Kult lives!

Depois dos longos anos de coma e da agonia a que a empresa 7eme Cercle, actual editora de Kult, remeteu este jogo, na última semana dois pequenos artigos no site de fãs The Last Cycle (https://www.kult-rpg.com) vieram trazer uma merecida lufada de ar fresco ao jogo. Bom, ar fresco talvez não seja a melhor expressão para o descrever, porque ambos provêm do canto mais recôndito e obscuro de Kult. Um deles trata-se da tradução de um capítulo da velhíssima 2ª edição sueca do jogo (https://www.kult-rpg.com/forum/files.php?action=file&id=100) e o outro é uma entrevista aos criadores de Kult (Gunilla Jonson e Michael Petersén) que já se afastaram de Kult há cerca de uma década (https://www.kult-rpg.com/forum/downloads/interview.pdf). Ainda assim marcam o momento kultico mais interessante dos últimos anos. Enfim, eu sou um purista e aqueles franceses não me convencem... O Kult está vivo!

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Kult?

Ando ultimamente alguma coisa envolvido em Kult mas devo admitir que
cada vez me esta a deixar mais a deriva. Sempre tive a ideia de que
daria excelentes sessões e que era um jogo poderosissimo de
terror/suspense mas quanto mais ando, mais dificil me é perceber alguma
coisa sobre o que se passa no jogo. Acho que o problema é
principalmente o manual e a maneira como esta escrito não existindo um
fio condutor ou encadeamento no que é apresentado. Afinal de contas se
levarmos jogadores para metropolis o que podem eles encontrar? Ou mais
provavelmente não se passa nada? E a confusão deve ser geral porque
afinal de contas grande parte das aventuras que encontramos online pura
e simplesmente não batem certo com muita coisa no manual. No caso de
slide into metropolis, onde fala no manual da existencia de luzes
verdes? ou nevoeiros verdes? ou tipos em powered armours com letras em
mandarim aos tiros por todo o lado. E quem do manual sao aqueles tropas?

Mais importante que isso tudo, que tipo de low-level game se pode fazer?

Be as it may, agradeço-te fazeres post dessa entrevista com os
autores originais do RPG porque ela clarificou MUITO mas mesmo
MMMUUUUUIIIIIITTTTTOOOOO o fio condutor de Kult.

Dúvidas sobre Kult

Olá Warman, para começar fico muito satisfeito que ainda haja mestres de jogo interessados em experimentar Kult, apesar do jogo ter andando no limbo durante tanto tempo. Em relação às tuas dúvidas, terei todo o gosto em esclarecer-te, mas primeiro preciso de saber exactamente que material é que tens. Apenas o Beyond the Veil - o livro de regras base da 3ª edição - ou mais alguma coisa? É que este livro em questão é, supostamente, o primeiro em inglês da empresa francesa 7eme Cercle de uma série de novas edições (se não contarmos com um players handbook que já foi editado e descontinuado, porque, na realidade, não tinha grande utilidade) de livros antigos da extinta editora Target Games. No entanto, como bons franceses que são, os rapazes da 7eme Cercle rapidamente se esqueceram de que a maioria dos jogadores de Kult do mundo prefere o inglês ao francês e estão, alegremente, a editar tudo quanto já foi publicado (e até alguns inéditos) em língua francesa... Enfim, isto tudo para perguntar, tens algum material das antigas edições de Kult? Nomeadamente os suplementos Legions of Darkness, Metropolis e Players Handbook? Os dois primeiros, em particular, clarificam bastante sobre a cosmologia de Kult e o segundo (embora tenha algumas inconsistências - ou poderemos chamar-lhes antes opções alternativas - com o setting apresentado no livro de regras base) tem uma descrição bastante detalhadas de Metropolis, com exemplos e ideias para usar a Cidade em campanhas. Claro que se não tens nenhum destes livros - e se calhar até nunca ouvista falar neles - é natural que tenhas dúvidas... Quanto às aventuras que encontras online, poucas serão oficiais (ou mesmo nenhumas, porque desde que os direitos do jogo foram adquiridos pela actual detentora, o material oficial que andava por aí na net foi retirado...). Não sendo oficiais, bom, o que lá vem é da inteiras responsabilidade da imaginação dos criadores, logo não tem necessariamente muito que ver com o setting de Kult.

Quanto ao low-level game a que te referes, eu não tenho feito outra coisa ao longo dos anos. Na minha opinião, a maior utilidade da cosmologia é para deleite e inspiração do mestre de jogo, não para os olhos dos jogadores. Com frequência tenho usado algumas das criaturas menores de Kult (razides, lictores, nepharites), mas mesmo esses, quase sempre, sob a capa da Ilusão. Archons e Death Angeles deixo-os a congeminar planos maléficos no background e não ponho os personagens a interagir com eles.

Kult é um jogo muito diversificado. Já joguei uma longa campanha urbana passada em Nova Iorque, cujos personagens eram pessoas perfeitamente normais confrontadas com o oculto e que, gradualmente, se foram apercebendo um pouco da Verdade por trás da Ilusão, uma outra campanha inspirada em Twin Peaks, uma outra ainda passada nos anos 80 que cruzava duas coisas aparentemente inconciliáveis, as séries de TV tipo Thirtysomething com a filmografia de Dario Argento, entre muitas outras.

Enfim, se tiveres algumas dúvidas vai perguntando e se tiveres tempo para dar uma olhada naquele portal que eu referi no post anterior, provavelmente vais encontrar muitas informações interessantes.

Saudações Kulticas,

Miguel