Encontro de Roleplayers - Triste realidade Portuguesa

Retrato de efernandes

Depois de ler a notícia aqui no site sobre o encontro de Roleplayers que iria acontecer dia 11 de Novembro, sexta-feira, na Devir Arena, resolvi pegar meu casaquinho e enfrentar o frio noturno para conhecer um ou outro indivíduos aqui do fórum.

Independentemente dos diversos obstáculos que tive que ultrapassar para chegar a Lisboa de transportes públicos e para encontrar a muito bem localizada loja da Devir, devo dizer o que vi superou de longe minhas piores espectativas.

O evento estava marcado para começar às 19:00 e cheguei um pouco atraso, pelas 19:30. Entrei na loja e imediatamente dei por mim a ver um local escuro com duas mesas duplas completamente repletas de jogadores de magic a mexerem nas cartas em um ritmo frenético.

Fui completamente ignorado apesar do meu olhar suplicante de quem precisava de uma informação, olhar que perdurou por alguns segundos para ver se algum destes se revelava ser um vendedor ou responsável pela loja disposto a atender um potencial cliente mas acabei por chegar a conclusão que, se tal figura existisse, deveria dar muito mais importância ao jogo de cartas do que ao seu brio profissional.

Tentei reconhecer alguém ou alguma coisa que me parecesse ter a ver com o encontro de RPG que supostamente devia estar a acontecer ali mas tudo o que vi foi um rapaz e uma rapariga que acabaram por revelar-se apenas clientes interessados nos productos. 

Como todo o bom jogador de RPG, em uma situacção aparentemente sem saída, resolvi dar uma volta pela loja e procurar pistas. Como não consegui me aproximar das revistas, uma vez que o acesso estava impedido pelas mesas, tentei ver se havia alguma coisa que prestasse em termos de roleplaying.

Já esparava encontrar praticamente só  livros de D20 e da White Wolf. Do primeiro havia muita coisa do segundo alguns exemplares já out of date da terceira edição do World of Darkness. Depois de alguma procura consegui encontrar cinco livros do GURPS, todos já muito antigos e parte da minha colecção pessoal, e alguns volumes do Warhammer.

Acabei por ver algumas miniaturas e também uma ou outra coisa. Já estava convencido que o evento só iria acontecer na segunda-feira pois o Ricardo Madeira fez uma confusão no site e disse ora que iria ser no dia 14/11 ora que iria ser no dia 11/11. Acabei por ver uma página microscópica, muito discreta, impressa numa impressora jacto de tinta, presa em meio a dezenas de outros papeis em quadro de avisos, que dizia que todos os segundos sábados de a cada mes havia ali realmente um encontro de roleplayers.

Confesso que esta informação já não me interessava muito. O ambiente do local era tão desaconchegante, o tratamento por parte dos responsáveis de tal forma desinteressado que eu também já havia perdido meu interesse não só em encontrar alguém do meeting como em comprar algo ou mesmo em permanecer ali por mais tempo.

Aproveitei para descarregar minhas frustações na sanita, deitando fora a cerveja que havia bebido no almoço e, ao sair da casa de banho, descobri uma passagem secreta. Uma espécie de alçapão disfarçado em escada em que podia-se ver muito ao longe o que parecia ser algumas mesas de bar.

Não tinha a certeza se era permitido descer ali em baixo mas ensaiei alguns passos discretos para ver se seria atacado por algum orc escondido. Três degraus mais abaixo vi um grupo de jovens a conversarem sentados e um deles, ao me ver, parou a conversa e me olhou por alguns instantes.

Foi a deixa final para ir embora. Saí pela porta a fora e espero nunca mais voltar na Devir Arena. Eu não sei o que foi que fui ver na sexta-feira mas sei que se aquilo foi um encontro de jogadores então espero ficar bem longe deles por muito tempo.

Se houve algo de bom na minha ida ali foi o facto de finalmente entender o porque de alguns dos membros deste fórum terem tantas restrições quando eu falo sobre nos encontrar uma vez por mês em algum local aberto, jogar uma com quem aparecesse e trocar idéias sobre Role Playing Games.

Depois do que vi na sexta a noite, eu também teria a mesma opinião...

SÓ LAMENTO!!!

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

one small step for man

Nunca estive em nenhum destes encontros, nem nunca fui à Arena Lisboa, mas...

Não achas que estás a confundir a qualidade do local com o encontro em si? Não será exactamente por o ambiente ser um pouco desagradável e barulhento que o pessoal desce até à cave para estar à vontade?

No entanto, compreendo que, de facto, dá uma muito fraca percepção do hobbie a quem o queira conhecer através destes encontros. Penso que já tinha dito que estes meetups não serviam exactamente para divulgar o RPG e parece que isso se comprova.

De qualquer forma, no teu lugar eu teria sorrido e descido até lá em baixo em vez de ter desperdiçado o meu tempo.

Já agora, eu trabalho na Arena Porto e - não fazendo a mínima ideia de como trabalham em Lisboa - da nossa parte digo que nós não nos comportamos da forma que foi descrita. Por mim, eu fico até particularmente "em cima" de qualquer pessoa que entre e _olhe_ sequer para as prateleiras de RPG :)

Se um dia destes quiserem fazer um meetup cá em cima, são todos benvindos. Não temos tanto espaço como em Lisboa, mas temos um tecto alto e luz natural :)

Re: one small step for man

Rick Danger escreveu:
Se um dia destes quiserem fazer um meetup cá em cima, são todos benvindos. Não temos tanto espaço como em Lisboa, mas temos um tecto alto e luz natural :)

Ora merda, isso cabe-te a ti organizar não é? Por mim gostaria imenso e fico a espera da noticia. 

Re: one small step for man

Warman escreveu:
Ora merda, isso cabe-te a ti organizar não é? Por mim gostaria imenso e fico a espera da noticia.

Isso mesmo, mostra-lhe aí como é, Warman! ;)

Mas a sério, Rick, se organizares uma coisa dessas com uma antecedência minimamente decente, eu era bem capaz de me meter no meu carro com mais um maluco(a) ou dois e ir aí a cima para distribuir abraços e jogar uma jogatana do outro mundo. Pensa nisso!

desencontros

ricmadeira escreveu:
Mas a sério, Rick, se organizares uma coisa dessas com uma antecedência minimamente decente

Surpreende-me haver gente que tenha saltado sobre o meu comentário. Já houve tempos em que uma quantidade mínima de roleplayers aqui do Norte chegou a estar em contacto no vampire.slamo.net e alguns jantares foram marcados, mas agora tal não acontece. Não é que até não haja uns poucos jogadores, a questão é que nenhum deles está interessado (falo disto no último post do meu blogue).

Pela reacção do Warman, talvez em Braga se encontre jogadores interessados em confraternizar. Pelo que vemos aqui no forum, certamente que na grande Lisboa encontram-se bastantes participantes.
Agora, tendo em conta que por aqui não se passa nada, o meu comentário era mais no sentido de me colocar ao dispõr do que, de facto, se passa em outros lados, na eventualidade de um grupo considerar transladar o seu encontro para uma visita ao Porto.

Independentemente disso, a contar só com o pessoal aqui à volta, parece-vos haver gente suficiente que justifique uma "organização" de um encontro no Porto? Do que eu conheço, conto dois aqui e dois em Braga. Tendo em conta que o Aramoro vem ao Porto regularmente e a Lady Entropy vai a Braga, só falta eu conhecer o Warman mesmo :)

Claro que se pode justificar outro tipo de iniciativas (o Aramoro vem cá amanhã para jogarmos PTA), mas já estamos a falar um pouco para lá do ãmbito deste thread.

Re: desencontros

Rick Danger escreveu:
Surpreende-me haver gente que tenha saltado sobre o meu comentário.

Eheh, estás a falar de "saltar" no bom sentido, claro. Eu, e penso que o Warman também, estava a picar-te no sentido não de "desafio-te a fazer melhor já que gostas de criticar" mas no sentido de "ei, era incrivelmente fixe se..."

Quanto ao número de pessoas.. bom... isso já nem me interessa muito. Eu ia aí cima mais para falar/jogar contigo e outros conhecidos aqui do site; se o encontro tiver 5 ou 50 pessoas, é-me quase igual. ;)

Tal como tu, acho eu, não percebo a falta de vontade de confraternizar. Duas razões: um, o roleplay é um jogo social, duh!; dois, toda a gente se queixa que não tem jogadores/mestre para poder jogar.

Los orcos!

Não vale a pena dizer assim coisas a quente. Imagino que todos tenham tido a sua parte e culpa. O que vale a pena é corrigir o problema.

Creio que como nunca deve aparecer ninguem nos encontros, quem os organiza ja não esteja a espera de nada e como tal prepara zero para acolher visitantes. Tu talvez nao tenhas confirmado que irias aparecer e como tal caiste alguma coisa de para quedas atras de linhas adversarias.

Que tal combinar a coisa bem e até talvez trocar numeros de telefone para que se possa fazer a coisa até do genero "Pah, tou a chegar, tas ai a porta?". Jogadores de RPGs como nos todos somos têm tendencia a ser pricks elitistas em real life por isso um olhar de relance para um "mundane" pode conter muito veneno como parece que foi aquele que te levou a bater em retirada.

Anyway, im just shooting my mouth, parece um mal entendido e como tal com justa causa para correcção. 

Quem tem boca

Pois eu já há muito tempo que aqui não comento nada. Mas desta vez tem mesmo que ser. Devo ter chegado à Arena 10 minutos depois de ti. Os meus afazeres de mãe de família não me permitiram chegar antes. E também não me permitem ser incluída no "grupo de jovens" que viste a conversar no andar de baixo.

Vi descer 3 degraus um piqueno desconhecido. Perguntei à Ana se achava que vinha para o encontro, mas a Ana disse-me, "se for, lá em cima dizem-lhe que estamos aqui" E continuamos a conversa. Não devias ser tu. Se eras não nos vistes. Tanto eu, como a Ana, como o João Mendes estamos acima dos 30. Não muito, mas estamos.

O encontro não foi, de facto, nada de especial. Ao contrário do de Setembro, em que eramos uma catrefa deles, incluindo pessoal do Norte, este mês eramos apenas 5. Para além dos 3 acima referido estavam também o Luís e o Nélio. Espero ter apanhado bem os nomes.

Mas a conversa foi simpática, com o João Mendes a referir aqueles aspectos teóricos do RPG que ele conhece muita bem, eu a desconversar e o Luís a tentar arranjar um grupo com um horário diferente.

Não foi uma enorme convenção, mas foi um encontro simpático, que me fez repensar algumas das minhas formas de jogar RPG.

Também queria chamar a atenção para o facto de ninguém da Arena se opôr a que o encontro seja ali. Que eu saiba eles não participam na organização, não ganham nada com isso e não têm qualquer responsabilidade nos encontros. E até costumam direccionar o pessoal que lá vai para o encontro. Claro que para isso é preciso perguntar a alguém. Não precisa ser a ao responsável pela loja. Basta perguntar a qualquer um dos piquenos de aspecto dúbio que por lá jogam. Eu sei que parecem maus, mas não mordem.

Porque no fim de contas, só não consigo perdoar-te o facto de não te ter conhecido. Mesmo que tivesses apenas atirado a pergunta para o ar, alguém te havia de responder, de certeza.

Para o mês que vem tenta outra vez. Não precisas perguntar nada. Chega por volta das 20.00 que eu já lá estou. Sou a mãe de família gorducha. E também não mordo...

Calma...

Eduardo, outras pessoas já falaram. Vou só realçar alguns factos...

A organização destes Meetups é feita por uma pessoa como tu e eu, que o faz só por carolice e para trocar ideias e histórias com outros. A organização não é da responsabilidade da Devir nem de ninguém com obrigação - ou interesse comercial - em fazer mais e melhor. O meetup tem uma organizadora, mas não tem sequer um anfitrião... esse papel costuma caber, de forma não-oficial, ao nosso João Mendes, que chega sempre cedo e gosta de ser simpático com toda a gente. Não é o esquema ideal, verdade, mas também ainda ninguém se ofereceu para organizar um melhor ou sequer ajudar a organizadora a receber os convidados.

A discussão, organização, planeamento, divulgação dos Meets é feita através de uma mailing list (aparece por lá, já agora, e dá o teu feedback). O endereço da mailing list é publicado em todos os Meets divulgados aqui. Ora o lugar oficial para receber toda a informação (especialmente as notícias e combinações/descombinações de última hora) sobre os Meets é mesmo essa mailing list. A ideia é quem quer aparecer nos meetups tornar-se membro da lista para receber os avisos sobre os eventos que se aproximam... e neste caso houve um aviso (tarde e a más horas, verdade) que o evento tinha sido cancelado.

Eu aqui no site limito-me a fazer o favor de espalhar a palavra em nome da organização, porque também gosto de ver o maior número possível de pessoas lá (especialmente as pessoas com quem troco impressões aqui). Se alguém aqui tivesse dito que ia aparecer (ou sequer tentar aparecer), como aconteceu da outra vez, eu ter-me-ia sentido responsável por avisar essas pessoas e teria feito todos os esforços (mail & messenger & telefone, se soubesse) para os avisar do cancelamento. Mas assim...

E porquê tanta confusão? É que a mailing list tem uma folha de confirmação de presenças para cada meetup. Este mês, só duas ou três pessoas é que confirmaram que iam (ou não) aparecer; todos os outros 30 membros permaneceram em silêncio. Como tal, a organização achou por bem cancelar o evento; tal como tu, a organizador não quer ir para a Devir para olhar o tecto e para as paredes quando podia gastar o tempo a fazer coisas melhores.

Como isto foi feito em cima da hora, mesmo assim alguns membros (que não tinham avisado que iam ao evento, que de outro modo não teria sido cancelado) não souberam a tempo e decidiram aparecer... e ainda bem que o fizeram. Já li aqui e lá na mailing list que a conversa foi interessante e que apareceram caras novas. No meu dicionário pessoal, isso já é um bom meetup.

Tenho pena que não tenhas encontrado o grupinho liderado pelo JMendes, acho que faria a tua noite valer a pena, e tenho pena também que não tivesses avisado que ias... teria feito um esforço para trocar de horários no emprego e puder aparecer lá para te dar um abraço, e teria com certeza conseguido arrastar comigo mais uma ou duas pessoas para sermos mais molhada. ;)

Talvez em Dezembro? Nessa altura já não vou estar no meu emprego actual e estarei muito mais livre. Marca já no calendário! ;)

 


"You can choose just who you are."

Bem... para começar acho

 Bem... para começar acho que devo ter expressado-me mal no meu post. Não creio que haja aqui motivos para mea culpas, irritações ou mesmo discussões sobre o encontro na Devir. Particularmente eu até acho que a Devir errou não no ponto do encontro em si mas sim na forma como esteve presente na própria loja. Mas isto é outra história.
A grande questão aqui tem a ver mesmo com a postura do encontro. Entendam bem. Há algum tempo atrás estive em um encontro de BD no Fórum Picoas. Era um encontro a sério com vários stands, escritores em sessões de autógrafos, área para meetings. Apesar de já ter ido a maiores e melhores foi um encontro razoável mas organizado e orientado por pessoas que tinham um determinado poder financeiro e influencial.
Por outro lado também fui a encontros de banda desenhada muito pequenos. No Rio d Janeiro havia uma loja, a Gibimania em que era comum as pessoas se encontrarem para conversarem, trocarem idéias e revistas. Costumavam sempre sem um melting pot em gente de todo o lado se encontrava, ou seja, alguma coisa mesmo informal em que a loja só funcionava ponto de referência. Exactamente o mesmo que acontece com a Devir.

Citação:
Também queria chamar a atenção para o facto de ninguém da Arena se opôr a que o encontro seja ali. Que eu saiba eles não participam na organização, não ganham nada com isso e não têm qualquer responsabilidade nos encontros. E até costumam direccionar o pessoal que lá vai para o encontro. Claro que para isso é preciso perguntar a alguém. Não precisa ser a ao responsável pela loja.

Como foi sabiamente dito a Devir não participa na organização. Mas não tem o menor sentido dizer que ela não ganha nada com isso. Um encontro promove o nome da loja, seja pelo menos pelo facto de local ser divulgado gratuitamente em pequenos sites como este fórum o que serve para difundir o ponto de venda. Eu sou um emprsário e tenho muito bem noção do valor que esta divulgação tem.

Além disso eu garanto a você que pelo menos alguém irá comprar productos na loja pelo facto de ir lá. Pode até não ser no momento do evento mas de certeza este alguém viu, como eu vi quando estive lá, productos que gostaria de comprar e que talvez compre da próxima vez que for a Lisboa.

Citação:
Creio que como nunca deve aparecer ninguem nos encontros, quem os organiza ja não esteja a espera de nada e como tal prepara zero para acolher visitantes. Tu talvez nao tenhas confirmado que irias aparecer e como tal caiste alguma coisa de para quedas atras de linhas adversarias.

Nunca aparecer ninguém é relativo. As pessoas aparecerem ou não tem a ver com a quantidade de publicidade feita e com o facto mais importante de todos que é a criação do hábito de ir a algum lugar. O problema é que para se criar o hábito de ir a um evento é importante primeiro que este aconteça sempre no mesmo dia e depois haja algo ali no evento que o torne interessante o bastante para nos fazer desejar voltar.

No caso específico deste meeting creio que houve um erro no seu objectivo principal ou pelo menos na forma como ele foi comunicado aqui no fórum. Eu me lembro de um grupo que havia no Rio chamado Confraria do Dragão que se encontrava regularmente para jogar e trocar idéias. Estes encontros eram voltados para o pessoal que era membro do grupo e se alguém aparecesse tudo bem mas eles estavam mais preocupados com aqueles que já faziam parte do grupo.
Por outro lado eu ia sempre aos encontros que ocorriam no SESC Tijuca e na Alfarrabista do Rio e estes eram voltados para os novos. Toda a gente estava sempre a espera de que aparecessem gente nova e toda a gente, incluindo os próprios vendedores, já ficava atento para introduzir quem chegasse.
Na prática é meio indiferente o objectivo do encontro, seja ele majoritariamente para quem já esteja integrado no grupo ou para pessoas de fora que desejem entrar. Particularmente eu estava convencido que seria alguma coisa mesmo ao voltada para o segundo e é isso...
É mesmo o que o Ricardo falou. Para que tanta confusão. Mas a verdade é que tudo está organizado em função da lista e das pessoas que fazem parte da mesma e agora isto está claro mas creio que na altura não estava. Provavelmente irei inscrever-me nela e aparecer no próximo já que já percebi que a maioria do pessoal é da minha faixa etária.

Apesar disso volto a insistir que devia-se pensar num evento mais aberto. Como mesas abertas para que não conhecesse poder jogar uma partida rápida.

Eduardo Fernandes Café

M. I. R. P. A.

Bem, eu de minha parte peço desculpa se não confirmei ou neguei a minha ida ao Meet Up. Estou a adaptar-me a uma nova realidade profissional, nova gestão de tempo e nova organização da criatividade investida nos meus projectos de RPG.

Contudo, concordo que se deva mudar a natureza dos meet-up's para para algo mais organizado e produtivo do que apenas conversa e troca de opiniões já que este se poderá tornar assim uma força da revitalização do hobby em Portugal.

A questão é como?

Palestras? Parece-me uma boa ideia mas envolve preparação, distribuição de temas e trabalho efectivo de quem as escreve. É preciso alguma antecedência e conhecer bem o público a quem se destina o que acaba por se tornar difícil já que a participação é errática. Além de que, na minha opinião, a maioria das conversas que observei nos meet-up's são opinativas e tendenciosas com pouco espaço dado à crítica ou reflexão. Ou seja qualquer palestra ou conferência, especialmente por alguém que não seja "credível" ou "respeitado", poderá se revelar duplamente frustante.

Apresentações de Jogos? Uma possibilidade, já que existem membros deste site que têm especial apetência em fazer críticas detalhadas e interessantes. Contudo, não cabe a um meet-up fazer essas apresentações que envolvem o lado comercial do hobby sem o apoio definitivo dos distribuidores/vendedores dos jogos.

Simplesmente jogar? É possível, mas a duração de um meet-up é de apenas um serão o que limita a extensão do jogo. Poderiam ser pequenos jogos de âmbito introdutório previamente marcados no caso de se tratar de uma apresentação e de demos para os curiosos/novatos que aparecessem no encontro. Eu por meu lado posso correr facilmente as demos do NWoD para quem quiser e estou de certo modo habituado a lidar com pessoas que nunca jogaram.

Eu acho que contudo que o meet-up precisa de duas coisas: visibilidade e mudança de ares.

Os meet-ups são apenas conhecidos, maioritariamente, por um grupo restrito de pessoas que conhecem outras pessoas que frequentam dois fóruns, este e o Vampire PT. Não existirá uma maneira diferente de os publicitar? Um site específico? Eventos? Campanha de informação noutros fóruns?

A Devir Arena é um sítio, que devido à sua natureza comercial (horário e ambiente exclusivista) e à sua localização (não é propriamente um local acessível e conhecido por todos) não será o mais indicado para um encontro "aberto" de entusiastas. Porque não tentar noutro sítio, mais público e descontraído, com acesso a serviços de restauração e espaço de jogo?

Se a Devir (não a Arena) promovesse ela própria o encontro, o que não sei se já se tentou apurar, seria diferente, pois não posso deixar de ver as possibilidades já existentes que o espaço nos traria. Mas se isso não acontece acho que o Meet-Up não precisa de ser leal ao espaço.

A Casa da Juventude do Parque das Nações já é palco dos festivais da Anipop - A Associação Juvenil. Porque não num lugar semelhante?

 

"Se alguma vez sou coerente, é apenas como incoerência saída da incoerência." Fernando Pessoa

sopadorpg.wordpress.com - Um roleplayer entre Setúbal e Almeirim
Ludonautas Podcast - Viajando, sem nos movermos, pelos mundos do RPG

Eu concordo contigo em muita

Eu concordo contigo em muita coisa embora não veja isso a acontecer assim tão facilmente.

O grupo está organizado em volta da mailing list por necessidade. Não podemos simplesmente partir do principio que naquele dia vai haver meeting e vai lá estar pessoal. Já por duas vezes que isso aconteceu, o meet acabou por ser uma única pessoa que ficou por lá um bocado a ver se mais alguém iria aparecer e mais ninguém apareceu. Da primeira vez aconteceu isso comigo, da segunda vez aconteceu com a organizadora. Quando foi comigo ninguém tinha avisado se ia ou não ia. Simplesmente parti do principio que iria mais alguém. Quando foi com a organizadora eu fui a única pessoa a avisar que não podia ir. Mais ninguém se pronunciou. Agora, se como o ricardo disse, a mailing list tem 30 pessoas, bem, seria de esperar meets de 30 pessoas ou perto disso regularmente. Acho que o maior não chegou às 20 e esse foi a excepção. Normalmente andam à volta de 10 +-.

Muita gente só vai quando um outro vai por exemplo, o que acaba por se fazer que seja um meet de grupos. Se o x vai leva mais 2 ou 3 atrás, mas se o x não vai, nenhum desses 2 ou 3 também vai.

O ponto é que, se mesmo com a centralização da mailing list e com este número de pessoas já agradável as coisas são assim, imagina como seria sem ela.

Para se ter uma coisa assim mesmo aberta, ter a certeza que naquele dia do mês há jogo, só quando existir uma base de um número minimo de pessoas que vão sempre. Neste momento isso não acontece. Eu pelo menos, não estou disposto a ir para o local do meet de novo sem ter antes a garantia que vão pelo menos mais 3 ou 4 dessa vez.

A questão agora é, como é que se evolui desta fase actual para essa outra bem melhor?

--------------------------------------------------------------
[B0rg]
We r all as one!!
We are The Borg. We are Eternal. We will return. Resistance is Futile...

If freedom is outlawed, only outlaws will have freedom.

[B0rg]
We r all as one!!
We are The Borg. We are Eternal. We will return. Resistance is Futile...

If freedom is outlawed, only outlaws will have freedom.

Eu acho que o ponto de

Eu acho que o ponto de partida é começar. Seja na Devir ou em qualquer outro lugar. E acho que o encontro tem que é jogo!

Quando vou a um lugar que tenha gente que gosta de magic tem sempre jogo de magic... aqui os encontros de rpg nunca tem gente a jogar rpg.

Começa-se com uma mesa. Quem chegar entra pelo meio ou ficar conversando até abrir outra mesa. No final há sempre as conversas em dia... 

Eduardo Fernandes Café

Day of the One Shot

Citação:
como é que se evolui desta fase actual para essa outra bem melhor?

Citação:
Eu acho que o ponto de partida é começar. Seja na Devir ou em qualquer outro lugar. E acho que o encontro tem que é jogo!

A solução para os meetups parece ser haver um grupo responsável pela organização, um núcleo duro que se encontra no local sempre aquela data para jogar. Sendo uma vez por mês, basta um grupo em que, rotativamente, cada um mestre uma one-shot para os outros, do jogo que quiser, naquele dia.

Se alguém chegar e quiser jogar, que se junte. Se não houver espaço, que outros grupos tomem a mesma iniciativa.

Voluntário

 

Eu posso correr demos dos jogos novos do NWoD. Portanto podem contar comigo para esse grupo permanente.

"Se alguma vez sou coerente, é apenas como incoerência saída da incoerência." Fernando Pessoa

sopadorpg.wordpress.com - Um roleplayer entre Setúbal e Almeirim
Ludonautas Podcast - Viajando, sem nos movermos, pelos mundos do RPG