Meu querido mês de Agosto

Retrato de Rick Danger

...do saudoso Dino Meira :P (link para o tucano)

RPGisticamente falando, este passado mês de Agosto foi brutal. Na primeira semana, começamos a jogar In A Wicked Age no encontro mensal de Roleplayers do Porto (link para o evento aqui no abreojogo) e temos continuado com já cerca de oito pessoas a rodarem de lugar na campanha conforme as suas disponibilidades. Confesso que não conheço mais nenhum outro RPG que funcione tão bem para se jogar de forma continuada sem ter que se contar com a presença deste ou daquele jogador de sessão para sessão. Além disso, é suficientemente rápido para se adaptar ao tempo que tivermos disponível. Tem no entanto a questão do seu sweet spot ser mesmo com 3 ou 4 jogadores, especialmente quando há gente que nunca jogou.

Lendo o livro do senhor Vincent Baker, não é fácil acertar exactamente na maneira como o In A Wicked Age funciona, mas felizmente eu tive a sorte de aprender a jogar com o pessoal do #RetirodosRPGs no ano passado em Almeirim. Para facilitar as coisas, estou a traduzir o material de jogo para Português e a experimentar várias soluções para aquilo que precisamos de anotar à medida que a campanha avança. Para já, podem acompanhar o que jogamos no grupo https://www.facebook.com/groups/inawickedagept/

Entretanto, no mundo digital, duas efemérides importantes: o meu podcast Jogador-Sonhador completou um ciclo de 100 episódios (link para o site com todos os conteúdos) e o mês de Agosto é sempre mês de RPGenesis (link para o site que criei para a edição deste ano). Fazer uma pausa no podcast deu-me mais tempo para tratar do #RPGenesis2014 mas continuo a achar que o evento precisava de ser mais comunitário e não tão dependente da minha pessoa.

Consegui fazer quase tudo o que queria online, mas penso que o RPGenesis tem o potencial para chegar a mais gente offline e a nível de posters/panfletos/cartões/... não tive tempo para fazer nada. Mesmo que tivesse, esta é uma componente que precisa de ser desenvolvida localmente a partir da iniciativa da comunidade e eu espero que isso venha a acontecer, pois acho que, entre os vários eventos de design de RPGs, o RPGenesis é dos mais fáceis de participar. Não tem qualquer exigência quanto ao design em si, apenas pede execução, que o pessoal faça alguma coisa. A Semana do Editor, sendo menos restritiva, é a ideal para isso, mas mesmo a Semana do Autor é apenas um exercício de escrita. Conta mais o trabalho desenvolvido, seja ele qual for, do que o cumprimento de eventuais requisitos no design de RPGs.

Paralelamente ao mundo digital RPGístico, além de jogarmos In A Wicked Age, também experimentamos um RPG francês chamado Inflorenza (link para um fórum Francês). Já não tenho a certeza se a sessão foi em Agosto, mas meto aqui a referência à mesma :) Numa frase, é um RPG retro-apocalíptico com uma enorme variedade de cenários e modos de jogo, mas no qual todos os protagonistas sofrem como gente grande. Não me lembro de outro RPG no qual o lançamento dos dados seja tão prejudicial para as personagens (pior do que em Paranoia no qual ainda existe uma ilusão de possível sucesso). Gostei bastante e confirmei as minhas suspeitas que os Franceses são loucos :)

Agosto não chegou ao fim sem mais um RPG, desta vez de volta ao lugar onde já fui feliz (link para música boa desta vez). Vampire: the Masquerade foi a razão pela qual comecei a jogar RPGs, investindo nele imenso tempo e aprendendo muito com as voltas e reviravoltas da White Wolf. Jogamos um pequeno cenário na clássica cidade de Gary que permitiu a quem nunca tinha experimentado Vampire um óptimo primeiro contacto com a sua fisiologia vampírica, os arquétipos dos seus clãs e a intriga básica que faz parte da sobrevivência de vampiros que nunca chegarão a jogar ao nível dos seus elders. As deficiências das regras clássicas de Storyteller mostraram a sua cara, mas a densidade do setting disfarça-as muito bem. O ambiente é sem dúvida fascinante para quem ainda não o conhece ao ponto de já ver através dele.

 

E assim foi um mês particularmente bem preenchido. Já que o calor em Agosto não chegou propriamente a aparecer, esta foi (como sempre é) uma óptima altura para jogar RPGs!