Segredos de Vesania - Sessao 1 (D&D 3.5)

Esta campanha toma lugar na zona oeste de Vesania, uma zona misteriosa separada do resto do continente pela Highwall, uma enorme muralha que se estende por centenas de quilómetros.

A party é composta por estranhos que se conheceram no principio da campanha e formar um aliança por terem um interesse comum nas misteriosas terras a Oeste.

Marmengil, um goliath de Ost Garen uma ilha do arquipélago de Adenia, Clavius um humano que aparenta estar ao serviço das forças oficiais do reino, Celer Paries Magnus Telem, um ex-militar que serviu no exército real, Aboshan um jovem spellcaster, e Nathan Maddox um ranger de passado incerto. Na 1ª sessão 3 dos membros da party (Marmengil, Celer e Aboshan) encontraram-se no Keep da Highwall onde falaram com Lord Commander Eric Valorn, o comandante da guarnição da Muralha, e lhe mostraram as autorizações especiais que tinham para viajaram para lá desta, em direcção ao oeste, cada um com os seus próprios objectivos.

Eric Valorn acedeu, pois as autorizações especiais eram válidas, mas só na condição de os PC’s fazerem parte de uma equipa de buscas que irá procurar scouts desaparecidos que o Keep enviou para oeste para investigarem ocorrências estranhas que aconteceram recentemente, especialmente certas luzes no horizonte.

Marmengil e Celer haviam aparentemente chegado juntos e já se conheciam e apesar de inicialmente relutantes dada a idade do jovem Aboshan lá acederam e este passou a viajar com eles.

A acompanhar os PC’s vai um NPC, de seu nome William Sand, com a alcunha de “Sparrow”, um scout do Keep que os ajudará a encontrar os outros scouts perdidos.

O grupo partiu passados 3 dias a preparar a viagem, comprando mantimentos, equipamento etc.

Após as primeiras horas de caminho por uma estrada de terra batida que segue para oeste os PC’s depararam-se com o que irá ser a paisagem habitual desta misteriosa região. Na sua maioria um deserto de pedra, coberto permanentemente por um nevoeiro.

A luz do sol quando forte permite ver por vezes até umas boas centenas de metros, (700/800), mas na maior parte do tempo a névoa cobre tudo numa distância até aos 100 metros mais ou menos.

Depois de caminharem durante 7 horas o grupo deparou-se com um rio largo que seguia para noroeste, e passado pouco tempo com uma ponte de madeira que o atravessava.

Decidindo investigar, descobriram sobre a ponte um homem caído e ferido e perto dele um cavalo que o tentava acordar.

Acordando o homem, este apresentou-se desde logo algo confundido e aturdido e às perguntas que lhe colocavam so soube dar o seu nome, Nathan, dizendo que do resto não se lembrava.

Como não o podiam abandonar ali e tinham que prosseguir a missão aceitaram a que o estranho viajasse com eles e fizesse parte do grupo.

Apos algumas horas de viagem Sparrow descobriu pegadas na terra e seguindo-as para noroeste o grupo acabou por se deparar com o corpo de um dos scouts num aglomerado de arbustos.

Depois de enterrar o morto decidiram pernoitar ali.

Durante a noite a party foi atacada por duas estranhas e horríveis criaturas, semelhantes a cães, cobertas de espinhos. Seguiu-se um combate árduo mas a party venceu o encounter sem problemas de maior.

De manhã continuando a seguir para Noroeste, em direcção a umas montanhas no horizonte, a meio da tarde depararam-se com algo que não esperavam encontrar, uma aldeia ali no oeste.

Aproximando-se viram que era uma simples comunidade piscatória que parecia ter sido recentemente atacada e abandonada, várias das simples casas de telhados de colmo e madeira estavam desarrumadas por dentro, de portas e janelas abertas.

No centro da pequena aldeola estava uma grande estátua de pedra branca, de um humano encapuzado, com uma mão erguida na qual estava “empalado” um corpo, o segundo scout. Na estátua havia também runas na base nas quais Aboshan usou alguma da sua magia para as identificar.

Marmengil retirou o corpo e enterrou-o e depois de Aboshan dizer que as runas significavam palavras como Tirania e Opressão, o grupo deduziu que a estátua era de alguma entidade maligna e decidiram parti-la.

No primeiro ataque Marmengil atacou o braço erguido com a espada, mas a estatua repeliu o ataque, atirando o goliath para trás magoando-o. Os ataques seguintes surtiram efeito e a estátua foi desfeita.

Investigando mais na aldeia descobriram um alçapão numa das casas que tinha sido incendiada, que dava para uma cave na qual estavam três dos habitantes mortos, apresentando feridas e um aspecto muito magro.

Durante uma caçada Nathan descobriu várias pegadas humanóides que seguiam para uma floresta a sul.

No dia seguinte o grupo seguiu para a floresta e já perto desta começaram a ouvir uns sons abafados parecidos com um cavalgar. Passados alguns segundos surgiu vindo de norte um homem montado num cavalo, que se apresentou como Clavius dizendo que seguia a party há algum tempo, e disse que vinha da parte de Eric Valorn e queria falar com William Sand.

Aparentemene é um scout que chegou para ajudar o grupo.

Continuando o caminho para a floresta, o grupo rapidamente se embrenhou nesta e após hora e meia, duas horas de viagem viram uma clareira ao fundo, por entre as arvores, de onde provinha um cântico de vozes humano (algo do estilo gregoriano).

Aproximando-se do local viram um grupo de 4 homens com robes e capuzes, armados, e o terceiro scout deitado numa grande pedra rectangular desmaiado.

Um dos homens segurava uma adaga por cima deste, pronto para o matar.

A party interveio e seguiu-se um combate algo difícil, sendo que o estranho que segurava a adaga era um spellcaster que ficou invisível e atacou depois com um raio de chamas que por pouco não pôs Clavius fora de combate.

Depois de derrotarem os outros três (lutadores melee) o spellcaster tentou fugir para a floresta mas Nathan perseguiu-o e matou-o.

Uns segundos depois de cair ao chão um homem com aspecto de guerreiro, em tronco nu, materializou-se ao pé do caster e segurando-o desapareceu de repente com o corpo, deixando para trás apenas a adaga que ia ser usada para matar o scout.

O terceiro scout estava ainda vivo apesar de mal poder falar com o enorme choque.

Na clareira a party viu também um cairn antigo que tentaram explorar mas que, não conseguindo mover o pedregulho que bloqueava a entrada, deixaram para mais tarde.

Cumprida esta missão inicial o grupo voltou para o keep, para fazer o report, e para que o Comandante Valor interrogasse o estranho Nathan.

À chegada foram sondados por magos que procuravam por sinais de corrupção nestes, não encontrando nada deixaram-nos ir fazer o relatório a Eric Vallorn.

O comandante ouviu o relatório ficando admirado com tudo, principalmente a presença de populações para lá da muralha, e interrogou depois Nathan em privado.

No dia seguinte o Comandante Vallorn deu mais uma vez autorização à party para partir para Oeste, incluindo Nathan da qual a party continua a não saber nada.

Preparando mais uma vez mantimentos a party saiu mais uma vez em direcção a oeste, para revisitar o a clareira onde combateram e ver mais uma vez o misterioso cairn.

Não conseguindo, mas uma vez, entrar no túmulo, decidiram explorar as terras para sul.

E depois de horas de viagem viram ao fundo sinais de outra população.

Ao lá chegarem depararam-se com uma aldeia maior que a primeira, também aparentemente deserta e no centro do qual estava uma estátua, desta vez maior que a primeira e com runas do mesmo estilo na base.

Vendo as janelas e portas das casas fechadas, tentaram abri-las e encontraram-nas fechadas. Depois de as forçar depararam-se com pessoas reunidas dentro das casas, como que escondidas de algo. Como não falavam nenhuma língua que os personagens conhecessem as tentativas de comunicação foram difíceis, apesar de facilitadas pela magia de Aboshan.

Percebeu-se que as pessoas estavam há algum tempo escondidas, porque estavam magras e com fome.

Reverenciavam com temor a estátua e quando a party lhes fez entender que iam partir a estátua ficaram aterrorizados e disseram para não se fazer tal coisa.

De repente nos telhados das casas surgiram duas criaturas pequenas de aspecto humanóide mas com asas parecidas às dos morcegos (menphits) que atacaram o grupo.

Matando-os rapidamente os aventureiros viram a surgir na crista de uma colina fora da cidade 3 homens, dois deles armados com arcos.

Reagindo rapidamente os arqueiros da party (Nathan e Clavius) começaram a disparar tentando atingir os homens, enquanto Marmengil e Celer se aproximavam deles.

Os 3 adversarios da party retrocederam, embora um ainda fosse derrotado durante a fuga.

Um dos homens revelou-se mais uma vez um caster que fez de repente surgir uma enorme criatura de fogo com um aspecto vagamente humanóide (Efreet), criatura esta que para parar o avanço da party fez surgir uma enorme parede de chamas.

O spellcaster invocou também uma centopeia gigantesca e fez surgir um globo de escuridão à sua volta para se proteger.

Dois membros da party atacaram o spellcaster tentando mata-lo na darkness e a party acabou por vencer o encounter, não sem antes ter levado com uma fireball em cima.

Com a morte do spellcaster, o Efreet e a centopeia desapareceram e a primeira sessão acabou com o fim do combate.