Há camelos em Coimbra, 1064 d.J.Cr.



camelos em Coimbra


Estou À procura de jogadores para uma nova aventura:


1064 AD: Pintadas de ocre, preto e amarelo com
motivos geométricos octogonais, as poderosas muralhas de tijolo da cidade-fortaleza
de Coimbra estão cercadas pelas tropas dos bárbaros cristãos do norte da
Península Ibérica há já 6 meses; a oeste, na foz do Mondego no forte de Al-Jaferiya
que defende o acesso ao rio com as suas baterias de balistas e catapultas,
passam as esquadras mouras de reabastecimento vindas de Lisboa e Álcacer do Sal
com destino à cidade cercada. No forte, onde se refugiou o regente da Taifa, ou
Emirato de Coimbra, com o jovem príncipe raptado, vários homens tentam o seu
resgate. Será que conseguem?


Buquana conhecido como El Toledano: árabe da tribo
dos Banu Hilal leal à família dos Omíadas, antigos califas das Espanhas e do
Médio Oriente. Fazem agora 2 gerações e tal que o recrutamento por tribos para
o exército foi proibido, perdendo as tribos árabes assim grande parte do seu
poder; revoltados, aliaram-se aos homens de Nuno Mendes II contra o Emirato. Bardo,
level 20.


Loreto Walia: marinheiro burguês portuense de
ascêndencia romano-sueva. Antigo capitão pirata dos mares muçulmanos do
Atlântico centro com base na ilha da Madeira, não assinalada nos mapas; fazia o
corso ao comércio do Senegal, Mauritânia e do Maghreb. Passou uns tempos nos mares
do Norte. Agora voltou ao condado Portucalense por cujas autoridades foi
alugado para fazer transportes ao longo do rio Mondego que é controlado pelas
frotas muçulmanas. Rogue, level 20.


Cocça: nómada da tribo dos Auregenses do Sul, que
levaram à queda do império romano, caçadores e apanhadores de castanha da serra
da Covilhã, que luta pela libertação do seu país. Quando era pequeno, viu a sua
aldeia ser atacada por uns presores do Condado Portucalense e quase todas as
mulheres e crianças serem levadas como servas pelo que guarda um grande rancor
a essas gentes. Qualquer gente que caia fora da tribo é um inimigo pronto a ser
morto. Ele pertence ao movimento do mulad, como lhe chamam os árabes, ao
Messias do Meio-Dia que se diz Cristo regressado para o Juízo Final. Bárbaro, level
20.


Jahner Vogeldorfer: cavaleiro teutónico em
peregrinação à Terra Santa passa pelo caminho pela Península Ibérica indo ao
sanctuário de Santiago de Compostela. Agora está calmamente a beber um copo
numa taberna dos arrabaldes de Coimbra. No vale que rodeia a cidade fortaleza
espalham-se as tendas e os soldados do Condado de Portucale e do reino de Leão
e Castela. As bandeiras dos cavaleiros estendem-se desfraldadas pelo vento pelo
horizonte. No orvalho da manhã que cobre os campos de um azul quebradiço, as mesnadas
de caveleiros correm abaixo e acima das colinas, enquanto ao longe as tendas se
prolongam em linhas acima e abaixo dos campos, para acorrer a uma sortida dos
mouros de Coimbra. Devem ser facilmente uns 30,000 homens ao todo com criados,
artesãos e soldados. Knight, level 10. Este carácter já foi escolhido.


Este mundo usa o mapa da Europa da idade média
medieval mas é um mundo fantástico; se quiserem podem usar anões e imortais
(elfos) embora estes sejam mais raros. Se quiserem ideias para os carácteres
leiam os últimos postos da aventura Os
Lobos da Covilhã
, aqui:  http://www.abreojogo.com/terra_media/2011/07/lobos_da_covilha

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Os carácteres

Os carácteres acima descritos são os NPCs principais ou já foram tomados. Criem os conceitos dos personagens que eu depois faço-os. As regras sãoo Rolemaster 2, que básicamente é um D100.

yay

Venha de lá a sequela dos Lobos da Covilhã!   ;)

Já agora, o Ismajl sempre aceitou ser meu pajem ou nem por isso...?

Thread nova na Terra-Média

Acho que não, o Ismajl está contente com o trabalho que tem no Triplo-Seis; o Da Fonte acompanhar-te-á até Coimbra pelo menos; e tens um pajem no Acrisius que é fora da lei. Eu rolarei os dados numa nova thread.