Savage World of Solomon Kane

Retrato de HBarbosa

Esta análise baseia-se na leitura do livro e numa aventura de demonstração criada por mim para dois jogadores. O resumo dessa sessão pode ser lido aqui. A descoberta do jogo foi feita um pouco por acaso. Numa pausa da minha campanha de Qin, procurei um sistema e setting diferentes. Encontrei por acaso a crítica deste jogo na rpgnet e depois de ler algumas coisas, decidi comprar o livro num impulso. Foi, sem dúvida, das melhores compras que fiz nos últimos tempos. Seguem-se as minhas impressões que, espero, vos possam elucidar sobre este jogo e as regras.

SOLOMON KANE E ROBERT E. HOWARD

Quem é Solomon Kane? Solomon Kane é uma personagem criada por Robert E. Howard numa série de pequenos contos que decorrem no Séc. XVI / XVII. Solomon Kane é um puritano, de vestes negras, que é impulsionado por algo que ele não compreende a vaguear pelo mundo e a lutar contra as Forças do Mal com a sua espada e pistola. São histórias bem ao estilo de Robert E. Howard, com muito sangue, combates, civilizações bárbaras. É um mundo visto através de um olhar fantasista. Numa história Solomon Kane viaja até ao coração de África para defrontar uma tribo de vampiros que raptara uma nobre Inglesa, noutra luta contra um fantasma numa estalagem em pleno coração da Alemanha.

O LIVRO

O livro tem 355 páginas, é de capa dura, e completamente a cores. A encadernação é excelente. O livro pode abrir-se em cima da mesa sem medo das páginas saltarem. As folhas são de alta qualidade com ilustrações que capturam a essência das histórias de Robert E. Howard. Cada secção tem um rebordo diferente que permite identificar, com o livro fechado, a dita secção.O livro está dividido em duas grandes partes, a primeira contém todas as regras necessárias para criar personagens e resolver as acções, combate, etc. A segunda contém a secção do GM e uma grande campanha (plot-point, eu explico em baixo). E isto é a primeira grande vantagem de SWoSK, o livro é auto-suficiente e permite jogar durante muito tempo sem qualquer outro livro. Contém tudo o que é preciso para jogar.

AS REGRAS

As regras são as de Savage Worlds, um sistema lançado pela Pinnacle. Não vou analisar o sistema genérico de Savage Worlds mas apenas o sistema adaptado a Solomon Kane. Ao contrário de outros lançamentos da Pinnacle, por exemplo Deadlands Reloaded, em que é necessário comprar também o livro de Savage Worlds, este livro (SWoSK) contém todas as regras. Segundo a Pinnacle o sistema é rápido, frenético e divertido. Mas será verdade? Pela minha experiência, é. O sistema foi simplificado de maneira a manter um ritmo rápido, com combates intensos. Adapta-se bem ao mundo de Solomon Kane.Os atributos e skills são definidos por dados que vão de d4 a d12. Assim, por exemplo, temos Strength D8 ou Shooting D10. Quando queremos usar um deles, basta lançar o dado e tentar superar uma dificuldade de 4. Sim, a dificuldade para tudo é 4. Onde existem variações é nos bónus e penalizações das acções. Por exemplo, ao usar Climb D6 em condições normais, o jogador só tem que lançar 4 ou mais. Mas se a parede for demasiado lisa, poderá receber um -2 ao lançamento. Ou +2 se existirem muitos pontos de apoio ou usar uma corda, etc.Outro ponto é que não se soma o Atributo ao Skill. Os dois são coisas diferentes. Se eu quero usar Shooting d6, lanço d6, não somo nenhum atributo. Para alguns isto é totalmente irrealista mas, acreditem, acelera bastante a resolução de tarefas e mantém a acção a um ritmo acelerado. Outro exemplo da simplificação do sistema é a Iniciativa durante os combates. Não se lançam dados. O GM usa um baralho de cartas normal, incluindo Jokers, e dá uma carta a cada jogador e NPC importante (wild die). Cada grupo de "extras" (NPCs de baixa importância) também recebe uma carta. Depois, resolvem-se as acções da carta de maior valor para a mais baixa. Dexterity ou elevado skill de combate não influenciam nada a nossa vez no combate. Mais uma vez, alguns podem achar isto irrealista, mas mantém tudo simples e a um bom ritmo.Por falar em Wild Die, o que são? Todas as personagens dos jogadores e NPCs mais importantes para a história são considerados WIld Dies. Em termos prácticos, isto significa que sempre que se lança um dado para resolver uma acção, lança-se também 1d6. Por exemplo, com Shooting D4 quero acertar em alguém. Lanço D4 + D6. Este segundo dado D6 chama-se o Wild Die e, para todos os efeitos, também serve para resolver acções. Assim, se no lançamento em cima sair 3 e 5, é um sucesso porque o Wild Die ultrapassou a dificuldade de 4. Outro exemplo, Track d8. Lanço d8 + d6. Se sair 6 e 3, é um sucesso porque o dado do skill ultrapassou a dificuldade de 4. Se sair 2 e 4, é um sucesso também. Reparem que não se soma o Wild Die ao dado do skill. São lançamentos separados. No entanto, se sair o máximo num dado, lança-se de novo e soma-se o resultado. Se sair de novo o máximo, soma-se de novo e por aí adiante. Por exemplo, Shooting d4. Se sair 4, lanço de novo. Se sair de novo 4, lanço de novo. Teoricamente, podem sair resultados brutais.O sistema de criação de personagem é rápido. Consigo criar uma personagem completa em menos de 10 minutos. Não existem classes ou níveis mas conceitos. Cabe ao jogador definir o seu conceito e tentar escolher os skills que melhor se adequam. Um pirata, por exemplo, terá Shooting, Boating e Climb (para subir aos mastros e velas). Fica aqui a nota que os skills são em número reduzido porque são generalizados, mais uma vez simplificando tudo. Shooting permite usar tudo o que seja armas de projécteis, desde pistolas, a arcos e flechas a canhões. Não interessa se tenho d4 ou d6 em Shooting. Basta ter um dado, para saber usar tudo o que esse skill abranja. Neste aspecto, faz-me lembrar muito Feng Shui.

SECÇÃO DO GM

Após as regras, encontramos a secção do GM com conselhos, como gerir Extras (NPCs de menor importância) como criar aventuras, etc. Há dois pontos a salientar. O primeiro é que o jogo assume que, eventualmente, as personagens irão envolver-se em lutas com bastantes NPCs e que também terão NPCs do seu lado. Por exemplo, são líderes de uma expedição ao Novo Mundo e são emboscados por uma tribo Maia. Para simplificar a resolução, os NPCs comandados pelos PCs são controlados pelos jogadores. Do ponto de vista prático, isto permite gerir escaramuças com maior rapidez. O segundo ponto é que a secção do GM contém uma pequeno sistema para criação de aventuras on-the-fly bastante robusto. Não cria aventuras completas mas o esqueleto. No entanto, é bastante inspirador e um GM que precise de uma aventura em cima da hora tem ali um sistema perfeito.

A CAMPANHA PLOT-POINT

Chegamos ao grosso do livro, a campanha. Tal como nas histórias, a campanha leva as personagens da Europa até aos locais mais recônditos da Terra numa variedade de aventuras. E o que é um plot-point. Basicamente, é uma espécie de metaplot que não obriga os jogadores a nada, serve apenas de pano de fundo às histórias. A maioria das aventuras são independentes umas das outras e são classificadas como Savage Tales. Podem ser usadas pela ordem que o GM quiser. É possível até incluir aventuras criadas pelo próprio entre as aventuras do livro. De vez em quando, uma das aventuras é categorizada como Plot Point e esta aventura releva um pouco do grande meta-plot. Mais uma vez, pode ser introduzida quando o GM quiser, incluindo nunca se o metaplot for ignorado. Isto significa que, para o GM que tem pouco tempo para preparar as coisas ou se sente desinspirado, as aventuras são um grande meio de ter algo preparado para as sessões.Da história em si vou relevar pouco para não estragar surpresas mas após as aventuras as personagens terão viajado pela Europa, Ásia, Novo Mundo e África, e defrontado vampiros, lobisomens, tribos canibais, feiticeiros e múmias, visitado civilizações perdidas e derrotado um Grande Mal.Após a campanha temos a lista de NPCs e monstros imediatamente utilizáveis em qualquer aventura do livro ou inventada pelo GM, poupando grande trabalho.

RESUMO

Um excelente jogo para quem aprecia as histórias de Robert E. Howard, rápido e simples, mas com uma grande variedade de opções quer a nível de combate, quer a nível de resolução de tarefas, numa magnífica apresentação. Na minha opinião, dos melhores roleplays que li nos últimos tempos. É um jogo de terror de acção cujo óbjectivo é ir directo ao problema e resolver as coisas com uma espada na mão e a pistola na outra. Vivamente aconselhado a todos os amantes de jogos de acção.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Sabes onde se consigo

Sabes onde se consigo arranjar o livro? Estava a pensar começar a mestrar e segundo a tua review este parece me ser um bom sistema para começar!

 Já agora gostei bastante desta tua crítica ao livro !!

Sem querer dimimuir o

Sem querer dimimuir o interesse do jogo da Pinnacle devo referir que há uma alternativa a este jogo: o Solomon Kane de Olivier Legrand (http://solomonkane.free.fr/JEU.htm). Devo dizer que não li o jogo, embora seja amigo do autor, e que o mesmo é em francês.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

A vantagem do Savage World

A vantagem do Savage World of Solomon Kane (sem ter lido o Francês, e assinalo aqui que este jogo da Pinnacle não é uma tradução do Francês mas sim um original) é que o sistema de regras (Savage Worlds) é excelente para quem procura um sistema "light" mas que proporcione combates rápidos e frenéticos. Como disse na minha análise, é um sistema que se destina a dar ênfase ao lado "pulp" das aventuras e, por isso, não muito apropriado a histórias com maior ênfase de investigação ou intrigas complexas como Vampire. É um jogo de terror de acção, em que as Forças do Mal são despachadas com a espada e a pistola.

Já agora, em resposta a um local onde este jogo possa ser adquirido, mandei-o vir da Leisure Games e devo dizer que mo entregaram 2 dias depois. Excelente serviço como sempre. Já agora (passo a publicidade), para quem está interessado, jogamos Solomon Kane regularmente. Quem estiver interessado, contacte-me por aqui.



"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

Interessante

Este jogo sem dúvida que me interessa bastante ou não fosse Kane um personagem nascido da mente de Howard. Este RPG é um caso sério a considerar, ademais que os sourcebooks que estão a ser feitos para ele estão a ser escritos pelo Vicent Darlage, o principal escritor dos excelentes sourcebooks de 1st edition de Conan. Não há maior estudioso actual de Howard do que o Vincent.

----
A slumber did my spirit seal;
I had no human fears,
She seemed a thing that could not feel
The touch of earthly years.

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!

Exactamente. Os fóruns da

Exactamente. Os fóruns da Pinnacle fervilharam há algum tempo de emoção quando foi anunciado que Darlage iria escrever pelo menos três livros para Savage World of Solomon Kane (SWoSK). Não foram dados detalhes mas dicas subtis parecem indicar que se tratam de sourcebooks para o Oriente, África e o Novo Mundo. Se a campanha do manual base for indicativa, o potencial para aventuras nesses três continentes é fantástico.

Basta dizer que ao ler muitas das aventuras da campanha-base vejo lá muitos elementos das histórias de Robert E. Howard (e um pouco de Conan): as civilizações antigas que degeneraram, a civilização por oposição aos bárbaros, os combates violentos e sangrentos e fortes elementos eróticos.

Para além de que SWoSK é extremamente divertido e cheio de acção. Uma boa homenagem a Robert E. Howard. Sem dúvida, o melhor livro de RPG que comprei no último ano.



"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

O pulp é isso mesmo, muita

O pulp é isso mesmo, muita acção e pouca paragem para medir os passos ou as suas consequências. Ainda bem que o jogo corresponde à expectativa.

Eu já comprei várias vezes da Leisure Games e fui sempre bem servido.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

savage

Esta parece-me uma excelente justificação para comprar algo dentro do belo sistema de Savage Worlds. Um pulp talvez mais leve que o Spirit of the Century?

Em relação à encomenda pela Leisure Games, a minha experiência é que o serviço é bom, mas não aceito que cobrem os portes como uma percentagem estúpida sobre o valor do produto. Ainda é assim?

Repara que o Savage Worlds

Repara que o Savage Worlds não é pulp. Na minha opinião, pulp transcende mecânicas e tem outras convenções que só se atingem através do setting e tom das aventuras. No entanto, as regras adequam-se muito bem a esse estilo. A minha análise foi do Savage Worlds enquanto sistema para o Solomon Kane. Em relação às regras base (vendidas num manual bastante barato de £5), foram feitas algumas alterações para melhor simular o universo de Solomon Kane.

Por exemplo, as personagens em Savage World of Solomon Kane podem entrar numa Righteous Rage ganhando bónus aos ataques e danos. Isto refere-se por vezes à fúria com que Kane enfrentava os inimigos particularmente vis. O manual base de Savage Worlds não tem esta regra.

Já os feitiços foram ligeiramente alterados. A magia no universo das histórias de Robert E. Howard (tanto Conan como Solomon Kane) é misteriosa e mais subtil. No manual base, existem feitiços como o Bolt que foram removidos no Savage World of Solomon Kane. O gasto de Power Points dos feitiços também foi removido e trocado por uma penalizações brutal que pode ser mitigada quanto mais tempo a personagem se concentrar no feitiço.

Para esclarecer, existe o Savage Worlds Explorer's Edition (£5) que são as regras base. O Savage World of Solomon Kane já contém todas as regras adaptadas ao setting. Não é preciso comprar a Explorer's Edition.

Quanto à Leisure, sim cobra uma percentagem mas nunca tive problema com isso.



"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

inSane Kane

Venho-me congratular (e este é o melhor local para isso) porque, dentro de pouco tempo, sairá uma BD com argumento meu Laughing e desenho do Dinis Vale, protagonizada precisamente por esta personagem incrível de Robert E. Howard. Pouco posso deixar transpirar sobre a coisa, apenas que sairá num fanzine bastante conhecido entre os bedéfilos lisboetas dentro de pouco tempo.

Deixo-vos apenas um pequeno preview do que poderão esperar...inSane Kane

TBDZ

Dia 5 de Agosto (primeira 3ª-feira do mês, como sempre), junto ao Parque Mayer, vão encontrar-se os bedéfilos lisboetas na tertúlia de Geraldes Lino, com o lançamento do fanzine "TBDZ".Ora, como já vos tinha dito, vai sair a tal BD que tem o Salomão Kane como protagonista (e argumento meu). Ó Dwarin, não quererás combinar uma sessãozita para 4-6 jogadores!?   =D

____________________________________________
Just when you think you've learned the rules, someone revises them.

Boa

A ideia da sessão de jogo parece-me excelente. Se o Hugo concordar, estarei lá para jogar.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

Savage World of Mardijtam Kane

Eias Sérgio! Viste o meu mail?

Pois era porreiro que aparecesses — eu até levava o meu caderno com alguns esboços para o Mardijtam...! =)

Se bem que só lhes volto a pegar depois do final deste mês... :S

Lá estarei

Excelente quanto aos esboços. E vai ser óptimo passarmos ao contacto directo.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

Nada feito

Nesta altura da minha vida, dias da semana estão fora de questão. Para além de que estou a preparar a campanha de Solomon Kane que arranca já no dia 02 de Agosto.



"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

Jogar

Como o Hugo não pode estar presente eu posso levar o Solomon Kane do Olivier Legrand. É um jogo muito simples e gratuito. Mas atenção! Nesse caso eu jogo um dos cenários disponíveis no sítio da Storygame (http://storygame.free.fr/) pelo que não vale irem lá espreitar!

Sérgio Mascarenhas

 PS João, a que horas é o lançamento? E qual a morada exacta da loja?

Sérgio