Pandemic

Retrato de pringi
Thumbnail

Pandemia. O jogo das doenças. E não é um jogo só para médicos.

Pandemic é um jogo cooperativo. É um jogo muito simples, com regras também elas muito simples. O mais difícil do jogo é talvez, parar de jogar (até se conseguir ganhar pelo menos).

Para jogar Pandemic é necessário 2 a 4 pessoas (não joguem com 5 adaptando as regras porque não dá mesmo para ganhar o jogo). Este é mais um jogo de tabuleiro com mecânica baseada em cartas. O tabuleiro em si, serve para representar o alastramento das diversas doenças, centros de pesquisa, e onde cada jogador está no momento.

A história de Pandemic é que surgiram no mundo 4 doenças (representadas por 4 cores), e existe uma equipa de especialistas (os jogadores) que pretende combater numa primeira fase o alastramento das doenças e numa segunda fase descobrir a cura para as 4 doenças, levando à sua irradicação. O objectivo do jogo é descobrir as 4 curas para as 4 doenças.

Para atingir o objectivo das 4 curas, os jogadores têm de cooperar (realmente cooperar e não fingir que cooperam) entre si para chegar a bom porto e vencer o jogo. Cada um dos 4 jogadores tem um papel diferente a desempenhar, e cada um destes papeis fornece um poder especial.

Existem 5 papeis que podem ser desempenhados (um deles fica de fora sempre no jogo a 4 por exemplo) são:

  • Médico - Quando cura uma doença numa cidade, limpa a cidade inteira
  • Investigador - Pode dar qualquer carta da sua mão a outro jogador
  • Cientista - Só precisa de 4 cartas da mesma côr para descobrir uma cura
  • Especialista em Operações - Pode construir centros de pesquisa em qualquer lugar
  • Despachante - Pode deslocar outros jogadores na sua vez.

Na sua vez, um jogador pode executar 4 acções (simples ou especiais), podendo escolher de um vasto leque:

  • Acções Simples

    • Deslocar-se para uma cidade vizinha
    • Vôo directo para uma cidade da qual tenha uma carta
    • Vôo Charter para qualquer destino (tem de ter uma carta da cidade de origem)
    • Deslocar-se entre 2 centros de investigação
    • Passar
  • Acções Especiais

    • Construir um centro de pesquisa (jogando uma carta da cidade onde quer construir)
    • Descobrir uma cura (com 5 cartas da mesma cor)
    • Tratar doença da cidade (pode remover 1 marcador de doença da cidade)
    • Partilhar conhecimento (dando uma carta a outro jogador que esteja na mesma cidade)

Depois de efectuar estas 4 acções (favoráveis), o jogador tem de tirar 2 cartas do baralho de biscar. Este baralho contém cidades e respectivas cores. Existem também cartas especiais de evento que permitem efectuar a qualquer momento uma determinada acção (descrito na carta).

Epidemia

 

Além destas 2, existe um 3º tipo de cartas.

 

E é aqui que as coisas piam fininho. São as cartas de epidemia. Quando uma destas cartas sai, pode-se pura e simplesmente perder o jogo. Em determinadas circunstâncias, o jogo pode ser perdido, no primeiro turno e quando o primeiro jogador joga.

 

Basicamente a carta de epidemia retrata o alastramento maciço da doença.

Quando ela sai, várias coisas sucedem:

  1. O nível de infecção aumenta (e ele nunca diminui....)
  2. Depois uma cidade é infectada maciçamente. Para isto vai-se ao baralho da infecção e tira-se a última carta. Esta cidade leva 3 cubinhos de doença. Cada cidade só pode ter no máximo 3 cubinhos de doenças. Se se exceder este limite, então surge um descontrolo da doença.
  3. A seguir a isto, pega-se no baralho de discarte de infecções, baralha-se e coloca-se por cima do baralho de infecções. Ou seja a probabilidade de cidades já infectadas serem novamente infectadas, vai do 0 para os 100%.... Dando origem possivelmente a novos descontrolos.

É de referir que o jogo permite escolher a dificuldade, colocando mais ou menos cartas de epidemia no baralho. Quantas mais, mais difícil é o jogo. Joguei no nível normal (5 cartas) e no nível heroico.... Nunca ganhamos....

Finalmente o jogador termina a sua jogada tirando 2 cartas do baralho de infecções, colocando um cubo de doença da cor correspondente na cidade.

 

O Descontrolo de doenças

Quando uma cidade já tem 3 cubos de doenças da mesma cor e é necessário colocar mais cubos dessa côr nessa cidade, então ocorre um descontrolo da doença. Sempre que isto ocorrer, o nível de descontrolo é aumentado em 1 unidade. Se ocorrerem 8 descontrolos o jogo é perdido. Basicamente o descontrolo significa que todas as cidades vizinhas são também infectadas com um cubo cada de doença. Isto pode dar origem a outros descontrolos e assim sucessivamente. É meio caminho andado para perder o jogo....Carta de biscar

Cartas de biscar

Esta são as cartas que o jogador pode ter na mão, e com as quais pode fazer acções especiais. De referir que só se pode efectuar acções especiais (excepto tratar doença), estando na cidade, e tendo a carta dessa mesma cidade. Cada papel pode efectuar algumas alterações a esta regra.

 

 

 

infeccao

Cartas de infecção

Estas cartas estão no baralho de infecção. Dependendo do nível de infecção, 2 ou mais cartas são tiradas de cada vez. Seguidamente cada cidade leva um cubo de infecção. E isto pode dar origem a descontrolos.... De referir que cada cidade tem uma cor associada. E só existe uma carta por cidade. Contudo uma doença de outra cor pode chegar a uma cidade de outra cor devido a descontrolos.

 

 

 

Derrota

Perde-se o jogo quando:

  1. Se ocorrerem 8 descontrolos de doença, ou
  2. O baralho de biscar termina (sim não se volta a baralhar este....), ou
  3. Não existirem mais cubos de uma determinada doença para colocar

Vitória

Ganha-se quando se descobre as 4 curas (e se ainda não se tiver perdido é claro...).

Conclusão

Posso dizer que joguei umas 10x este jogo e nunca ganhei (e vontade não faltou de continuar a jogar....). Mas o jogo é muito giro de se jogar. E rápido também. Não é um jogo para se estar sempre a jogar, mas pela sua facilidade de regras dá para jogar frequentemente. As instruções do jogo são 8 páginas cheias de figuras e exemplos. São fáceis de ver e perceber. Em 2, 3 minutos explica-se o jogo. A duração do jogo varia muito. Tanto podem ser 5 minutos (incluindo inicializações) se se perder logo ao princípio como 45m. Um bom jogo cooperativo sem dúvida.

 

Tabuleiro Pandemic

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Boa review

Boa review, muito bem.
No ano passado quando fui a Essen, este jogo estava programado para ser mostrado e estava na minha lista de compras. Infelizmente na altura foi adiado. Depois do desaparecimento (não foi caso único) volta agora à minha wishlist. Tenho muita vontade de o jogar em breve.

Um abraço,
costa 

 

http://spielportugal.blogspot.com

 

________________________________________________________

"The only way to achieve the impossible is to believe it is possible."
Lewis Carroll in Alice in Wonderland

Obrigatório

Excelente review. Foca tudo o que pretendia saber sobre este jogo (e com imagens, perfeito). Brilhante trabalho, pringi. Mérito seja dado a quem faz tanto por esta comunidade.

Um jogo (muito) desejado por mim. Aguardarei pela oportunidade mais próxima para lhe por as mãos em cima.

Cumprimentos

:D

Excelente review! Este é um dos boardgames que vou comprar brevemente.

----
A slumber did my spirit seal;
I had no human fears,
She seemed a thing that could not feel
The touch of earthly years.

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!

Bem bom - Algumas dúvidas

Parece ser uma boa mistura de Ameritrash com Eurogame.

Dúvida : apesar de ser um jogo curto (e ainda bem) será que, passado o 'hype', manterá o apelo ou só se jogará à falta de melhor consenso? Dito doutra forma :Para aqueles que melhor o conhecem, é este um jogo obrigatório na nossa colecção?

E a partir de que idade poderá realmente ser jogado? Parece-me interessante já a partir dos 8, mas a edição indica 10 (ou seja adolescente).

"- O que não é como eles parece-lhes contra eles - comentou amargamente Zenon." Marguerite Yourcenar

[img]http://www.boardgamegeek.com/jswidget.php?username=zenao&numitems=8&text=none&images=small&am

Eu acho que sim...

Mas tu podes verificar se o jogo te agrada usando o Vassal Engine ( http://www.vassalengine.org ).

Existe um módulo para o Pandemic que te permite, inclusivamente, jogar a solo. As regras estão disponíveis on-line, creio, no BGG.

Eu experimentei e, definitivamente, quero este jogo. É talvez o melhor cooperativo que conheço...

Quanto à faixa etária... as cartas especiais têm um pouco de texto, mas são poucas e, se se jogar com crianças creio que se poderá deixá-las mostrar aos adultos para as ajudarmos.

Os conceitos são relativamente simples, mas o jogo não é fácil de bater e isso poderá conduzir a alguma frustração nos jogadores mais novos. Se fosse eu, experimentava com uma criança de 8, mas estaria atento a sinais de cansaço para tentar lidar com isso da melhor forma.

Também acho que seria mais interessante dar um papel dos menos complexos.. o dispatcher e o researcher podem causar alguma confusão nas acções especiais.

-

Gamer profile

Obrigatório

Se gostam de jogos cooperativos, então este jogo, do meu ponto de vista é claro, é obrigatório.

Acredita se jogares no modo Heroico, com um bom quarteto de jogadores, a vontade de jogar o jogo não vai esmorecer tão cedo.

O jogo é jogado com as cartas todas à mostra. Todos sabem o que todos têm. Como tal a partir dos 8 parece ser uma boa idade. Contudo, convém que os miúdos tenham espírito cooperativista... Wink 

hmmm...

Boas;

Por acaso vi a palestra do designer do jogo e ele dizia que tinha recorrido à mesma regra do Lord of the Rings do Knizia que diz que os jogadores não podem mostrar as cartas que têm mas podem discutir livremente as mesmas. 

A ideia é evitar que um jogador mais experiente ou mais chato tente dominar as opções dos outros jogadores. A ideia é promover a comunicação entre os jogadores.

Não sei se te estavas a referir a uma alteração para o modo Heróico... 

-

Gamer profile

Realmente...

As regras dizem o seguinte:

"Players may openly discuss strategies during the game, but like the real world, the players do not immediately know everything that the other players do. To simulate this, if you are playing the Normal or Heroic Games, players may not show the contents of their hands to their fellow players during the game. Players may however, freely tell each other what cards they have. e Introductory Game has no such restriction and players may decide to play their hands openly."

 

Bem para mim, é a mesma coisa, dizer o que tens abertamente ou mostrar. Seja como fôr acredita que de uma maneira ou de outra, isto não tem grandes impactos no jogo. Ele já é o sufucientemente difícil. Cada jogador é livre de decidir o que fazer, e não se deixar manipular.... 

Pandemic dice game para 2014

... após duas expansões e uma versão com novo design do Pandemic, parece que em 2014 irá ser lançado, pela Z-Man Games, uma versão de dados com o nome "Pandemic: The Cure". Na BGG.Con (que se realiza já este mês) irão aproveitar para fazer um torneio, sendo que podem ver mais informação sobre o mesmo AQUI.

Jogabilidade só para um

Olá.

A segunda expanção: in the lab parece permitir o jogo para um só jogador, é verdade? Já alguém o experimentou? Opiniões?

Solo

Sim, é interessante, controla-se a personagem escolhida e um robot. Mas prefiro jogar controlando várias personagens.

Cumps

PedroV