Tuki

Sinopse:

Tuki é um jogo de construção e rapidez em que os jogadores constroem em simultâneo uma dada construção (Tukilik) com ajuda de blocos coloridos e/ou blocos brancos (neve). O primeiro jogador será o que tiver menos cartas de Tukilik quando um dos jogadores conquistar a sua 5.ª carta.

Como se joga:

⇒ Setup

O jogo é composto por peças coloridas e por blocos brancos em 4 formas diferentes (neve). Há ainda um dado com animais nas faces (urso, águia e baleia) e cartas com as construções que se chamam Tukilik (derivado da língua dos Inuit e que se refere às construções usadas para assinalar locais de pesca abundante).

No início os jogadores decidem qual o nível que pretendem jogar (rosa é o nível normal e alaranjado é o nível avançado). Baralham as cartas do nível selecionado (50 cartas) e colocam-nas no centro da mesa dentro do dispensador de cartas que acompanha o jogo.

Na versão normal (Tukilik rosa) cada jogador recebe 3 pedras coloridas (cinza, azul e roxo) e 4 peças brancas (uma de cada forma), enquanto na versão avançada (Tukilik laranja) usam todas pedras coloridas (cinza, azul, roxo e laranja) e 4 peças brancas (uma de cada forma).

Numa partida com 4 jogadores, uma ronda é jogada apenas por 3 jogadores, o quarto jogador dessa ronda terá um papel especial (scout ou explorador) que será indicado mais à frente. De ronda para ronda, o papel de scout é sempre atribuído a quem receber a carta de Tukilik na ronda anterior.

⇒ Desenvolvimento

Numa partida com 4 jogadores decide-se que é o scout que começa por lançar o dado. A face do dado pode indica sempre um de três animais (urso, águia ou baleia), por baixo desse animal pode aparecer ou não um quadrado branco.

Depois de descobrir qual o animal indicado pelo dado, o scout retira uma carta do suporte e coloca-a na ranhura do expositor do mesmo, de forma a que o animal indicado pelo dado fique a ver-se na parte de baixo do expositor.

A partir desse momento todos começam a construir em simultâneo!

Se o dado indicar um quadrado branco, os jogadores têm de fazer a sua construção de maneira que nenhuma das peças coloridas toque na superfície de jogo, devendo usar para esse efeitos os blocos brancos (neve), no caso do dado não ter o tal quadrado branco por baixo do animal, o jogador tem de fazer a sua construção a tocar na superfície de jogo.

Os blocos brancos vão servir para suportar as diferentes peças coloridas nas posições indicadas nas cartas, embora nas cartas as peças brancas não se vejam! Por isso é muito importante planificar o melhor uso a dar-lhe antes de começar a construir. Os blocos brancos podem ser usados da forma e na posição que melhor convier ao jogador para alcançar a construção da carta e não precisam de ser todos usados.

O primeiro jogador que termine a sua construção deve anunciá-lo em voz alta, mas todos os outros jogadores continuam até terminarem. A carta é entregue a quem terminar a construir por último, ou seja o único que não a consegue fazer. Esse jogador passa a ser o scout da ronda seguinte, se nessa ronda ninguém tiver alcançado a sua 5.ª carta de Tukilit.

⇒ Fim do jogo 

O jogo com 2 jogadores a partida termina no fim da ronda em que um dos jogadores ficar com a 5.ª carta de Tukilik à sua frente. O vencedor será o jogador que tiver menos cartas.

Em partidas com 3 ou 4 jogadores, assim que um jogador fique com a 5.ª carta de Tukilik à sua frente, passa a ser o scout e joga-se uma última ronda entre os outros jogadores. O vencedor da partida será o mais rápido a terminar o seu Tukilik.

Avaliação:

Tuki foi criado para animar todos os que adoram jogos de construções em simultâneo. Naturalmente que o género é apreciado por uns e menos por outros, mas numa coisa todos concordaremos: a Next Move apostou as fichas todas na produção deste jogo.

A qualidade geral dos materiais é premium, os encaixes da caixa são feitos à medida e no fundo de cada compartimento pode ver-se as formas das diferentes peças em relevo para que a tarefa de arrumação seja fácil no fim de uma partida. A caixa é feita de um cartão grosso e muito resistente. No fim das contas estamos perante um produto lúdico de elevada qualidade que se reflete com propriedade no seu preço final.

Uma partida de Tuki é muito tensa. Os jogadores terão de executar uma construção 3D comum em simultâneo, que por vezes tem de tocar na mesa e outras vezes terá de “levitar” sobre as peças brancas (neve). As capacidades de observação e projeção geométrica são muito importantes para resolver com rapidez os diferentes desafios a cada nova ronda.

Com todas estas caraterísticas positivas porque razão não se vê mais fotos de Tuki a ser jogador pelas mesas do mundo fora? A questão é pertinente e não ouso ter a resposta para ela. Parece-me que os jogos de construção são geralmente um género muito específico de mecanismo e que “assusta” alguns de os experimentarem, no fundo podemos dizer que embora seja um jogo, leva-nos a explorar um lado muito mais físico (motor) da nossa participação e o envolvimento não é apenas cognitivo, como em muitos outros jogos. A diferença entre jogadores experientes e iniciados neste género é gritante e por isso, em alguns casos, os mais novos não querem jogar sabendo que estão “condenados” a só poder dar os parabéns ao vencedor.

Não posso terminar sem dizer que este jogo é muito agradável de jogar e merece a pena ter na ludoteca, pois enquadra-se num nicho de jogos que não abundam no mercado. Se vamos passar a vida a jogá-lo diariamente, claramente não iremos, no entanto, teremos um jogo fiável para todas as ocasiões que precisemos de um jogo de construção 3D desafiante, bonito e de elevada qualidade.