprio chão sai um troll, este com a pele de uma tonalidade da própria terra e mais rija, Lanarien só tem tempo de berrar um Troll Elemental de terra, enquanto tenta lidar com uma luta furiosa no qual toda a party está empenhada.
Myeva como sempre desfere o seu greataxe com brutal eficácia mas eis que sofre algo que não esperava, um abraço de um owlbear e nestas condições a sua arma tão familiar torna-se inútil, mas isto não para a guerreira que usando as suas spiked gauntlets desfere golpe após golpe no monstro, Rafa sofre o mesmo destino, mas este não tem o poder físico de Myeva e nem armas para usar e aos poucos vai sendo cada vez mais ferido enquanto inutilmente se tenta soltar.
Himo por sua vez tenta proteger dos ataques do Elemental earth troll, enquanto Ravhin se junta à luta, a sua armadura negra a brilhar enquanto a greatsword desfere golpes nos adversários.
Lanarien com um spell derrota 3 das criaturas que ameaçavam Morg e este junta-se à luta contra os owlbears aproveitando que os mesmos ficam mais vulneráveis enquanto estão a agarrar alguém e é assim que conseguem derrotar as criaturas. No entanto a ameaça das balistas e do spellcaster inimigo é bem real, já que as mesmas disparam (lentamente) com duros golpes provocados à party e o spellcaster provoca explosões de fogo no meio dos nossos heróis.
Morg avança invisível para dentro das ruínas e com um único golpe mata o spellcaster rival, e aproveitando que os orcs que estavam nas balistas, não viram o que aconteceu, distraídos pelos sons da batalha e pelo barulho a recarregar a balista, consegue assim derrotar um deles e junta-se depois à luta para ajudar os colegas.
O orc restante na balista torna-se presa de Lanarien desejoso de se desforrar do que sofreu às mãos dele. Os últimos a cair são os mais duradouros trolls, mas finalmente e já quando os nossos heróis estavam prestes a cair de exaustão e bastante feridos, conseguem derrotar os trolls certificando-se que não voltarão a regenerar. Ácido num e fogo noutro tratam disso mesmo.
Ofegantes exploram a entrada das ruínas apressadamente e encontram um vagão carregado com mantimentos, no mesmo 2 scrolls indicavam a direcção das tropas que saíram das ruínas, metade avança para Diamond´s Lake, a outra metade para as montanhas a Sul à procura de quem o líder do exército considera traidores da raça, as tribos de orcs que querem manter a paz com os humanos, entre elas a de Myeva...

Para a semana há mais...

018 - Sessão XXIII (14/04/07)

Pc´s Participantes: Morg, Myeva, Lanarien, Rafa, Himo

Após a luta final da semana anterior, os nossos heróis decidem entrar nas ruínas de modo a descansarem da dura batalha anterior e recuperarem energias, Morg faz uma ligeira exploração do espaço onde se encontram e descobre que os orcs selaram a zona onde estavam acampados do resto das ruínas da cidade.
A noite passa sem incidentes tirando uns ruídos estranhos, parecidos com uivos e silvos e quando amanhece Morg decide explorar o lado de lá que os orcs selaram, subindo os pedregulhos que serviam de barreira descobre no lado de lá vários cadáveres de orcs, alguns deles semi-comidos, e várias estátuas de orcs e uma de troll, estátuas estas tremendamente realistas, o que leva logo a party a especular com o que poderá ter acontecido, Lanarien fala de várias hipóteses como um basilisk ou uma medusa.
Toda a party escala o obstáculo e avançam para explorar a zona, vão a meio de rua, edifícios em ruínas de ambos os lados quando eis que se ouve o silvo de uma seta que acerta em cheio em Lanarien, imediatamente este fica invisível.
A party tenta reagir mas não sem antes outra seta vir na direcção de Himo que a afasta facilmente com um golpe do braço. Descoberta de qual das casas em ruínas veio a seta, a party precipita-se para dentro da mesma, Morg é o primeiro entrando no rés-do-chão e subindo as escadas que ainda se aguentam em condições, lá em cima depara-se não com alguém a disparar setas mas com uma espécie de esfera circular pequena, com um único olho no meio e cerca de outros seis olhos que estão ligados ao corpo central, imediatamente Morg vê um raio sair disparado de um dos olhos e imediatamente sente o corpo arder em chamas, berrando beholder, o nosso herói sai para o rés-do-chão das ruínas.
Ouvindo isto Lanarien coloca Myeva a voar e antes já Rafa tinha feito um spell para a tornar mais forte. A barbarian precipita-se de greataxe preparado para dentro da casa e chegando rapidamente ao pé da bola desfere-lhe um golpe certeiro que a coloca a sangrar. Um feroz combate começa então e ao inimigo que a party enfrenta junta-se outro, uma medusa, armada de um arco, esta tenta disparar contra a party, mas o perigo maior é mesmo os seus olhos com o poder de transformar em pedra qualquer ser que olhe para eles.
A luta avança e Myeva vê-se no chão, fruto do efeito de um raio que saiu de um dos olhos do estranho ser, este continua a atacar a party provocando outros efeitos nefastos, Rafa fica paralisado enquanto que Himo se sente exausto, Lanarien sente o corpo em chamas.
Morg que se lançou na luta contra a medusa torna-se vitima do olhar da mesma, esta tinha fugido pelas traseiras do edifício saltando do primeiro andar, Morg indo na direcção dela transforma-se numa estátua a olhar para ela.
Eis que salta Myeva do primeiro andar passando pela estátua de Morg e carregando a medusa, esta horrorizada vê como a barbarian não fica transformada em pedra e de um único golpe Myeva corta a medusa em duas, matando-a instantaneamente.
Ainda estão ambas as partes da medusa a caírem no chão e já Myeva se precipita para dentro da casa, ainda há um inimigo para abater. Lá dentro da casa, Rafa está paralisado, Morg em pedra, Himo ferido luta contra o inimigo mas toma no chão a sangrar, Lanarien também está fora de combate e eis que vem Myeva para tentar matar o monstro, este bastante ferido mantém-se a flutuar perto do tecto e foge das ruínas já que o ultimo ataque de Himo o tinha deixado às portas da morte. Para trás fica uma party ferida, Morg transformado em pedra, mas vencedores de uma dura luta.
Saíram daquela parte das ruínas, pernoitaram mais uma vez logo na entrada das ruínas e na manhã seguinte usando o anel de teleporte deslocam-se para em frente à casa de Alustan em Diamond´s Lake, chegando mesmo na altura em que a cidade se encontra sitiada pelo exército orc. Descobrem que Alustan não está em casa e apressam-se a ir procurá-lo já que arranjam indicações que deverá estar nas muralhas a ajudar na defesa da cidade.
Assim Myeva, Lanarien e Himo partem para procurar Alustan enquanto Rafa fica no templo de Kord a tratar de feridos, a um canto no templo fica a estátua que é Morg.
Myeva e Lanarien obtém de Alustan a palavra passe para entrarem em casa dele e irem buscar um scroll necessário para devolver Morg ao seu estado normal e Himo fica ao lado de Alustan para o auxiliar na batalha que decorre, com bolas de fogo de lado a lado, e o exército de orcs a tentar entrar na muralha, defendida bravamente pelos defensores de Diamond Lake. Após uns momentos de furiosa batalha, ouve-se o som de trompetas do lado dos orcs e estes batem em retirada, parecendo irem acampar a certa distância da cidade.
Alustan e Himo seguem para se encontrarem com os nossos heróis enquanto vão discutindo tácticas de batalha no aspecto arcano da mesma. Chegado ao templo de Kord, Alustan usa o scroll para cancelar o efeito que mantinha Morg em pedra e esta volta à vida, a sua última lembrança era de ver a medusa nas ruínas...
Após os companheiros da party lhe dizerem o que se passa, ele apressa-se a encontrar uns amigos que lhe prometem ajuda no caso de um ataque cirúrgico ao acampamento dos orcs, Alustan também diz que irá fornecer equipamento para ajudar nessa tarefa. Com sorte um único ataque irá impedir futuros ataques e parar o sangue derramado nos muros da cidade.
Rafa por sua vez recebe um companheiro, o clérigo-mor do templo de Kord apresenta-o a um anão, como sendo alguém que terá o mesmo feitio de Rafa, e que espera que talvez ambos aprendam a usar melhor as dádivas de Kord.
Rafa cumprimenta deliciado o novo colega que irá segui-lo devotamente, esperando ganhar parte da fama de Rafa e claro da glória!
E daqui a duas semanas há mais!

019 - Sessão XXIV (28/04/07)

PC´s Participantes: Morg, Myeva, Lanarien, Rafa, Himo

Ainda estavam os nossos heróis a falarem do que se tinha passado e a prepararem-se para um ataque nocturno ao acampamento dos orcs, quando surge uma nova emergência, um soldado vem a pedir ajuda com urgência, estavam a recolher os mortos quando do chão surgem criaturas feitas de sangue, um trio delas, sendo que uma bastante maior do que as outras, com golpes devastadores estão a matar os soldados e um deles (o maior) ataca as muralhas tentando destruir as mesmas, bem como o enorme portão de entrada da cidade.
A party precipita-se para os portões chegando mesmo na altura em que um dos portões cede perante a força de uma criatura enorme parecendo composta de sangue, Rafa reconhece a criatura e informa a party que a mesma é capaz de aguentar um enorme número de golpes sobre ela. Uma luta feroz se desenrola enquanto parte dos defensores aproveitam para fugirem e deixarem os monstros entregues à party, uns concentram-se em atacar os outros dois monstros, do mesmo aspecto que o maior mas de dimensão mais reduzida. Com grande esforço a party consegue derrotar o monstro que aguentou inúmeras vezes golpes poderosos do machado de Myeva bem como as espadas duplas de Morg, sem contar a artilharia arcana de Lanarien e Himo, por sua vez Rafa e o seu aliado ajudavam a proteger a party e a milibar o dado provocado por tão feroz monstro.
Após a derrota do mesmo faltam derrotar os dois que restam, estes já feridos por ataques dos defensores tornam-se presas fáceis para a party. Após a luta chega Alustan que com um scroll cria uma parede de pedra para selar o buraco criado pela perda do portão e assim pelo menos minimizar o impacto provocado pelo repentino ataque, ao longe a party vislumbra por instantes um kobold que depois desaparece no que Lanarien identifica como sendo um teleport, possivelmente para relatar o que se terá passado aos atacantes da cidade.
Morg decide ir falar com os seus contactos para verificar se os planos para a noite avançam enquanto que Lanarien vai continuar a sua pesquisa arcana, um soldado aproxima-se de Myeva e diz que tem um prisioneiro orc que deseja falar com ela, diz que o prisioneiro está separado dos restantes, já que o mesmo entrou na cidade fazendo os possíveis para não ferir qualquer defensor e imediatamente lançou as armas para o chão, rendendo-se e dizendo que tinha uma mensagem urgente para Myeva. Esta contacta com o prisioneiro que revela ter sido enviado pelo irmão de Myeva para se infiltrar no exército de Krull, e quando este se dividiu resolveu ficar com Krell, o braço direito de Krull, e meio-irmão deste, já que iriam atacar a cidade de Diamond Lake, que segundo informações que tinha seria um bom local para tentar achar Myeva. A caminho da cidade soube que o ataque só seria uma diversão para que a cidade fosse infiltrada por algo a partir dos esgotos e derrubar a cidade de dentro para fora. O teor do ataque ele não sabe mas tem a consciência que seria algo grave.
Myeva solicita a libertação do prisioneiro, tornando-se responsável pelo comportamento do mesmo e vai ao encontro da party que se encontrava reunida com Alustan, este mostra-se bastante preocupado com a gravidade da situação e leva Myeva e o prisioneiro até à sala onde se preparam os planos de defesa da cidade, ai Alustan relata a situação enquanto o comandante da guarnição da cidade escuta atentamente, este dá então carta branca a Myeva e aos seus companheiros para investigarem o assunto, para as restantes pessoas na sala o facto de estarem dois orcs dentro da mesma deixa-os bem desconfortáveis e há um claro antagonismo por parte deles. Myeva mostra-se à vontade no meio desses olhares e mostrando que o seu machado está bem pronto para separar uma cabeça do corpo caso esta a insulte demasiado....
Myeva informa a party do que se passa, e Morg vai tratar de arranjar mapas dos esgotos da cidade, o que consegue após tratar de convencer um burocrata do valor de tomar a decisão certa na hora certa....
Decide então com a ajuda dos seus contactos tentar ver o que se passa, com um guia para os esgotos e com a ajuda de um clérigo de Kord partem então os três para investigar o que se passa, são quase emboscados por uma criatura que parecia totalmente feita de magma, mas escapam e Morg encontra o que procura, vestígios de entrada na cidade de vários indivíduos, contactando o resto da party seguem para explorar essas pistas e as mesmas dividem-se, umas seguem para o interior dos esgotos, as outras sobem umas escadas para o interior da cidade.
E são essas que os heróis seguem, e acelerando o passo encontram, várias were creatures, e ficam admirados como com algumas delas basta uma mordidela para um pacto habitante da cidade se tornar uma fera em poucos segundos.
Luta após luta e tomando cuidado (o possível) para não matar os habitantes transformados conseguem derrotar um a um os membros desse bando, até que conseguem eliminar o ultimo, na party só Morg se queixa de uma mordidela que lhe arde bastante no braço....

020 - Sessão XXV (28/07/07)

PC´s Participantes: Morg, Myeva, Ravhin, Rafa, Himo

As were creatures foram derrotadas e aparentemente a ameaça tinha passado, mas não era por isso que Myeva se sentia mais calma, a noticia de que o seu irmão poderia estar a ser alvo de um ataque tinha-a deixado num estado de agitação de necessidade de agir e assim após terem ido buscar Ravhin que tinha ficado as ruínas de Shadizar, usam o anel de teleport e usando as memórias de Myeva como guia conseguem voltar ao local da sua infância.
E no meio de uma batalha entre orcs, no meio de um caos de machado contra machado, de lutas de vida e morte. No meio desse caos o grupo de Myeva é notado por todos (afinal ela era a única orc no meio do grupo) e o irmão dela dá ordens para que os protejam e agrupem-se junto com ele. Rapidamente entendem a situação, o clã de Neri, o irmão de Myeva estava cercado e a defender-se como podia, acossado por vários orcs liderados por Krolin, também ele irmão de Myeva. Era um clã dividido e a lutar entre si sem tréguas!

Myeva tenta saber o que se terá passado para Krolin mudar e atacar o próprio irmão, Neri coloca as culpas em Krull, que este teria mudado Krolin com as ideias de liderar os orcs a fazerem uma limpeza contra todas as outras raças e unindo os clãs, Neri e outros ainda acreditam que é possível os orcs continuarem a cooperar com outras raças como o fizeram durante e após a invasão de elementais, e assim uma luta de orc contra orc se desencadeou.
Por agora a party ajuda a acabar com o assalto que está a ocorrer, Himo usando a sua wand lança umas fireballs para o meio dos atacantes e estes decidem retirar voltando ao acampamento que se mantém de vigília, ameaçador à posição entrincheirada de Neri.
Há uma reunião na qual a party resolve ajudar Neri e tentam fazer um ataque cirúrgico ao acampamento de Krolin, Himo via aérea e Myeva e Morg, ambos invisíveis vão pela calada da noite ao acampamento.

Mas as coisas correm terrivelmente mal, já perto da tenda central onde estaria Krolin, Myeva e Morg vêem-se visíveis e Myeva é capturada e levada à presença de Krolin, Himo mais acima, tenta lançar fireballs para o meio da tenda, mas vê que a alguma distância da mesma, estas parecem como que desaparecerem!

No acampamento Morg consegue se ir escondendo saltando de tenda em tenda até que repara que o efeito da invisibilidade regressa, ai aproveita para lançar um bocado de caos no acampamento antes de ter que fugir para junto do resto da party.
Por sua via Myeva encontra-se frente a frente com Krolin, rodeada por guerreiros orcs e 2 golems, ouve atentamente o irmão notando que o mesmo não está em si, o olhar revela que a sua mente não é a dele, aproveitando um momento Myeva força a fuga e corre sem olhar para trás, após uns segundos repara que está de novo invisível e não perde tempo em correr de volta ao acampamento!
Por sua vez Himo também regressa e de novo estando a party junta tentam chegar a outra solução para acabarem com o conflito.

A solução chega na forma de uma lei tribal, uma luta entre os campeões de cada clã, ou neste caso de cada facção pode determinar quem deve ficar à frente do clã.
Krolin aceita a luta e cada um dos lados nomeia um campeão, do lado de Krolin, um guerreiro enorme, forte, com varias cicatrizes a mostrarem o resultado de várias batalhas, do lado de Neri é a sua própria irmã, Myeva que é a escolhida.
A meio caminho entre o acampamento e a posição entrincheirada de Neri, é delimitado um terreno para o combate, as regras são simples, até à morte e proibido o uso de magia!
De cada lado do terreno apenas 5 elementos de cada facção como testemunhas, ao longe os orcs tentam ver o combate que irá ocorrer que poderá mudar o destino do clã.

E é Myeva que inicia as hostilidades com uma carga brutal sobre o seu adversário, este reage sem demora e é o início de uma sessão de troca de golpes, machado versus machado numa luta sem tréguas nem piedade.
Myeva sente-se quase a desistir mas consegue ir buscar forças para continuar a lutar e mantém o seu adversário a um canto, este com os olhar consumido pela fúria continua a atacar, indo buscar forças à sua vontade de ganhar o combate e derrotar Myeva.
Eis que num golpe certeiro Myeva sente um dos pés a ceder e fica incapaz de se suster em pé, o seu adversário rejubila perante a queda da sua oponente e continua a atacar com a certeza que o final da sua oponente está próximo…
Mas não é o caso, com a força de vontade de vencer que lhe é tão própria, Myeva ataca sem dó e mesmo no chão consegue desferir um golpe avassalador no seu rival, este com um olhar incrédulo tomba no chão, morto!

A party mal tem tempo de saborear a vitória quando a meio caminho do acampamento de Krolin, surge ele mesmo, vestido em robes púrpuras com o símbolo de Tharizdun, com um rápido cântico faz surgir algo mesmo no centro da zona de combate….

E para a semana há mais ;)

021 - Sessão XXVI (11/08/07)

PC´s Participantes: Morg, Myeva, Lanarien, Rafa, Himo

  

            E eis que do centro do terreno onde segundos antes Myeva tinha derrotado o campeão do seu irmão, Krolin, surge um grande earth Elemental que recebendo uma ordem de Krolin, imponente nas suas vestes púrpuras avança sobre Myeva.

            Esta recebe de imediato a protecção dos guerreiros orcs que estavam ao lado do clérigo de Grumsh, este reconhecendo que Myeva foi a justa vencedora e que Krolin apareceu com o símbolo de outro deus, ofendendo a Grumsh!

            Uma furiosa luta desenrola-se, Krolin faz cair um cilindro de chamas do céu para tentar derrotar os defensores de Myeva, mas estes resistem, e por fim perante a ameaça de Morg e do seu fiel cão elfico, Krolin desaparece, segundo a visão atenta de Himo, foi para outro plano de existência,

            Enquanto isso o earth Elemental resiste bastante, mas por fim cai com um golpe de Myeva, ferida ainda sem conseguir se erguer mas mortal na mesma!

            O clérigo de Grumsh fala com Myeva em privado e após esta se sentir melhor rumam então ao encontro de Neri, enquanto isso o acampamento outrora de Krolin começa a ser desmontado para o clã voltar a estar unido.

            Após uma rápida conversa com Neri decidem investigar o local onde estava colocada a tenda de Krolin e onde a magia teria falhado na incursão feita por Morg, Myeva e Himo.

            Chegados lá notam que a magia fica activa, o efeito deveria ser um provocado por Krolin e não da zona em si, exploram a zona e encontram um alçapão, que leva a umas escadas escavadas na rocha e para um túnel subterrâneo, o mesmo que Krolin queria levar Myeva antes de esta escapar.

            Morg vai explorar o túnel e consegue desmontar algumas armadilhas, não sem antes sofrer o efeito das mesmas, e após acharem que o local pode estar bem defendido resolvem esperar até ao dia seguinte para recuperarem forças e também para irem buscar Lanarien a Diamond Lake, onde aproveitam e tentam obter mais informações.

            No dia seguinte antes de irem investigar o túnel, chega um dos batedores de Neri, que revela que o exército liderado por Krell tinha sido dizimado, segundo declarações de alguns orcs que eles capturaram, parecendo meio perdidos e em choque.

            Segundo o relato desses sobreviventes seres gigantescos, irromperam como que do ar e atacaram o exército dizimando-o, só restando aqueles que fugiram imediatamente, uns em pânico entraram em Darkwood mas não devem ter regressado de lá.

            Eram seres colossais como uma enorme criatura parecendo feita de rocha pura, negra, quase com 6 metros de altura, outra ser feito do puro ar, como que um tornado com vida, e por fim outra feita de chamas, usando o que parecia um manto, também ele composto de chamas, rapidamente dizimaram todos os que se lhe opuseram.

            Não se sabe o destino de Krell.

            Após este relato assustador e por um lado mais descansados sabendo então que pelo menos não chegará o exército para atacar Neri, partem então para explorar o túnel.

            Não conseguindo desarmar a armadilha da porta, tentam um outro método e começam a escavar por cima de onde estará a sala após a porta, com algum trabalho árduo conseguem ter um buraco por onde podem passar e Morg, Myeva e Himo mergulham na sala…

            Onde são logo emboscados por um golem, parecendo usar uma full plate mail, e com uma espécie de reservatórios nas suas costas. O combate é duro e intenso, já que quando parece que o golem está ferido, este recupera fazendo uso dos seus reservatórios, sangue saindo pela sua armadura, e quase quando os heróis estão prestes a recuarem conseguem derrotar a criatura e seguir em frente,

            Na sala acham um diário, escrito numa língua que nenhum deles consegue ler, guardam-no para o tentarem decifrar mais tarde, e prosseguem por uma passagem secreta que Morg descobriu.

            E após desactivar mais uma armadilha, encontram-se numa sala grande, a qual contém várias alavancas nas paredes, activando uma delas libertam um monstro, um boneclaw, este usando o longo alcance das suas mãos activa outra alavanca libertando outro da mesma espécie.

            E é assim que após alguns segundos a party encontra-se a lutar frente a 3 boneclaws e a 1 múmia.

            A luta é feroz e brutal, mas no fim os heróis são vencedores, que tesouros irão encontrar?

022 - Sessão XXVII a XL (09/02/2008)

Sim, sei que já há muito tempo que não dava noticias mas a campanha avança e cá vai um resumo do que se tem feito para ver se retomo a regularidade que se deseja, tanto de resumos como de mais artigos:

Após terem derrotados os monstros encontram vários tesouros, e seguiram em busca do irmão de Myeva, as pistas levaram-nos para as ruínas da cidade de Shadizar, lá após enfrentarem vários perigos, acharam um templo de Tharizdun com a ajuda de um fantasma de um guerreiro do passo, Bulywif de seu nome.

Mas não chegaram a explorar completamente o templo já que tiveram que regressar à cidade de Diamond Lake para recuperar forças, ai após uma conversa com Alusten resolveram fazer um pequeno recado para ele.

Pequeno recado que os leva a um Inn entre mundos e depois em outro mundo numa cidade destinada a morrer em 3 dias, Istar de seu nome.

Num contra-relógio os nossos heróis conseguem sair da cidade, voltando para o Inn onde encontram alguém que já não esperavam ver, o bardo Farvir Runesong, ai após um interrogatório sacam do mesmo um mapa que daria acesso a poderosas armas e artefactos perdidos, um dos quais interessa bastante a Lanarien.

Voltam a Diamond Lake, e ai descobrem que Alusten não se encontra na cidade e foi para a aldeia de Tyr, a mesma que os PC´s tinham ajudado no passado. Os nossos heróis deslocam-se para a aldeia, onde descobrem que a mesma foi atacada por um grande dragão preto, e Alusten encontra-se desaparecido, a ultima noticia que teria ido explorar a masmorra por debaixo do moinho, a mesma masmorra indicada no mapa de Farvir.

Indo na direcção do moinho são atacados pelo dragão mas numa rápida luta conseguem até facilmente derrotar o monstro e depois dedicam-se a explorar a masmorra.

A viagem não se revela nada fácil, pelo caminho, uma aranha parecendo feita de sombra viva rapta o cohort de Rafa e chantageia a party para que estes ataquem alguém que levou algo da masmorra que a aranha quer de volta.A party explora mais a masmorra sendo atacados por armadilhas e monstros, descobrem Alusten que estava sequestrado dentro de uma estranha esfera que o mantinha em animação suspensa.

Por ultimo e quando a party tenta saquear as jóias de uma estátua, eis que surge de novo a tal aranha e furiosa ataca-os, uma rápida luta depois e a aranha está morta.Mas o cohort de Rafa continua desaparecido… Ainda existem várias coisas para explorar na masmorra, onde estarão os tesouros que os poderão ajudar no futuro? Será que Lanarien irá encontrar o que anseia? O cohort de Rafa estará vivo? E o irmão de Myeva?

Para a semana há mais

Sim, é mesmo mega resumido!!!

023 - Sessão XLI (23/02/2008)

A Shadow Spider estava morta, a party ferida e a precisar de encontrar
um método para indagar do paradeiro do cohort de Rafa, assim sendo
regressam de novo à cidade de Diamond Lake levando também o seu aliado
Aluster de volta à sua casa.
Conseguem encontrar uns scrolls para ajuda-los e fazem scry e
conseguem encontrar Thormic (o cohort de Rafa) , aparentemente está
amarrado e num ambiente que parece feito de sombra, uma cópia da sala
onde a party terá enfrentado a aranha.
Só falta irem lá busca-lo, mas não tendo os meios pedem ajuda para
conseguir um scroll que os levasse (e trouxesse) ao plano de Shadow.
Como ainda iria levar alguns dias decidem voltar para debaixo do
moinho e explorar um tunel que tinham encontrado e que levaria para
uma parte superior coberta de gelo, onde já sabiam que estavam 2 ice
golems.
Ai chegados, Myeva facilmente fabricou com o seu greataxe um buraco
no gelo e rapidamente entrou preparada para a batalha, o medalhão que
usa para detectar golems também lhe dá vantagem na luta sobre os
mesmos ignorando a resistência ao dano que eles possuem.
A batalha com os golems foi curta e facilmente os pcs os derrotarem
mesmo pelo meio tendo alguns deles ficado cegos durante alguns
segundos.
O pior estava para vir...
Morg foi investigar uma sala anexa à em que estavam os golems, a
mesma tinha seis estátuas e Myeva já tinha verificado que não havia
mais golems disfarçados.
E verdade, não eram golems... Mas disfarçado como uma das estátuas
estava um inevitable, que imediatamente lançou um raio a Morg que o
deixou mais fraco, e ai a luta começou, intensa, longa, a criatura
parecia não querer cair e ao invés eram os pcs que iam ficando mais
fracos e feridos, mas duro golpe após golpe, a sua resistência foi
vencida e no fim restaram apenas os nossos heróis de pé acompanhados
das criaturas que tinham chamado para os ajudar na luta: 1 lança
animada, um lion de um bag of tricks e um small air element convocado.
Feridos, a sentirem-se mais fracos tudo indica que a party terá de
voltar à cidade para tratar das suas feridas antes de avançar no
interior do que ainda falta do complexo.
Para a semana mais se verá ;)

024 - Sessão XLII (01/03/2008)

Após a longa e dura batalha com o inevitable é hora de prosseguir na exploração do complexo.
Mas antes disso há algo urgente a resolver, pelo menos para Rafa que não esperando pelos scrolls que a party tinha encomendado para aceder ao Plane of Shadow decide ele mesmo agir, e assim pede a Kord que lhe envie um planar ally para este ir resgatar o seu cohort.
E assim acontece, chega um ser, bastante parecido com um cão de grande porte, possante e feito de sombra que se compromete a fazer a tarefa mediante um certo pagamento, pagamento esse que se torna superior quando o ser após ir ao plano de shadow volta com marcas de garras nos flancos, Rafa sem pestanejar paga e recupera o seu cohort, este está cansado, bastante desidratado mas ainda vivo e revela que onde estava haveria por lá tesouros acumulados de vários saques da Shadow Spider.
A party decide no entanto deixar isso para depois e explorar melhor o complexo.
Investigam bem as salas onde derrotaram os ice golems e o inevitable. Morg descobre uma porta secreta que dá acesso ao local onde o rio mergulha num grande fosso, o mesmo para onde Myeva foi arrastada, e parece que esse mergulho intempestivo deixou marcas na barbarian!
Mas antes de investigarem essa porta exploram uma sala anexa á qual tinham derrotado o inevitable, e esta encontra-se completamente vazia, mesmo o Morg explorando cada cm da mesma não encontra nada.
Já numa sala anexa á qual tinham derrotado os ice golems descobrem que essa tem as paredes cobertas de gelo e a temperatura é bem reduzida, para além disso o chão parece coberto de neve e como a Myeva e o Rafa descobrem, a neve é funda.
Mas antes Himo tinha entrado e apesar de um bocado ferido pelo frio intenso sente o espirito fresco e preparado para novas lutas.
Já o mesmo não aconteceu a Rafa e a Myeva, que para além de sentirem e bem o frio intenso sentem-se mais desanimados.
De realçar que Myeva só mergulhou para a neve porque Rafa decidiu mergulhar de cabeça e lá foi a orc salvar o anão!
Após isso só restava à party continuarem e explorarem o tal fosso, para descansarem Myeva, esta vai a voar juntamente com Lanarien, Himo e Ravhin, já Rafa, o seu cohort e Morg são colocados num bag of holding, a barbarian parece ter desenvolvido uma profunda aversão a água, será a unica coisa que faz Myeva tremer de medo?
Juntos os quatro mergulham no fosso e após descerem por alguns segundos são atacados por 6 seres, wind warriors, mas a party facilmente os derrota e nem é preciso tirarem Rafa ou Morg de dentro do bag of holding.
Continuando a explorar o fosso descobrem umas escadas que dão acesso a aparentemente nada.. apenas rocha, mas Morg explora e descobre mais uma entrada secreta, a mesma dá para uma sala bem trabalhada e dominada por duas gigantescas portas, cada um com 50 feet de altura e 15 de largura.
Ambas têm runas e aviso para não entrarem no túmulo de Icosiol, Wind Duq of Aaqa.
Himo e Lanarien conseguem aproximar-se e estudar as portas, mas para os restantes membros da party só com muita força de vontade é que se aproximam e mesmo assim face às portas sentem-se mais desleixados, mais fracos.
Após estudarem bastante as portas não conseguem abri-las e acham que a chave para isso poderá estar ainda mais fundo no complexo, por isso e após descansarem (usando para tal uma casa fabricada por um spell de Lanarien) continuam a descida pelo fosso seguindo o rumo das águas.
N a mente de todos estará um possivel necromancer que poderá andar por ali acompanhado de vários undeads.
E eis que quando o rio acaba no que parece ser um deposito bem profundo (Himo foi explora-lo mas após mergulhar vários feats desistiu) , resta à party prosseguir por um tunel que dará para uma caverna onde na mesma nota-se uma luz amarela.
Nesta mesma caverna encontram-se alguém que se denomina como sendo um Marques e está acompanhado de duas criaturas que a party reconhece como sendo morghs, uma especie de undeads.
O Marques estará na posse do que a party procura, um livro que a party acha que será a chave para passar pelas gigantescas portas.
Um diálogo desenrola-se e sem mostrar qualquer problema o Marques cede o livro à party e passando por eles põe-se a si e aos morghs a voar e segue por onde a party tinha vindo.
Himo agarra o livro ou melhor a escultura de um livro feita de metal, na capa o simbolo de Law bem inscrito.
Voltam então às gigantescas portas e lá Himo sente na mente 3 palavras a formarem-se, entoando as mesmas eis que as portas abrem-se sem qualquer ruido como se de penas se tratarem-se.
Para além das portas uma sala com várias colunas de várias alturas e tamanhos, no fundo da sala uma pequena plataforma e novamente duas gigantes portas. Não é visivel o chão da sala, o mesmo parece feito de nuvens obscurando a visão.
Por toda a sala sobra um vento e ouve-se ruido como de uma gigantesta tempestade.
Aos poucos a party vai entrando na sala aproveitando o facto de ainda estarem todos a voar, Himo carrega Lanarien não vá haver algo que anule o efeito de voo, Myeva salta para a primeira coluna e depois novamente para a proxima.
Ravhin entra a voar na sala mantendo-se a pairar por cima de Myeva, enquanto Rafa, o seu cohort e Morg permanecem ainda fora da sala, e eis que....
Surgem das nuvens dois enormes air elementals e....

Para a semana há mais....