Fogo sobre Omac (Burning Empires)

Retrato de jrmariano


Impérios a Ferro e Fogo

Esta é uma civilização no limiar da destruição

Para a humanidade, este é ano 597 da Era Hanrilke. A Grande Guerra Civil chegou ao fim e em vez de providenciar uma resolução definitiva quanto à sucessão difícil ao trono imperial este conflicto consegui apenas dividir ainda mais a humanidade. Estes novos impérios, sempre em guerra, são agora na sua totalidade, apenas uma fracção da extensão gargantuesca do antigo império.

O Império Hanrilke, outrora uma símbolo da paz e ordem universal, é agora apenas uma memória longínqua e distante. As casas nobres do Império Darikhan tomaram posse do trono Hanrilke e os Gonzagin revindicaram a linhagem Hanrilke como sua. Onde antes existia apenas um único imperador que zelava por toda a vida humana, existem agora "Impérios de Ferro", estados interestelares governados por nobres patéticos. Estes nobres, aguerridos e gananciosos, mantêm guerras fronteiriças entre si, cada um dos seus estados espiando o seu vizinho e tentando sabotá-lo sempre que possível.

A Mundus Humanitas, anteriormente considerada a religião estatal do Império Hanrilke, foi oficialmente proscrita pelo Império Darikahn, e a sua influência em toda a esfera humana está a desmoronar-se. Onde antes esta era a verdadeira e única fé, galvanizando toda a humanidade, agora é apenas um dos centenas de cultos locais que competem entre si freneticamente. A Igreja tenta desperadamente subjugar estes heréticos, mas, sempre que um destes ninhos é esmagado, outro sai à luz do dia para infestar e infectar.

Esta é uma civilição à beira do desastre. A raça humana ameaça despadaçar-se a si própria devido à inveja e à ganância. E a maioria menospreza totalmente a verdadeira ameaça Vaylen.

Pois será o verme o arauto do fim dos dias...

O verdadeiro rosto do fim

A sul da galáxia, longe destes poderosos e patéticos estados, tragando o que era antes o grande império, habita o inimigo: os terrores, os vermes, os Vaylen.

Inexoravelmente e furiosamente, os Vaylen têm-se alimentado do nosso separatismo, da nossa necessidade em nos considerarmos únicos, independentes e indíviduos. Alimentam-se de nós e engolem-nos, mundo a mundo. Têm possuído os corpos e mentes de biliões de pessoas. Têm-nos cultivado, trepanado e usado - como recipientes, modelos e substitutos.

Nos homens, os Vylen encontraram aquilo que tão profundamente lhes faltava: emoção, imprevisibilidade, utilidade, criatividade artística e o mais importante, verdadeira consciência sem limites.

Sem nós, eles estão condenados e aprisionados no seu estado animal ou em algo ainda menos que humano. Colocados dentro de uma mente humanas eles ficam completos e inteiros. Podem habitar as nossas mentes e viver as vidas nunca teriam - nem poderiam - ter sem nós.

O fogo é o teu destino

Encurrulada e condenada, este é o momento derradeiro providenciado à humanidade para que esta possa arder numa pira abrasadora e solene. É a última oportunidade para que possamos protelar o fim e viver para reconstruirmos o que se arruinou, ou até, alcançar feitos ainda maiores.

Ainda existe esperança? Só depende de ti. O que vais escolher? Vais sacrificar o teu dever, as tuas obrigações, os teus amores, os teus laços, as tuas preocupações, os teus fihos, a tua própria vida para lutar esta guerra sombria? Ou não conseguirás aceitar que o fim dos tempos chegou, e sucumbir ao verme - mantendo tragicamente fiel aquilo que acreditas, que pensas que é importante, até que seja demasiado tarde. Até que tudo o que te é mais caro - os teus mentores, os teus companheiros, os teus amados, esposas e filhos - se tornem um deles, um dos vermes, um dos terrores.

Até que te tomem firmemente pela mão e te levem a uma dessas câmaras onde o cirugião te espera, empunhando uma estranha ferramenta nas mão, o verme contorcendo-se num recipiente ao seu lado. Sim, é o teu fim mas é também o nascimento de um Vaylen, as tuas memórias sendo agora as dele, enquanto observas, impotente, por intermédio dos olhos que já foram teus.

Escolhe bem. E reza para que sejas sensato o suficiente para que reconheças a escolha que fizeste.

[Esta aventura faz parte de um cenário de demonstração do jogo de RPG Burning Empires, pensada tendo em conta a existência de quatros jogadores mais Mestre de Jogo e que deverá ser supostamente jogada no decurso de quatro horas. Neste cenário os jogadores jogam a sua quarta manobra de Infecção contida na fase de campanha hipotética de Invasão do mundo de OMAC. Qualquer pessoa interessada em querer experimentar este jogo pode mandar PM ao utilizador jrmariano ou ao utilizador João para que se posa combinar a sessão de demonstração. Podes também mandar um mail para jrmariano@hotmail.com. Podes desde já ler todos os materiais disponíveis nesta secção. Nenhuma informação aqui contida é secreta ou só destinada ao conhecimento do Mestre de Jogo. Sintam o fogo e deixem-se marcar por ele!]

AnexoTamanho
BE Img 02.jpg20.38 KB
BE Img 01.jpg31.72 KB
BE Img 03.jpg23.42 KB