Get Bit

Retrato de Joca


 

Este animado filler já tem um tempito. :)
Ano 2007.
Dave Chalker, talvez inspirado pela popular saga de Steven Spielberg, deu a primeira dentada neste jogo simples e pueril, mas divertido q.b. para passar um bom momento de vez em quando. Get Bit, ou Tiburón na versão espanhola da Bombyx, a que eu tenho, possui uma mecânica já muito clonada para jogos de consolas, jogos de tabuleiro e afins. No entanto é uma fórmula vencedora como o Tetris ou o Pacman. Não passa de moda e continua a reinventar-se. 
Nesta versão deparamo-nos com piratas lançados borda fora do barco em que seguiam, estando a nadar desesperadamente em mar aberto, no intuito de alcançar a praia antes de serem devorados pelo tubarão esfomeado que segue no seu encalço. Quem não der bem à perninha, fica sem ela. 
 


 

A primeira vez que toquei neste jogo, foi cortesia da porreiraça malta do Porto. Fiquei em último se bem me recordo, mas encantei-me com o jogo. A versão era diferente da atual, mas somente na parte estética. O resto permanece exatamente igual. Não foi alterado nada nas regras. Ainda assim tenho que admitir que atualmente tem um visual mais apelativo, com caixa metálica colorida, a tampa com figuras em relevo, bonecos com autocolantes para a cara (360º), para o tronco de frente e trás, e até para o topo da cabeça. Existem seis bonecos, mas vêm autocolantes para 12 figuras diferentes.
 


 

As cartas também têm um grafismo mais atrativo, tudo obra do tempo e do bom historial de vendas do produto. 

 

Cada jogador tem um nadador a seu cargo, e o respetivo lote de sete cartas (com seis jogadores), contendo cada uma um número de 1 a 7. Os piratas formam uma fila, sendo que no fim está o tubarão.
A cada ronda os jogadores escolhem uma das cartas que têm, virando-a todos em simultâneo. Primeiro ponto: se houver cartas com o número repetido, esses piratas não se vão mexer. Relativamente aos demais, quem tiver o número mais baixo, avança o seu pirata diretamente para a frente da fila. O segundo número mais baixo, joga a seguir, avançando para a frente da fila, portanto à frente do jogador anterior. Procede-se assim até terem todos jogado (os que não tinham o número repetido). Portanto, quem tiver jogado a carta com o número mais alto irá ser o último a avançar o seu pirata, ficando desse modo à frente da fila, que é o local mais afastado possível do tubarão. 
 


 

No entanto só o último da fila está realmente em apuros, visto que após as movimentações, o pirata que ocupar essa posição irá perder um dos seus membros, abocanhado pelo implacável predador. O seu dono irá desmontar, à sua escolha, uma perna ou um braço. Estes bonecos são autênticos legos em que todos os componentes são desmontáveis. É preciso todavia ter algum cuidado pois com tantas peças pequenas a levarem dentadas, há uma boa possibilidade de algum dos membros desaparecer de vez, deixando o jogo coxo. 
Após ter sido mutilado pelo tubarão, esse pirata acelera para a frente da fila. O seu dono pega também as cartas eventualmente já jogadas que se encontrarem na mesa, e dá-se então início a uma nova ronda. 
Todas as cartas que forem jogadas, permanecem na mesa, à vista de todos. Assim, é possível ver se determinado número já foi jogado por muitos jogadores, dando segurança ao jogador no momento de escolher certa carta, de que não haverá um adversário a selecionar o mesmo número, impossibilitando o movimento de ambos. 
No início de uma ronda, caso o jogador só tenha uma carta na mão, pode voltar a pegar em todas as cartas já jogadas na mesa, voltando a reutilizá-las. 
O pirata que ficar sem os quatro membros, sai de jogo. Quando restarem apenas dois piratas a nadar, o jogo termina de imediato, vencendo o que estiver mais à frente. 
E basicamente a tática em Get Bit resume-se a isto: escolher uma das cartas tendo em conta as cartas que já estiverem na mesa com o mesmo número.  

  

      

 

Desenganem-se se acham que estou a menosprezar o jogo. É um dos poucos que nunca vi à venda no AoJ. Quem o tem não se separa dele, e isso julgo que já diz muito. No BGG leva um honroso lugar nº 1263, ótima classificação para um jogo tão simples, com uma mecânica tão repetida. Mas é divertidíssimo! É agradável, leva 30 segundos a explicar e vinte minutos a jogar. Funciona desde 2 jogadores a 6, apesar de com 2 ou 3 jogadores as regras sofrerem algumas alterações enfadonhas. Com um maior número de pessoas, torna-se tudo mais interessante, pois a alma do jogo está na interação.
Se há um jogo que aquela pessoa mais novinha e aquela mais idosa poderão vir a testar, este é certamente um bom candidato. Dos que tenho cá por casa, deverá ser um dia destes o primeiro da minha pequena Alice de 4 anos. 
Comprem. Vale os €14.  

    
 

 

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Get Bit

Mais uma review. 

Sempre das pequenas. :) 

Nos jogos grandes nunca mais terminaria de escrever. 

Get Bit ou Get Nuts?

Quando comecei a ler esta review pensei que estivesses a falar do  Get Nuts.

Depois comecei a desconfiar que não era o mesmo jogo devido aos componentes e finalmente quando falaste do tempo de explicação percebi que não poderia ser o mesmo jogo.
Resumindo, depois desta review, este é mais um daqueles jogos que nunca experimentei mas que se houver oportunidade não direi que não....  surprise
Obrigado por mais esta review yes

Boardgamers do Porto

Então quando estiveres com a malta do Porto aproveita para o jogar. Vale bem o tempo. 

Talvez já na RiaCon 2014, se lá fores. :)