Jogos novos em Março 2019

Jogos que joguei pela primeira vez em Março 2019:

La Stanza

O novo título da dupla Soledade / Sentieiro irá ser publicado ainda este ano.

Pude testar um protótipo em fase final na LeiriaCon e a experiência foi boa. Não é um jogo super surpreendente mas traz algumas ideias engraçadas numa mistura entre Rondel e Alocação de trabalhadores com um bocadinho de Colecção de Conjuntos e Gestão de Mão.

Lowlands

Não tinha lido nada sobre este título até surgir a oportunidade de o experimentar na LeiraCon.

É um interessante semi-cooperativo em que os jogadores podem ter maior ou menor interesse em evitar a catátrofe que ameaça todos conforme investem mais num ou noutro tipo de estratégia. Se se esforçarem por fazer com que os diques impeçam inundações, poderão vir a lucrar mais caso tenham contribuído para tal mais que os adversários, mas também podem optar por maximizar os ganhos antes das inundações desde que não se deixem ficar muito para trás nas contribuições para o bem comum.

Talvez tenha sido dos jogos que melhor lida com os problemas de jogos semi-cooperativos.

Duas boas experiências.

E vocês, o que jogaram pela primeira vez neste mês?

P.S.: - Podem visitar o site de ferramentas do Grimwold onde será relativamente fácil recolherem a lista. Gera código formatado para o BGG mas dá para aproveitar.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Novidades

Não joguei nenhum deles. Vão ficar under the radar☺

PedroV

Este mês de março foi o mês

Este mês de março foi o mês em que mais joguei... e nem registei os jogos que fiz com o meu filho mais novo :)

Dos 26 jogos diferentes que joguei, 9 foram-no pela primeira vez. A maior parte deles, jogos de duração relativamente curta.

Para não falar sobre todos, ficam aqui dois escolhidos mais ou menos à sorte.

The Mind

Andava muito curioso e até já tinha lido as regras, mas nunca tinha conseguido experimentá-lo. Consegui-o fazer com a minha companheira e com a minha filha e achei-o muito interessante. Penso que é daqueles jogos que melhor transportam muitos dos conceitos dos desportos de equipa para os boardgames. Como o Hanabi, uma equipa vai treinando (jogando) até conseguir optimizar o seu desempenho.

Este é daqueles jogos que adoraria experimentar dividindo uma turma de miúdos em várias equipas e vê-los a tentarem chegar o mais longe possível.

Grasse

Joguei-o no Leiria Con após convite e achei um jogo com algumas qualidades. Os componentes, inserts e a caixa são excelentes mas sem exagerarem nos pormenores como se vê agora em muitas miniaturas de jogos de tabuleiro. Gostei da duração (+- 1 hora) já que não foi muito para um jogo de alocação de trabalhadores, set collection e outras mecânicas que não sei enumerar. 

No entanto reconheço que corre o risco sério de cair no meu esquecimento, provavelmente por ser uma temática que não me desperte a atenção (perfumes).

Devo agradecer a explicação muito atenciosa do brasileiro Renato, que tornou a experiência muito agradável.

Novos jogos este mês:

Alguns dos novos jogos que joguei este mês:

Wingspan


Um jogo com muito "hype", um dos primeiros que joguei na LeiriaCon. Os componentes são mesmo muito bons, ou não fosse um jogo da Stonemaier Games.

O Wingspan é bastante interessante e, embora não creio que se justifique o "hype", é um jogo que recomendo pois vale a experiencia e a descoberta de novas formas de fazer pontos. Trata-se dum jogo onde vamos albergar vários passáros e respectivos ovos e comida.

É igualmente interessante saber que todos os passáros estão correctos de forma científica.

Chronicles of Crime

Que dizer sobre este jogo? Joguei os cinco cenários do jogo base na LeiriaCon... nunca antes havia jogado tanto um jogo numa convenção.

Curiosamente achei que gostaria bem mais do Detective (que ainda não tive oportunidade de jogar) e que este era uma espécie de parente pobre... estava enganado.

Gostei imenso!!! Não sou fã de jogos que se integram com app's mas se forem como o Chronicles of Crime certamente mudarei de opinião.

O jogo é bastante interessante e requer grande atenção a pormenores, as acções que tomamos e a respectiva ordem afectam o resultado. 

Fico à espera de conseguir experimentar outros cenários, nomeadamente os das novas expansões, mas penso experimentar também novos "caminhos" nos que já joguei. 

Smartphone Inc.

Joguei o Smartphone Inc na LeiriaCon a quatro jogadores pela primeira vez.

Gostei bastante do jogo, o conceito é interessante e a forma de jogar apresenta algumas mecânicas algo inovadoras. 

Só não fiquei totalmente convencido de que escalasse bem, parece ser um jogo que funciona melhor a cinco jogadores, no entanto, preciso de jogá-lo mais para perceber isso.

Just One

Mais um party game que joguei pela primeira vez em Março. Já o tinha visto jogar e até já tinha mandado alguns bitaites mas jogá-lo é mesmo outra coisa.

Um jogo com regras muito simples e imensamente divertidíssimo! É talvez um dos melhores party games que joguei nos últimos anos.

Vale mesmo a pena experimentar e espero ter oportunidade de o jogar mais vezes.

Res Publica

Um jogo de negociação fechada bastante interessante. A negociação fechada atrapalhou-me um pouco mas gostei bastante do jogo.

Basicamente estamos a trocar cartas entre nós para fazer sets mas a negociação é mesmo do melhor. Espero ter opotunidade de o jogar novamente. 

Burgle Bros.

O Burgle Bros estava na minha wishlist desde que vi um vídeo sobre o jogo. Despertou-me bastante curiosidade e sempre achei que seria um jogo cooperativo de que iria gostar. E gostei mesmo muito, se antes estava na wishlist agora está como must-have.

A caixa do jogo é bastante pequena mas o jogo é enorme, e em vários sentidos... trata-se de um grande jogo e ocupa imenso espaço de mesa.

É um cooperativo simples, desafiante e difícil, jogado com as pessoas correctas (sem alpha-player) pode ser uma grande experiência. Também pode ser jogado a solo.

 

Novidades de Março

O mês de Março foi mês de LeiriaCon, e como tal, mês de experimentar mais jogos novos do que o habitual. Fica aqui a lista com opiniões rápidas.

Consegui experimentar Root como deve ser, isto é, jogando quatro vezes, cada uma com uma facção diferente (três vezes nos encontros de Coimbra, uma na LeiriaCon). Se as primeiras duas vezes me deixaram decepcionado, a partir da terceira a coisa começou a brilhar, e a quarta vez já foi uma grande partida, com quatro facções equilibradas, e um jogo que nos deixou tensos com um final em todos estavam à beira de ganhar. No entanto, e apesar de ter gostado desta última experiência, em vez de querer jogar mais Root, tenho mais vontade é de pegar naquele COIN que tenho ali na estante à espera de ser jogado...

O primeiro jogo na LeiriaCon foi recomendação do Costa - pude experimentar o Underwater Cities. Não o acabámos por falta de tempo, e porque uma má interpretação das regras fez com que um dos jogadores ficasse com larga vantagem sobre os outros. Mesmo assim gostei da experiência. Discordo das comparações com Terraforming Mars, acho que mecanicamente o jogo vale por si. Aliás, até acho que seria melhor se tivesse copiado um dos aspectos do TM, que era ter uma área de construção maior e comum a todos, em vez de áreas individuais. Não deu para ver muito já que infelizmente só consegui fazer as três primeiras rondas e uma fase de produção, porque logo a seguir tinha marcado um...

Que jogaço. Diferente de quase tudo o que joguei antes, apesar de à partida ser um simples motor de dinheiro para comprar pontos de vitória - a maneira como esse motor trabalha é que faz o jogo brilhar. Excelente para negociação, já que é muito difícil alguém conseguir ter um mercado só para si, há que colaborar, aceitar perdas, gerir bem os apertadíssimos recursos iniciais. Quero definitivamente jogar isto outra vez.  

Durante a LeiriaCon, para preencher os espaços entre algo maior, peguei neste. Três partidas de Railroad Ink: Deep Blue Edition deu para explorar o suficiente o jogo. Bom "Roland Wright", simples e bom puzzle. Ainda prefiro o Welcome To... a este, mas anda lá perto. 

 


Cruzo-me tanta vez com o Metropolys nas lojas online, sempre a preços ridiculamente baixos, que não lhe dei a atenção devida. Mas após alguém me chamar a atenção que o jogo não era nada mau, no fim da noite de Sexta em que procurávamos algo mais ligeiro para acabar a noite lá me lembrei deste. E afinal o raio do jogo, apesar de não ser muito bonito (ou mesmo graficamente útil), até é bastante bom. Gosto muito da celeridade das rondas, da forma como se pontua, da maneira como se realizam os leilões... Não deslumbra, mas o que faz, faz muito bem. Da próxima vez que o encontrar a 5 ou 10 paus em 2020, já não vou hesitar.


Fui "arrastado" para um Fields of Arle por um amigo fanático do Rosenberg. Como vários jogos deles, é um agradável exercício de eficiência, mas pareceu-me sempre que havia muita escolha, logo muita liberdade e pouquíssima interecção (um jogo para dois jogadores precisa de mais, na minha opinião). Gosto dos meus Rosenbergs mais apertados e aflitivos.  

Um dia depois do An Infamous Traffic, mais um jogo do Cole Wherle, e posso então dizer que sou fã e vou estar muito atento ao que sai deste designer. Certamente a minha melhor experiência na LeiriaCon, graças em parte também ao excelente grupo com quem estava a jogar. E joguei horrivelmente! Muito mais simples do que me parecia, embora a estratégia pareça opaca a princípio. O forte é mesmo as negociatas, as traições, a gestão danosa para proveito da família mesmo nas barbas do resto da Companhia! Também não me pareceu tão caótico como mo descreveram, acho que teve a dose certa. E nunca mais vou esquecer "aquele" rolar de dado do Carlos Paiva (adv666). 

Não estava a contar mas acabei por jogar Wingspan duas vezes. Percebo o hype - é bonito, fácil, desafia qb, e dá para fazer umas combinações engraçadas. Não gostei tanto da aleatoridade dos objectivos da ronda, mas o jogo é rápido o suficiente para quase mitigar isso. É um bom título para abrir ou fechar uma noite de jogos, mas nunca seria o prato principal para gamers, e ainda tenho algumas dúvidas quanto à sua longevidade (acho que será inevitável o aparecimento de várias expansões a curto/médio prazo).


O Container era daqueles que já queria experimentar há muito tempo. É um jogo muito sui generis, que apesar de parecer temático, assim que entramos nele logo vemos o exercício de matemática abstrato que na verdade é. Assim que colocarmos a aparente falta de lógica do "tema" de parte, é uma belíssima experiência de cálculo, risco e até alguma facada.   

https://boardgamegeek.com/boardgame/250458/gugng

Assim que cheguei à LeiriaCon, a primeira coisa que fiz foi tentar ajudar o 5ergion a aprender o Gùgōng, um dos jogos que tinha na minha "playlist". Acabou por ser mesmo o último jogo do evento para mim, mas valeu a pena a espera. Se os jogos do Cole Wherle foram as melhores experiências da LeiriaCon, este (e talvez o Underwater Cities, embora não tenha feito um jogo completo) foi para mim o melhor jogo, no sentido de mecânicamente sólido, simples de jogar mas com decisões importantes, equilibradamente competitivo, com vários caminhos para a vitória... O pacote completo. E ter jogado a versão deluxe também não deve ter feito mal.

 

Depois do Root, o Noria foi a minha única nova experiência de Março fora da LeiriaCon. Acho que o jogo começa bem, ao princípio é preciso puxar pelos miolos para fazer aquela roda agir como queremos, escolher bem o timing para produzir e para valorizar ou desvalorizar certos recursos. Mas à medida que o jogo vai avançando, a roda fica muito poderosa ao ponto de termos sempre alguma coisa para fazer, ao passo que no tabuleiro as opções tornam-se quase inexistentes, o que torna o último terço do jogo num exercicío repetitivo sem grande espaço de decisão. 

Vamos ver o que traz Abril!

Criar Grupo?

Este tópico resulta da minha decisão de mudar os meus posts habituais numa série de Geek Lists dedicadas ao tópico para aqui para o Abre o Jogo.

Será que vale a pena criar um grupo de discussão aqui com esse objectivo? Ou ir criando tópicos neste fórum uma vez por mês em que a malta depois responde, como foi este caso?

O grupo teria a vantagem de agregar os tópicos todos mas pode reduzir um pouco a visibilidade...

Que vos parece?

-

Gamer profile

Na minha opinião acho que

Na minha opinião acho que deves fazer as duas coisas. Todos os meses abrir um novo tópico (ou tópicos), mas estarem todos agregados num grupo. O grupo serviria mais para ser fácil consultar os tópicos dos meses anteriores.

Grupo criado

Já criei o grupo:

Jogos novos do mês

Vou criar um tópico para Abril de 2019 e depois poderemos colocar aí as nossas listas.

Assim, se quiserem podem criar a resposta e depois ir editando conforme jogam coisas novas.

Ou então esperar pelo final do mês para fazer a lista toda de uma vez.

_

-

Gamer profile