Peter Anderson (Manuel Sousa)

Nome: Peter Anderson (Manuel)
Profissão: Médico
Descrição: Primogénito do casal Anderson. Os anos de liceu de Peter fizeram dele, sem dúvida, o orgulho do pai. Bom aluno, sempre foi popular entre os seus colegas, membro da equipa de futebol, parte do grupo dos alunos mais populares do liceu. Nunca se meteu em problemas, sempre teve boas notas e era um excelente desportiva, o que fez com que o pai se habituasse a confiar implicitamente nele, e lhe grangeou uma certa independência bastante cedo. A isso soma-se o facto de ele ter tido muitas vezes de tomar conta das irmãs mais novas. Estas adoram o seu irmão mais velho e sempre se habituaram a olhar para ele como uma figura quase paterna, quando o pai, devido à grande quantidade de trabalho, se encontrava ausente. No liceu, dividia a liderança da equipa de futebol com Ted Woodrow, o filho mais velho da família Woodrow. A rivalidade entre eles cresceu cada vez mais durante o liceu: ambos eram atletas excelentes, ambos eram populares, ambos vinham de boas famílias. Um outro facto contribuiu para a rivalidade e competição entre os dois rapazes, a partir do seu quarto ano. Ambos gostavam de Patricia Halley, dois anos mais nova que eles, e que se tornara a cheerleader mais bonita e popular do liceu. Esta rivalidade transformou-se em inimizade pois Patricia tornou-se a namorada de Peter. No baile de finalistas do liceu ele foi eleito rei do baile, ela rainha, o que selou a impossibilidade de reconciliação entre os dois rapazes. Dois anos mais tarde ela seria Valedictorian.
Os pais, e principalmente as mães dos rapazes, sendo amigas, sempre olharam para a rivalidade entre os dois como sendo "coisas de rapazes" e não se preocuparam muito para que eles se "dessem melhor".
A seguir ao liceu, Peter foi estudar medicina e graduou-se magna cum laude. Nesse período sempre voltava a casa durante os fins de semana e férias. Posteriormente, fez dois anos de internato em Nova Iorque, onde Patricia o visitava regularmente. Finalmente, aos 27, volta para a sua cidade natal, para trabalhar com o pai na sua clínica, o que novamente foi como que uma prenda inestimável para o Anderson senior. A volta de Peter à cidade reacende velhas rivalidades com Ted Woodrow. O sucesso revelado por Peter só deteriorou ainda mais a relação com Ted, que entretanto estudou direito e voltou para assumir o seu papel de príncipe herdeiro da cidade. Um rumor que correu pela cidade, assim que Peter voltou, foi o da grande festa de noivado com Patricia que a mãe dele está a preparar com a ajuda de Felicia Woodrow, e que deverá ser um dos acontecimentos sociais da cidade do ano. A sofisticação Nova-iorquina que Peter entretanto adquiriu fê-lo sentir a diferença ao chegar à cidade, embora as irmãs imediatamente o tenham reposto no seu papel de "irmão mais velho" pois afinal, "ele é cool", e serem conduzidas por ele num Mercedes descapotável à escola de vez em quando só lhes dá mais estilo. Peter voltou à cidade em 2002 e envolveu-se activamente na investigação de todos os casos misteriosos do “Longo Inverno”. Ficou célebre pela sua defesa dos valores tradicionais, por achar que o Reverendo Sanders – que Michael Adler praticamente provou ser um demónio – era um bom homem e por administrar sedativos à maioria dos seus pacientes (e a si próprio também). Durante a ausência do pai, ocupou o cargo de director da clínica. Depois do regresso do velho médico, Peter decidiu voltar a Nova Iorque, onde actualmente trabalha.
Idade: 31 anos