Jogos estreados há um ano. Aguentaram-se? - Novembro 2019

Retrato de Mallgur

Que jogos jogaram pela primeira vez há um ano?
Aguentaram-se e voltaram à mesa ou cairam no esquecimento?

Coloquem aqui em resposta a este tópico a vossa opinião sobre os jogos que experimentaram pela primeira vez há um ano.

Como sempre neste grupo, as ferramentas do Grimwold são uma grande ajuda.
 

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Viciousness isn't just a strategy, it's required.

Cryptid - 3 partidas (0 desde então)
Publicado em 2018

Fresquinho de Essen na latura, este prometia ser um excelente jogo de dedução. E é um bom jogo, sem dúvida.

Mas, não sei bem porquê, não me agarrou... Talvez um pouco de downtime a mais, talvez uma dificuldade minha em querer "realmente" descobrir a solução.

Acho que o jogaria de novo sem problema mas raras (se as houve) terão sido as vezes em que pensei neste jogo desde essa altura.

Mars Open: Tabletop Golf - 2 partidas (0 desde então)

Publicado em 2018

Outra novidade de Essen e esta fui eu que adquiri depois de ver um vídeo sobre o interesse e curiosidade que alguém tinha no mesmo.

O jogo funciona mas é claramente desajustado ao grupo com quem habitualmente jogo. É um jogo de destreza algo "disparatado" mas divertido... Talvez resulte melhor em contexto de demonstração com crianças ou um grupo interessado em algo mais relaxado e casual. Para já fica na colecção a ver se o levo à mesa noutras circunstâncias.

The Estates - 2 partidas (mais 2 desde então)

Publicado em 2018

O título deste tópico é um dos comentários ao jogo no BGG. É realmente um jogo de "facada" constante e se tal não acontecer (pouco provável se os jogadores realmente jogarem para ganhar) o jogo perde alguma da graça.

Em boa hora a Capstone resolveu re-editar o Neue Heimat nesta versão... Um excelente jogo que devia jogar mais vezes!

Cookie Box - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2016

O Lautresault, sempre atento a jogos de rápida explicação, grande excitação e diversão, tinha trazido isto de Essen... Não é o tipo de jogo em que me sinta confortável. A indução de stress e atrapalhação não me traz grande satisfação e acabo por jogar este tipo de jogo sem me esforçar grandemente. O que faz com que tenha copiosas derrotas garantidas... E tal não me aborrece minimamente. É o tipo de jogo que jogo mais para fazer a vontade a outros do que por interesse próprio.

Mint Delivery - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2018

Trata-se de um pick-up and deliver em embalagem minimalista. Não está mau para jogo de 15 ou 20 minutos mas pareceu-me haver um problema com a distribuição das cartas de "contrato" pois fiquei com a ideia de que esse factor aleatório poderia ter demasiado peso.

Talvez o jogue outra vez mas não tenho qualquer pressa em fazê-lo.

The River - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2018

Outra novidade de Essen.

Tenho ideia de que este jogo não teve o sucesso esperado pela Days of Wonder... Parece que, depois da expectativa pré-Essen praticamente desapareceu do "radar colectivo".

É um worker placement introdutório que funciona mas não fascina.

Azul: Stained Glass of Sintra - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2018

E mais uma novidade fresca de Essen, a aproveitar o sucesso do anterior título na série "Azul".

Prefiro o primeiro. Este não é mau mas o funcionamento é mais elaborado que o do Azul sem trazer mais "sumo" às decisões a tomar. Percebo que agrade muito a quem nunca jogou Azul mas para jogadores que já conhecem a mecânica central, não traz nada fascinante de novo.

Between Two Castles of Mad King Ludwig - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2018

É uma "mistura" de dois outros títulos, "Castles of Mad King Ludwig" e "Between Two Cities". Já tinha experimentado o primeiro, mas não o segundo.

Não me fascinou. A ideia de pontuar com os nossos oponentes à esquerda e direita (vinda do Between Two Cities) é interessante e está bem implementada mas o resto é pouco interessante.

Arraial - 1 partida (0 desde então)

Publicado em 2018

A dupla Soledade/Sentieiro aborda os polióminos/Tetris usando a temática dos deprimentes acontecimentos sociais que envolvem música pimba, cerveja pouco fresca em copos de plástico e exibições públicas de lascívia misturada com falta de talento para a dança. além de outras características da sub-cultura portuguesa. Nada contra, menos ainda a favor.

O jogo está bem feito e funciona bem mas eu penso que o FITS é melhor.

Um bom mês de novidades.

-

Gamer profile

O que estreei em Nov 2018

Fairy Tile - 2 plays
First Published 2018

No A Jogar É que a Gente se Entende. Entretanto já o joguei mais algumas vezes, já que a minha companheira gosta dele.

Arraial - 2 plays
First Published 2018

No A Jogar É que a Gente se Entende. Depois disso joguei um par de vezes, é interessante mas não a ponto de o comprar.

Terra Mystica - 1 play
First Published 2012

No A Jogar É que a Gente se Entende. Já o conhecia do Board Game Arena e é um clássico. Tenho pena de nunca mais o ter jogado, mesmo tendo o Gaia Project.

Council of Verona - 1 play
First Published 2013

No grupo de Boardgames de Viana. Não fiquei com grandes recordações do jogo.

Targi - 1 play
First Published 2012

No A Jogar É que a Gente se Entende. Já o conhecia do Board Game Arena e é bastante interessante. Um alocação de trabalhadores para dois!

Citadels - 1 play
First Published 2000

No grupo de Boardgames de Viana. Já tinha jogado uma versão qualquer em Évora. Novamente não fiquei com recordações dignas de nota.

Downforce - 1 play
First Published 2017

No A Jogar É que a Gente se Entende. Comprei-o há umas semanas atrás para oferecer no aniversário do miúdo (5). Joga a versão simplificada e adora!

Mississippi Queen - 1 play
First Published 1997

No grupo de Boardgames de Viana. Uma corrida divertida com mecanicas algo datadas. Jogava-o outra vez :)