King's Will

Retrato de Abruk

Sinopse:

Os jogadores tentam construir os seus ducados ao longo de quatro rondas, adicionando novos terrenos, novos aldeamentos e construindo novos edifícios para satisfazer os caprichos do rei a troco de pontos de vitória.

Como se joga:

⇒ Setup

No centro da mesa colocam-se os três tabuleiros: tabuleiro King’s Will; tabuleiro das ações; tabuleiro de desenvolvimento.

Ao lado do tabuleiro King’s Will colocam-se as 21 fichas de edifícios.

No tabuleiro das ações preenchem-se as primeiras 4 casas da esquerda com as fichas “O Rei segue!“, movimento, multiplicador, conspiração; as restantes cinco casas são preenchidas com as outras fichas de ação colocadas aleatoriamente. Por baixo colocam-se as fichas de terreno [milho, pradaria, floresta, montanha, monte, lagos (não no primeiro jogo)].

Ao lados dos edifícios colocam-se as quatro fichas de expansão de armazém, as peças de madeira (peão, aldeia, castelo, mosteiro e vila), as quatro cartas de “custos de construção” e as fichas de pontos de vitória (PV).

Baralham-se as oito placas de viagem, escolhem-se quatro e colocam-se no respetivo espaço do tabuleiro de desenvolvimento com a face oculta. Revela-se a placa do topo. As quatro placas restantes são colocadas na caixa com a face oculta.

Cada jogador recebe uma ficha de armazém; quatro cubos de recursos (castanho, cinzento, vermelho e amarelo); oito discos na cor escolhida; quatro fichas de terreno [(no primeiro jogo aconselha-se) montanha, floresta, peles e milho] e 5 PV.

Os cubos de recursos são colocados nas respetivas linhas [(no primeiro jogo aconselha-se) castanho – casa 1; cinzento – casa 0; vermelho – casa 1 e amarelo – casa 2].

Os discos colocam-se no tabuleiro de desenvolvimento (um na casa 0 do humor da populaçãodois na casa 0 das escalas de educação e de desenvolvimento e um na casa 2 da escala de dinheiro). Os quatro discos restantes ficam na área do jogador.

Baralham-se as cartas com os desejos do rei (objetivos secretos) e distribuem-se duas a cada jogador. Depois de as verem, cada jogador coloca uma dela, de forma oculta, num dos espaços do tabuleiro King’s Will. Cada uma dessas cartas será um dos objetivos finais do jogo. Além dessas cartas colocam-se ainda mais quatro no tabuleiro e as restantes são colocadas de novo na caixa sem se revelarem. No primeiro jogo aconselha-se a jogar com as cartas de A a L e a deixar dois espaços do tabuleiro King’s Will vazios.

⇒ Desenvolvimento

O jogo dura 4 rondas. Em cada ronda os jogadores vão jogando por ordem de turno e executando ações. Uma ronda termina quando a ação “o caminho do rei continua” chega à casa mais à direita do tabuleiro das ações.

Na sua vez um jogador escolhe uma das 5 fichas mais à direita do tabuleiro de ações (1 PV se escolher a ficha mais à direita) e em seguida executa duas ações dessa ficha (a mesma ação duas vezes ou as duas diferentes ações da ficha); em seguida todos os outros jogadores executam apenas uma das duas ações no sentido dos ponteiros do relógio.

20046712_10155632735540555_2495032008291295035_n

Quanto todos os jogadores tiverem tido oportunidade de executar uma ação, o jogador ativo coloca a ficha de ação escolhida na casa mais à esquerda do tabuleiro de ações e empurra todas as fichas para a direita, preenchendo o espaço deixado vago pela ficha de ação escolhida.

Cada ficha de ação tem duas ações (A1 e A2) Existem as seguintes ações disponíveis:

  • Colheita

Ação:
A1 → O jogador recebe uma comida por cada peão nas suas fichas de terreno de milho;
A2 → O jogador recebe uma pele por cada peão nas suas fichas de terreno de pradaria.

Desenvolvimento:
[cada ação dá uma bonificação, o jogador ativo pode ter duas na sua vez]
A1  Se o jogador alcançar a casa 3 da escala de desenvolvimento, recebe mais 1 milho;
A2 → Se o jogador alcançar a casa 2 da escala de desenvolvimento, recebe mais 1 pele.

[a colheita reflete-se no avanço do cubo respetivo nas escalas do armazém dos jogadores, no princípio o armazém tem limite de 4 recursos, o excesso perde-se.]

  • Exploração

Ação:
A1  O jogador recebe uma madeira por cada peão nas suas fichas de terreno de floresta;
A2 → O jogador recebe uma pedra por cada peão nas suas fichas de terreno de montanha.

Desenvolvimento:
[cada ação dá uma bonificação, o jogador ativo pode ter duas na sua vez]

A1  Se o jogador alcançar a casa 1 da escala de desenvolvimento, recebe mais 1 madeira;
A2 → Se o jogador alcançar a casa 4 da escala de desenvolvimento, recebe mais 1 pedra.

 

  • Enriquecimento

Ação:
A1  O jogador pode ver uma carta no tabuleiro King’s Will sem a mostrar aos outros;
A2 → O jogador recebe uma moeda por cada um dos seus peões. Sobe na escala de dinheiro o valor correspondente e desce 2 casas na escala do humor da população.

  • Construção

Ação:
A1  O jogador pode construir um novo aldeamento mas tem de ter um peão na ficha de terreno onde o quer construir e tem de haver um espaço livre. O pagamento faz-se ajustando as respetivas escalas de recursos do armazém do jogador (ver as cartas “custos de construção“).
Há quatro tipos diferentes de aldeamentos e cada um deles tem benefícios diferentes:
» Aldeia – custa 1 madeira e 1 pele e permite obter outro peão na ação Multiplicador (A1). Sobe uma casa na escala de humor da população.
» Castelo – custa 2 madeiras e 1 pedra e permite obter a expansão do armazém. Desce duas casas na escala de humor da população.
» Mosteiro – custa 1 madeira, 1 pedra e 1 pele e permite obter outro peão na ação nascimentos. Desce três casas na escala de humor da população.
» Vila – custa 1 madeira e 1 pele e permite obter outro peão na ação nascimentos. Sobe uma casa na escala de humor da população.
A2 → O jogador pode construir um edifício (21 fichas ao lado do tabuleiro King’s Will) por baixo de uma ficha de terreno (que não tenha ainda nenhum edifício). O jogador ajusta as escalas de recursos no seu armazém, e a escala de dinheiro e humor da população no tabuleiro de desenvolvimento. Não necessita de ter peão nem aldeamento!

Educação:
A1  Se o jogador alcançar a casa correspondente à construção pretendida na escala de educação, paga 1 recurso a menos, à sua escolha;

  • Governo

Ação:
A1  O jogador avança com o seu disco, uma casa na escala de educação e outra casa na escala de humor da população, no tabuleiro de desenvolvimento.
A melhoria do nível da educação dos jogadores, reduz os custos de construção:
» Na casa 1 reduz 1 recurso na construção de aldeias;
» Na casa 2 reduz 1 recurso na construção de castelos;
» Na casa 3 reduz 1 recurso na construção de mosteiros;
» Na casa 4 reduz 1 recurso na construção de vilas;
» Na casa 5 o jogador pode substituir um recurso a pagar por outro à sua escolha;
A2 → O jogador avança com o seu disco, uma casa na escala de desenvolvimento. Melhorar o seu nível de desenvolvimento aumenta o número de recursos obtidos através das ações Colheita/Exploração.
» Na casa 1 o benefício aplica-se na exploração de madeira;
» Na casa 2 o benefício aplica-se na exploração de peles ou madeira;
»Na casa 3 o benefício aplica-se na colheita/exploração de milho ou de peles ou madeira;
» Na casa 4 o benefício aplica-se na colheita/exploração de pedra ou milho ou peles ou madeira;
» Na casa 5 o jogador pode trocar o recurso ganho pela ação de colheita/exploração, por outro recurso à sua escolha;

19642671_10155619601760555_3425085929010647568_n

  • Movimento

Ação:
A1  O jogador pode mover-se entre as suas fichas de terreno. Move um peão duas fichas de terreno para a direita ou para a esquerda; ou faz 1 movimento com dois peões, para uma ficha de terreno à direita ou à esquerda desses peões. Num terreno não podem estar mais de dois peões, exceto se esse terreno tiver uma vila, em que pode ter três.
Com esta ação o jogador pode adicionar uma ficha de terreno ao seu ducado, para isso tem de mover um peão para a ficha de terreno mais à esquerda ou mais à direita do seu ducado com um movimento, e em seguida, aplicar o segundo movimento para adicionar uma ficha de terreno à sua escolha (expostas por baixo do tabuleiro de ações) e mover para essa ficha o respetivo peão.
A2 → O jogador pode trocar um recurso por outro diferente. Esse ajuste faz-se no seu armazém.

  • Multiplicador

Ação:
A1  O jogador adiciona um peão da reserva ao seu terreno se tiver nesse terreno um peão e uma aldeia ou vila. No caso da aldeia só pode ter dois peões, no caso da vila pode ter três.
A2 → O jogador vende um recurso por duas moedas, ajustando as respetivas escalas no seu armazém e na escala de dinheiro do tabuleiro de desenvolvimento.

  • Conspiração

Ação:
   → Esta ficha de ação só é executada pelo jogador que a escolhe. Só tem uma ação disponível. Esta ficha permite executar uma ação das quatro fichas de ação na zona bloqueada do tabuleiro de ações (as quatro fichas mais à esquerda). O jogador define qual a ficha de ação que quer usar, e em seguida, executa apenas uma das duas ações disponíveis nessa ficha. Em seguida, coloca a ficha de conspiração na casa mais à esquerda do tabuleiro de ações, empurrando todas as fichas para a direita.

  • O Rei segue!

Esta ação não é escolhida, acontece apenas quando chega à casa mais à direita do tabuleiro de ações. Quando isso acontece, executam-se os três seguintes passos:
» Passo 1 – Compromisso com o Rei:
Começando com o jogador que escolheu ficha de ação por último, e seguindo no sentido dos ponteiros do relógio, todos os jogadores colocam um dos seus discos junto de uma carta de desejos do rei(tabuleiro King’s Will). Em partidas a 2-3 jogadores cada carta só pode ter 2 discos, a casa com o valor 4 não se usa. A 2 jogadores o último a colocar disco, coloca um disco neutral noutro espaço. Durante o decurso do jogo cada jogador terá de jogar para quatro cartas de desejos do rei diferentes, que só se avaliaram no fim do jogo.

   » Passo 2 – Taxação:
Em função da ficha de viagem revelada no tabuleiro de desenvolvimento, os jogadores realizam as seguintes ações:
› Primeiro todos os jogadores pagam o imposto visível na parte inferior da ficha de viagem. Se alguém não conseguir pagar na totalidade ou só conseguir pagar parcialmente a taxação, perderá 1 PV e descerá 1 casa na escala do humor da população;
› De seguida, começando com o jogador que escolheu ficha de ação por último, e seguindo no sentido dos ponteiros do relógio, todos os jogadores têm oportunidade de pagar a taxação voluntária, que se apresenta em três níveis. Em função do nível da escala de humor da população o jogadores poderão aceder a níveis diferentes de taxação voluntária. Os traços na ficha de viagem ajudam a perceber quais os níveis de taxação voluntária disponíveis ao jogador.
Se o jogador tiver um nível de humor que lhe permita aceder ao nível mais elevado da taxação voluntária, o jogador pode optar por uma das três disponíveis; enquanto que se aceder apenas ao nível intermédio, poderá optar por essa ou pela do nível inferior. Em todos os casos os jogadores só poderão executar uma taxação voluntária!

   » Passo 3 – Nova ficha:

Nesta fase o jogadores retiram a ficha de viagem para a caixa e revelam a seguinte para a próxima ronda.

A ficha de ação “O Rei segue!” é novamente colocada na casa mais à esquerda do tabuleiro de ações empurrando todas as outras para a direita.

Em seguida a vez passa para o próximo jogador e começa uma nova ronda!

20228788_10155630872260555_6651237718383513814_n

Fim do jogo e pontuação final

O jogo termina imediatamente a seguir à quarta vez que a ficha de ação “O Rei segue!” alcance a casa mais à direita do tabuleiro de ações.

Revelam-se as cartas de objetivos (Compromisso com o rei) que tenham discos e retiram-se do jogo as cartas de objetivos sem discos. Em seguida executa-se a pontuação final da seguinte forma:

» Passo 1 – A ira do rei:

Cada jogador verifica se consegue evitar a Ira do rei de todas as cartas onde tiver um disco da sua cor. A Ira do rei está representada na parte inferior da carta de objetivo.

Se algum jogador não conseguir cumprir as condições para evitar a Ira do rei, perde 2 PV.

» Passo 2 – Compromisso com o Rei:

Os jogadores que tiverem o seu disco numa determinada carta de objetivo (Compromisso com o Rei) e tiverem conseguido evitar a Ira do rei poderão agora, pontuar pela respetiva carta. Procede-se assim com todas as cartas com discos alocados.

» Passo 3 – Edifícios:

Todos os jogadores que tenham conseguido dispor os seus edifícios ao lado uns dos outros de maneira a mostrar a etiqueta completa com os PV correspondentes, adiciona agora esses PV.

Finalmente todos os jogadores contam os seus PV e quem tiver mais ganha. Em caso de empate ganha quem estiver mais próximo do jogador inicial no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.

Avaliação:

Primeiro quero começar por dizer que, embora tenha lido várias críticas negativa à ilustração do jogo, não posso estar mais em desacordo, para mim este jogo tem uma ilustração muito bonita e bem integrada com a temática geral do jogo. A iconografia é bastante importante para a compreensão dos diferentes poderes e ações presentes no jogo, no entanto, não pensem que se pode dispensar o manual nas primeiras partidas…

A qualidade geral dos materiais é um misto de sensações. Se por um lado os diferentes edifícios em madeira, com diferentes formatos, deixam uma feeling de gama superior, e nos surpreendem pela positiva; a qualidade dos pequenos tabuleiros de jogo, deixam muito a desejar, feitos de folhas de grama alta, à semelhança dos tabuleiro individuais de The Castles of Burgundy, bem podiam ser feitos em cartão. A solução é plastificá-los!

Em relação ao jogo, posso afirmar que me agradou bastante. O espaço para a sorte com o sistema das cartas de objetivos secretos (Compromisso com o Rei) é mitigado por uma das ações disponíveis, no entanto, foi um dos aspetos que menos me convenceu. O jogo pareceu-me bem equilibrado, e a mecânica de escolha das ações, a lembrar Puerto Rico, tem provas dadas e funciona na perfeição. Os grande quantidade de edifícios com as suas bonificações particulares, emprestam ao jogo bastante profundidade estratégica.

Sendo um jogo de complexidade considerável sofre a espaços de uma lentidade nos processos de decisão dos jogadores, podendo por vezes ser desconfortável para quem gosta de maior fluidez nas suas partidas, no entanto, nas minhas partidas isso nunca foi um aspeto relevante.

 Em suma, posso dizer que este King’s Will é um ótimo jogo, bem desenhado, equilibrado, com profundidade e muita re-jogabilidade. Não sendo um ícone de originalidade, é um todavia uma excelente opção para quem o jogar, oferecendo uma expericência de jogo muito boa. Recomendo!

Ligações:

Site da ADC Blackfire Entertainment → AQUI

Ficha BGG → AQUI

Vídeo (alemão)  AQUI

Resumo em português  AQUI