Grandes Épicos que Merecem ser Vistos por quem Gosta de RPG

Há alguns filmes que merecem ser vistos por quem gosta de RPG, e o melhor é que são facilmente encontráveis nos video clubes ou mesmo podem ser adquiridos por um preço muito camarada nas grandes superfícies comerciais (eu sou da opinião que se o preço é bom não vale a pena piratear).

Um deles é Ring of the Nibelungs(2004) cujo título foi muitíssimo bem traduzido como O Reino do Anel numa clara tentativa de associação com O Senhor dos Aneis. O que grande parte das pessoas não sabe é que realmente há uma forte relação entre esta lenda e este último filme já que serviu como uma das fontes de inspiração para Tolkien ao escrevê-lo.
É uma lenda antiquíssma, nórdica, como tudo o que tem direito. Conta a história de um tesouro amaldiçoado por Loki, um dragão que é seu guardião, um guerreiro que se atreve a conquistar todas estas riquezas e, como não poderia deixar de ser, uma espada mística e uma belíssima rainha que acaba na cama do herói. Eu pelo menos trocava umas quantas moedas de ouro pela Kristana Loken - Quem consegue se esquecer daquela bunda branca no Terminator III(2003).
O grande problema do filme é que o director resolver seriá-lo, mesmo à Senhor dos Anéis(2001) mas até agora não há nenhuma sequela prevista.

Outro é a trilogia do Senhor dos Anéis(2001) mas não vou comentá-la por que não creio que haja algum jogador de RPG - pelo menos que faça algo para justificar ser chamado assim - que não tenha visto o filme. Digo o mesmo, embora este seja mais controverso, da trilogia Matrix(1999).

Outro desconhecido que merece ser devorado por todos os jogadores é o telefilme - digo telefilme porque este foi feito para televisão - Merlin(1998). Merlin é espectacular e a melhor caracterização de um mago de AD&D que já vi. Apesar de não haver conceitos tão obscuros como tenho que memorizar 3 magias por dia, o mago comporta-se exactamente como uma personagem deste jogo.
Além disso o filme foge um pouco da temática Rei Artur, centrando-se totalmente na figura deste mago e na forma como ele luta contra sua arqui-inimiga e ao mesmo tempo mãe, a Rainha Mab, uma Shide muitíssimo poderosa.
Vale muitíssimo a pena ser visto.

Recentemente revi três versões da famosíssima lenda de Grendell - leia-se Beowulf - cada uma delas abordada de uma forma completamente diferente e original e as três muitíssimo bem sucedidas.

Beowulf (1999)
Esta é com um dos meus actores preferidos, Christopher Lambert com seu sorriso sarcástico e seu eterno papel de Highlander - já falamos deste filme. Nesta adaptação o cenário é uma mistura de medieval e pós-apocalíptico em que Beowulf, intrepretado por Lambert, vai a um castelo para livrar os catelões do ogro Grendell.
Eu gostei muito do filme embora tenha a noção de que esta não será uma opinião unânime.

The 13th Viking (1999)
O livro é espectacular... o filme é bom mas poderia ter sido melhor se tivesse sido mais fiel ao livro. É uma versão desmistificada da lenda em que vemos um what if sobre os factos que poderiam ter dado origem a lenda.
O árabe interpretado por António Bandeiras está óptimo e dá um colorido lindo ao filme.

Beowulf & Grendel (2005)
Este sim é um clássico mas é difícil encontrar ainda por aqui. A lenda está retratado com primazia e os actores estão espectaculares. Tenho certeza de que este vai agradar a gregos e a troianos.

Falo também do Highlander(1986). Mas não me vou aprofundar por que, bem, quem não viu Highlander? É como falar de Star Wars (1977), quem não viu que seja queimado vivo nas fogueiras da inquisição.

Coloco aqui na lenha Vercingétorix(2001) também conhecido como Druids é um grande filme francês que conta a história de um dos mais famosos celtas da história que consegui vencer as legiões romanas com pesadas derrotas.
Ele foi conhecido por usar uma táctica impressionante em que destruiu os campos de comida dos próprios celtas para impedir os invasores de conseguirem alimentos. Se este filme tivesse sido feito pelos americanos teria um impacto tão grande quanto Braveheart(1995) - que também merece constar nesta lista - mas como foi francês passou muito ao lado dos blockbusters.

Mas vou aproveitar para falar do grande clássico Conan, The Barbarian(1982). Maravilhoso! Uma banda sonora que ganhou um óscar e que é simplesmente divina. O filme está espectacular... nem consigo imaginá-lo como seria com os efeitos especiais de hoje em dia. Vale a pena ver.
Sua sequela foi péssima mas estou até hoje a espera de ver Conan tornar-se rei, um sonho que não é só desta personagem mas de todos os seus fãs.

Extendendo meu pensamento muito para o passado encontro Excalibur(1981), talvez o primeiro grande filme de fantasia a ter sido feito. Marcou uma época entre os jogadores de RPG e toda a gente da fase mais antiga o viu. Hoje acho que marcou mais por ser o primeiro do que propriamente por sua qualidade.
Foi mais ou menos como Dungeons & Dragons(2000) de que se esperava muito mas eventualmente alguma coisa perdeu-se pelo caminho. Apesar disso merece ser visto afinal é Dungeons & Dragons.

Entrando em uma temática mais obscura vou acrescentar The Resurrected (1992), uma maravilhosa adaptação de The Case of Charles Dexter Ward, do Lovecraft e Dagon(2001) que, apesar do título, não é uma adaptação do conto Dagon do mesmo autor mas sim do conto The Shadow of Innsmouth. Só posso dizer que estes devem ser vistos...

Vou terminar com um grande filme que passou muito ao largo de grande parte dos jogadores. Dark City(1998) é um filme fora do comum. Com uma temática noir, sobrenatural e muita coisa que vale a pena. Veja este filme e perceba o que eu quero dizer.

Eduardo Fernandes Café

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Brilhante a tua

Brilhante a tua aproximação aos filmes a rever; gostaria só de acrescentar aí três que acho merecerem a pena:

Cthulhu, com a Tori Spelling para o bem e para o mal, mais ou menos baseado no Shadow over Insmouth
D&D: wrath of the dragon god, muito melhor que o 1º, apesar de com muito menos efeitos especiais
Krull, filme inglês com vários actores que se tornariam estrelas (tipo Liam Neeson)

Tenho certeza que outros apontarão filmes como The Princess Bride, por exemplo...

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogador

Como pude me esquecer de

Como pude me esquecer de Krull?!?!?!?!?!?
Lamentável!!!!
Por falar nisso vi-o a vender na Worten por 7,50€

Eduardo Fernandes Café

Rui wrote: Cthulhu, com a

Rui escreveu:

Cthulhu, com a Tori Spelling para o bem e para o mal, mais ou menos baseado no Shadow over Insmouth

O meu conselho para todos os aficionados de Cthulhu (apesar de já nos estarmos a desviar do tópico principal que são os épicos) é: NÃO SE APROXIMEM DE NENHUMA DAS ADAPTAÇÕES DE LOVECRAFT excepto - O Soro Maléfico (Re-animator) e o mais fraquinho The Resurrected (não me ocorre o título em Português).

O primeiro é a adaptação da história com o mesmo nome e é considerada a melhor adaptação até hoje de qualquer história do Lovecraft (quem leu a história original sabe bem a que me refiro), apesar do "gore", das cenas de cariz sexual (vem-me à cabeça a imagem da cabeça decepada a tentar um cuninlingus) e o final brutal. The Resurrected é uma adaptação de The Case of Charles Dexter Ward e é standard apesar de não envergonhar ninguém.

Agora tudo o que meta elementos do Mythos (In The Mouth of Madness, From Beyond, Dagon, Lurking Fear, etc, etc, etc) é de fugir não venha o Lovecraft da campa comer-vos os cérebros por serdes blasfemos ao ponto de adorarem esses filmes. Laughing

Dagon

"Dwarin" escreveu:
"Rui" escreveu:

Cthulhu, com a Tori Spelling para o bem e para o mal, mais ou menos baseado no Shadow over Insmouth

O meu conselho para todos os aficionados de Cthulhu (apesar de já nos estarmos a desviar do tópico principal que são os épicos) é: NÃO SE APROXIMEM DE NENHUMA DAS ADAPTAÇÕES DE LOVECRAFT excepto - O Soro Maléfico (Re-animator) e o mais fraquinho The Resurrected (não me ocorre o título em Português).

Houve uma adaptação americano-espanhola do Shadow over Insmouth que eu gostei, chamado "Dagon". Uns velejadores americanos afundavam-se na vila Chilena de Imboca (hehe) e a partir daí seguia o original e estava fixe! É do gajo que fez o Re-animator (Stuart Gordon).

JP

efernandes wrote: Mas vou

efernandes escreveu:

Mas vou aproveitar para falar do grande clássico Conan, The Barbarian(1982). Maravilhoso! Uma banda sonora que ganhou um óscar e que é simplesmente divina. O filme está espectacular... nem consigo imaginá-lo como seria com os efeitos especiais de hoje em dia. Vale a pena ver.

Só uma correcção. O vencedor do Óscar de Melhor Banda Sonora nesse ano foi o E.T. O pobre do Conan nem sequer foi nomeado apesar de ter uma banda sonora espectacular. De resto, concordo com o dizes sobre o filme, embora pense que o filme está perfeito como está e são precisamente os efeitos da época um dos elementos que mais "charme" lhe dá. Por vezes o efeitos por computador reduzem a qualidade em vez de a melhorar.

Bem... falha minha. Pensava

Bem... falha minha.
Pensava que tinha ganho...

Eduardo Fernandes Café

Cabecinhas ...

Então e o Willow - Na Terra da Magia? e o velhinho Neverending Story?

O primeiro até hobbits tem ;) E o segundo é uma fantasia simpática, mas boa fantasia.

 Ahhhh...e As Crónicas de Narnia? Bolas...tanto filme :)

Willow merece estar na

Willow merece estar na lista!
Agora, para mim, nem Neverending Story, nem Labirinto fazem por onde...

Eduardo Fernandes Café

efernandes wrote: Willow

efernandes escreveu:

Willow merece estar na lista!

Substituam o bébé por um anel, a rainha má pelo Sauron, os anões por Hobbits e a velha feiticeira pelo Gandalf e está ali o Senhor dos Anéis. Hollywood no seu pior em rip-off mode.

Mas como é que vocês se

Mas como é que vocês se podem esquecer de Dune (1984)? Ok, não é fantasia, mas facilmente se pode transladar uma historia daquelas para qualquer campanha medieval. Muitas vezes pensei eu em por os jogadores num deserto, atirar-lhes Sandworms para cima e dar-lhes a conhecer os Fremen que querem deitar o poder vigente abaixo com o pode do deserto.

Outro dia vi também um telefilme chamado Minotaur (2005) feito pelo Sci-fi Channel. É uma reconstituição da historia do minotauro de Minos, e assenta mais no genero de survival-horror.


Light allows us to see, Darkness forces us to create...

 

Já agora tem um outro -

Já agora tem um outro - cujo título esqueci - que fala de um heroi grego (acho que perseu) que ganha um escudo, uma espada e uma coruja mecanica e usa a cabeça da medusa para vencer um dos titãs.

Eduardo Fernandes Café

Esse é o Choque de Titãs

Esse é o Choque de Titãs (1981).

Outras referências

Faltou também a referência sempre boa ao Masters of the Universe :) e há também o Dinotopia, entre muitos outros menos conhecidos que mereciam uma referência mas nem eu nem ninguém se lembra neste momento, com certeza.

---
Sérgio
Draconus Dictum - Roleplay, diários de campanha, comentários e não só.

Ainda outro dia vi outro

Ainda outro dia vi outro filme que se impõe na cena da fantasia: Earthsea. É um telefilme do Sci-Fi Channel, e até o ver só tinha ouvido más criticas, mas fiquei agradavelmente surpreendido com o resultado final. Ordens de magia, reis corruptos com o poder, uma trama do fim do mundo. Ah, e tem o Danny Glover (sim, o da Arma Mortifera) a fazer de velho mago sábio. Gostei muito, espreitem quando puderem.


Light allows us to see, Darkness forces us to create...

Tales of the Earthsea

A ver uma versão desenho animado da saga Earthsea produzida pelos japoneses Estúdios Ghibli  (os mesmos de Viagem de Chihiro, Princesa Mononoke, Porco Rosso, O Vale dos Guerreiros do Vento, etc.) e realizado pelo filho do Hayao Miyazaki. 

"Se alguma vez sou coerente, é apenas como incoerência saída da incoerência." Fernando Pessoa

sopadorpg.wordpress.com - Um roleplayer entre Setúbal e Almeirim
Ludonautas Podcast - Viajando, sem nos movermos, pelos mundos do RPG

A única questão é que

A única questão é que mesmo para ver para quem NÂO leu o livro senão leva com cada choque....

A quatrilogia de EarthSea é

A quatrilogia de EarthSea é maravilhosa. Uursula K Le Guinle passou a figurar nos meus escritores preferidos deste esta série.
Entretanto os filmes são podres. Péssimamente adaptados com gosto de filme de sessão da tarde da RPT2 de domingo chuvoso quando estamos sem dinheiro e com o carro avariado.
Sinceramente leiam o livro mas não vejam o filme.

Eduardo Fernandes Café

Eu vi o filme e não

Eu vi o filme e não desgostei. Sabia á partida que não era uma grande produção por isso não esperei ver o melhor filme de fantasia de todo o sempre. Divertiu-me o suficiente, se bem que se notava claramente que era uma adaptação de livros para cinema. Havia muitos saltos na historia, muitas cenas em que se notava que o importante era a luta interior das personagens, ou seja, muitos traços literarios que não se conseguem passar tão bem para cinema. Reparei no nome da autora no final e fiquei curioso de espreitar um pouco o mundo. Talvez um dia destes compre o inicio da saga e comece a ler. De qualquer das formas, o filme atiçou-me o apetite.


Light allows us to see, Darkness forces us to create...

Aproveite agora por que é

Aproveite agora por que é possível encontrar estes livros em época de feira do livro por uns 6€ cada um. Vale mesmo a pena.
Eles são tipo aqueles livros infantis.

Eduardo Fernandes Café