Design - 101

Retrato de Rui

Bem vindos ao grupo de desenho e conversa sobre o RPG 101, o mais original rpg português de sempre de todo o mundo. yeah Incrível como um grupo de cromos portugueses que criam jogos de faz-de-conta estão mais perto da verdade do que pensam... "Original"? Difícilmente.... Verídico? Receio que sim!

Mas deixem-me ajudar-vos... "Os Cento e Um RPG - Um jogo de conspiração e acção onde cada um dos jogadores participa no maior encobrimento de sempre.... o obscurecimento da verdade absoluta acerca da existência humana e do seu trágico futuro neste mundo.

Esta é uma realidade tão terrível que apenas Cento e Um seres, únicos nas suas habilidades e indistintos na sua dedicação, podem escondê-la, refugiando-se do seu passado através de uma nova identidade definida por apenas uma função: a de encriptar o Irreal a todo o custo!"

Melhor assim? Sabe bem despejar aquilo que nos mata por dentro não é?... Foi o que pensei e que me aconteceu. Pena é ninguém se lembrar desse triste facto...

Enfim, eu não estive aqui... Mesmo que aqui estivesse nunca me conseguiriam apanhar. Existo no outro mundo que vocês negam existir: vêmo-nos no Criptoverso!    ...............   .. .................   .....   .......... .... ....... Chios.......

Estão aqui... Eles chegaram.

Retrato de Rui

The 101 Redux

Texto:

Mais uma tentativa, desta vez usando o sistema do In Extremis (ainda precisamos achar um nome para ele!)

Isto é tirado de um sms enviado ao Mariano, vou tentar expandir isto a partir daí.

--~~--

Usar as mesmas Energias: Finesse, Rapidez e Vigor, que são usadas da mesma maneira.

Acrescentar três Energias: Cifra e Identidade (opostas) e Edge (nome em português?).

Distribuir 20 pontos entre as 6 Energias, sendo que podem por no máximo 5 pontos, e que Cifra e Identidade devem ter apenas 3 pontos distribuídos entre si. Edge começa sempre a 3. Cifra aumenta com escolhas para a Missão, Identidade aumenta com escolhas para o Individuo. Edge aumenta com descrições fixes, e é usado para activar Poderes e Aptidões.

Retrato de Rui

Algumas revisões: Sistema, Identity, Cipher, Edge, Complication

Texto:

Isto é directamente retirado de um hack meu não-publicado de um jogo Victoriano chamado Shadows in the Fog. Lá identificam-se duas características, Mask e Abyss, que definem o personagem. Mask é a às máscara que ele apresenta à sociedade victoriana (educação, história, perícias), Abyss é quem ele é na realidade (vicios e motivações). O jogador ganha pontos num ou noutro tomando um ou outro tipo de decisão que enforcem a sua Máscara ou o seu Abismo. Algo assim pode ser facilmente transposto para o 101.

Retrato de Rui

Identity

Texto:

Identity é o nome que demos à característica que define a humanidade do Agente. O amigo Mariano tratará por favor de rever tudo isto e de lhe dar um aspectozinho melhor. :-)

Para já, Identity é uma pool de pontos que é usada para activar Poderes (a definir, ainda estão muito no limbo); dito assim não parece nada, mas o giro é que há um conflicto a ser resolvido aqui: os Poderes são dados pelo 101, e o Agente só os pode usar se perder um pouco da sua Identidade, tornando-se um Número.

Retrato de Rui

Edge

Texto:

Edge é o nome que decidimos dar ao antigo Cool Factor; é atribuído da mesma maneira (a melhor descrição é recompensada), mas tem utilizações diferentes.

Ainda não há um acordo completo sobre que versão utilizar, das duas abaixo e que passo a apresentar:

1 - O Edge é usado para aumentar o TN, antes e/ou depois de rolado o dado (ver descrição do sistema)

Esta opção parte da filosofia que um Agente será sempre melhor que um humano normal, e não está em causa acertar ou falhar o alvo, mas por quanto consegue; há sempre sucessos, embora o seu alcance (o Resultado na descrição) não seja muito elevado, talvez 10 (o melhor humano terá, na sua área de experiência, 5 como Resultado máximo).

Retrato de jrmariano

Testes de Perícia

Texto:

Cada Perícia está quantificada numa escala numérica de 1 a 5. Todos os Operacionais têm um mínimo de 1 (Capaz) em todas as suas Perícias. Para se realizar um Teste de Perícia deve-se lançar um d6 tendo como Número-Alvo (o número que se deve igualar ou rolar abaixo) igual ao número da Perícia. Ao número de passos que contamos entre o número resultante do lançamento e  o Número-Alvo, inclusive, chamamos Margem de Sucesso. A Margem de Sucesso mostra-nos assim de maneira quantitativa a qualidade e/ou a rapidez com que este foi bem sucedido no Teste. Se o número resultante do lançamento for superior ao Número-Alvo o personagem acabou de falhar o Teste de Perícia.

Retrato de jrmariano

"Um Operacional é apenas um número..."

Texto:

Um Operacional dos Cento e Um é em si um número e nada mais que isso. No organigrama da organização este é considerado apenas uma função, uma peça-chave do algoritmo de encriptação que pretende encobrir a verdade que o Criptoverso nos tenta mostrar todos os dias. Quem foi ou quem será de futuro não é importante... O que é importante é que a Grande Cifra, essa operação metódica de sonegação, eliminação e alteração de factos históricos se mantenha e continue a ser bem sucedida... pois só assim se manterá o estado presente do mundo que conhecemos, a Gnosisfera. E o que interessa tanto acerca de cada Operacional a um Zero, o índivíduo responsável por cada operação?  Nada mais que o modo extraordinário como cada um dos Operacionais pode intervir sobre o meio que o rodeia... o efeito violento que este pode ter sobre a Humanidade, a Ética e a Física! Fiquem sabendo que nenhum feito é impossível de realizar por um Operacional dos Cento e Um. Para este desafiar a possibilidade de algo é como jogar um jogo de soma-zero: algo é só impossível até um Operacional obliterar completamente esse patético prefixo de negação. E tudo isto apenas com um feito inédito mas secreto...