Barundar

Baldur's Gate

Ninguém à esquerda, ninguém à direita.

A missão era simples: ir ao quarto do tal comerciante (que estava fora, numa reunião da guilda), encontrar o seu cofre pessoal (de pequenas dimensões) e roubar o mansucrito (nada se dizia a outras coisas que lá encontrasse) e depois encontrar-se nas traseiras da taverna "cão descansado). Evitando quaisquer sarilhos, ou fazer mal à família do comerciante. A chatice, é que lhe tinham dado uma cópia da chave da casa, e tinham-lhe dito que o quarto era em cima, mas não qual. Barundar estava no andar de cima e viu 4 quartos: 1 por cada ponto cardeal. Norte, este, sul, oeste. Por qual começar?

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Quatro quartos à escolha e um espelho na sacola...

Avanço, muito sorrateiramente, pela seguinte ordem:

  • SUL - o quarto que recebe mais luz durante o dia.
  • OESTE - o quarto com vista para o mar.
  • ESTE - o quarto onde se acorda mais cedo.
  • NORTE - o quarto que sobra.

Abro cada porta apenas o suficiente para enfiar o meu espelho pela brecha e conseguir espreitar lá para dentro.

Claro está, o mais silenciosamente possível e sempre tentanto ouvir qualquer alteração no respirar de quem possa estar dentro dos quartos...

No quarto sul, percebes que

No quarto sul, percebes que estão 2 crianças a dormir. Logo não deve estar aqui.

No oeste não está ninguém. Entras.

http://invisiblecastle.com/roller/view/1530671/

Só que corre mal e a porcaria da porta faz uma chiadeira desgraçada. As crianças acordam e chamam pela mãe.

Tu tens de te esconder.

http://invisiblecastle.com/roller/view/1530672/

Consegues enfiar-te numa sombra e aparece uma mulher (que notas que é muito jovem, no máximo 20 anos) aos gritos (do quarto Este), para se calarem. As crianças protestam, que entrou um monstro no quarto delas mas ela responde que vai pô-las de castigo. Sai outra vez e as crianças ficam a choramingar.

Quando te diriges ao quarto este, percebes que ela está acompanhada de um homem com quem volta para a cama (e que pela idade não é o comerciante).

O que fazes?

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Não percebo estas casas de humanos...

Mas cheguei a entrar no quarto oeste ou nem por isso? Foi no corredor que me escondi quando a moça saiu?
É que se não tiver chegado a entrar no quarto oeste isso merece que eu volte a tentar... mas só depois de ir ao quarto norte.

Não chegaste a entrar,

Não chegaste a entrar, porque os miúdos acordaram (e ainda estão acordados a chorar).

No outro quarto (norte) não encontras nada.

http://invisiblecastle.com/roller/view/1530696/ 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Dwarves don't cry...!

(olha se alguma vez alguma criança anã se punha a chorar por causa de "monstros"... tsk tsk)

Bem, não me estou a sentir lá muito à vontade com o choro dos miúdos - mas como aquilo a moça deve estar mais virada para outro lado do que para aturar os putos... Vou tentar algo de improviso:

  1. vou ao quarto Norte buscar um lençol e faço uns furos no lugar onde seriam os olhos (à la fantasma), pela altura duma criança humana; 
  2. depois vou para a porta do quarto Oeste e (mesmo antes de entrar de rompante)
  3. atiro o lençol para o meio do corredor, entre o quarto dos miúdos e do casaleco; assim, quando ela sair (se houver barulho dos putos ou algo do género) ela vai dar logo de caras com o fantasmeco e vai ficar a pensar que afinal era tudo brincadeira dos miúdos - pode ser que, ainda por cima, os ponha de castigo...!
  4. uma vez dentro do quarto Oeste escondo-me bem escondido e espero uns minutos até que tudo acalme!

Ah ah ah - as crianças humanas são tão medricas que é mesmo fácil usar isso contra eles...!

Ok, corre mais ou menos

Ok, corre mais ou menos bem: a mulher fica aos gritos com os miúdos e deixa-te o caminho livre. 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Quarto Oeste

OOC: Como é a divisão? Um quarto de dormir ou um escritório?

Procuro uma gaveta ou um baú de roupa onde o comerciante possa ter guardado o tal cofre...

Tem varanda? ou telhado por baixo da janela...? 

Um quarto de dormir, onde

Um quarto de dormir, onde está uma mulher idosa. Mas não encontras nada... E não tem janela.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Uma velha sem barba - yuck!

Das duas uma: ou me escapou o óbvio no quarto nortenho, ou o cofre está no quarto dos amantes...

Se isto ao menos fosse com anões era tudo mais fácil - o cofre estava em cima duma mesa, à vista de toda a gente, e ninguém lhe mexia porque sabia o que lhe acontecia se o fizesse... mas os humanos estão sempre com medo que lhes roubem tudo porque se conhecem bem uns aos outros - não dão valor à curta vida que têm...

well, vou voltar ao quarto do Norte.

OOC: Como é essa divisão? Tem alguma varanda em comum com o quarto Este? Tem telhado debaixo da janela?
OOC2: O lençol fantasmagórico ainda estava lá pelo chão?
OOC3: Afinal quem me contratou? Isto é um teste para ver se entro na guilda?

O quarto não tem varanda,

O quarto não tem varanda, apenas uma pequena janela.

O lenço ainda lá está.

Foste contratado por um desconhecido numa taverna (onde costumam estar ladrões e clientes). 25 Mo pela acção, e poderes ficar com o que gamares (excepto o manuscrito).

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Casas de humanos dão-me dores de cabeça...!

Tento procurar melhor as gavetas do quarto Norte, debaixo da cama e por detrás dos quadros pendurados na parede - caso os haja.
Se voltar a não encontrar nada, visto o lençol e entro no quarto do casal, fingindo ser um dos putos vestido de fantasma...

Não vês nada nos outros

Não vês nada nos outros quartos.

http://invisiblecastle.com/roller/view/1532028/

Ao entrares, a mulher fica horrificada.

O homem tenta esconder-se e fingir que não está lá.

-Diz querido, hum, desculpa ter gritado há bocado. Só não contes nada ao papá, está também? Queres uma guloseima?

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Who's that man...?

Aceno que sim com a cabeça e aproveito a distração da mulher para pegar na roupa do homem (suponho que esteja desnudo) e começo a apontar para ele enquanto me aproximo da janela... de seguida, atiro co'a roupa dele pela janela fora!

OOC: BAHAHA!

Ele fica fica muito

Ele fica fica muito vermelho e grita pelas roupas dele; ela diz:

-Olha, pronto eu prometo que não te ponho mais de castigo está bem? 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Livre de castigos...!?

Primeiro levo o dedo à boca (shhh) para dizer que me vou manter em silêncio, e depois cruzo os dedos e dou um beijo (em tom de promessa).

Mas, logo de seguida, aponto para o homem e gesticulo em direcção à porta - como que a mandá-lo embora! E faço o mesmo à "minha mamã" - quero uns momentos a sós com este quarto...! 

Com isso aproveito para, impunemente, abrir as gavetas todas e procurar o tal cofre... e ponho-me também a tirar tudo quanto fôr roupa para fora das gavetas porque vou precisar de atar vários lençóis para conseguir descer pela janela, assim que tiver o cofre em minha posse...

OOC: esperemos que isto tudo não seja rebuscado demais! Ela há-de estar tão stressada por ter sido descoberta que nem lhe há-de passar pela cabeça que está a ser assaltada... por um fantasma! BWOAHA

Tentas convencer a tua

Tentas convencer a tua "mãe"

http://invisiblecastle.com/roller/view/1532899/

E ela sai imediatamente com o amante dela. 

Consegues encontrar o cofre debaixo da cama. É pequeno (30 centimetros por 20). Está fechado à chave. Consegues amarrar até metade da casa, quando ouves os passos, e percebes que a tua mãe está a chegar (e estás sem lençol a cobrir a cara). Que fazes?

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Há que ganhar uns minutinhos...

Pego numa cadeira a trancar a porta - só para ganhar uns minutinhos...

Ponho o cofre no meu saco e, saltando pela janela, agarro-me aos lençóis para descer o mais rápido possível! Uma vez na rua, pego numa peça de roupa do amante da minha "mamã" e levo-a comigo (pode ser que ainda ganhe alguns trocos a vender esta informação ao comerciante).

Entro pela ruela mais próxima e continuo sempre em frente como se não fosse nada comigo, em direcção à taberna onde me contrataram. Faço só uma paragem pelo caminho para usar as minhas ferramentas na fechadura do cofre para lhe subtrair o conteúdo.

Saltas então

Saltas então e

http://invisiblecastle.com/roller/view/1536274/

Consegues não magoar-te. 

 Lá consegues abrir o cofre. Encontras um manuscrito, e 7 moedas de ouro. 

http://invisiblecastle.com/roller/view/1536273/

Chegas à taverna, e depois de esperares um pouco, vês o o teu cliente a entrar.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Prefiro mesas a balcões. E TU COM ISSO!?

Deixo-o vir ter comigo à minha mesa, lá mais ao fundo - é que, por um motivo do qual ninguém-tem-nada-que-falar!, não gosto muito de me sentar ao balcão...

Anyway, enquanto a mão esquerda me leva a caneca à boca, a mão direita fica por baixo da mesa - não vá ser preciso agarrar na minha naifa...!

Ele que fale primeiro.

OOC: A razão porque Barundar não curte balcões (E SOBRE A QUAL NUNCA MAIS SE OUVIRÁ UMA PALAVRA) é muito simples. Não gosta de ficar co'as pernas a baloiçar! Fá-lo sentir-se um bocado elfo...

YUCK!

OOC: nunca disse que

OOC: nunca disse que estavas ao balcão.Laughing 

Ele vê-te e vai ter contigo.

-Então conseguiu o que lhe pedi? 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Será que arde?

OOC: estava só a dar ambiente... Tongue out

— Consegui. - digo secamente - Mas todos aqueles corredores, crianças a gritar e portas de madeira a chiar deram-me tonturas... (pego no manuscrito) Às vezes nem sei muito bem onde anda o meu braço... (passo com o manuscrito por cima da chama de uma vela - como quem diz que se ele não me der mais dinheiro do que o combinado pode haver azar).

Ele olha para ti de forma

Ele olha para ti de forma estranha...

-Você não fez mal aos meus filhos, pois não? Nem à minha mulher e ao amante dela?

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Don't worry, be happy!

— Não se preocupe, homem. Eles hão-de ter ficado a julgar que foi um fantasma que os assaltou! (solto uma gargalhada) Olhe que a sua velhota nem chegou a acordar...!

Nisto mostro-lhe as calças do amante e continuo:

— Ouça, eu percebi logo que era você quem me tinha contratado e até lhe trouxe as calças do tipo para você se poder vingar dele (pisco o olho). Basta arranjar um cão com bom faro...!

-Ele é o meu melhor

-Ele é o meu melhor ajudante. E a minha mulher julga-se muito esperta, e enquanto estiver entretida com ele, não me chateia a pedir joias e coisas assim. Mas de qualquer modo, isto era apenas um teste, para o que eu queria pedir. E você passou-o. 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Tell me more...

Dou uma golada da minha caneca e penso para comigo: vamos lá ver o que é que me calha na rifa...

— Fico sempre contente por agradar a um cliente. Ora diga lá!

-Então é assim: eu tenho

-Então é assim: eu tenho um rival no negócio. Ele tem caravanas como eu. Mas de algum modo, consegue sempre preços muito favoráveis nos seus negócios; compra tudo incrivelmente barato não sei como, de modo que vende tudo o que quer e ainda com uma boa margem de lucro; eu só consigo vender depois dele. Ora ele decidiu expandir os seus negócios, e o resto dos mercadores está a ficar preocupado; se ele tiver sucesso, vai arruinar-nos a todos. Não podemos deixar isso acontecer a bem da cidade. Portanto, queremos que você vá a casa dele e descubra como é que ele consegue isso. Ele chama-se Abdbel.

Sabes quem é. É o mercador mais rico da cidade. A sua casa é um palácio, tem imenso criados, fala-se das suas riquezas sem fim, mas nunca ninguém conseguiu entrar no seu quarto; e sabes que de certeza que é isso que ele te vai pedir.

-A nossa recompensa será generosa, obviamente. 1000 Mo. E para o ajudar, poderá levar este pergaminho que contém um feitiço para abrir portas magicamente fechadas.

Alguma pergunta?

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Vamos fazer de conta que eu aceito...

— Mil moedas, hein...? Sinceramente, por menos não voltava a enfiar-me numa dessas vossas construções todas caóticas!
Agora, esta não há-de ser pêra doce...
Vocês, comerciantes, não me conseguem arranjar uma parte em adiantado,... digamos 250 Mo?
Com uns descontos nas vossas lojas?

Estou em crer que vou precisar de protecção extra...

O que precisa

O que precisa exactamente? 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Do you think is too much to ask?

— Estava a pensar num par de poções de cura e de antitoxinas (para me ajudar a reagir contra algum veneno). Acha que é pedir muito, homem?

Ele resmunga, mas depois

Ele resmunga, mas depois diz:

-Creio que posso falar com umas pessoas que me devem uns favores. Deverá conseguir uma poção contra veneno, e outra para curar. Mas nem mais uma moeda! E terá de ir já amanhã à noite.

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Por Marthammor!

Não se preocupe que não o deixarei ficar mal!
Mas olhe, já agora, pague lá as 25 Mo combinadas desde o início por esta sua "prova" - como deve compreender, tenho que passar a noite em algum sítio...

OOC: lista de equipamento - vial of antitoxin (1), healing potion (1), scroll of knock (1)
OOC2: então e, ainda que mal te pergunte, é agora que ganho XP da primeira aventura...? *wink*
OOC3: anyway, estou pronto para a próxima! Até aqui foi surpresa atrás de surpresa! =) Keep'em coming!

Ele entrega-te as 25 Mo

Ele entrega-te as 25 Mo combinadas.

OOC: Ganhas 684 xp.

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Tenha um "bom dia" com mokambo!

Durmo numa pensão qualquer ali por perto.
Depois de acordar vou querer passar pela tal casa; só para me tentar aperceber de potenciais problemas e, já agora, escolher o sítio mais seguro por onde entrar... ou o comerciante já me indicou isso tudo?

Seja como fôr, se não houver mais nada, estou pronto.

Dormes numa estalagem

Dormes numa estalagem normal (má comida, percevejos, etc).

Passas pelos comerciantes que te foram indicados que te entregam as poções acordadas e o scroll.

Tens de sair das muralhas pela porta sul para ir à casa de Aarkon. Tens um úmero razoável de casas e hortas. Caminhando um pouco mais chegas à propriedade. É uma quinta com um muro à volta (quem é que pôem um muro de 2 metros de altura à volta de toda a propriedade?). É cerca de 1 km quadrado. Efectivamente demasiado para um simples comerciante; eles costumam ser bastante forretas nos seus gastos.

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Toda esta área em grutas...

Estes humanos têm mais orgulho numa grande casa do que numa grande linhagem...
Então e há algum ponto alto por onde possa espreitar para dentro sem dar muito nas vistas?
Caso contrário dou uma volta à propriedade à espera que anoiteça (já não deve faltar muito) - talvez haja uma abertura no muro... uma saída de serviço, uma saída de esgoto,...

OCC: o meu alvo chama-se Aarkon Abdbel Achmed Adbast!?

Dás a volta ao muro e não

Dás a volta ao muro e não encontras fendas: aquilo está bem tratado. Existe um portão principal de madeira maciça e mais nada. Nas traseiras existe uma árvore.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

A tree? Interesting...

Ok - então espero que anoiteça para depois usar a árvore para me facilitar a entrada na propriedade.

OOC: a árvore está do lado de fora ou de dentro?

  • se estiver de fora: trepo-a; tento ver qual o melhor caminho a seguir (alguma janela aberta? alguma varanda? alguma porta para a cave?); salto e muro.
  • se estiver de dentro: salto o muro; trepo-a; tento ver qual o melhor caminho a seguir (dá para saltar directamente para alguma janela/varanda? para o telhado?).

OOC2: há algum barracão, armazém ou anexo ao edifício principal? Se houver, gostava de começar por aí...

A árvore está do lado de

A árvore está do lado de fora. Para trepar usas climb. Ao fim de uma hora lá consegues trepar o raio da árvore (tens de fazer mais exercício).

A casa (um solar) fica no meio da propriedade. Lado aborrecido: vês 2 cães a passear tranquilamente. O solar é gigantesco para o que estás habituado: o tipo não se poupou a despesas. É maior do que o do duque de Baldur's gate. 

Existe efectivamente um armazém (também enorme) atrás do solar.

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Estes humanos e os seus cães...

Raios! Como pude esquecer-me de que os humanos andam sempre com cães à trela!
Devia ter trazido umas costeletas de javali! Com aquele cheiro tão intenso nem se lembravam de mais nada...

Bem, escondido pela ramagem da árvore, vou sacar da minha besta e carregá-la (só por precaução).

Depois, assobio (em jeito todo feliz e contente) e chamo-os com a voz mais aguda que conseguir sacar do mais profundo da minha garganta de anão para tentar desarmar o treino duro dos cães... vamos lá a ver se eles simpatizam co'o Barundar!

Quem é que quer uma festinha, quem é?

Reacções que estou à espera:

  1. A minha expectativa é que eles fiquem todos doidos por terem atenção de alguém e se ponham logo a abanar o rabo...
  2. Se começarem com ar de desconfiado, a olhar ora para mim ora um para o outro, à espera de confirmação de sabe-se lá o quê (como quem está mais para rosnar) — aí eu disparo a minha besta ao que parecer mais fraco; saco da minha espada curta e lanço-me ao segundo.
  3. Se desatarem logo a ladrar feitos doidos, eu deixo-me ficar quieto e tento imitar um gato a miar...

Caso alguma destas coisas atraia a atenção de alguém de dentro da mansão, depois logo se vê...

OOC: o meu primeiro impulso foi atirar-me aos cães à força toda, pq eu é mais gatos! Mas como o Barundar é True Neutral — achei por bem dar-lhes uma oportunidade. Imagino que não tenham ninguém o dia todo que lhes dê um sorriso — hão-de derreter-se todos, de certeza!   =)

São dois cães, um enorme

São dois cães, um enorme e outro pequeno. Ambos tem um ar assustado, e ficam a olhar para ti indecisos.

http://invisiblecastle.com/roller/view/1553978/

O pequeno acaba por ir ter contigo com a língua de fora, enquanto o grande continua expectante.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Ainda me vou arrepender disto mas...

É pá, venha de lá o cachorrito!
Sento-me no muro e faço grande festa: "quem é bonito, quem é?" - cenas do género que fui vendo aos humanos fazer aos cães...
Também me viro para o maior (que parece ainda não estar convencido) e chamo-o: "anda cá, anda! és tão lindo, não és?"

(Penso: AARGH! Ao que me obrigo ao viver entre humanos...)

Depois disso, testo-os fingindo que me vou atirar para dentro da propriedade; mas continuando sentado no muro.

O pequeno está a ladrar

O pequeno está a ladrar à espera de festas; o maior pôe-se à frente dele levanta-se de pé a ladrar mais alto à espera que tu lhas faças. 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Quem quer festinhas, quem quer...?

Então salto para lá do muro e dou-lhes as festas que tanto querem...!

OOC: Imagino que deste lado do muro a altura seja menor...

Os cães ficam muito

Os cães ficam muito contentes com as festas que lhes fazes; notas que tem muito medo (cauda entre as pernas, orelhas baixas)...

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Let's see what's in there...

Bem, então dirijo-me até ao tal armazém. Mas sempre a bater com a mão nas pernas (numa de anda cá, cãozinho) e a fazer-lhes festas!
Até pego num galho do chão e atiro ao ar para que eles corram e mo tragam de volta!

OOC: no armazém, há guardas à porta? Vê-se luz por dentro? Ouve-se barulho?

Não, não se ouve barulho,

Não, não se ouve barulho, nem há luz. Apenas vês luz na casa.

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Let's see what's in store...

Pois então vou ver se consigo entrar no armazém para dar uma vista de olhos; deixa-me pegar nas minhas ferramentas...

OOC: e para a mansão, que entradas consegui ver?

Estás lá bastante tempo,

Estás lá bastante tempo, até que consegues abrir a porta. Vês montes de mercadorias: especiarias, tecidos, comida e produtos que não consegues identificar.

Para a mansão vês uma pequena porta nas traseiras (cozinha?) 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Eu vou, eu vou, p'la porta-de-trás eu vou!

Parece que qualquer segredo que o Arkon Adbdel possa ter não há-de estar distante dele... isto não vai ser brincadeira de crianças, não!
Bem, vou lá até à porta das traseiras.
Faço por entrar.

____________________________________________
OOC: Três vivas! a quem souber donde é a música a que eu faço referência no "assunto"...! =)

OCC: Snow white and the

OCC: Snow white and the seven dwarfs "eu vou eu vou pra casa agora eu vou.....

A porta está aberta. Vês

A porta está aberta. Vês que foi preparada comida (é a cozinha) mas não se vê ninguém aí. 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Três vivas para o Mahell!

Então entro. Procuro nos armários da cozinha pra ver se há items mágicos... BAHAHA - estou a gozar!

Agora a sério:
Entro na cozinha sorrateiramente (Stealth) e tento aperceber-me (Listen) se está alguém na sala contígua.

OOC: Tens 18 pontos de

OOC: Tens 18 pontos de skills para colocares onde quiseres. Diz-me para eu alterar.

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Como diz que disse...?

kabukiman escreveu:
OOC: Tens 18 pontos de skills para colocares onde quiseres.

OOC: hein!? Subi de nível!?

Se assim fôr, cá vai a lista de perícias que tenho vindo a treinar ultimamente:

Perícia Pontos Atribuídos
Novo Total
Listen 5 20
Open Locks 5 25
Spot Hidden (aka Search) 5 15
Venom Handling 3 13

 1275 XP

Apercebes-te de que a

Apercebes-te de que a cozinha dá para um corredor. Este (que é curto) tem uma escadaria do lado direito para cima, outra do lado esquerdo para baixo, e ao fundo uma sala de jantar que tem luz e gente.   

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Ai se eu tinha um lençol...

Subo as escadas.

OOC: Então mas é um banquete com muitos convidados? Ou é algo mais familiar...?

Está uma mesa comprida.

Está uma mesa comprida. Tem um homem na cabeceira (dos seus 50 anos, muito bem vestido, deduzes que seja o dono da casa) e 4 outros com ele na mesa. Um empregado assiste impassivo. Os convidados estão bastante alegres a beber e a comer, e um deles levanta o copo e diz:

-À nossa nova sociedade!- E todos brindam.

Subitamente, um deles leva as mãos ao pescoço e começa a fazer ruidos estranhos. Os outros ficam preocupados e olham para ele, até que lhes sucede o mesmo. Caem ao chão a espumar e a babar-se, até parar. O dono continua comer tranquilo sem os olhar, e quando o último dos convidados pára, vira-se para o criado e diz:

-Enterra-os.

O criado pega em 2 deles e leva-os com uma agilidade surpreendente aos ombros lá para fora.

Que fazes?

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

GASP!!!

Bem, quero aproveitar que ele ainda está a acabar de jantar para procurar algum indício pelos quartos cá de cima.
Entro pela primeira porta à direita...

OOC: o mordomo - dava a entender que era "algo mais"? Ou era apenas MUITO forte...?

OOC: Não sabes. No quarto

OOC: Não sabes.

No quarto vês roupas de homem. Só que o quarto tem um estranho cheiro a animal, diferente do mau cheiro habitual dos humanos (perfume e suor)...

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Os humanos cheiram é a queijo!

Espero bem que não seja a cama dum daqueles que se transformam em bestas aquando da lua cheia... Em Asbravn contaram-me estórias de pôr a barba em pé! E daí, talvez seja só onde os cães dormem durante o dia...

Anyway, faço uma procura rápida para: (1) tentar confirmar as minhas suspeitas e (2) ver se acho algo que possa vir a dar jeito.

Logo passo para a sala seguinte (continuando pela direita), o mais silencioso que conseguir. Não quero chamar a atenção de ninguém!

OOC: imagino que isto seja um corredor à volta da bancada apenas com algumas portas...

Nãop encontras nada

Nãop encontras nada efectivamente de suspeito.

Entras no quarto seguinte que é uma espécie de escritório. Vês montes de papéis (notas de encomendas, dividas, contabilidade). No entanto reparas num pomenor: está tudo com algum pó, como se ninguém fosse lá há uns dias. E vês dinheiro (50 Mo).  

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Suspeito...

Acho tudo muito estranho... mas nem por isso deixo de guardar as 50 moedas de ouro!

Vamos lá à terceira sala.
Entretanto, lanço um olhar lá para baixo, que se passa agora? o manda-chuva ainda esta à mesa...?

Sim, está a comer e beber

Sim, está a comer e beber com os 2 corpos restantes aí.

Quando abres a porta do 3º quarto és imediatamente atacado. 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Por Moradin!

Eu, um ladrão, atacado à traição?
Bem, lá terá de provar a minha metade guerreira...!

Saco da minha espada e da minha adaga; uso a adaga para a defesa (como se fosse um escudo) e ataco só com a espada curta!
Mas que(m) raio é que me atacou...!?

OOC: só pode ter sido alguém que, ou cheire muito bem ou estivesse a ver os videos de segurança da mansão...

A pessoa que vês deixa-te

A pessoa que vês deixa-te confuso: é o homem viste a levar os 2 mortos aos ombros e que saiu da casa! Só que aqui tem um aspecto mais frágil e assustado e vês que está armado com um pedaço de madeira que deve ter sido arrancado a uma cadeira. 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Cheira-me a doppelganger...

  1. Tento desarmar o homem, agarrando-lhe pelo braço e tirando-lhe a perna da mão. (A perna da cadeira, entenda-se...)
  2. Ponho o indicador à frente da boca, pedindo-lhe silêncio.
  3. Faço sinal com a cabeça lá para baixo (esbugalhando os olhos e com o maxilar tenso) como quem diz: "Olhe que ainda nos ouvem! Tenha lá calma..."
  4. Entro e fecho a porta por detrás de mim.

Sigo até à parede oposta e volto a passo rápido e, virando-me para o homem: "Você... lá em baixo... <errr> como é que...?"

Consegues

Consegues desarmá-lo

http://invisiblecastle.com/roller/view/1574935/

Ele fica apavorado contigo quando lhe falas, mas depois acalma-se

http://invisiblecastle.com/roller/view/1574940/.

Bem, se não me matou ainda, é porque não o pretende fazer. Há algum tempo atrás, não sei quando, o nosso senhor recebeu uns visitantes. Subitamente eles dominaram-nos e enfiaram-nos aqui neste quarto. Davam-nos comida, mas iam aos poucos levando um de cada vez até que só restava eu. Aí você abriu a porta.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Cheira-me MESMO a doppelganger...

"Você era o mordomo, certo? E o seu chefe, sabe o que lhe aconteceu?" — pergunto-lhe já com a certeza de que tenha sido morto mal se tenham assenhorado do seu corpo. Caso contrário, se estiver por aí preso, lá terei que mudar de planos...

Seja como fôr — "Ouça, tenho que o levar são e salvo daqui para fora, para que possa contar tudo o que você sabe ao meu patrão. Vai é ter que me dar só um minuto enquanto vou aqui à sala ao lado... Eu já volto para o tirar daqui; está bem?"

Dito isto, afasto-me em bicos dos pés, de novo com o indicador à frente da boca (para que o mordomo se mantenha calado), e sigo até à última sala deste andar.

-Eu ouvi-os falar do

-Eu ouvi-os falar do prisioneiro da cave. Sempre pensei que fosse o patrão...

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Um bifinho pr'os meninos...

"Nesse caso, vamos esquecer a sala do lado. Venha comigo!" — relembro da necessidade de fazer silêncio.

E saio para o corredor do primeiro andar em direcção à cozinha. Vou dizer ao homem que dê o prato que estava em cima da mesa aos cães e que espere por mim lá fora, escondido na vegetação do jardim.

Já eu desço para a cave, entenda-se...

Está tudo muito escuro,

Está tudo muito escuro, frio e húmido. É onde está guardada a comida e os vinhos. Vês duas portas ao fundo. 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Não gosto do cheiro do vinho. Dá-me ilusões de grandeza...!

Vejo se:

  1. há alguma chave pendurada na parede.
  2. alguma das portas não está trancada.
  3. alguém me responde do lado de lá das portas.

Aparte: Este cheiro a vinho deixa-me desconfortável... Nas cavernas onde cresci as uvas não se davam lá muito bem. Por isso só bebiamos cerveja e da "água-benta" do padre Dörthek! Aquilo era cá uma pomada! Feita a partir de tubérculos — era como se distinguiam os verdadeiros anões dos demais...!

1. Sim 2. Não 3. Sim (uma

1. Sim

2. Não

3. Sim (uma voz muito fraca, que pergunta "quem é?")

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Don't worry...

Com que então,

  1. sempre há chave(s) pendurada(s) na parede.
  2. Mas apesar de ambas as portas estarem trancadas,
  3. respondem-me (com uma voz muito fraca) "quem é?"

Ora, assim sendo, pego na(s) chave(s) e experimento-a(s) em ambas as portas, dizendo ao prisioneiro que "Esteja descansado! Vou levá-lo para sítio seguro!"

Caso não consiga abrir a porta para libertar o homem (caso a chave esteja lá só para enganar) tiro a minha sacola de ferramentas para a abrir pelos meus próprios meios (Open Lock).

Uma vez o homem cá fora:

  1. É mesmo o patrão original do mordomo? Isto é, tem a mesma cara que o tipo do jantar!?
  2. Como está de saúde? Anda pelo próprio pé; ou é preciso dar-lhe uma poção de cura...?
  3. Digo-lhe: "Temos de sair daqui o mais rápido possível!" e, acto contínuo, coloco um virote na minha besta, dirigindo-me à cozinha.

O homem está fraco embora

O homem está fraco embora se mantenha de pé (só não lhe peças para correr...) e não feridas graves para além de umas escoriações. E a cara é a mesma do tipo do jantar.

Ele olha para ti e pergunta assustado, mas segue-te.

Chegados cá fora, vês o mordomo (versão fraca de saúde) com os cães a dar-lhe lambidelas todos contentes e ele a fazer-lhes festas, junto ao muro.

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Upa!

Umas vez junto ao muro, (perto da mesma árvore que usei para subir) saco do meu gancho e, atando-o a uma corda, rodo-o pelo ar umas quantas voltas para o lançar sobre o muro; ao que o puxo para que se prenda do lado de lá e nos facilite a subida.

Digo ao mordomo que suba primeiro para que, ele puxando e eu empurrando, seja mais fácil fazer subir o patrão, mais debilitado.

Errr... é pá, não me consigo ver a deixar os cães à mercê daquela gente...! Tento levá-los também connosco.   =)

___________________________

Se tudo correr bem, depois de já nos termos afastado um bocado, procuro por lá uma carroça pela vizinhança da qual me possa assenhorar! Mas, no sítio da carroça, deixo lá uma sacola com 25 mO, para que o dono não se sinta assim tão lesado...

Quando o mordomo começa a

Quando o mordomo começa a subir, vês o outro mordomo a aparecer na tua direcção. Os teus companheiros ficam aterrorizados, ele esboça um riso e a cara dele parece derreter-se revelando umas feições vagamente caninas.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Altamwente, a velha bai cair...!

jackjaques escreveu:
Uma vez o homem cá fora:

Digo-lhe: "Temos de sair daqui o mais rápido possível!" e, acto contínuo, coloco um virote na minha besta, dirigindo-me à cozinha.

Assim sendo, disparo a besta contra o falso mordomo. [FSHWAH]

Grito ao homem: Se ainda tem um pingo de forças nesses ossos, SUBA-M'ESSA CORDA, JÁÁÁ!*

Depois, desembainho a minha espada e (com a outra mão) dou um trago da poção de invisibilidade — vamos lá a ver se consigo dar-lhe com um Sneak Attack...   =)

___________________________ 

* Qualquer paralelismo com o que aconteceu no Carolina Michælis, é pura coincidência...!

Quer-se dizer...

jackjaques escreveu:
Vou dizer ao homem que dê o prato que estava em cima da mesa aos cães e que espere por mim lá fora, escondido na vegetação do jardim.

Shiii - acabo de me lembrar que talvez aquele prato também estivesse envenenado...! E agora?!? Coitados dos cães — logo agora que já eram meus amigos e tudo...!
Ou então (nem quero imaginar) talvez o mordomo estivesse cheio de fome... OOPS!

tss tss — prefiro pensar que era o prato que ainda iam levar lá abaixo ao prisioneiro...   :S

Dás-lhe um tiro da tua

Dás-lhe um tiro da tua besta. Tomas a tua poção tornando-te invisivel, o que te abilita a dar-lhe um golpe de surpresa. Só que depois ficas visivel. Dás-lhe outro golpe (o tempo de ele se virar para ti) e começam o combate. Tens a vantagem de ter uma arma de ferro, enquanto ele está limitado a usar um bastão de madeira, mas a sua força acaba por equilibrar as coisas. Vocês vão-se ferindo mutuamente até que o matas. Só que ficas reduzido a 2 HP. 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Estou tão contente: matei o meu primeiro bandido!!! =)

Procuro rapidamente se ele tem escondido algo nos bolsos que possa ser importante e, dando uma última espreitadela por cima dos ombros em direcção à mansão, bebo a poção de cura de penalti — a ver se não aparecem mais surpresas; e volto à tarefa de subir o muro.

Imagino que o mordomo e o patrão já o tenham subido. Pois pego nos cães e levo-os também para cima afim de os salvar da ira do doppelganger... "Dê cá uma mãozinha" — digo ao mordomo.

OOC: que tipo de criatura era este falso-mordomo? Pode-se saber? Um doppelganger que fora criado por uma matilha de cães em criança...? E, já agora, que forma tem ele agora que está caído no chão!?

Agora que está morto, vês

Agora que está morto, vês que tem uma forma humanoide, muito pálido, olhos completamente brancos e uma pele dura também. Quando à sua origem, não tens forma de o saber (encontras apenas uma dezena de moedas de ouro).

Para onde se dirigem agora (lembra-te que estão todos feridos ou exaustos)?

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Apre daqui pra fora!

Supondo que já estamos todos cinco do outro lado do muro lá vamos ver se conseguimos assenhorar-nos duma carroça (e um velho cavalo/burro) para que a viagem seja mais rápida e menos penosa.
Para tal, deixarei lá uma sacola com 30 mO (metade do que achei pela mansão) no celeiro de onde tiver tirado a carroça — para que a perda não seja tanta...!

A aquela hora já está

A aquela hora já está tudo recolhido (lembra-te que é a meio da noite). 

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Afinal por onde é qu'eu ando?

OOC: A minha ideia era entrar por um celeiro adentro e levar a carroça e o cavalo. Então mas faz aí uma descrição da zona onde nos encontramos... pode ser que se arranje outra solução...

A propriedade de onde

A propriedade de onde vocês saíram fica já fora dos bairros exteriores à muralha da cidade (só se b«vem campos de cultivo); ou seja vão andar um bocado pelo caminho até chegarem às primeiras casas.  

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Uma ideia!

Olha lá, não estará nenhuma carruagem dos tipos que foram envenenados ao jantar dentro (ou fora) da propriedade?

Não havendo, lá teremos que seguir a par e passo até à cidade.
Quando chegarmos às primeiras casas, dá-me uma descrição da zona — pode ser que o mordomo conheça por lá alguém a quem costumasse comprar hortaliça...(?)

Mas a ideia era mesmo tentar procurar transporte pelo celeiro de alguém...

Não, provavelmente se

Não, provavelmente se vieram a cavalo/carruagem, entraram na propriedade.

Andando um bocado, vês uma casa com celeiro. Queres tentar abrir a porta e tirar as montadas? 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

Ora bamos lá a bêr...

Digo ao patrão que descanse um bocado enquanto o mordomo toma conta dos cães.

Quanto a mim, esgueiro para dentro do celeiro e tento seguir com o plano.

Encontras um rebanho de

Encontras um rebanho de cabras e um burro.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

i-ho

E nada de carroça?

Pois então há que separar o burro das ovelhas e trazê-lo connosco. O patrão já há-de estar a cair prô lado... Vamos ver se o burro vem na boa — eu tento aliciá-lo com um molho pequeno de palha (que levo comigo para lhe ir dando pelo caminho).

Demoras um bom bocado, mas

Demoras um bom bocado, mas o burro lá se decide a seguir-te. Vai então o curioso grupo: o patrão (no burro), o mordomo, tu e os cães. Está quase a amanhecer, para onde se dirigem?

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

what a night

Relembro que deixo lá uma sacola com 30 mO na gamela do burro.

Como não me lembro se se combinou algum ponto de encontro com o mercador, dirijo-me (olhando para trás a ver se estamos a ser seguidos) até à casa do comerciante. Ele já há-de estar a acordar...

Uma vez por lá, bato à porta e ponho-me à vista...

Já está a nascer o sol.

Já está a nascer o sol. Alguns transeuntes olham para vocês, mas não fazem perguntas. Ele pergunta quem é (ainda de portas fechadas).

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

ai se os putos me vêem...

"Por Moradin, abra lá a porta, homem! Olhe que daqui a mais vêm os seus vizinhos espreitar à janela!" — digo, entre dentes. "Temos aqui um embróglio para resolver..."   (cof cof)

Ele espreita pela janela, e

Ele espreita pela janela, e desce imediatamente e abre a porta, olhando espantado para o grupo.

-Mas o que faz ele aqui? Entre e conte tudo.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

pequeno-almoço

«Acredite, o seu problema não é com ele; é com outro que se faz passar por ele.

Arranje é aí qualquer coisa para lhes "quebrar a pressa" senão ainda desfalecem para aqui! E a sua mulher que lhes prepare um banho.

Quanto aos cães, olhe — são uma prenda para os seus filhotes...!

Quanto ao burro, tive que me apartar duma sacola de moedas que valiam bem pelo burro e mais três descendentes...!

Agora, tenho algo para lhe contar antes de falarmos com eles dois. Vamos até ao seu escritório.»

Ele hesita mas depois com

Ele hesita mas depois com um berro chama o criado e a mulher e dá-lhes ordens para cuidar dos novos "hóspedes" e conduz-te depois para um escritório.

Conte-me então direitinho essa história.

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

e cá está ele

«Pois olhe, não estava nada à espera de encontrar o espéctaculo com que me deparei — digno duma peça de teatro sobre elfos drow!

Entrei pelas traseiras e assisti ao que me parecia ser um simples jantar de negócios. Não sei se eram da concorrência ou se estava por lá algum dos seus sócios — o que é certo é que, pouco tempo depois, caiam todos de cara na sopa, envenenados pelo que estava à cabeceira.

Na altura pensei que o patrão fosse o mau da fita. Mas quando encontrei o mordomo fechado num quarto, percebi que talvez não fosse bem assim.

É que, a servir o jantar, havia outro tipo com a mesma cara do mordomo; e com uma força incrível...! Só podiam ser doppelgangers! (arregalo os olhos)

Por isso, resgatei o verdadeiro patrão e trouxe-o até si, para que o pudesse questionar você mesmo.»

Ele arregala os

Ele arregala os olhos

-Doppelgangers? Tem a certeza? Mas isso é terrivel! Só alguém com muito dinheiro e poder pode-se dar ao luxo de os contratar! O que está a acontecer à nossa pobre cidade?

Ele acalma-se e depois diz:

-Vou falar com ele. E depois convoca uma reunião de emergência com os outros membros da guilda. Quanto a si nem uma palavra! Deverei chama-lo dentro em breve.

 

Fim de cenário

Vou fazer as contas para dinheiros e xp e depois abro outra thread.

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

 

 

" Robot durante o dia, vegetal durante a noite"

valeu!

"Certo. Fico então à espera que me diga qualquer coisa."

Aproveito então para me atirar também ao pequeno-almoço, lá em baixo na cozinha; ao que depois volto ao meu local de repouso (um quarto numa estalagem da qual não me lembro agora o nome [cof cof]) para dormir umas boas horas.

Em acordando, vou até à taberna mais próxima beber uma boa bejeca e depois acerco-me duma oficina de armamento para ver se há alguma coisa que me interesse...

OOC: Como diz o Barundar, «fico então à espera que me diga qualquer coisa.»