Jogos Novos para vós em Maio 2019

Retrato de Mallgur

Coloquem em resposta um tópico com os jogos novos que experimentaram em Maio e as vossas impressões sobre os mesmos.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Este mês experimentei o Vast:

Este mês experimentei o Vast: The Crystal Caverns.

O jogo é muito engraçado mas percebo porque não teve o mesmo apelo que o Root. 

Sem uma base comum nas regras dos jogadores, é dificil perceber o que devíamos estar a fazer ou quem está a ganhar.

É preciso jogar múltiplas vezes com uma facção para a compreender, e outras múltiplas com as outras todas para perceber como interagem.

Novos em Maio de 2019


Spirit Island

Nunca tinha ouvido falar do jogo e por isso fiquei admirado com a segunda posição no top 100 de 2018 dos jogos a solo (link). Li uns bitaites e passei-o, de forma algo tímida, para a minha wishlist quando me apercebi que tinha bastante rejogabilidade jogado a solo bem como proporcionava um desafio interessante em modo cooperativo. Num devaneio lá o comprei e ficou uns bons dias fechado lá em casa e até cheguei a perguntar-me se não o deveria vender.. aquela coisa de "já começo a ter demasiados jogos".
Mas lá acabei por abrir e por aprender as regras com a ajuda do youtube. Joguei em solo algumas vezes, perdi sempre e.. adorei o jogo.
Joguei com mais 3 pessoas, demorou mais de 3 horas, perdemos e... adoramos.
Voltei a jogar a solo e lá comecei a ganhar.
E agora que me apercebi que falhei numa das regras (tinha-me esquecido de utilizar uma vantagem dos personagens), ainda mais vontade tenho de jogar :)
É daqueles jogos que facilmente vai chegar à barreira psicológica das 20 jogatanas. O tal ponto em que considero que o jogo já valeu o valor investido.


Samara

Jogar em Viana tem destas (boas) coisas, jogar jogos que são uns ilustres desconhecidos. O Samara tinha tudo para ser um jogo interessante e relativamente leve. A mecânica de colocação dos trabalhadores e da passagem do tempo está simples, eficaz e com uma certa graciosidade. No entanto acho que quiseram colocar tantas regritas e características diferentes nos edifícios que simplesmente mataram o jogo. Um jogo que decididamente se esqueceram do princípio KISS.

3 novos jogos para mim este mês


Joguei pela primeira vez este mês o Flatline e joguei-o por diversas vezes. Gosto imenso do FUSE, um jogo simples e ao mesmo tempo stressante de dados.
O Flatline é no mesmo ambiente do FUSE mas com mais, muito mais coisas e escolhas.
Certamente não será um jogo que irei jogar em todas as ocasiões como o FUSE mas irei jogá-lo mais vezes. 


O Tobago é um jogo já com vários anos mas o qual nunca tive oportunidade de jogar até à RiaCon deste ano e, ainda assim, acabei por o jogar quase por acaso.
Em conversa iamos procurar jogar o Cryptid, que já tinha jogado e ia apresentar a outros jogadores, mas não estava disponível, pelo que me acabaram por apresentar outro jogo de dedução que seria similar. De facto o Tobago e o Cryptid têm imensas parecenças mas são jogos de dedução diferentes. Há lugar para os dois e gostei tanto de ambos que sempre que se apresentar a oportunidade de os jogar certamente o irei fazer.


Gosto muito do Pandemic normal, para o qual também possuo a primeira expansão (On the Brink - No limite). Entrei no Pandemic Iberia a pensar que seria muito parecido e como tal só com uma capa/temática diferente. Pois enganei-me... efectivamente o Pandemic Iberia é muito idêntico ao normal e quem sabe jogar um consegue jogar o outro.
Mas o Pandemic Iberia tem uma diferença fundamental que muda imenso a forma de jogar Pandemic... estamos em 1848 não há voos, portanto a forma de viajar é bem diferente e mais desafiante. Aliás o Pandemic Iberia apresenta um desafio diferente do normal, em parte, é um jogo mais para "gamers" (jogadores mais experientes).
Gostei bastante e tentarei jogá-lo mais vezes. O facto de este jogo ser diferente também me despertou a curiosidade de espreitar outros jogos da série Pandemic que anteriormente imaginava como cópias baratas do normal. 

Circo de Meeples

Meeple Circus - 1 partida
Publicado: 2017

É um jogo simples de destreza com uma temática engraçada e um aspecto visual divertido. Combinado com a app que fornece música temática como timer para as duas primeiras fases fica ainda melhor.

Comprei este a um utilizador que o leiloou por aqui a pensar que seria adequado à ludoteca que estou a construir aos poucos para a minha filha. Este terá que ficar por lá uns anos até que ela esteja apta a jogá-lo como deve ser. Dará para ir brincando com as peças e tal até lá. Os meeples são pequenos e o jogo até tem algumas opções tácticas que o tornam pouco adequado a uma criança tão pequena...

Mas a mãe gostou de o jogar, eu também, e penso que voltaremos a levá-lo à mesa com facilidade em encontros com amigos em que haja espaço para uns minutos de diversão simples.

Dungeon Monsters - 1 partida

Publicado: 2012

Existe um jogo tipo "climbing game" por aí que dá por vários nomes como "Everyone is always the asshole", ou "Olho do cú" por cá, que eu nunca joguei, embora conheça as regras e isso seja suficiente para perceber que não é grande coisa.

Este é uma variante desse e vi-me envolvido numa partida um pouco por acaso no intervalo entre outros jogos...

Não é grande coisa, de facto.

 

-

Gamer profile