[RPGénesis 2011] Os Três Dias do Jogador - Dia 3

Retrato de LadyEntropy

 

 

Bom, dia 2 com uma entrada em atraso.

 

Sobretudo porque tive muita coisa que fazer em casa (com mudanças e obras e outras coisas que tal), e andava curta de ideias, acabei por não escrever nada. No entanto (ás 2 da manhã, quando devia estar a dormir), tive algumas ideias engraçadas para aplicar na criação de personagem, coisa que devia ter estado a escrever na segunda feira.

 

Sendo uma livrófila convicta e assumida, decidi que ia aplicar a este jogo (o mais que pudesse) as técnicas utilizadas para escrever novelas -- quer a nível de criação da história, quer a nível da história em si.

 

A principio, estava com algumas dificuldades, visto que como é que posso utilizar descrição para atribuir valores de forma a ter uma folha de personagem? E sem estar a roubar ideias a FATE?

Acalmei-me um bocado depois de comer umas amoras, e apercebi-me que o ideal era meter os jogadores a criarem a personagem por escrito primeiro UTILIZANDO TÉCNICAS DE NOVELIZAÇÃO. Isto seria igualmente ideal para jovens (quero esse prémio, Mariano!) que nunca jogaram jogos de RPG e não entendem muito bem os conceitos de min-maxing, distribuição de pontos, etc. E isto também me ajuda a levar pessoas a fazerem personagens de outra forma que não seja "maximizar a distribuição de pontos primeiro, colar-lhe uma história\personalidade depois". O ideal é definir uma personagem interessante, definida e com personalidade, e os pontos vêm por acrescento (e depois).

 

Se Deus quiser, no update do dia 3 explico melhor, mas ficam aqui já umas coisas que vou incluir na criação de personagem.

 

- Biografia

- O jogo dos adjectivos (Eu sou ligeiramente mais.... que a maioria das pessoas; Eu sou muito mais.... que a maioria das pessoas; Eu sou mesmo muito....) - que depois se traduz em pontos extra na folha em si.

- Valores (Nada é mais importante para mim que...) 3 e de preferência em conflito uns com os outros.

- Ambição (Algo abstracto que se tem, derivado directamente dos valores)

- Story Goal:--- ainda tenho que trabalhar neste, mas um pouco à semelhança do "Objectivo da Temporada" do Drama Gakuen.

 

Bem, de volta ao trabalho, que já estou com 1 dia em atraso.

EDIT Parte 2 do RPG... faltam ainda algumas coisas.


Parte 2 - Formação de Agentes: Criação de Personagens

Como diria um velho (e sábio) grego, "Conhece-te a ti mesmo". Sim, eu sei que isto soa muito pretencioso e aborrecido, mas acredita em mim quando digo que saber quem és e porque fazes o que fazes é importante. Conheceres os teus limites, os teus medos e os teus pontos fracos ajuda-te a estares preparado para quando outros tentarem aproveitar-se exactamente disso. Lembra que estamos numa guerra - e o inimigo é mais velho, mais experiente e muito mais impedosos que nós.
Mas, ei, nem tudo são maás noticias. A história prova que são jovens que começam revoluções. E todos sabemos o que dizem sobre ser-se pequenino e pepinos, certo?

Por isso vamos tirar algum tempo para te analizar em profundidade. Não vale mentir. E não, não vais receber notas por este "teste", por isso não precisas de copiar.

ESTES SÃO OS FILHOS DA REVOLUÇÃO

Nos anos 60 do século 20, um grupo de jovens e revolucionários chamados Hippies (que defendiam paz, drogas e sexo livre, mas não vamos distrair-nos), diziam que "Não confiem em ninguém com mais de 35 anos de idade". Segundo eles, a partir dos 35, as pessoas já estavam tão confortáveis na sua vida, com família, emprego estável e muito a perder. Isto tornava-as susceptiveis aos ataques da "Autoridade", e menos prováveis de arriscar tudo por uma causa, por mais digna e merecedora que fosse. Eram, também igualmente susceptiveis a serem corrompidos pelo inimigo.

O idealismo é uma coisa que se perde, suponho (com notáveis excepções, claro) com os dentes de leite (ou conforme se ganha dentes do sizo?), e por isso, deves ser como nós, um jovem entre os 13 e os 30. Podes ser mais velho, sendo uma excepção à regra, mas a tua vida não será fácil porque tens que enfrentar a suspeita dos mais jovens que vão projectar em ti uma visão da "Autoridade", e tratar-te com a mesma desconfiança. Por outro lado, tens acesso a recursos que a maioria de nós não tem, e a Autoridade suspeita menos de ti (sobretudo porque todos os Infectados conhecidos são jovens. Se os há mais velhos, souberam esconder-se bem). Podes ser também mais novo, mas, novamente, serás uma excepção - e tenho pena de ti, porque não quero imaginar o que levará uma criança a arriscar-se tanto numa coisa tão feia como a guerra (sim, não vamos fingir; chamemos as coisas pelos nomes: estamos em guerra). Claro que ser uma criança tem os seus problemas, sobretudo porque não vais receber o respeito dos mais velhos (que maior parte das vezes te vão tolerar, apenas, e considerar as tuas ideias e sugestões como infantis). Isto para não falar da atenção que vais chamar por seres, bem, uma criança não acompanhada. Por outro lado, qualquer adulto ou figura de Autoridade vai ter dificuldades em acreditar que és um revolucionário, e vai simplesmente achar que viste atrás dos outros, a pensar que era uma brincadeira. Ninguém quer mandar uma criancinha para a cadeia.

DIZ-ME QUEM ÉS
Todos nós somos os heróis da nossa própria história. Mesmo aqueles figurantes nos filmes, ou as personagens menores de uma banda desenhada são o personagens principais de uma história. E tu também és. Ainda que te sintas "só mais um da manada", és a personagem central de uma história que há-de ser contada mais cedo ou mais tarde. A primeira coisa a fazer para poderes passar quem tu és para papel, é pegar na primeira folha do "Dossier do Agente". Não parece um questionário normal, pois não? Ainda bem, porque esses questionários com cruzinhas é algo que a Autoridade usa, mas nós não. Arranja uma caneta ou lápis e começa a escrever. Se te enganares, não faz mal, risca e escrever à frente até estares contente com o retrato por escrito que tens à tua frente. Se o espaço não chegar? Arranja uma folha limpa e continua a escrever lá.

Biografia
Primeiro, vamos falar (escrever) sobre ti. Qual é o teu nome, que idade tens, qual o teu gelado preferido. Para ajudar-te a perceber o que deves escrever nos espaços, vamos dar-te algumas dicas do que convém escrever.

- Descrição
Escreve, rápido, ao correr da pena. Isto é trabalho criativo, por isso não te preocupes em que esteja ordenado. Qual é o teu aspecto físico? Aparência, roupas, maneirismos e linguagem corporal, e até marcas especiais como tatuagens ou cicatrizes contam. Inclui tudo o que achares que deve ser mencionado, incluíndo detalhes psicológicos, como pensas, o que gostas ou não.

- Nascimento e infância
Onde nasceste? Quem são os teus pais (e irmãos\avós\familiares mais importantes, se os tiveres)? Quais são as tuas primeiras memórias? Qual foi a pior coisa que te aconteceu no infantário? Quem era o teu melhor amigo e\ou amiga? O que querias ser quando fosses grande?

- Da infância ao presente
Escreve um pouco sobre os horrores do liceu. És um bom aluno, ou safas-te à justa? Qual é a tua Tribo Urbana? Um grupo de amigos ou uma matilha que partilhava as mesmas ambições e ideais (não eras amigo de todos, mas tolerava-os porque eram "um do grupo"?). És um marrão, um gótico\emo, um atleta? Qual é a tua função dentro do grupo? És o cómico? A favorita dos professores? A líder? Aquele que conseguearranjar sempre tudo o que os outros queriam, como cigarros e cerveja? Tinhas namorado\a? Gostas de alguém que não te retribui (ou nem sabe que existes), ou saltas de conquista em conquista?

- A minha revolução
Teve que haver um momento em que te apercebeste que as coisas não eram como deviam ser. Que a Autoridade nos mentia, que aquilo que nos ensinavam na escola não era a verdade, e sim invenções convenientes para nos manter calmo. O que te trouxe a esta revolução pessoal que depois te fez querer juntar à revolução maior? Foi um amigo que te disse? Ou o teu grupo que se decidiu juntar, e vieste de arrasto? Perdeste alguém que te era querido por causa das autoridades, ou, simplesmente, acedeste a informação que não deverias ter e viste para além do veu de mentiras? Ou (que Deus tenha misericórdia de ti) começaste a manifestar sintomas estranhos - como apetite desmesurado, e desejos de comer coisas estranhas (que nunca gostaste antes), reflexos muito mais rápidos ou as tuas veias começaram a tomar uma tonalidade cinzenta - e descobriste que milhões de nanomáquinas corriam nas tuas veias, tornando-te um dos párias da nossa sociedade, um Infectado, escolhido por GAIA como soldado para a linha da frente?

- Amigos e Inimigos

Aqueles que são importantes para nós, amigos ou rivais, reflectem quem somos. Quão mais fortes os sentimentos involvidos, mais impacto e influência essas pessoas têm sobre nós. Muitas vezes, odiamos quem amamos, e vice-versa. Quem são os teus amigos, inimigos, aliados e rivais? Quem seria capaz de morrer por ti, e por quem serias capaz de matar? Quem é o teu Némesis? É alguém que odeias, ou alguém que amas mas que parece determinado em fazer a tua vida impossível? Como é que conheceste os membros da tua célula (aqueles que provavelmente estão neste instante a ler por cima do deu ombro enquanto escreves, ou ocupados a escrever as suas próprias respostas)? Como é que acabaram juntos?

EXEMPLOS

Jogo das (várias) perguntas
Nesta altura, já deves ter um bom texto descrevendo-te. Agora vamos fazer um pequeno exercício (calma, não é desses exercícios), usado pelos jogos de roleplay para assegurar que se tem uma personagem boa. Sim, eu sei que isto não é um jogo, é a vida real, mas em todo o lado se aprende. Não é preciso escrever a resposta a estas perguntas, mas tentar ver se a informação pedida já está incluida no texto acima. Se não estiver, acrescenta os detalhes em falta.

- Como é que eu me descreveria?
Deve começar-se do geral e do mais óbvio até chegar aos detalhes, referindo não só a o género e a aparência física, mas também estilo de vestir e de se comportar.

- Como é que descreveria a minha família?

Apesar das unidades familiares estarem a desaparecer, ainda existem - e mesmo a sua ausência molda quem somos. Muitas vezes, os problemas familiares manifestam-se fora desta, e membros da nossa família são os melhores aliados... ou os mais implacáveis inimigos.

 

- Em quem é que mais confio?
Pode não ser necessariamente alguém de quem tu gostes, mas, na maior parte das vezes, indica alguém que te está muito próximo, podendo ser um familiar ou um amigo, mas podendo ser também um professor.

- Como é a escola a que pertenço, e qual o meu papel?
A escola é um local importante, visto que a maioria de nós passa lá a grande parte do dia - acaba por ser um segundo lar quase. Fala um pouco sobre a tua escola, que tipo de pessoas notáveis a habitam. Uma escola é um estudo de sociedade, e das mini-sociedades que existem dentro ela - as tribos urbanas, cliques, grupos. Qual o papel dessa tua matilha na escola (e o teu papel na Tribo), ou só te dás com amigos? Ou és um solitário?


- Quais são os meus pontos fortes? E os pontos fracos?
Ninguém é perfeito, e as fraquezas de uma pessoa são potencialmente mais interessantes que os seus pontos fortes. Estar ciente de ambos ajuda-te a estares pronto a enfrentar quem se tentar aproveitar deles.

 

- Tenho sentimentos românticos por alguém?
És retribuído? Estás envolvido numa relação? Como se conheceram, e que importância esta pessoa tem no dia-a-dia? A vossa relação poderia trazer-te problemas se alguém descobrisse? Como se conheceram e como se desenvolveu a vossa relação?

 

- O que é que eu mais gosto? E o que mais detesto?
Ajuda a dar algo de único ao Protagonista, especialmente se os seus gostos forem inesperados e diferente, como o rapaz muito violento que cuida do seu próprio jardim, e a rapariga romântica de delicada que adora wrestling.


- Como é que lido com emoções?
E quais são as que experiencias mais frequentemente? És alguém que se reprime, e mantém-se sempre frio, não importa a situação, ou és expansivo, falador e diz sempre o que pensa?


- Que coisas é que costumo ter nos bolsos?
Ou na carteira, se fores rapariga. Doces? Um livro? O tipo de coisas que cada um trás consigo diz muito sobre uma pessoa, porque fala daquilo que achamos instinctivamente necessário (ou diz que somos distraidos ou preguiçosos ao ponto de não nos preocuparmos em limpar os bolsos).


"Eu sou..." (o jogo dos adjectivos)

Apesar de sermos todos os herois das nossas histórias, ninguém é perfeito - ou igual uns aos outros. Toda a gente tem algo acima da média. Assim, aqui vamos experimentar mais um jogo. A ideia é completar estas frases com adjectivos (ou uma frase curta), de forma a saber aquilo que te torna único em relação aos outros.

- Eu sou um pouco mais___________que a maioria das pessoas.
- Eu sou bastante mais___________que a maioria das pessoas.
- Eu sou mesmo muito___________ .

EXEMPLOS

Motivação
Todos temos algo que nos faz mover, algo que nos leva a ser como somos. Todos temos motivações, ambições e valores que tomamos como verdades absolutas. Isto faz parte da condição humana, e conseguires escrever em papel (ou datapad, ou computador, ou até telemóvel) aquilo que te faz funcionar estarás um passo mais próximo para entender o que queres, o te faz lutar - e aquilo que tens de proteger contra os teus inimigos.

- Valores
Todas as pessoas têm certas verdades que consideram ser evidentes. Um Valor é algo que faz a vida valer a pena; é algo que é mais importante que qualquer outra coisa. Não é necessário que estes valores façam sentido para mais ninguém, nem que sejam verdadeiros. Não é necessário conseguir explicá-los, apenas que sejam obviamente verdadeiros para ti.
Na realidade, (e aquilo que torna uma pessoa interessante e não uma personagem bidimensional) todas as pessoas têm múltiplos valores, e muitas vezes estes entram em conflicto uns com os outros. As dúvidas pessoais, os conflictos internos que vêm com o ser humano todos advêm daqui.
Um exemplo especial de valor é a resposta à pergunta "O que é que é mais importante para ti acima de todo o resto?". Note-se que um Valor não tem de ser só isto, mas sim aquilo que tu consideras verdadeiro.

O ideal é conseguir identificar pelo menos 3 dos teus valores (incluindo a resposta ao "O que é que é mais importante para ti acima de todo o resto?"), mas se achares necessário, podes acrescentar mais alguns que consideres particularmente vitais.

EXEMPLO

- Ambição
Os valores são muito bonitos, mas não chegam. Ligado aos valores, nasce um desejo de viver num mundo diferente. Todos estamos insatisfeitos com o que temos, e todos queremos uma mudança. E esse desejo manifesta-se numa Ambição - algo vago e abstracto (como paz no mundo ou ser rico) - não sabemos o como, nem o porquê, apenas que está ligado aos nossos valores. Enquanto devemos ter mais ou menos 3 valores, apenas deves destacar uma Ambição, aquela que é mais importante para ti.


- Objectivo da História

ESCREVER DEPOIS

 

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA
Agora que completaste a primeira folha, deves ter uma série de textos e expressões descritivas sobre ti mesmo, vamos passar a algo mais directo e, se calhar um pouco menos salutar: vamos classificar-te quantitativamente. Eu sei que isto de atribuir pontos e valores é uma grande seca, mas vai ser útil para, novamente, teres uma ideia daquilo que consegues, ou não, fazer.
Em alguns casos vais ter que consultar a primeira folha que preencheste, e ajustar os números de acordo com o que escreveste sobre ti.

Aspectos
Vais encontrar 4 colunas com 10 caixas, cada uma com uma designação diferente: Físico (relacionada com as tuas capacidades físicas - como combate, desportos, etc.), Inteligência (relacionada com as tuas capacidades mentais - como memória, aprendizagem, hacking, etc.), Presença (relacionada com as tuas capacidades sociais - como mentir (e apanhar mentiras), seduzir, convencer outros, etc.) e Vontade (relacionada com a tua coragem e força de vontade). Cada um destes Aspectos representam uma vertente das tuas capacidades inatas\instintivas (sim, é possível treinar e melhorar cada um destes Aspectos, mas, na maior parte das vezes são coisas que já nascem connosco). Quanto mais alto for o nível do Aspecto, melhor é esse particular Aspecto em ti. Cada Aspecto começa com um valor de 1. Faz um traço (a lápis) na caixa de baixo de todas as colunas. Agora, relê o que escreveste sobre ti na folha 1, e distribui, a teu gosto e de acordo como te descreveste, 5 pontos por cada coluna (1 ponto = 1 tracinho numa caixa vazia). Quanto mais caixas com tracinhos, mais elevada a tua pontuação.
Por fim, olha para o Jogo dos Adjectivos. Tenta identificar com qual dos Aspectos cada um desses adjectivos mais se relaciona, e acrescenta os seguintes pontos:

+ 1 ponto para "Eu sou um pouco mais..."
+ 2 pontos para "Eu sou bastante mais...."
+ 3 pontos para "Eu sou mesmo muito..."

(Nota: Não podes começar com mais que 8 pontos a qualquer Aspecto. Mais tarde, é possível aumentar).

Truques
Todos temos jeito para alguma coisa, e vamos apanhando conhecimentos (ou maus hábitos) aqui e ali, quer pelas pessoas com que nos damos, quer com os hobbies que desenvolvemos. Muitas das vezes, são conhecimentos adquiridos fora da escola, mas ser um bom aluno (com as vantagens e desvantagens que isso acarreta) é, sem dúvida, um bom truque (e não só para ter boas notas - os professores têm mais tendência de acreditar em ti e tomar o teu partido durante um conflicto). Estes "Truques" são mais que conhecimentos estáticos, no entanto. Incluem contactos, items, e outros que tal, relacionados com esse mesmo campo. Cada truque está ligado a um aspecto só (mental, físico, social ou coragem), mas, em certos casos, pode influenciar outros aspectos (por isso é que os mega nerds são quase venerados socialmente pelos nerds-bébés). Sim, é possível teres o mesmo Truque mais que uma vez - apenas mostra que és particularmente especializado em (e obcecado com) alguma coisa. Por vezes, os Truques podem revelar-se um problema (especialmente quando é algo como ser "Santinho").

EXEMPLOS

Esta lista não é absoluta, por isso, inventa novos ou modifica qualquer um deles para melhor se ajustar à tua história. Durante cada etapa da nossa vida, geralmente desenvolvemos estes interesses ou conhecimentos, por isso vamos tentar identificar cada um desses truques, focando-nos em cada uma delas.

- Passado
Quem somos e de onde vimos afecta-nos sempre. Os chamados "anos formativos", deixam sempre uma marca, mesmo que não demos por isso (ou recusemos a aceitá-lo). A vida familiar (ou falta dela) é algo que também nos influencia.
Escolhe um Truque que aches que representa o teu passado\origem.

- Hobbies e Interesses
Os nossos hobbies são muitas vezes os primeiros conhecimentos que adquirimos de forma individual, as coisas que aprendemos por nós próprios, e que perseguimos com paixão. (Sim, suponho que perseguir rapazes ou raparigas giras com paixão conta como hobby...)
Escolhe dois Truques que aches que representem os teus interesses\hobbies.

- Papel
Shakespeare (se não sabes quem é, procura online) disse "Todo o mundo é um palco". E todos nós temos um papel a desempenhar. Quer já tivessemos um na nossa tribo urbana ou grupo de amigos, quer tenhamos adquirido um após a nossa entrada na revolução, o certo é que tendencialmente desempenhamos uma função nas mini-sociedades em que vivemos. E isso mostra-se igualmente naquilo que sabemos e gostamos de fazer.
O tipo de Truques ( e os Aspectos relacionados) que favorecemos (e o quão o favorecemos), geralmente, é uma boa indicação do papel que estamos habituados a ter. A combinação entre Aspectos e o seu ratio determina exactamente qual é o teu papel.
Escolhe o teu Papel, e seleciona um Truque por\ligado a cada Aspecto relacionado com ele.

- Fanboy (Especialista)
- Agressor (Soldado)
- Popular (Socialita)
- Líder
- Ninja
- Jock
- Agente (Infectado)

É possível criar novos Papeis, ou até dar novos nomes a combinações já existentes. A lista acima contém algum dos mais comums, mas se achares que não te identificas com nenhum, cria o teu próprio.

Consequências
Da mesma forma que temos Truques, coisas que (na maior parte das vezes) são vantagens, alguns de nós já trazem problemas que nos afectam grandemente. São uma espécie de Truques, mas negativos. Note-se que Consequências são mais prováveis de aparecer depois de te juntares à Revolução, mas alguns de nós já trazem alguma bagagem complicada. Note-se que os problemas têm as suas coisas boas, por isso quem traz Consequências desde o início tráz tambem mais Truques.
Escolhe até duas Consequências, e por cada uma que escolheres, escolhe um Truque.

- Némesis

 

 

 

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Actualizado com a Parte 2

Actualizado com a Parte 2 do RPG!

___________________________________________

https://www.abreojogo.com/files/rpgenia.jpg

Eu Escrevi Um RPG Numa Semana!

___________________________________________

https://www.abreojogo.com/files/rpgenia.jpg

Eu Escrevi Um RPG Numa Semana!

não desistas, Ana!

Esta é uma boa criação de personagem não só para o jogador, mas também ajuda muito a Autoridade Thumbs Up