Sushizock im Gockelwok

Retrato de MGBM

Se o Diamant é sorte sem profundidade, Sushizock im Gockelwok é sorte com profundidade. Um filler de caixa pequena, Sushizock im Gockelwok usa dados e sorte mas ao mesmo tempo adiciona uma boa dose de profundidade que acaba por supreender.

Sushizock im Gockelwok é um jogo do prolífico Reiner Knizia. O objectivo do jogo é ganharmos o máximo de pontos recolhendo as peças de sushi. No entanto precisamos também de espinhas, que nos dão pontos negativos, pois só podemos ter tantas peças de sushi como de espinhas. Obtemos as peças rolando um conjunto de 5 dados até 3 vezes, e conforme o resultado ou tiramos uma peça da mesa ou roubamos uma peça a outro jogador. Somamos tudo no fim e o resultado final são os nossos pontos.

Vamos à pequena análise.

Em termos de apresentação o jogo vem dentro de uma caixa pequena, bem pequena. Quase que cabe na palma da nossa mão. Dentro temos o sushi e as espinhas em formato tipo peças de dominó, usando o mesmo material para as fabricar, e 5 dados de madeira leve. Um pequeno insert funcional e à medida separa as peças dos dados. Três livros de regras, um deles em Inglês, completa o pacote deste jogo. Sendo um jogo pequeno e barato é óbvio que não se pode esperar grande coisa mas a qualidade das peças de sushi e espinhas surpreendeu-me pela positiva. As regras são fáceis de ler e de explicar. Para um filler minúsculo tem uma apresentação decente.

O tema é mesmo colado a cuspo e não pega. Este jogo é um abstracto com imagens de sushi e espinhas. Mesmo assim isso não é detractivo ao jogo, pois o jogo nem precisa de um tema para pegar.

A sorte do jogo está dependente do lançamento dos dados. Como em todos os jogos que dependem totalmente de dados para determinar as nossas acções, um lançamento mau pode estragar-nos o turno completamente. Mas ao contrário do que se possa imaginar o jogo usa mecanismos que controlam não só a sorte como a dão um carácter completamente novo e tornam o jogo em algo muito divertido de se jogar. Aliado a esta sorte temos também um mecanismo de memória, pois temos que nos lembrar dos tiles de pontos que estão empilhados para o caso de queremos roubar um em especifico de outro jogador.

E é isso que proporciona uma boa dose de táctica e uma pitada de estratégia no jogo. Parecendo um paradoxo, estratégia num jogo de dados, as mecânicas acabam por funcionar ao ponto de criarem um pouco de estratégia pois temos que estar atentos não só ao que os jogadores colocam nas suas duas pilhas como podemos fazer alguns planos consoante o que nos sai. A vertente táctica é óbvia, quase todas as nossas jogadas são em virtude do que os dados nos ditam mas raramente poderá acontecer uma situação em que podemos planear a próxima jogada, podendo planear vários planos de acordo com todas as hipóteses que nos possam sair. Ora isto aliado a uma vertente táctica muito bem executada tornam o jogo em algo mais profundo do que à primeira vista possa parecer, e isso eleva este pequeno filler acima de muitos outros. Este é um filler em que realmente uma pessoa se apercebe que tem profundidades escondidas. Admito que as profundidades, assim por dizer, não são fundas de todo mas o importante é que num jogo tão pequeno e curto elas existam e tornem o jogo em algo realmente agradável de se jogar. A combinação de sorte com memória, as mecânicas que nos permitem fazer uso da sorte e a densidade táctica com um bocadinho de estratégia tornam este filler num jogo bem ao estilo do melhor do Dr Knizia.

A interacção no jogo advém somente de podermos roubar, ou ser roubados, os outros jogadores. Embora uma única acção o roubo constitui o melhor mecanismo de garantirmos a nossa vitória ao mesmo tempo que conseguimos diminuir as chances de outro jogador. Como tal este jogo poderá ser um pouco porco para um filler pois torna-se às vezes num toma lá dá cá. Para um filler este jogo pode-se tornar demasiado agressivo às vezes.

Um lightweight com sabor a mais pesado, este filler é leve no tamanho, preço e regras. Como tal é perfeito para introduzir a novatos embora este jogo não tenha um apelo universal. Irá haver pessoas que não vão ficar impressionadas de todo com o jogo.

O downtime é mínimo e o problema de analysis paralysis nem se equaciona no jogo. Sabe-se sempre o que fazer portanto o jogo desenrola-se a um ritmo rápido.

As partidas não costumam demorar mais de 20 minutos, sendo a média de 15 minutos, o que é ideal para jogar entre jogos grandes. A grande falha deste jogo é como ele se escala com o número de jogadores. A 2 é um bom jogo, a 3 é excelente, a 4 é decente e a 5 é completamente horrível. Se estão a pensar em comprar o jogo para jogar com 5 então esqueçam, este jogo a 5 é realmente mau. Mas com 4 ou menos o jogo joga-se bem.

O visual do jogo é minimalista, com as pecinhas de dominó empilhadas em dois montes à frente de cada jogador e 5 dados a serem lançados. Não é um jogo que vá atrair a atenção de muita gente.

E é isto.

Sushizock im Gockelwok é um grande filler. Ponho-o ao lado do Diamant como o meu filler favorito. Sendo pequeno é portátil e com um tempo de jogo na ordem dos 15 minutos é um joguinho que se joga bem em qualquer lado, em qualquer altura.

Pessoalmente gosto bastante de o jogar mas, ao contrário do Diamant, o potencial de uma pessoa se fartar deste jogo é maior. É um jogo para não ser jogado muitas vezes ou acaba por perder a graça. Fora isso este é um jogo perfeito para levar para a universidade e convencer mais 3 pessoas a jogar conosco entre as aulas.

Recomendo este jogo se estão à procura de um filler rápido mas que tenha alguma carne. Uma excelente compra e um óptimo jogo. Quando o Dr Knizia acerta ele acerta mesmo, e neste jogo ele acertou.

15 de 20.

http://www.boardgamegeek.com/game/37400