Short-Story: "Showdown in Downtown"

13:23h, Downtown Freedom City

Hora de almoço, hora movimentada... Pessoas apressadamente se dirigem à barraca de Hot-Dogs, outras conversam animadamente numa das muitas esplanadas nesta movimentada zona da cidade.

No topo dos edificios, nuvens negras juntam-se numa estonteante espiral, raios libertam-se estrilhaçando várias janelas dos andares topo, e várias individuos começam a sair deste micro-buraco-negro.

Uma forte voz brande “Vão, meus bravos soldados, e semeiem a destruição neste local!”, ecoando um riso fantasmagórico. Inumeras tropas invadem o local. Ouvem-se gritos histéricos, e a multidão tenta escapar, pisoteando pelo caminho aqueles que estavam mais inpávidos com toda esta situação. Alguns soldados lançam misseis contra os altos prédios, fazendo-os demoronar. Algumas das pessoas não se conseguem salvar, ficando debaixo dos escombros, e são muitas, mesmo muitas, aquelas que ficaram presas sem poder escapar.

 

Não muito longe dali, vê-se 5 vultos a aproximar. São os “The New Stars”!

No auricular destes nossos herois ouve-se a voz de Duncan Summers: “Estes são os soldados do Omega, tentando novamente invadir a nossa dimensão. Tentem-nos derrotar, mas antes de tudo, libertem os inocentes e salvem-nos todos, antes de se envolver em combate com o inimigo. Godspeed!

Assumindo a posição de combate, Carlton, bem alto, aponta o punho com o seu anel e começa a libertar raios mortais contra os inumeros soldados. Daniel segue tambem o seu exemplo, usando todo o poder da armadura contra eles.

Link aproxima-se mais do local, e as suas concorrentes, tais como os tentáculos de uma poderoso polvo, agarram nos seus inimigos e teleporta-os para bem alto.

Jane flutua a alguns metros do local. Vê a materializar-se perto de si três soldados. Olha para eles, e diz-lhes “Olá rapazes!”, acenando-lhes com a mão. Eles começam a cair, sem por enquanto gritar um terrivel grunho de dor, avistando a cada vez mais perto calçada de cimento. A rapariga olha para alguns deles que estão no chão, e que começam a retirar as suas armas do coldre. Ela fecha um dos olhos, movimenta os seus dedos por cima da visão do seu inimigo, começando a fingir que está a mexer em marionetas: “Não, não, não, é a ele que tu queres disparar!”. Os soldados começam a disparar as suas armas entre eles, e muitos deles não consegue perceber porque agora têm de lutar entre si.

 

Jesus, pé ante pé, vê as pessoas cheias de medo, algumas magoadas, outras possivelmente mortas, sem poderem escapar. O alarido dos seus colegas atrai a maioria dos soldados daquele local, mas ficando dois deles de guarda. Sem temor, sai das sombras e começa a correr na direcção deles. Um ainda consegue sacar da arma, mas ao aponta-la ao Mr Salvador, este sorri, pegando no cano e fazendo-a derreter nas mãos do incredulo soldado. Com um forte soco, deixa-o caído no chão, e dirigindo-se para o seu ultimo inimigo. Este movimenta-se com maior graciosidade, gesticulando alguma arte marcial desconhecida de Jesus. Alguns dos socos ainda batem no seu peito, mas a confiança deste soldado desaparece, no momento que se aproxima demasiado de Jesus e este toca-lhe numa das pernas. “Sente a dor que os teus prisioneiros sentem! E arrepende-te, pois só assim Deus te poderá perdoar!”, diz-lhe antes de deixar o tropa inconsciente.

As pessoas ficam contentes ao ver que os seus captores foram derrotados, e começam a fugir do local, mas muitas delas continuam inanimadas, ou estam tão feridas que mal conseguem se mexer.

Ao ver isso, Jesus fechas os olhos e levanta um dos seus braços. Uma forte luz começa a emanar do seu corpo, envolvendo toda aquela area. Com a sua mão direita, pega de dentro da sua camisa o crucifixo de sua irmã e começa a agarra-lo com mais força. Algumas das pessoas começam a se levantar, outras ajudam a retirar as que ficaram nos escombros, e até mesmo essas, que se pensavam perdidas para sempre, começam a se levantar. Mr Salvador olha, feliz, por ver que está a conseguir novamente enganar a morte. A multidão, contente, começa a aplaudir o seu heroi.

 

Mr Louis DeNille, que estava naquela zona num almoço de negocios, levanta-se do chão... tira o pó do seu fato, sem ainda ter percebido muito o que aconteceu naquele local, e muita mais ainda, sem se aperceber que naqueles ultimos minutos estava morto! Agora uma nova oportunidade lhe tinha sido dada! No alto, vê vultos a voar, raios a serem disparados... Para ele, quase lhe parece algo saído de um filme! Pensa “Bem, vou mas é sair daqui...” Mas sem 1º olhar para cima, e ver parte do prédio a ruir na sua direção. “Oh, merd...” pensa, antes de se ver um grande pedregulho esmigalhar os restantes sobreviventes, e quase tambem tirando a vida a Jesus.

JANE!” Grita, enquanto se levanta... “NÃO ME DEVIAS DE ESTAR A AJUDAR?!?!??!?

Desculpa,” diz ela “mas é que eu apostei que os tipos da direita iam derrotar os tipos da esquerda... e estava a ver quem ia ganhar!

 

Duncan: “Fim do simulacro!

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Simulação

Brilhante, o que este homem faz pra ter PP's!

Corrosion!

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogado