Die Tavernen im Tiefen Thal

https://jogoeu.files.wordpress.com/2020/04/sint-tvp.png?w=150 150w, https://jogoeu.files.wordpress.com/2020/04/sint-tvp.png?w=300 300w, https://jogoeu.files.wordpress.com/2020/04/sint-tvp.png?w=768 768w" />

Sinopse:

Em Die Tavernen im Tiefen Thal, os jogadores são donos de uma pequena taberna que ao longo de 8 rondas irão tentar melhorar para assim atraírem mais e melhores clientes para o seu estabelecimento.
 

Como se joga:

⇒ Setup

Antes de começar os jogadores escolhem qual o módulo ou módulos que querem adicionar ao jogo base (há 5 à escolha). Essa escolha determinará quais os elementos que se devem montar na mesa conforme as indicações dadas no livro de regras.

Depois dessa escolha feita é colocado na região central da mesa o tabuleiro de mosteiro e por baixo dele distribuem-se as cartas de melhorias (pessoal e recursos) conforme descrito nas regras do jogo.

Cada jogador monta o seu tabuleiro individual (taberna) conforme as indicações do manual e recebe:

  • 2 marcadores de cofre e de adega (amarelo e castanho)
  • 4 dados brancos
  • 1 base para copos
  • 3 dados da sua cor

Distribuem-se por cada jogador as cartas da sua cor e mais uma de empregada de mesa, outra de mesa e uma de ajudante de adega. Baralham-se todas as cartas e com estas cartas forma-se o baralho inicial de cada jogador.

Colocam-se os discos dos jogadores na primeira casa do tabuleiro de mosteiro e decide-se quem é o jogador inicial que recebe o marcador correspondente (caneca de cerveja).

⇒ Desenvolvimento

O jogo dura 8 rondas e cada uma delas divide-se em 7 fases, que se jogam pela seguinte ordem:

Fase 1 (simultâneo) – Avança-se o marcador de ronda e executa-se o benefício correspondente à nova ronda.

Fase 2 (simultâneo) – Cada jogador começa por revelar cartas do topo do seu baralho e vai colocando-as na zona correspondente, até que todas as mesas da sua taberna estejam ocupadas. Cartas de nobre juntam-se todas na mesma mesa, ao contrário dos clientes vulgares, que usam uma mesa para cada um.

Fase 3 (simultâneo): Por cada empregada de mesa obtida nas suas cartas, os jogadores juntam um dado da sua cor ao conjunto dos seus dados nessa ronda. Lançam-se esses dados e reservam-se no seu tabuleiro (no máximo são 3 dados).

Fase 4 (simultâneo): Todos os jogadores lançam os seus dados brancos e colocam-nos na sua base de copos. Em seguida escolhe um e passa os restantes para o jogador à sua esquerda. Continua assim até todos terem 4 dados brancos na sua taberna.

Fase 5 (simultâneo): Cada jogador coloca os dados nos espaços da sua taberna onde deseja ativá-los, a colocação dos dados é sempre feita em função dos números indicados nas respetivas zonas. Há zonas que só permitem a colocação de um dado e outras que permitem a colocação de vários, estas últimas zonas têm essa indicação através do símbolo de reticências. As zonas com o sinal de ponto de interrogação podem receber um dado com qualquer número. Nesta fase a colocação dos dados ainda não é definitiva, podendo ser alterada livremente mais tarde.

Fase 6 (por ordem de turno): Os dados vão sendo retirados das diferentes zonas do tabuleiro e os benefícios indicados nelas vão sendo obtidos.


Image Cookie Monster

As moedas ganhas podem gastar-se para adquirir novas cartas de cliente (que se colocam no topo do baralho) ou fazer melhorias na taberna (há desconto por cada carta correspondente a essa zona entregue à reserva, o valor do desconto é indicado na zona que se pretende melhorar). Cada melhoria feita na taberna permite ganhar um nobre, que se coloca no topo do baralho.

As cervejas usam-se para adquirir novas cartas de taberna ou atrair nobres para a nossa taberna (1 nobre por 9 cervejas, 2 nobres por 14 cervejas, 3 nobres por 18 cervejas). As ações nesta fase podem ser realizadas pela ordem que o jogador desejar.

Fase 7 (simultâneo) : Cada jogador recolhe todas as cartas colocadas na sua taberna e coloca-as num baralho de descarte ao lado do seu baralho de bisca.

De seguida inicia-se uma nova ronda, no caso do marcador de rondas ainda não estar na última casa.

⇒ Fim do jogo 

O jogo termina no fim da oitava ronda.

Cada jogador soma os pontos das suas cartas e o vencedor será o jogador com mais pontos de vitória. No caso de empate ganha quem tiver mais dinheiro e, se o empate persistir, a vitória é repartida pelos jogadores empatados.

⇒ Os módulos

Módulo 1

É o jogo base conforme explicado anteriormente, sendo o objetivo final ter mais pontos de vitória que todos os outros, para isso é fundamental cativa a atenção do máximo de nobres possível, pois cada um dá 10 pontos de vitória!

Módulo 2

Neste módulo introduzem-se os copos de shot. Os shots permitem realizar ações suplementares através do aparecimento de novas personagens.

Módulo 3

Neste módulo introduz-se a pista de reputação que irá permitir aos jogadores obterem pontos de vitória, shots e nobres.

Módulo 4

Neste módulo os jogadores selecionam uma carta de início que ditará quais as cartas iniciais a adicionar ao seu baralho base. Baralham-se 7 cartas com os recursos de início e revelam-se 3 delas, dessas cada jogador escolha os recursos de uma e adiciona-os ao seu baralho base. Vários jogadores poderão escolher a mesma carta.

Módulo 5

Neste módulo introduz-se o livro de visitas que irá permitir aos jogadores obterem novas bonificações à medida que vão obtendo fichas de assinatura.

Avaliação:

Die Tavernen im Tiefen Thal é um jogo familiar bem ao estilo alemão que se estrutura no mecanismo de colocação de dados e também no deck building. A sensação que nos transmite é mesmo a de sermos donos do boteco e com muita vontade de ganhar dinheiro para o melhorar e com isso atrair mais e melhor clientela, de preferência nobre!

O nosso baralho inicial não é muito eficiente. No decorrer do jogo, no entanto, melhores cartas vão sendo adicionadas graças ao mecanismo de deck building, com a agradável possibilidade de ter as cartas adquiridas disponíveis logo na ronda seguinte. Uma medida sensata, caso contrário, elas seriam usadas ​​muito pouco ou talvez nem tivessem tempo de entrar no decurso das 8 rondas que dura o jogo.

O jogo usa dois tipos de moeda, o dinheiro e a cerveja. O dinheiro permite melhorias, a cerveja permite atrair mais e melhor clientela.

Os dados são usados ​​para ativar as cartas de clientes que por sua vez pagam pelo serviço e nos fazem amealhar dinheiro; ou ativar os recursos da taberna que nos permitem servir os clientes, como o serviço à mesa, o lavar da louça ou os carregamentos de cerveja indispensável ao dia a dia. 

O elemento sorte existe inevitalmente quando dados e cartas se juntam ao balcão, mas no caso dos dados, o draft dissemina essa aleatoriedade, enquanto a robuta empregada que lava a louça, permitindo-nos adicionar +1 ao valor de um dado, atenua eventuais azares na seleção final dos dados.

A qualidade dos componentes do jogo é muito boa e diversificada. Na caixa podem encontrar-se vários zipbags, muito úteis para armazenar os componentes, que são muitos e alguns deles de dimensões bem reduzidas.

Os tabuleiros individuais (taberna) são fantásticos e os seus encaixes, tipo puzzle, ajudam a concretizar o mecanismo das melhorias, empurrando a temática e fazendo crescer dentro dos jogadores a sensação de evolução da taberna. Quanto ao grafismo completamente em linha com aquilo que se pretende num jogo onde cerveja, gente robusta e calejada pelo trabalho se emulsionam.

Os cinco módulos garantem variabilidade e sensações diferentes em função daqueles que se escolham usar. No entanto, qualquer que seja a escolha, o jogo flui bem, embora a experiência se aproxime bastante de um multiplayer solitário, que pessoalmente não me incomoda nada. 

A interação, embora exista por via do draft, não é assim tão significativa que se possa catalogar Die Tavernen im Tiefen Thal como um jogo com muita interação entre os jogadores. Existe mas pouco expressiva.

Em suma, um eurogame médio de qualidade, uma experiência de jogo muito temática, bem pensada e visualmente apelativa.