Qin - Os Estados Guerreiros

Retrato de HBarbosa

O QUE É QIN - OS ESTADOS GUERREIROS?
Qin (pronuncia-se "chin" como no som Português "CHINês") é um jogo de personagem publicado pela editora francesa 7ème Cercle quem tem como pano de fundo a era conhecida como Os Estados Guerreiros, durante a qual a China estava dividida em sete reinos, antes da unificação por Qin Shi Huang. É um jogo que permite não só jogar a um nível mais realista com intrigas políticas, campanhas militares e as relações entre os vários reinos mas também a um nível mais fantástico com o mundo das artes marciais e o sobrenatural como temática.

O sistema usa 2 dados de 10 (d10), sendo um de cor preta (yin) e outro de cor branca (yang). Sempre que se lança o Ying e o Yang (yY) subtrai-se o maior valor do menor valor. Nunca se obtêm valores negativos. A isso soma-se o aspecto (atributo) que varia entre 1-5 e a respectiva competência (skill) que varia entre 1-6 para obter um resultado. Tudo o resto são variações desta fórmula base.

ZHONGHUO
Zhongguo (os Reinos Médios), nome do território que mais tarde será a China, está dividido em sete estados em constante guerra. O ano é 881 da Dinastia Zhou (240 AC). Qin é o mais autoritário e brutal dos estados. O seu vasto exército bem disciplinado prepara-se para iniciar o grande projecto: a união de todas as coisas sob o Céu num único Império ou Tian Xia. Os restantes estados não pretendem deixar-se conquistar sem luta.

É um mundo de grandes mitos e lendas intemporais, de corajosos wu xia e belas cortesãs, de sábios estudiosos e eunucos traiçoeiros, exorcistas e monstros. É neste contexto que surgem os heróis que irão mudar o curso da história.

A CAMPANHA
Este espaço é dedicado à minha recém-iniciada campanha de Wuxia. O website que criei engloba muito mais informação sobre as personagens e mesmo os registos mais detalhados de cada capítulo da campanha. Para quem estiver interessado em dar mais do que uma mera vista de olhos, é só clicar aqui.

Grupo Wuxia Action!

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Mucho nice, como sempre!

Mucho nice, como sempre! Parabéns pelo excelente trabalho com o site!

Mas... mataste os links da antiga campanha de WotG?? :( Isso é uma pena, deviam ficar para a posterioridade!

Não, tenho-os guardados e

Não, tenho-os guardados e vou organizá-los para fazer um "branching" no site. Ou seja, uma página inicial com opções para visitar Weapons of the Gods e Qin. Assim, fica um site dedicado a roleplays wuxia. Agora ganhei-lhe o bichinho e já estou a ler o Swords of the Middle Kingdom. Qualquer dia aparece aí um terceiro site. Laughing

qin é este?

Este Qin parece-me um pouco menos glamoroso que o WotG. Já terminaram essa campanha? Estava com curiosidade em acompanhar os artigos que se tinham iniciado.

Algum motivo para terem se mudado de rpg wuxia? 

Qin ou Wotg

A campanha foi morrendo aos poucos por problemas vários. O sistema em si não teve influência na nossa decisão. Qin não é de modo algum superior a WotG, nem WotG é superior a Qin. Simplesmente ambos coexistem em espectros opostos do mesmo género: wuxia. Digamos que WotG é um jogo muito mais fantasioso, exagerado, over-the-top chegando quase ao nível de Exalted. É perfeitamente viável em wuxia. Qin pode jogar-se a três níveis: como campanha puramente história, como wuxia ou aventuras Chinesas com sobrenatural ou misturar um pouco dos três.

Os combates em WotG demoravam muito tempo (por vezes uma hora ou mais). Qin tem um sistema mais rápido em que resolvemos os combates em 10 minutos. O sistema de Qin é muito mais simples o que se adequa melhor ao nosso grupo. O setting é tal e qual o Hero até porque são ambos no mesmo período (sim, o que vêem no Hero é que se pode fazer em Qin). Se comprares WotG aconselho que esperes pela segunda edição. O meu grande erro foi ter comprado WotG sem ter pesquisado alternativas. Na altura, estupidamente, considerei WotG como o único jogo wuxia no mercado. Qin tem a desvantagem de ser em Francês (o manual base existe em Inglês mas as fracas vendas nos EUA levaram à não tradução do resto da linha, embora seja o terceiro rpg mais vendido em França).

Os meus jogadores gostam, preferem um sistema menos "crunchy" e, por isso mesmo, mais flexível que deixa mais à criatividade do que a qualquer conjunto pesado de mecânicas. Vamos agora na segunda sessão e estamos a adorar, apesar de Qin ser mais mortífero, o que se calhar traz mais tensão aos combates. Eu vou colocando os registos das sessões, por isso podes tirar as tuas ilações. Sem estragar nada porque os meus jogadores podem andar por aí, a história que tenho em mente para Qin é tanto ou mais épica que qualquer uma de WotG. Stay tunned.

"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

Bué louco o site, parabéns

Bué louco o site, parabéns pela iniciativa!
Vou acompanha-lo até porque já conheço Quin há algum tempo e gostava de ver o que ele é capaz de fazer. Sempre gostei de simulações históricas e este RPG parece fiel ao periodo.


Light allows us to see, Darkness forces us to create...

Realismo ou fantasia

Apesar de poder ser jogado a esse nível porque a secção do setting é muito bem pesquisada e detalhada, vou fazer a campanha a um nível mais wuxia que é como quem diz, tomando algumas liberdades com as figuras históricas, misturando-as com storylines inventadas, clãs, sociedades secretas, traições, reviravoltas, enfim, tudo o que torna wuxia em wuxia. De qualquer modo, continua a visitar o site que em breve coloco lá o Capítulo I da campanha.



"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"

Para os interessados, já

Para os interessados, já coloquei o gráfico de relações da campanha no site. Este gráfico foi criado pelos jogadores por isso representa o ponto de vista deles e das relações dos PCs/NPCs. O gráfico está na secção Personagens. O link para o site está lá em cima.


"You think I'm old and feeble, do you? Well, face my Flying Windmill Kick, asshole!"