Weapons of the Gods - Parte 1

Retrato de HBarbosa

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

pergunta antecipada

Excelente review, Dwarin, já cá faltava uma apresentação de WotG. Claro que já sabemos que consideras ser este o melhor RPG do universo, por isso pergunto-me se poderás ser imparcial ;) Tenho uma questão relativamente ao sistema de combate, sobre o qual penso que irás falar a seguir.

Ao ver mais uns filmes e ao ler mais uns comics, fico com a ideia que o kung fu - dentro do estilo wuxia - se distingue bastante da ideia normal de combate. Chama-me à atenção o seguinte:

  1. Parte-se do princípio que toda a gente é bastante ágil, fléxivel e forte - o suficiente para fazer quase qualquer golpe. Ser melhor em kung fu não é uma questão atlética.
  2. Gravidade é opcional. Qualquer movimento em qualquer momento pode parar no ar e mesmo mudar de direcção com uma qualquer desculpa (tipo, bate o pé na própria espada).
  3. O confronto em si tem uma certa carga de simbolismo, ou seja, é quase uma dança que representa a forma como cada uma das forças se opõem. Dois mestres podem lutar durante largos minutos sem nunca alguém chegar a levar com um golpe.
  4. Ser melhor em kung fu tem muito mais a ver com inteligência e conhecimento do que com atributos físicos. Muitas vezes, aparecem menções a técnicas secretas, técnicas que ainda não se aprendeu e técnicas que já se reconhece e que se frustram facilmente.
  5. Tendo em conta que todos os praticantes parecem já dominar os limites da capacidade atlética humana, é preciso mesmo chegar ao ponto do sobrenatural para se tratar de alguém extraordinário fisicamente.

A minha pergunta é: quão bem consegue o WotG explorar estes pontos que distinguem o combate wuxia?

Rick Danger escreveu:

Rick Danger escreveu:

Excelente review, Dwarin, já cá faltava uma apresentação de WotG. Claro que já sabemos que consideras ser este o melhor RPG do universo, por isso pergunto-me se poderás ser imparcial ;)

Não, do universo é Call of Cthulhu. Laughing

Rick Danger escreveu:

Parte-se do princípio que toda a gente é bastante ágil, fléxivel e forte - o suficiente para fazer quase qualquer golpe. Ser melhor em kung fu não é uma questão atlética.

Não, não é preciso ser atlético para ser o melhor em Kung-fu. Quando chegar à secção das técnicas de kung-fu, depressa perceberás que conta muito a técnica que se sabe. Por exemplo, alguém que saiba a técnica Heart Moves the Blade (uma técnica Uncommon) tem alguma vantagem sobre alguém que saiba uma técnica Common. As técnicas Rare são muito superiores às outras duas. Claro que só os guerreiros bastante evoluídos têm chi para activar as técnicas muito superiores.

Rick Danger escreveu:

Gravidade é opcional. Qualquer movimento em qualquer momento pode parar no ar e mesmo mudar de direcção com uma qualquer desculpa (tipo, bate o pé na própria espada).

Sim, isto é um elemento muito marcado de Wuxia. Vemos isso no Tigre e no Dragão quando as duas guerreiras se perseguem nos telhados de Pequim ou a famosa cena da floresta, ou no Hero com o Jet Li em que eles lutam por cima da água.

Rick Danger escreveu:

O confronto em si tem uma certa carga de simbolismo, ou seja, é quase uma dança que representa a forma como cada uma das forças se opõem. Dois mestres podem lutar durante largos minutos sem nunca alguém chegar a levar com um golpe.

Exacto. Na maioria das vezes, a derrota do inimigo não passa por eliminá-lo fisicamente. Por vezes, basta demonstrar a superioridade de outra forma para ganhar o combate. Por exemplo, desarmando-o, ou então, como é muitas vezes comum, desafiando o inimigo a acertar em três golpes ou menos. Se o heróis consegue evadir esses três golpes ganha o combate. Por vezes nem é preciso que se toquem. Basta um dos intervenientes demonstrar a pujança da sua técnica de kung-fu para o oponente se aperceber que não está à altura. Por exemplo, com um golpe partir uma parede à distância, ou usar uma maravilha do kung-fu (explico noutra secção).

Rick Danger escreveu:

Ser melhor em kung fu tem muito mais a ver com inteligência e conhecimento do que com atributos físicos. Muitas vezes, aparecem menções a técnicas secretas, técnicas que ainda não se aprendeu e técnicas que já se reconhece e que se frustram facilmente.

No mundo do Wulin, o kung-fu é um meio de atingir os fins, quer sejam fins políticos, espirituais ou físicos. Ajuda muito ter os contactos certos, saber quem é quem, etc. Por exemplo, do ponto de vista da cultura wuxia, podemos influenciar o chefe do clã convencendo o pai dele em vez do irmão, porque na China o pai tem muito mais influência que o irmão. As técnicas secretas (que em WotG se denominam Formless Techniques) são, de facto, as técnicas máximas, ultrapassando mesmo as Rare em pujança.

Cada técnica de kung-fu baseia-se num elemento como em cima expliquei e cada elemento está associado a um atributo (mental ou físico). O valor do atributo em questão determina a quantidade de chi que a personagem usa para activar a técnica a que diz respeito, por isso, sim, é possível ter técnicas baseadas nos atributos mentais. Music of War, por exemplo, baseia-se no skill Performance e permite usar a música para causar dano. Quem viu o Kung-fuzão lembra-se da cena do Guqin em que o mestre "dispara" a música à distância e corta cabeças.

Rick Danger escreveu:

Tendo em conta que todos os praticantes parecem já dominar os limites da capacidade atlética humana, é preciso mesmo chegar ao ponto do sobrenatural para se tratar de alguém extraordinário fisicamente.

Para nós, Ocidentais, sempre que vemos wuxia e os saltos mirabolantes e os golpes que permitem atacar à distância, consideramos isso sobrenatural ou magia. Os Chineses, no entanto, consideram isso o treino da mente e do corpo até atingirmos limites sobrehumanos (não necessariamente sobrenaturais). A princípio as personagens apresentam características mentais e físicas acima da média humana, sim, mas nada comparado com os melhores guerreiros do Wulin. Esses demoraram anos a treinar-se para atingir o nível actual, mas tudo isso continua a ser considerado apenas treino. Os Chineses nunca o consideram super-poderes (como os super-heróis) ou magia. É apenas treino intensivo para despoletar o potencial interno que temos através do chi.

Rick Danger escreveu:

A minha pergunta é: quão bem consegue o WotG explorar estes pontos que distinguem o combate wuxia?

Espero que com as minhas próximas secções te possa esclarecer esses pontos. Daí a minha apresentação do jogo tenha várias partes. Acho que não lhe conseguiria fazer justiça só com uma secção. Laughing

***** 

"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"