Kingdoms

Retrato de MGBM

Se houver algum jogo que exemplifique o estilo de design do Reiner Knizia, é este. Este jogo é tão matemáticamente analitico que qualquer doutourado em Matemática ficaria orgulhoso se tivesse feito o design.

Kingdoms é um jogo em que o objectivo é ganhar o máximo de pontos ao mesmo tempo que tentamos destruir as hipóteses dos adversários.

O boardgame vem numa caixa pequena, com o tabuleiro dividido em 4 partes. A arte do jogo está bem feita mas o tema é um afterthought, o jogo é deveras muito analitico.

Até 4 jogadores podem jogar neste jogo de dominancia matemática. Cada jogador é dado um número de castelos que valem de 1 a 4 pontos. Isto é importante, pois é o posicionamento dos castelos que vai determinar tudo neste jogo.

O tabuleiro está organizado numa grelha de 6x5 e é ai que colocamos os castelos e os tokens.

Neste jogo os jogadores só tem duas acções, sacar um token e colocá-lo no tabuleiro ou colocar um castelo nosso no tabuleiro. Os tokens estão numerados de 1 a 6, duas sequências destes tokens, e de -1 a -6, só uma sequência. Os tokens, ao contrário dos castelos, começam de virados de costas, logo os jogadores nunca sabem o que estão a sacar. A mecânica do jogo é simples, quando o tabuleiro estiver completamente preenchido, os jogadores somam pontos somando primeiro o valor dos tokens nas colunas onde estiver um castelo nosso e multiplica-se o resultado pelo valor do castelo ou dos castelos se tivermos mais que um. Faz-se o mesmo com as linhas também.

E é só isto. É extremamente simples e é um conceito puramente matemático e analítico. Existem tokens especiais como o dragão que faz com que só conte os tokens negativos, mas de resto é um jogo simples, embora dado a ser muito porco.

Não há mais a explicar de regras, pois é mesmo só isto. Isto acontece durante 3 turnos, cada turno acabando quando o tabuleiro estiver cheio. No fim dos três turnos, quem tiver mais pontos ganha.

Este jogo é, como já disse, extremamente analítico, e como consequência tende a ser muito táctico, embora tenha um bocadinho de nada de estratégia. É um filler, e nem sequer tenta ser mais do que isso. É muito rápido, os três turnos acabando em menos de meia-hora, e é muito divertido.

De facto, dos boardgames fillers que tenho, este é capaz de ser dos melhores. Obriga os jogadores a pensarem antes de fazer algo. Tem um elemento de sorte forte, na medida em que os tokens são baralhados e começam virados para baixo, mas isto torna o jogo mais competitivo.

Apesar de ser um filler, não é um jogo leve. Os constantes cálculos que uma pessoa tem que fazer durante o jogo obrigam-me a considerar este jogo um middleweight, apesar de nas suas restantes características o jogo parecer leve.

Recomendo o jogo, mais por ser pequeno e barato. Se o jogo fosse mais caro acho que não o recomendaria tão facilmente. Para o preço que é, é bom. Não é excelente nem é nada de especial, é meramente bom. De facto, o design é tão simples que admira-me nunca ninguém ter pensado nisto antes de 1994, que é quando a sua primeira incarnação, Auf Heller und Pfennig, saiu. Seja como for gosto do jogo.

Comprem este boardgame se precisarem de um filler que vos irá fazer pensar constantemente em números. Se não estiverem para lá virados, então este boardgame perde a graça. Um boardgame para matemáticos mesmo.

14 de 20.

http://www.boardgamegeek.com/game/119

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Fixeness!

Fixe!

Já tinhas comentado comigo um pouco sobre este Kingdoms e estou cada vez mais curioso. Está baratinho lá na Runadrake's, vou ver se o apanho um dia destes!

Kingdoms

ricmadeira escreveu:

Fixe!

Já tinhas comentado comigo um pouco sobre este Kingdoms e estou cada vez mais curioso. Está baratinho lá na Runadrake's, vou ver se o apanho um dia destes!

Yeap, compra que vale a pena jogá-lo, principalmente com 4 jogadores. E como é barato torna-se um bom investimento.

----
"You can not escape me!" he roared. "Lead me into a trap and I'll pile the heads of your kinsmen at your feet! Hide from me and I'll tear apart the mountains to find you! I'll follow you to hell!"

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!

Não te tinha emprestado

Não te tinha emprestado há duas semanas? De qualquer maneira, se fores na próxima quarta podemos jogar...

O jogo é engraçado, e bastante simples (mesmo para non-gamers). Não acho muito piada a todas as contas, mas apesar tudo interessante.... 

Kingdoms

Ya, é um bom boardgame para non-gamers, apesar da forte componente de cálculo que o jogo contém.

----
"You can not escape me!" he roared. "Lead me into a trap and I'll pile the heads of your kinsmen at your feet! Hide from me and I'll tear apart the mountains to find you! I'll follow you to hell!"

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!