Lidar com NPC's

Bem, este tem sido o último assunto em que tenho andado a pensar e ainda ando com algumas dúvidas daí este post para ver o que é que mais algumas pessoas acham.

Primeiro que tudo é importante dizer que o contexto é o dos jogos chamados "tradicionais" ou, se preferirem, um jogo em que se dá importância à continuidade/coerência interna do setting, da integração das personagens neste, etc. Não que esse seja necessáriamente o objectivo do jogo. Isso, neste momento, é irrelevante, ou pelo menos o meu objectivo é que o seja. Também, por tradicional, lêr um jogo em que existe um GM que serve não só de árbitro das regras mas também que têm um controlo do mundo e dos NPC's que nele habitam, do que estes fazem, como e quando, que tem o poder para definir esses mesmos NPC's, etc.

 

Numa pergunta simples:

Como decidem o que acontece com e aos NPC's que rodeiam os PC's durante o jogo?

Passo a explicar, num jogo em que se utilize algum elemento aleatório para determinar as acções das personagens, o que podem ou não fazer e com que facilidade o fazem, se o conseguem ou não e quão facilmente, etc; como aplicam isto aos NPC's?

Utilizando o exemplo tipico e demasiado fácil de um combate, um PC a lutar contra um NPC, não tem qualquer dúvida. Usam-se dados ou o que quer que seja para se verificar o resultado desse mesmo combate de acordo com as regras do jogo.

O mesmo aconteceria entre dois PC's.

 

Mas e entre dois NPC's?

A questão começa aqui!

Até que ponto pode ou deve o GM decidir o que acontece no mundo sozinho sem utilizar os dados ou qualquer outro elemento aleatório para basear as suas decisões?

Até certo ponto é óbvio que isso não é necessário. Nenhum GM irá estar a lançar dados para toda e qualquer acção e decisão que um NPC tome ou faça em relação a outro NPC ou mesmo no isolamento. Isso é bastante irrelevante.

Mas e as acções que rodeiam os PC's?

Mais especificamente, as acções que rodeiam os PC's mas em que estes não estão envolvidos?

Se um PC vai ver um combate de gladiadores, deve o GM decidir o resultado da luta ou lançar dados para esta? Não havendo qualquer ligação nem interesse do PC a nenhum dos participantes, não vejo razão para que o GM não tome a decisão por si só. Afinal, se os dados, em conjunto com os valores da personagem, servem de mecanismo pelo qual o jogador ganha poder para definir o que se passa no jogo, algo que seja irrelevante para o jogador não necessita de todo esse processo. Por consequência, a necessidade de lançar dados para os NPC's aconteceria apenas quando pelo menos alguns dos possíveis resultados incluem alguns que teriam importância para um ou mais jogadores, mesmo que indirectamente.

 

Agora imagine-se que o PC é amigo de um dos NPC's na luta. Então esta ganha algum interesse para o PC.

Uma possibilidade intermédia entre lançar sempre dados ou decidir tudo nesta situação:

O GM decidir o resultado a menos que um resultado em que esteja interessado fosse a possível morte (ou qualquer outro resultado semelhante no aspecto em que iria afectar a vida do PC) do NPC amigo do PC, e nessa situação, então sim, lançar os dados. Ou seja, neste caso, o que se está a dizer é que o conflito por si só não é importante para o PC mas que alguns resultados o podem ser, mesmo que indirectamente. Então o que se faz é que o GM decide o conflito a menos que esteja interessado na possibilidade de resultados importantes para o PC.

Aqui apenas se realiza todo o processo quando um ou mais dos possíveis resultados é realmente importante de alguma forma para o jogador. Ao fazer isso está-se a dizer que algum desses resultados pode acontecer e como tal todo o acontecimento é importante, mesmo que não aconteça nada, simplesmente pela possibilidade.

 

A outra possibilidade é utilizar-se sempre o processo dos dados:

Neste caso, tem-se sempre a possibilidade de que algo realmente aconteça que seja importante, mesmo que isso não fosse desejado no momento. Ou seja, pode-se estar a dar importância a situações que não a teriam e está-se a ampliar o leque de resultados possíveis a alguns possivelmente não desejáveis naquela situação. (Uma possibilidade seria definir o leque de resultados possíveis conforme a importância da situação em si mas esta possibilidade neste momento não é uma opção no meu caso, embora tenha algum interesse, tenho de admitir, mas não muito :P)

 

Uma última opção que consigo ver é a de ter o GM normalmente simplesmente a decidir o que vai acontecer com a excepção de duas situações: em que ele possa perceber que possa existir importância quer na situação em si, quer nos possiveis resultados mas também em qualquer outra situação sempre que o jogador achar que a situação tem importância para si. Isto pode ser regulado por alguma forma de meta-sistema regulador ou até sem qualquer limitação.

 

 

Um aparte: Nada desta dúvida ou processo de pensamento tem nada a ver com o grau de confiança no GM por parte dos jogadores. Esse não é um factor para esta situação. Dizer que se devem lançar dados para o GM não decidir tudo porque exige menos confiança no GM, não só é falso como não atinge o objectivo desejado de reduzir esse grau de confiança necessária.

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Re: Lidar com NPC's

E esta opção: se o resultado for importante para os PCs, dar aos PCs a hipótese de rolarem os dados? Sempre se sentem mais envolvidos...

JP

Quando não se sabe o que

Quando não se sabe o que decidir, lança percentagem, 50% para cada lado. ;)

No caso de npcs, bem, sou a favor que aí é o DM que deve decidir o que se passar no mundo, caso se queira fazer algo derivante de uma acção dos pc´s pode-se ver se nas regras há algo que ajuda a determinar uma possivel reacção dos npc´s em questão. No caso de por exemplo haver a tal luta da arena , podes fazer a luta com os dados e tal e ver o que pensa o pc disso, ou até em caso extremo dar o controle do npc ao pc, coisa que não aconselho, para além de dar spotlight demasiado a um dos pc´s, é como que criar um pc de backup, para isso já há hierlings e etc.

 

"I think i´ve had a evilgasm!"

non-dicing characters

Para mim, os NPCs são elementos da história, ganhando maior poder ou relevãncia de acordo com a relação que estabelecerem com os PCs. Os NPCs servem para criar situações interessantes, para apresentarem desafios, para colocar aos PCs decisões difíceis e, naturalmente, para dar-lhes oportunidade de roleplayarem e definirem a sua personalidade.

Deste ponto de vista, a menos que seja uma personagem criada para fazer parte da party, não se torna necessário aplicar regras - "dados ou qualquer elemento aleatório" - aos NPCs.

Num combate entre NPCs - se tal for algo que valha o tempo da sessão - um deles vai perder ou ganhar porque o(s) PC(s) conseguiu ou não dar-lhe o apoio que ele precisava, demonstrar ou não os seus verdadeiros sentimentos por ele, roleplayar ou não a importãncia que teria a vitória, etc.

Na eventualidade do combate não ter peso nenhum para a história - se for um jogo, umas apostas - então também se pode tratar dessa maneira e lançar dados de forma a que a cena avance o mais rapidamente possível (ex: contested roll entre skills de combate). Nestas situações, não vejo porque não pode ser a mão de um jogador interessado a rolar os dados.