Shadows Over Camelot

Retrato de pringi
Shadowsovercamelot.jpg

Jogo cooperativo. Mas o que é um jogo cooperativo? Neste caso é todos os jogadores contra o tabuleiro. Ou vence o tabuleiro ou vencem todos os jogadores.

O Shadows foi o primeiro jogo cooperativo que joguei. Um jogo cheio de interacção entre os jogadores. Afinal são todos contra o tabuleiro. À partida estava um bocado receoso se o jogo era minimamente interessante. Afinal os jogos são sempre competitivos e geralmente a competição é entre jogadores e não todos os jogadores contra o tabuleiro.

Um dos grandes problemas neste jogo é arranjar jogadores que realmente cooperem. Se as pessoas não souberem cooperar o jogo está perdido para o tabuleiro. Os cavaleiros têm de saber sacrificar-se pela reino. Pode acontecer terem de se suicidar para continuar a haver esperança em Camelot. Esperança que o mal seja derrotado pelos cavaleiros que restam.

Este jogo apesar de ter um jogo de tabuleiro é mais jogado com cartas. O tabuleiro em si representa as diferentes demandas(quests) que temos para conseguir derrotar o mal, e é também o local onde o mal está representado.

O jogo em si é simples. Em cada turno, um jogador efectua duas fases:

  • A fase da progressão do mal (O jogador joga pelo tabuleiro)
  • A fase das Acções Heroicas (isto é, o jogador joga para derrotar o mal)

Durante a fase de progressão do mal o jogador pode escolher uma de 3 acções:

  1. Perde um ponto de vida
  2. Vira uma carta de progressão do mal
  3. Coloca uma catapulta a cercar Camelot

Durante a fase das Acções heroicas o jogador pode fazer uma das seguintes acções:

  • Ir para uma nova demanda
  • Realizar acções numa demanda específica (se estiver a efectua-la)
  • Jogar uma carta branca especial
  • Curar-se
  • Se houver traidor tentar acusá-lo

O mal ganha se uma das seguintes condições se realizar:

  1. Existirem 12 catapultas a cercar Camelot
  2. Existirem 7 ou mais espadas pretas na Távoa Redonda
  3. Todos os cavaleiros leais terem sido mortos

Os cavaleiros vencem quando existirem 12 espadas na Távoa Redonda e a maioria for espada branca (espadas leais).

Para ganhar as espadas brancas, os cavaleiros têm de realizar com sucesso diversas demandas. As demandas mais difíceis dão mais espadas brancas e outros bónus. Se um ou mais cavaleiros falharem a realização com sucesso de uma demanda, espadas pretas irão povoar a Távoa Redonda.

Parte do tabuleiro

 

Cada demanda é representada no tabuleiro. A progressão na demanda (quer do bem quer do mal) vai sendo também mostrada no tabuleiro.

 

Cada jogador joga com um cavaleiro diferente e cada cavaleiro tem um poder especial diferente. É preciso muita colaboração para vencer o jogo. Sem ela muito dificilmente se vence.

Para tornar o jogo ainda mais aliciante, um dos jogadores pode ser traidor à causa de Camelot. Se se decidir jogar com esta vertente do jogo, e se o jogador que calhar ser traidor for realmente bom, então o jogo torna-se muito bom com a suspeita a sobrevoar a Távoa Redonda e com o espectro de traidor a recair sobre a cabeça de cada cavaleiro. A acusação de traidor sobre um cavaleiro inocente trás trágicas consequências para a causa de Camelot.

Joguei com 6 jogadores, um dos quais era traidor, e foi um jogo muito bom e divertido com a suspeita a rondar a cada jogada. Jogadas inocentes pareciam ser de traição. Mas uma boa cooperação entre os cavaleiros leais, fez com que a vitória sorrisse aos cavaleiros leais a Camelot. Laughing

Para quem gosta de jogos em equipa onde todos têm mesmo que remar para o mesmo lado, e se também gosta da época medieval onde o jogo se enquadra, então o Shadows Over Camelot é um jogo mesmo mesmo a jogar.

A componente sorte influencia bastante o jogo, mas se os jogadores souberem cooperar realmente, e por vezes mesmo ter de se sacrificar pelo reino, então o jogo é possível de ser ganho mesmo contra grandes adversidades.

Os materiais que compõem o jogo são muito bons.

Mais informações em:

Vista geral