Mythos - Jogo de Narração Épica

Retrato de jrmariano

Mythos é um Jogo de Narração Épica que pretende facilitar a criação de histórias épicas e personagens heróicos segundo a perspectiva clássica e literária da Antiga Grécia e recorrendo a uma mecânica simplista e acessível que premeia a narração de conflitos onde os personagens têm que fazer escolhas significativas com consequências irreversíveis.

A sua estrutura é baseada na mais pequena unidade narrativa, a sequência, pois qualquer narrativa é composta de sequências que se revelam como uma espécie de pequenos ciclos que os ouvintes reconhecem facilmente. A sucessão destas unidades e o seu efeito sobre o personagem levam a um crescimento do herói  totalmente baseado na mudança que se lhe opera, resultado das consequências das escolhas que teve de tomar durante um conflito, mas, decidida, dependendo de quem ganha o conflito, pelo narrador ou pelo jogador deste personagem. Este jogo é assim baseado no poder que as narrações das escolhas, quer providenciadas pelo jogador ou pelo Narrador, têm sobre a história que em conjunto pretendem contar. A história é essencialmente constituída por um número incerto de conflitos suficientes para a realização das fases da história.

O jogo também é em grande parte influenciado pela tradição oral dos poemas Homéricos, pelos temas que estes tentaram abordar e pelas características do homem grego que  por este meio eram exaltados. É também construído tendo em conta as convenções do épico ou seja, por exemplo, o uso de epítetos para descrever os heróis, o facto de a história começar in media res e existirem influências sobrenaturais exteriores à história.

Qualquer pessoa que estiver interessada pode comentar ou até alterar o texto tendo a vista a sua melhoria e clareza.

Pretendo um dia fazer algo muito específico com este sistema por isso considero a sua publicação como eventual.

Agradeço desde já a todos os colaboradores deste site que em muito me ajudaram a começar este projecto.

Divirtam-se e joguem muito!,

João Mariano

Mythos © João Mariano