Encontro do Porto & abreojogo.com no JN

Agora é no Jornal de Notícias! Estava a procurar no google por outra coisa e dei com isto:

Adultos rendidos ao mundo dos jogos de tabuleiros

Salvo, a mão na fotografia é minha... ah, o doce sabor da fama! :)

Como arquivo para a posterioridade, aqui fica a reprodução na íntegra da notícia:

Citação:
Adultos rendidos ao mundo dos jogos de tabuleiros
Inês Schreck, Artur Machado

Há centenas de jogos de tabuleiro para todos os gostos

A loja começa a encher ao meio-dia. Numas mesas ao canto há pilhas de jogos de tabuleiro. Mas não as tradicionais damas ou xadrez, nem o monopólio ou o trivial. São jogos de estratégia, mais arrojados e rápidos, a maioria comprados pela internet. Num tempo dominado pelas consolas ainda há quem resista e prefira debruçar-se sobre uma mesa a discutir jogadas com o adversário. Ontem, mais de duas dezenas de jogadores de tabuleiro de todo o país juntaram-se, no Porto, naquele que foi o primeiro encontro nacional do género.

É, sobretudo, o convívio que os move. Também usam o computador, mas para se conhecerem, tirarem dúvidas, divulgarem os jogos, eventos e iniciativas ligadas àquele entretenimento pouco conhecido em Portugal. "Um dos nossos maiores problemas é encontrar quem jogue", conta Pedro Silva, organizador do encontro, que tratou de tudo pela Internet, através do site www.abreojogo.com

Pedro tem 37 anos e cerca de 25 jogos de tabuleiro, mas conhece quem tenha mais de cem. Assume que é uma paixão da adolescência que nunca esmoreceu. "É verdade quando se diz que os homens nunca deixam de ser crianças. O que varia é o preço dos brinquedos", sorri.

A variedade dos jogos é imensa, não são caros (podem custar cerca de 20 euros), e há para todas as idades. Porém, este mundo é dominado sobretudo por homens adultos que não esquecem o dia em que estiveram pela primeira vez diante de um tabuleiro. "Era um miúdo, joguei em casa de uns amigos do meu irmão e adorei. Depois desliguei um pouco, mas mantive sempre o interesse. Há uns anos comprei um jogo e não parei", recorda Pedro.

O mesmo aconteceu com muitos outros que o rodeiam. Ontem, na loja XXl, na Rua de Óscar da Silva, em Paranhos, até um sueco apareceu. Harald Enoksson é mais do que um jogador. Desenhou e criou o seu próprio jogo e, agora anda, de país em país, a divulgá-lo (ler caixa ao lado).

Na Europa, os jogos de tabuleiro são mais comuns. "Os alemães são os grandes produtores", refere Pedro, explicando que naquele país é normal as famílias juntarem-se depois do jantar diante dos tabuleiros. "Em vez de os pais estarem calados a ver televisão, com os filhos no quarto a jogar computador, juntam-se e convivem", afirma.

Esta é, para Pedro Silva, uma das grandes vantagens dos jogos de tabuleiro. "Promovem a interacção social", ao contrário das consolas que, ao permitirem o jogo individual, também podem contribuir para o isolamento.

Com paciência, o organizador do evento vai explicando os objectivos e as regras de cada jogo. Ensinar quem não conhece aquele hóbi foi também uma das razões que motivou o encontro nacional de jogos de tabuleiro.

AnexoTamanho
heythatsmyfish.jpg7.54 KB

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Perdoem-me, mas tem de ser dito...

ricmadeira escreveu:
Ontem, mais de duas dezenas de jogadores de tabuleiro de todo o país juntaram-se, no Porto, naquele que foi o primeiro encontro nacional do género.

O PRIMEIRO??? Então meus amigos?? Já se esqueceram de Leiria? A cidade que abriu as portas a todos os jogadores do país e marcou, com isso, o início de uma nova era no boardgaming nacional??

Parabéns ao Porto pela organização deste 2º Encontro Nacional. Tenho muita pena de não poder ter participado e sobretudo parabéns pela mediatização do evento.

https://oblogdocosta.blogspot.com

 

________________________________________________________

"The only way to achieve the impossible is to believe it is possible."
Lewis Carroll in Alice in Wonderland

É verdade...

Pois.

Também tinha reparado no erro, mas é da jornalista e não do ricmadeira.

Há outros erros na reportagem, como o nome do jogo do sueco estar "geiso" em vez de "seigo"... Enfim, não se pode ter tudo! O que vale é que apareceram as fotos e a reportagem...

Se repararem no artigo do Expresso vem lá a menção de que existiram outros encontros antes. Talvez ela se tenha confundido com o que dizia no mail "Primeiro encontro nacional de jogos de tabuleiro no Porto" e tenha pensado que era, de facto, o primeiro encontro nacional quando o "primeiro" se referia a ser no Porto.

Fica a correcção, de qualquer forma.

Cumprimentos!

_

Não me irrita perder porque cada derrota ensina algo e torna a próxima vitória mais gratificante.

ricmadeira escreveu:

ricmadeira escreveu:
(...)

Pedro tem 37 anos e cerca de 25 jogos de tabuleiro, mas conhece quem tenha mais de cem...

(...)

Ou mais de mil. Mas se calhar Portugal ainda não está preparado para ouvir tamanho "absurdo"!

Parabéns pelo evento e pela publicidade!