Betrayal at House on the Hill (2/Outubro/2005)

  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.
  • Unable to create scaled Thumbnail image.

Betrayal at House on the Hill

Quase duas semanas depois de termos finalmente experimentado este jogo (altura em que tirámos todas estas fotos), aqui ficam alguns comentários.

Gostei imenso do jogo! É bastante temático e divertido, e dá para passar um bom bocado na companhia de amigos.

No nosso caso o que relato de seguida não foi um problema, antes pelo contrário, mas acho que é mais ou menos evidente que na primeira metade do jogo (a parte de exploração da casa) não há muito para um jogador fazer a não ser deixar-se levar pelos acontecimentos: quase não há decisões importantes para tomar, nem estratégias para seguir ou descobrir, nada. O jogo é quase perfeitamente aleatório: entra-se numa divisão aleatória da casa onde acontece (ou não) um evento aleatório que, no caso de ser um desafio, exige ao jogador que o supere com um lançamento de dados (aleatório!) cujas probabilidades são alteradas por um dos atributos do personagem, atributo esse que é também aleatório, claro. São raras as oportunidades em que o jogador tem de facto escolhas para fazer, por exemplo entre aceitar ou não um desafio para tentar melhorar os seus atributos ou recuperar um item mas correndo um sério risco de sofrer dano.

Portanto o jogo nesta primeira fase é pouco mais do que controlar um personagem ao qual vão acontecendo uma série de eventos aleatórios tanto bons como maus. Isto é bom para um ambiente mais descontraído e entre amigos, mas deve ser frustante para alguém que quer de facto jogar e ganhar.

Na segunda fase, aí sim, o jogo ganha outra vida. Os jogadores ficam divididos entre a equipa de heróis e um traidor; os heróis ficam então encarregues de impedir os planos maléficos do traidor, e este tenta levar a sua àvante, se for preciso eliminando os heróis. Nem os heróis sabem bem o que o traitor pretende, nem aquele sabe bem de que forma podem eles impedi-lo.

Os objectivos de heróis e traidor vêm descritos em dois livrinhos separados, e há um total de cinquenta cenários diferentes, com condições de derrota e de vitória diferentes. Vai ser divertido explorá-los a todos. Temos de jogar mais vezes!