Longinus

Uma cidade a arder, mulheres e crianças a serem selvaticamente violadas, homens cortados em cepos de carne e sangue, gritos de dor e sofrimento ecoam à minha volta.Não me consigo mexer... não consigo reagir... do negro do céu surge uma figura imponente que paira sobre os escombros e as labaredas, um homem com um capacete de guerreiro, uma cota de malha e uma veste branca com uma cruz vermelha no centro empunha uma espada em forma de cruz que crava na terra, olha-me directamente e diz com uma voz de trovão."Este não é o mundo de Deus! Este é o mundo que Deus criou e o homem corrompeu! Chegou a hora do homem se redimir perante o seu criador, chegou a hora de devolver a paz à terra e curar as suas feridas, chegou a hora do homem pagar pelos seus pecados contra a criação de Deus! Tu serás um instrumento dessa redenção! Tu serás a mão negra de Deus, a espada flamejante, os relâmpagos o enxofre o fogo que Deus lançou sobre Sodoma e Gomorra e agora lança sobre todo o mundo para cauterizar a ferida provocada pela fraqueza do homem! Tu foste escolhido entre aqueles que rejeitaram o senhor para o servirem agora! Tu és..."

Som de um caixote a partir. Acordo. Passos apressados e partes móveis de metralhadoras automáticas a agitarem-se com os movimentos bruscos dos seus utilizadores, são eles.

20 Metros.

Não pararam de me seguir desde o ataque à Catedral, 5 dias em fuga pelos esgotos, vielas e submundo de Nova York. Escondi-me para poder dormir, finalmente, mas eles encontraram-me. 

15 Metros.

Novatos, passam por uma poça de água, consigo contar os barulhos provocados pelas mil e uma características que distinguem um homem de outro. São 10.

10 Metros.

O som do metal do carregador a deslizar pelo compartimento do cabo da minha pistola pára, tiro a segurança, carrego a primeira bala. Estou pronto.

5 Metros.

Estou escondido num cruzamento entre becos, eles vêm pela direita, o beco em frente vai dar a uma rua principal. São 10. Respiro fundo. Mata os pecadores. Todos.

Vai!

 

Corro pelo cruzamento.

 

2 metros de largura, 0.67 segundos entre cada tiro.

 

Largo três tiros certeiros, um na cabeça do que vinha à frente, um no coração do segundo, um no peito do terceiro. Lanço-me pelo beco da frente uso um caixote como apoio e salto para uma escada de emergência.

 

1 metro e meio de altura.

 

Fica quieto. Controla a respiração. São 7.

 

"Rápido vocês três dêem a volta e apanhem-no pelo outro lado! nós vamos por este."

 

Quatro entram no beco empunhando as armas, não vêm nada, passam por mim.

 

3 metros até o mais longe, 1 metro até ao mais perto.

 

Desprendo a protecção que segura a escada, ela cai a direito e vou disparando.

 

Tiro: Olho direito do mais longe.

 

0.67 segundos.

 

Tiro: Meio dos olhos do mais perto.

 

0.67 segundos.

 

Atinjo o chão, rebolo para a esquerda e largo um tiro na perna do que está à minha frente. Ele cai na linha de fogo do colega que estava atrás e é retalhado pelas balas de chumbo em vez de mim.

 

2 segundos.

 

Levanto-me. O que sobre olha atónito sobre o que acabou de fazer.

 

Tiro: Testa.

 

10 segundos.

 

Os outros estão a chegar pela frente.

 

1 metro 50 cm até à esquina do cruzamento.

 

Corro e rebolo para a direita. Levanto-me do outro lado da esquina mal entram no beco. Fica quieto. Controla a respiração. São 3. Consigo ouvir os seus passos. Entram no beco devagar. Observam o massacre. Olham em volta à procura de explicação.

 

Baixo-me. Pego numa pedra.

 

Arco de 10 metros de raio. Inclinação 50º.

 

A pedra voa pelo beco e parte uma janela do lado esquerdo, 2º Andar. Nervosos começam a descarregar as suas metralhadoras na janela. Novatos, no meio de tanto barulho nem me ouvem a disparar.

 

66 balas disparadas.

 

Dobro a esquina e entro no beco.

 

Tiro: 5 metros. Acerta no pescoço do primeiro.

 

0.67 segundos. 80 balas disparadas.

 

Tiro: 5 metros e 50 cm. Acerto na tempôra do segundo que se virava para ver porque é que estava salpicado de sangue.

 

0.67 segundos. 96 balas disparadas.

 

O terceiro, ao ser atingido pelo corpo do segundo, vira-se e dispara sobre mim. Não sai nada. Novato, não contou as balas. Aponto a minha pistola ao meio dos olhos dele.

 

6 metros.

 

"Desculpe... não me mate... estava só a cumprir ordens... por favor!!! Tenho mulher e filhos... só faço isto para os sustentar!! Perdoe-me por favor!!!!"

 

Banhado em lágrimas e ranhos. Vergonhoso.

 

2 segundos.

 

6 segundos.

 

10 segundos.

 

Ele não procura a salvação, procura um salvamento. A sua redenção não é sincera.

 

Deus tratará de o julgar, não eu.

 

Tiro: Testa.

 

3 segundos.

 

O cérebro desliga do resto do corpo. Músculos desligam. Nada resta para combater a gravidade. Ele cai no chão.

 

"Deixaste um vivo" Uma voz feminina atrás de mim.

 

Viro-me e aponto instintivamente a pistola para de onde veio a voz, um bocado mais acima, foco-me mesmo no meio dos ... olhos ... castanhos, profundos, suaves... sem medos.

Olho para o todo.

Uma mulher de gabardina preta até à cintura.

1 metro e 67 cm.

Cabelos e olhos castanhos, uma expressão descontraída...

É bonita.

"Á tua esquerda ao pé da parede" diz com uma voz melodiosa. Um truque. Não vou olhar.

Oiço uma voz à procura ofegante. Vou olhar.

1 segundo.

Ela tem razão, o primeiro desta série de três está vivo. Acertei no pescoço mas não o matei.

10 balas. 9 mortos.

Não devia ter parado para dormir. Deixou-me desleixado.

"Não te preocupes com ele, não está em posição de nos interromper. Temos coisas para falar tu e eu" Ela põe a mão ao bolso. Em qualquer outro dia tinha disparado de imediato.Não consigo ... aqueles olhos, porque é que não consigo parar de olhar para aqueles olhos. O que é que eles têm? Tenho uma pistola apontada ao centro nevrálgico mais importante do seu corpo e ela não mostra medo, olha descontraidamente, como se eu não estivesse aqui sequer.

Não terá medo da morte? será uma verdadeira crente?

Ela tira um cartão branco, três dígitos.

"1", "0" e "1".

A marca dos Seguidores! Quem é esta mulher?

"Eu sou a tua oportunidade para servires melhor o teu senhor, podes vir comigo e aprender como fazer melhor o teu trabalho, ou podes ir-te embora e nunca mais me veres. Escolhe?"

2 segundos.

Ponho a pistola no coldre.

Ela sorri

"Óptimo, vem comigo, tens muito que aprender".

------------------------------------

Não sabe o seu nome, de onde veio, quando exactamente começaram as alucinações. Apenas sabe que um dia deu por si num fato de protecção preto com duas armas na mão e uma missão: Limpar a corja do mundo.Foi na Catedral que ele se tornou o que é agora, através de experiências com químicos que aumentam a força, capacidade sensitiva, velocidade, resistência. Foi sujeito a horas, dias, meses, anos(?) de programação subliminar intensiva, hipnotismo, tortura. Até estar certo da sua missão e esquecer todo o passado.

Apenas se lembra duma coisa, um símbolo utilizado pelos homens que o transformaram, um círculo entre dois traços verticais.

Quando a Catedral foi atacada ele fugiu, lutou para sobreviver até ser acolhido na The 101, agora serve-os acreditando que eles o irão fazer seguir o verdadeiro caminho que Deus escolheu para ele.

Nota: um círculo entre dois traços verticais é tipo isto: |O|, não necessariamente isto: 101.

Nome de código: Longinus

Motivations: Livrar o mundo dos que desafiam a lei de deus (essential); Predador (devido as suas capacidades aumentadas e sentidos despertos); Pistolas gémeas (a verdadeira arma de Deus hehe).

Milstone: Devido ao tempo que passou a ser programado Longinus tem alucinações e ataques de loucura que aparecem a qualquer altura, normalmente incluem os mandamentos e palavras de ordem que ele não consegue ignorar. Também devido à infestação do seu corpo com químicos que aumentam as capacidades, ele não pode sobreviver sem eles. Se ficar muito tempo sem restabelecer a sua dose começa a ficar com espasmos e o seu corpo começa a falhar por completo. 

Longinus tem nas costas uma tatuagem duma cruz preta, o traço horizontal vai de ombro a ombro e o vertical desde a nuca até ao fim das costas. Tem também outra junto do peito esquerda, em forma de ponta de lança que de vez em quando começa a doer, também parece haver qualquer coisa dura debaixo da sua pele nessa zona que ele nunca descobriu o que é.

Referências: Noir (anime), Azrael (personagem da DC Comics), The Boondock Saints (filme), Equilibrium (filme), Sin City (filme).

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"