Colossal Arena + High Society + San Juan - Reviews

Retrato de MGBM

Bem, vou falar de algo que nao é um RPG. Nomeadamente vou falar de, surpresa, boardgames. Vou dar a minha opiniao sobre os ultimos 3 boardgames que joguei.

Comecemos por um boardgame que foi bastante falado na altura do lançamento, o San Juan. Este boardgame foi recebido com muita expectativa devido ao facto de ser o cardgame do boardgame Puerto Rico, e o Puerto Rico é considerado o melhor German-style boardgame jamais feito, algo que eu concordo. No San Juan o objectivo é construir 12 edificios e consequentemente ganhar o maior numero de pontos que os outros jogadores. Este boardgame usa uma mecanica original. As cartas que temos na mao servem tanto pra serem jogadas, como moeda de compra e como bens a produzir. Logo neste jogo ha um balanço entre manter muitas cartas na mão de modo a termos muitas escolhas e a termos dinheiro suficiente para comprarmos edificios. A parte principal do jogo é, tal como no Puerto Rico, escolhermos profissoes. Existem 5 profissoes ao todo e cada uma da um efeito diferente. Desde construir edificios ate produzir bens. Cada jogador escolhe uma profissao e por ordem todos os outros jogadores fazem a acçao dessa profissao. Depois o proximo jogador escolhe a profissao seguinte e assim por diante. O jogo é facil de ensinar, embora ha que ter atençao ao facto dos edificios terem poderes diferentes, cada um deles. É um jogo rapido de jogar, demorando no maximo 50 minutos. Depois de jogar 6 vezes posso dar a minha opiniao, que é embora nao seja tao bom como o Puerto Rico, é dos melhores non-collectible cardgames que conheço. É um jogo solido, com uma mecanica de jogo suave e logica. A unica coisa que o jogo tem de mal é que é basicamente um solitaire, ou seja, ha muito pouca interacçao entre jogadores. Mas fora isto é um jogo espectacular e merecedor de ser comparado ao Puerto Rico. Todas as pessoas que eu introduzi a este boardgame gostaram bastante, tendo todas elas ficado, invariavelmente, viciadas. Dou um 16 de 20. http://www.boardgamegeek.com/game/8217

O proximo boardgame é feito pelo prolifico Reiner Knizia. Chama-se High Society e é perfeito para economistas e gestores. Este boardgame é capaz de ser o boardgame que possuo com menos peças. Basicamente cada jogador tem 11 cartas de dinheiro que podem ser usadas para comprar bens. Cada bem tem um valor especifico, no fim do jogo quem tiver o maior valor de bens ganha. É um jogo de leilao, cada jogador oferecendo uma quantia que tem que ser maior que a quantia anterior. Ate aqui tudo bem, mas o jogo atira umas regras muito interessantes a este estilo de boardgames. Para começar, nao podemos tirar cartas de dinheiro ja jogadas para aumentar o nosso lance. Ou seja, Se jogarmos 15 milhoes e quisermos aumentar o lance, temos que adicionar outra carta de dinheiro aos 15 milhoes, nao podendo tirar os 15 milhoes da mesa. No fim, quando todos menos um jogador passarem, o jogador que nao passou fica com a carta de bem e perde o dinheiro que usou nos lances. Depois existem as cartas de miseria, que decrescem o valor dos nossos bens. Aqui a coisa torna-se interessante. Basicamente, o primeiro jogador a passar é o jogador que fica com a carta de miseria. Todos os jogadores fazem lances para nao ficarem com a carta. O jogador que passar primeiro fica com a carta, mas tambem fica com o dinheiro que usou no lance, os outros jogadores tendo que perder o dinheiro que usaram nos lances. Isto em si nao parece ter muito objectivo, ate sabermos um promenor importante. no fim do jogo, o jogador que tiver menos cartas de dinheiro na mao perde automaticamente o jogo. Aqui é que reside grande parte da tactica do jogo. Queremos ter bens, mas nao podemos gastar desalmadamente o dinheiro pois podemos ficar com menos dinheiro que todos os outros jogadores e logo perdemos o jogo, nao importa o valor dos nossos bens. Este jogo joga-se rapidamente, em 15 minutos, tem regras extremamente simples e esta cheio de tactica. Este jogo é perfeito para ser jogado por gestores, pois faz com que uma pessoa pense em termos de gestao de recursos e de utilidade dos bens versus liquidez total. É um jogo leve mas muito bom, mais um sucesso do Knizia. Um 14 de 20. http://www.boardgamegeek.com/game/220

O terceiro boardgame é um non-collectible cardgame do Knizia tambem. Chama-se Colossal Arena e é um remake do classico Titan:The Arena. Neste jogo apostamos em criaturas tiradas de qualquer mundo de fantasia e o objectivo é termos a maior soma de dinheiro apostada nas criaturas que sobrevivam no final do jogo. Basicamente existem 8 criaturas. Cada jogador recebe varias cartas que podem aumentar ou diminuir o valor de força das criaturas. Quando todas as criaturas sobreviventes tiverem uma carta jogada nela, entao a criatura que tiver menos força é eliminada. E é a isto que o jogo se resume. Parece simples, mas este jogo é extremamente profundo, tendo bastante estrategia e tactica. Temos 5 fichas que podemos apostar em qualquer criatura viva. Quanto mais cedo apostarmos maior o valor da aposta. O mal é que cada jogador vai querer que as criaturas onde apostou vivam e as outras morram. Isto provoca uma interacçao entre jogadores que cria um balanço incrivel, fazendo com que este jogo seja extremamente dinamico e nao dando certezas de quem morre e quem vive. Depois de 5 turnos ou quando as cartas pra sacar acabem o jogo termina. Os jogadores somam as apostas das criaturas sobreviventes e quem tiver mais dinheiro ganha. Eu considero este jogo do melhor NCCG que existe, superior ao Citadels, Bohnanza, Castle e ate mesmo o Rage. Este jogo é extremamente bom e eu aconselho vivamente a quem gostar de jogos de cartas. Aviso, este jogo é muito porco, pois estamos sempre a dificultar a vida aos outros jogadores. Recomendo-o vivamente. Um 17 de 20. http://www.boardgamegeek.com/game/105

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Boa, Marum!

Muito interessante, João. Obrigado!

Acho que lhe vou acrescentar umas fotos do boardgamegeek.com para ficar ainda mais atractivo. Espero que não te importes!

Ah, e para a próxima, a menos que aches que isto é de facto um assunto pessoal, podes simplesmente introduzir isto como um artigo (opção "criar conteúdo - artigo"), que assim fica logo visível na primeira página do portal!

Também podemos/podes criar uma "página-livro" dedicada a boardgames e, de futuro, todos os artigos que sobre o assunto que escrevas podes, em segundos, torná-los acessíveis desde essa página usando a função "outline" que aparece na edição/leitura dos posts. Eu dei uma explicação um pouco atabolhoada sobre isto ao Rick Danger numa série de comentários que começam aqui:

http://rpg.turnodanoite.com/node/133#comment-778

Um abraço!
Ricardo

_____
"You can choose just who you are."

Ya, ta fixe

Ya, obrigado por pores as imagens, assim da pra ver mais ou menos como os boardgames se parecem. A ver se a minha proxima review sera sobre o Dos Rios, talvez o boardgame mais porco, em termos de competiçao entre jogadores, jamais feito.

Por acaso espantei-me com a capacidade de viciar pessoas do San Juan. Toda a gente que o jogou pediu pra jogar mais. Embora nao seja um boardgame indicado pra introduzir pessoas ao hobby, é sem duvida um boardgame que se deve apresentar aqueles que so jogaram Settlers of Catan ou Ticket to Ride ou mesmo Carcassonne.

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!