1ª sessão de Exalted 2ed - Príncipes na Terra

Nota: isto foi originalmente publicado no forum de Exalted, aqui.

Lá começámos a nossa campanha de Exalted.

Por causa da guerra fria com Paragon, o Déspota de Gem, Rankar VII, está a pensar libertar todos os gladiadores para incorporar o exército de Gem. O Circla Harpal, a abrir uma escola de gladiadores e na eminência de perder muito dinheiro, engendrou um plano algo esquisito para irem gamar uma Dream Opal a um dos muitos dream parlors do Sahlak Dezlan, o nobre responsável por estas pedras preciosas na cidade, por lá o sonho de um dos seus gladiadores, e convencer o Sahlak Dezlan que ele devia dar aquela pedra ao Déspota; Circla Harpal poderia depois conversar com o Déspota e convencê-lo que ele realmente quer manter os gladiadores, porque até anda a sonhar com eles e tudo.

Foi dada rédea solta aos jogadoes para fazerem o que quiserem: podiam seguir este plano, ou engendrar outro; resolveram seguir este.

Alguns pontos altos:

- O 1º combate social, entre a Seilsya (perso do Padeira) e o gerente de um Dream Parlor, Smitius.
- O Cynis Ashihami a escapulir-se por cima do guarda, enquanto a Seilsya falava com o gerente, que lhe valeu 2 dados (se não estou em erro)
- O Cynis a disfarçar-se de cliente feminina e roubar a Dream Opal nas barbas de toda a gente, e metê-la nos bolsos da Seilsya enquanto esta conversava com o Smitius, sem que nenhum deles desse por isso

Outras cenas fixes, mas por outra perspectiva:

- O plano do Cynis Ashihami, que gerou um ligeiro PvP à mesa, com o Padeira a dizer à Inês que isso lhe poderia arruinar o plano a ele
- A indecisão do Olim Kar, quando Circla Harpal lhe disse que poderia roubar, e depois vender, mais algumas Dream Opal para ajudar a sua familia, indecisão essa que se prendia com o facto de ele não saber se pedia ajuda aos companheiros ou se mandava alguns demónios para destruir tudo, sendo que o Circla Harpal tinha pedido discrição
- A vontade da Seilsya em saltar ao caminho do nobre Sahlak Dezlan para ajudar as bailarinas escravas que iam servir de moeda de troca com os Fair Folk; elas iam para lá, e tecnologia vinha para cá
- Os stakes resolution serviram como uma luva ao Exalted

Cenas não tão fixes:

- As regras demoraram tempo a ser aprendidas, mas o consenso geral é que assim que a máquina estiver bem oleada, tudo corre bem (o 3º combate social já foi muito mais rápido)
- Não tenho certeza se o combate social é realmente assim ou não: acho que quando se falha um argumento, pode sempre lançar-se outro (isto é, fazendo novo ataque)
- É realmente necessário o jogador querer ser bangado, caso contrário a coisa não corre bem (caso do Tiago e da pista óbvia da tecnologia vinda dos Fair Folk, sabendo que ele tem Occult e Lore a 5 - ou seja, se há quem percebe - ou devia querer perceber - de tecnologia da Primeira Era seria ele)

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Resumo e comments

1ª Sessão de Exalted 2nd Edition

PILOT 1ª Parte - To dream or not to dream...

Eis os protagonistas desta sessão:
. Seilsya SilverStar (Tony P, aka Plasmas), dançarina exotica, tudo com a ajuda de cobras e movimentos eroticos. Este é um cover para o seu relacionamento com o culto dos Illuminated.
. Cynis Ashihami (Inês, aka Xin3s, aka GMs Girlfriend), Assassino a soldo do nosso mestre.
. Ollim Kar (Tiago, aka BarenddDagnal), escravo, adquirido pelo nosso senhor por ter conhecimentos sobre magias e oculto.

Infelizmente, o nosso companheiro Sandworm (RPL) não pode vir ao RP por razoes alheias, por isso contenve-se a sua personagem ao seu dia-a-dia de guarda-costas ao nosso muy nobre e senhor Circla Harpal.

NPCs de relevo:
. Circla Harpal, da familia Circla, como foi referido é nosso mestre e senhor, tem na cidade de GEM o seu negocio de escravos-gladiadores, tendo a partir dessa actividade todos os lucros necessarios para a sua vida laxiviosa. A sua aparencia é a de um homem bonito, sempre bem vestido com varias sedas e ornamentos de orichalkum, um metal muito raro por aquelas bandas. Ostenta no seu peito o simbolo de um sol radiante.
. Salak Dezlan, da familia Salak de GEM, é dono de varios Bordeis e Dream Parlours desta cidade. A sua aparencia é a de homem gordo e repulsivo, tendo na sua cabeça um turbante com pedra preciosa.

Local onde decorre a acção:
A cidade de GEM foi construida por dentro de um vulcão inactivo. Foram escavados varios tuneis, que dão acesso às varias ruas que a constituem. As casas e locais de negocio são imbutidos dentro da rocha do vulcão. (imaginem a cidade como sendo o templo onde decorre o 3º Acto do filme "Indiana Jones 3")
Devido a ser a cidade mais a sul de toda a criação. é um local muito quente durante o dia, sendo grande parte da movimentação feita ao final do dia e durante grande parte da noite.
Esta está em guerra comercial com Paragon devido ao grande fluxo de pedras preciosas que é feita em ambas as metropoles. O despota de GEM, Ramkar VII, tenta evitar a todo o custo que esta rivalidade descambe para o confronto fisico.

INICIO:
A nossa historia começa com a chegada de uma caravana da guild à nossa cidade. Toda esta comoção faz com que os nobres aproximem das suas janelas e apreciem o espectaculo. Alem dos varios animais e mercadorias, traz tambem uma grande colecção de escravos à cidade, bastantes deles muitos novas, com idades por volta dos 10 anos. Isto é algo que faz sorrir Salak Dezlan.

No final da caravana se instalar pela cidade, são feitos os negocios. Circla Harpal aproveita para aumentar o numero dos seus escravos-gladiadores.

Dentro de sua casa, o nosso mestre indica-nos que tem uma missão para ser executada.
Tendo medo que o despota acabe com a escravatura de gladiadores, algo que pode levar a familia Circla à falência, pede-nos que se faça o seguinte:
1º Ir a uma Dream Parlour roubar uma Dream Stone.
2º Pegar nessa pedra e coloca-la num dos escravos-gladiadores que esteja a dormir.
3º Convencer Dezlan a entregar essa pedra ao despota.
Aceitamos de bom agrado essa missão, e deixamos os aposentos de Harpal.

(Para a malta que n joga exalted, uma Dream Stone é uma pedra o qual foi gravado nela um sonho. Esse sonho pode depois ser sonhado por outra pessoa. Isto é considerado algo muito fashion neste mundo, como tal nem todos podem-no fazer devido ao seu elevado custo)

Junto da Dream Parlour "Casa Auspiciosa dos Sonhos Interminaveis", uma das muitas espalhadas por toda a cidade, vimos na entrada o guarda Fagor. O seu aspecto imponente, devidamente armado e com respectiva armadura, protege a entrada de malfeitores, e impõe respeito naquela zona.

Cada jogador aqui tem a sua agenda.
Seilsya fala com o responsavel da loja, um fuinha com o nome de Smitios, que tenta rapidamente vender o seu "peixe". Está com azar, e acaba com Seilsya a vender os seus serviços, neste caso os seus sonhos para os clientes desta casa. Convida-a a entrar para se chegar a mais detalhes desta aquisição de serviços.
Cynis entra surrateiramente e com muita destreza ao andar superior do edificio, saltando de patamar em patamar até lá chegar.
Ollim... bem... esse tenta fazer qq coisa que agora n me lembra! (Tiago, esta é uma falha minha, penso que fizeste qq coisa do que ficar só a falar com o guarda à porta. Tu ou o Rui ou a Inês, se lembrarem do que foi, escrevam qq coisa que depois edito esta parte!)

Nesta parte, é importante lembrar o combate social feito entre Seilsya e Smitios. Cheguei à conclusão que neste tipo de combate é MUITO IMPORTANTE a tua Appearance, pois esta faz baixar alguns pontos ao Mental Dodge Value (M.D.V.). Apelar tb às intimicies dos bixos tambem ajuda, neste caso apelei ao sentido comercial dele, o que tb fez baixar 1pt ao seu MDV. Resumindo, passou de MDV 4 para 1, ou seja, só precisei de 2 sucessos (tenho de superar o MDV, não iguala-lo, pq assim a defesa ganha!) para ultrapassar este impedimento.

Dentro do parlour, Seilsya convence Smitios que tem outro assunto pendente noutro local, que apenas tinha passado de visita aquele local, deixando-o a babar perante a beleza da moça. Promete aparecer dia seguinte para consumar o negocio.
Entretanto, Cynis entra dentro do local e rapina uma das Dream Stones de um dos armarios. Sorrateiramente e disfarçada de cliente daquele local, finge tropeçar na Seilsya e coloca num dos seus bolsos a pedra, enquanto apressadamente deixa aquele local.
A dançarina não se apercebe do acontecimento, continuando o seu jogo de sedução. Despede-se de lá com um beijo.

Cá fora, longe dali, Cynis retira dos bolsos de Seilsya a pedra, deixando todos impressionados com esse truque. Vamos até Harpal, que fumava opio relaxadamente nos seus aposentos. Contamos que a nossa missão está quase terminada, e entregamos-lhe a pedra. Esta é colocada no travesseiro de um dos gladiadores que dorme.

Dia seguinte, é nos entregada a pedra, e dirigimo-nos até ao Dream Parlour.
Cynis vai disfarçado como acompanhante feminina de Seilsya, e Ollim vai tambem disfarçado como escravo-escriba, fingindo controlar os dinheiros e movimentos da futura transacção. (faz de conta que é um porta-moedas-human-sized!)
Lá, vimos uma grande movimentação entre a casa e a entourage de Salak Dezlan. Aparentemente este está a levar todas as escravas de todas as dream parlours que controla, algo que deixa Smitios muito insatisfeito.
Seilsya, tem aqui a oportunidade de se apresentar ao nobre, o qual a aproveita da melhor maneira. Tenta-o convencer de que se calhar vai prejudicar os negocios daquela casa levando todas as dançarinas. Este ignora-a.

(Combate Social falhado e por muitos pontos. Aqui o Rui pode me ajudar na parte mecânica do jogo, pois n a apontei no meu caderno).

Irritada, tenta usar todas as suas "armas" para convencer o nobre. Sabe por Smitios que todas aquelas dançarinas vão ser trocadas por objectos magicos com a malta fairfolk do sul.
Pensando que ao convencer Dezlan que afinal é melhor deixar cá as dançarinas, poderá ganhar um boone de Smitios, alem de ajudar o seu mestre a prejudicar a vida ao seu directo concorrente, pois assim poderá n ter escravas suficientes para a tal troca.
Pede ao dono da loja para que este ponha a sua banda a tocar algo "dançante". Entretanto Seilsya começa a dançar algo sensual com as escravas, escolhendo apenas as mais bonitas para o seu show. O som da musica e o aplaudir de alguns dos transeuntes faz com que aumente a multidão naquele local. A sensualidade de Seilsya faz babar tudo e todos, acabando a dança num forte aplauso. A moça grita "Após este espectaculo, quem quer entrar na Dream Parlour?" Todos exclamam um forte "Eu!". Esta vira-se para Salak Dezlan dizendo-lhe "Tem a certeza que ainda quer levar as suas escravas e arruinar o seu negocio nesta sua casa?", o qual ele responde-lhe com um bastante subtil "Sim."

Nesta ultima parte, decidi tirar toda a minha bagagem do saco, e usar tudo o que podia.
Usei o meu roll mais forte em combate social, Manipulation+Performance. Apelei ao sentido comercial do bixo feio, que é uma das suas intimicies. Usei as diferenças entre a minha Appearance com a dele. Usei tb a virtude Compaixão, visto estar algo impressionada com a ida das escravas para fora daquele local. Usei tb 1 de willpower para sucesso automatico. Tendo apenas que ter 4 ou mais sucesso (MDV3 dele), tive... 3 SUCESSOS (já sei, é o mitico fumble de dados que já tenho em... sei lá... todos os RPs que joguei até agora, sempre nas alturas mais importantes e decisivas!)

Acabou aqui a sessão

--------------------

Peço aos meus colegas Inês e Tiago desculpa pela enorme seca que tiveram, mas tb lhes deixo aqui 1 recado (isto tb para o RPL): Não me deixem ter controlo do jogo! Se querem dizer qq coisa, digam! Se querem agir de maneira diferente, dêem opiniões para a mesa. Se ninguem se pronunciar, eu farei o papel de lider indiscutivel na mesa de jogo.

Numa escala de 1 a 10, dou esta sessão um forte 7.
Não dou mais, por achar que como cena introdutória foi bastante boa, mas achei que podia haver uma interpretação mais forte tanto do GM como dos jogadores. Infelizmente, a minha voz monocordica a fazer de gaja sensual é o pior, e a falta de combate fisico quebrou muito esta sessão. Nesta pontuação ignorei o facto de se discutir constantemente as regras de combate social e de uso das virtudes, pois ainda é algo que axo haver dificuldade entre todos nós, GM inclusivé.
Um aplauso para o GM, por ter tido paciência para todas as minhas duvidas e discussões de regras, que penso ser necessarias nestas 1ªs sessões, isto até termos o dominio total das regras e das nossas personagens.

Postei um comentário mais

Postei um comentário mais alargado no rpg.net, que podem ler aqui.

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogado

Pelos vistos não houve

Pelos vistos não houve tareia, o que foi fixe porque assim não fiz tanta falta quanto isso hehe.

Pergunta sobre a guerra Gem / Paragon, porque é que o Déspota vai escalar o conflito para uma guerra aberta?
Pergunto isto porque sinceramente o plano do Circla parece-me muuuito mau e não me cheira nada que vá funcionar, se conseguíssemos perceber o porquê dessa escalada talvez fosse mais fácil evitar que ela de facto aconteça.

plasmas escreveu:
Peço aos meus colegas Inês e Tiago desculpa pela enorme seca que tiveram, mas tb lhes deixo aqui 1 recado (isto tb para o RPL): Não me deixem ter controlo do jogo! Se querem dizer qq coisa, digam! Se querem agir de maneira diferente, dêem opiniões para a mesa. Se ninguem se pronunciar, eu farei o papel de lider indiscutivel na mesa de jogo.

Eu gosto muito da teoria dos Garou (neste universo Lunars) sobre liderança, o líder nunca é fixo e varia de acordo com as circunstâncias em que o grupo de encontra, se for uma situação de guerra o melhor guerreiro deve liderar, se for uma situação social o mais diplomático deve liderar, se for de descrição o mais ágil e discreto deve liderar, se for sobrenatural o melhor mágico deve liderar. Isto para dizer que não tenho problema nenhum em seguir o plasmas com líder indiscutível enquanto concordar que os planos dele são os mais apropriados para resolver as situações em causa.

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

RedPissLegion wrote: Pelos

RedPissLegion escreveu:
Pelos vistos não houve tareia, o que foi fixe porque assim não fiz tanta falta quanto isso hehe.

Penso que o Rui n levou isto prá versão porradeiro por n tares lá. Por isso penso ter optado por algo mais soft. Eu tb, sempre que for possivel, vou levar isto de outras maneiras, usando apenas porrada como ultimo recurso.

RedPissLegion escreveu:
Pergunta sobre a guerra Gem / Paragon, porque é que o Déspota vai escalar o conflito para uma guerra aberta?
Pergunto isto porque sinceramente o plano do Circla parece-me muuuito mau e não me cheira nada que vá funcionar, se conseguíssemos perceber o porquê dessa escalada talvez fosse mais fácil evitar que ela de facto aconteça.

A guerra é mais do tipo, se o outro tá ma lixar, então eu vou lhe lixar 1º. Claro está, deve de haver alguem nos bastidores a fomentar isso, mas tb n quero por a carroça à frente dos bois, e esperar o desenrolar do RP.

Sobre o plano, sim é mau, mas como isto é algo introdutorio e ainda sei pouco da cidade e costumes, decidi ainda n agir em contrario. Mas sim, se o plano começar a dar pró torto, iremos fazer isto doutra maneira. Pode ser que possas dar alguma ideia, caso venhas próxima sessão. Wink

 

RedPissLegion escreveu:
(...) Isto para dizer que não tenho problema nenhum em seguir o plasmas com líder indiscutível enquanto concordar que os planos dele são os mais apropriados para resolver as situações em causa.

em principio faço bons planos, normalmente seguros e discretos, algo que irrita muito o Rui (MnM anyone?). Bom, pode ser que desta vez arrisque tudo, mas isso só depois de exaltar-mos, até lá vou jogar pelo seguro, que pra mim ser mortal envolve... alta taxa de mortalidade! Tongue out

plasmas wrote: Mas sim, se

plasmas escreveu:
Mas sim, se o plano começar a dar pró torto, iremos fazer isto doutra maneira. Pode ser que possas dar alguma ideia, caso venhas próxima sessão.

Irei hehe.

plasmas escreveu:
em principio faço bons planos, normalmente seguros e discretos

Ora isso é que é preciso e apoio 100%.

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

plasmas wrote: Penso que o

plasmas escreveu:
Penso que o Rui n levou isto prá versão porradeiro por n tares lá. Por isso penso ter optado por algo mais soft. Eu tb, sempre que for possivel, vou levar isto de outras maneiras, usando apenas porrada como ultimo recurso.

Estou completamente contigo, embora tenha feito um personagem mais físico, que espero vir a tornar-se num Dawn Cast, também não quero passar as sessões todas à tareia, aliás eu quando fiz o gajo também pensei nele com o tipo de gajo que não gosta de arriscar a vida, safando-se genericamente com a sua sacanice natural e arriscando a vida em combate apenas quando tivesse mesmo que ser.

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

RedPissLegion wrote: Estou

RedPissLegion escreveu:
Estou completamente contigo, embora tenha feito um personagem mais físico, que espero vir a tornar-se num Dawn Cast, também não quero passar as sessões todas à tareia, aliás eu quando fiz o gajo também pensei nele com o tipo de gajo que não gosta de arriscar a vida, safando-se genericamente com a sua sacanice natural e arriscando a vida em combate apenas quando tivesse mesmo que ser.

pois, acho que como humanos ninguem vai se arriscar muito

depois de exaltado, é só escolher os charms certos e cá vou eu, desta pra melhor! 

plasmas wrote: em

plasmas escreveu:

em principio faço bons planos, normalmente seguros e discretos, algo que irrita muito o Rui (MnM anyone?). Bom, pode ser que desta vez arrisque tudo, mas isso só depois de exaltar-mos, até lá vou jogar pelo seguro, que pra mim ser mortal envolve... alta taxa de mortalidade! Tongue out

 

Continuas convencio que me estragas os planos? :-)

Na próxima sessão vou contar-te o meu segredo. ;-) 

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogado

Rui wrote: Continuas

Rui escreveu:
Continuas convencio que me estragas os planos? :-)

Na próxima sessão vou contar-te o meu segredo. ;-)

 

uuuuuuuuuhhhhhhhhhhh

/mim treme de medo ao ler isto

ou então não! 

RedPissLegion

RedPissLegion escreveu:

Pergunta sobre a guerra Gem / Paragon, porque é que o Déspota vai escalar o conflito para uma guerra aberta?
Pergunto isto porque sinceramente o plano do Circla parece-me muuuito mau e não me cheira nada que vá funcionar, se conseguíssemos perceber o porquê dessa escalada talvez fosse mais fácil evitar que ela de facto aconteça.

 

O Déspota não vai escalar, nem eu nunca disse isso. Só disse o que já está no core: o Déspota está a preparar-se.

O plano era mau de propósito: eu queria que os jogadores arranjassem o seu próprio plano, mas isso não aconteceu...

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogado

Rui wrote: O plano era mau

Rui escreveu:
O plano era mau de propósito: eu queria que os jogadores arranjassem o seu próprio plano, mas isso não aconteceu...

 xiiiiiiiiiiiii

 a chamar os jogadores de incompetentes e de idiotas xapados...

Tou a ver proxima sessão um certo demonio a destruir meia Gem, noutra ponta da cidade aparece tudo morto sem se ver ninguem, e noutro canto tá tudo a morrer envenenado com cena de cobra...

 e isto tudo antes de sermos anathemas... Acho que era um recorde, até prá minha pessoa! Tongue out

Pois, pois...

Eu quero é ver essa ficha de Mandate of Heaven de Gem para ver que rolls aindas aí a preparar para avançar o plot de maneira orgánica. Até parece que sabes o que andas a fazer!!! :P :D

"Se alguma vez sou coerente, é apenas como incoerência saída da incoerência." Fernando Pessoa

sopadorpg.wordpress.com - Um roleplayer entre Setúbal e Almeirim
Ludonautas Podcast - Viajando, sem nos movermos, pelos mundos do RPG