Carcassonne

Retrato de MGBM

Carcassonne. Um nome que se tornou quase um simbolo de boardgaming. O boardgame que deu nascimento aos meeples. Talvez o boardgame tipo-Alemão mais conhecido do grande público além do Catan. Mas será toda esta fama merecida?

No Carcassonne o objectivo é ganhar o máximo número de pontos pondo peões em forma de pessoas, a partir daqui conhecidos como meeples, em estradas, cidades e campos.

A apresentação do jogo não é nada de além, um livro de regras funcional e muitos, muitos tiles que formam a base do jogo. Felizmente as regras são muito fáceis de explicar e qualquer pessoa pode jogar ao jogo em menos de cinco minutos.

As regras são simples. Começando no starting tile os jogadores, um de cada vez, sacam um tile randomicamente e depois colocam-no em jogo, adjacente ortogonalmente a um tile que já tenha sido jogado. A regra mais importante neste jogo é que as arestas dos tiles colocados adjacentemente devem combinar, por exemplo uma cidade com uma cidade. Isto torna o jogo deveras muito interessante.

Depois de colocar um tile o jogador tem hipótese de colocar um meeple no tile que jogou. Onde ele coloca o meeple faz toda a diferença, pois um meeple numa estrada dá pontos de maneira diferente do que um meeple num campo. De referir que meeples numa cidade ou estrada são devolvidos para a nossa mão quando a estrada ou cidade tiverem sido completadas, um meeple num campo fica lá durante o jogo todo. No fim do jogo os pontos são contados e quem tiver mais ganha.

As regras podem-se resumir a isto. Nada de complexo, tudo muito simples.

O fixe deste jogo é que, devido à sua natureza, nenhum jogo é igual, o que cria sempre tabuleiros diferentes. De referir que este boardgame é visualmente estimulante, e é um prazer ver o tabuleiro completo no fim, cada um diferente do outro.

Bem, este jogo parece ser muito simples e é. Isto é uma vantagem e uma desvantagem. Uma desvantagem porque jogadores veteranos acabam por se entediar do jogo depois de jogá-lo umas quantas vezes, mas o jogo é perfeito como jogo de introdução aos novatos, como um gateway game. Nesse aspecto, há muito poucos jogos melhor que este. De facto, pessoalmente, prefiro introduzir este jogo aos novatos do que com o Catan, pois este jogo não obriga um jogador a fazer muitas análises durante o jogo e é mais rápido e fácil de jogar que o Catan. Enfim, um grande gateway game e perfeito para mostrar ao nosso tio que pensa que boardgames se resumem ao monopoly.

Este jogo tem um mal no entanto, para o jogo que é existe um pouco de downtime se apanharmos o jogador errado no nosso grupo. Devido ao facto que o tabuleiro vai crescendo à medida que o jogo avança, alguns jogadores podem passar um bocado mais de tempo a pensar onde colocar o tile que acabaram de sacar, mas no fim o downtime não é nada de muito mau, só mais uns segundos extras.

O segundo mal é a sorte. Este jogo está completamente dependente da sorte, pois os jogadores são obrigados a buscar tiles randómicamente. No entanto, apesar de odiar jogos com enfase em sorte, devo dizer que este jogo não me chateou muito, até gostei pois este jogo sem sorte tornar-se-ia muito chato. A sorte traz um factor de caos bem-vindo que se integra muito bem na dinâmica do jogo.

O tema deste jogo está bem concebido. Realmente pensamos que estamos a desenvolver uma região. Para o boardgame que é, tem um bom tema que cola. O tema eleva este jogo acima do escalão de jogos puramente abstractos.

Quanto ao peso, este boardgame é light. Não é um gamer's game, é mais um filler, embora demore demasiado tempo para ser considerado um verdadeiro filler. É um boardgame que se joga quando não se tem mais nada para jogar, ou quando se quer um divertimento fixe em menos de 50 minutos.

A interacção entre jogadores é um dos pontos fortes do jogo. Não há interacção directa, mas há muita indirecta, pois a colocação de um tile no tabuleiro implica consequências para todos os jogadores a seguir. O que me traz a um ponto, este jogo pode ser porco. Um jogador pode jogar tiles de maneira a lixar os outros jogadores. No fim, eu devo dizer que é raro aparecer um jogador porco em Carcassonne, mas existe essa possibilidade.

O dinâmismo do jogo é interessante. Além da região ser construida e desenvolvida aos poucos, a sorte de sacar um tile obriga-nos a pensar um pouco e a escolher a posição mais optimizada.

O que me traz ao ponto sobre estrategia e tactica. Este jogo é quase puramente tactico. Recompensa bastante os planos a curto prazo, é extremamente táctico já que fazer planos a longo-prazo é dificil.

Dificil, mas não impossivel. Colocar um meeple num campo é um exemplo de estratégia neste jogo. É o único caso onde fazemos uma jogada que dará frutos somente a longo-prazo.

Portanto este jogo é quase puramente tactico, o que, como referi anteriormente, é bom para novatos.

Eu gosto deste boardgame. Joga-se bem, não dá problemas e é tempo bem gasto. Não é nada de especial, nada de incrivel que nos faça jogar sempre ao jogo, mas quando queremos algo que não nos faça pensar muito escolhemos este jogo.

É fixe e eu aconselho este boardgame a quem quiser introduzir novatos. De facto, deve haver muito poucos boardgamers que já não tenham este boardgame.

É um boardgame simples com alguma subtilidade e que é perfeito para torneios. Por mim, recomendo este jogo, pois pelo preço que é recebe-se um bom jogo. Se fosse mais caro possivelmente já não o recomendava tão facilmente.

Enfim, um boardgame interessante e fixe. Para o seu estilo, há melhores, mas há muito piores, e os piores são mais que os melhores.

(De referir que este boardgame tem muitas expansões que tornam o jogo muito, muito melhor. Este review é só sobre o jogo base sem expansões.)

13 de 20.

http://www.boardgamegeek.com/game/822

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Apesar de este jogo ter

Apesar de este jogo ter bastante sorte, como existem muitas peças iguais essa sorte pode ser minimizada, consoante as peças que já sairam. Normalmente, eu não faco investimentos quando apenas existe uma peça possivel para acabar. Depende sempre do tempo para o fim de jogo, o numero de meeples que tens, e se vais muito longe na pontuação, mas sim, no final depende da sorte.

Eu adoro este jogo, apesar de já ter jogado varias centenas de vezes (estou a falar do jogo sem as expansões). É muito muito fácil de explicar, o tabuleiro no final do jogo permite comentarios engraçados do que se passou...

Uma das principais razões que eu gosto deste jogo é que posso ser um granda PORCO! Sim, uma das principais razões. Colocar uma peça que faz com que uma posição se torne impossivel, ganha tantos jogos que até mete impressão. Se o jogador não recupera o boneco, passa a jogar aleijado com menos margem de manobra.

Existem sempre maneiras de fazer pontos com os bonecos, mesmo no final, e tenho de cumprir sempre a minha regra de ouro: o ultimo boneco é sagrado. Só o coloco para recupera-lo logo a seguir (fechando castelos ou estradas) ou quando o investimento é mesmo muito grande (castelos gigantes ou quintas). Quando alguem quebra esta regra, normalmente não se safa....

Adoro este jogo por todas as considerações que levanta sem serem obvias: quando e com quem jogar em equipa, quem lixar, onde colocar a peça, coloco o boneco ou não...

Quando as pessoas ficam uma volta a pensar na peça que teem na mão, normalmente o downtime não é muito mau. Quando apenas compram depois do outro jogar, é mesmo para esquecer....

Expansoes

Ainda sṍ joguei com duas expansões:

Inns & Cathedrals - as catedrais e os lagos são engraçados para duplicar os pontos (ou para fazer zero no final do jogo), mas o que eu gostei mesmo foi o meeple que vale por dois.

Traders & Builders - os rendimentos do castelo não são muito engraçados mas o construtor que permite jogares outra vez tem a sua piada

No geral, acho que o jogo perde bastante da sua simplicidade com expansões, e não traz uma grande mais valia. Como traz mais peças diferentes, torna-se bem mais comprido e deixam de existir tantas posições impossiveis (logo não posso ser porco :-( )

Expansões

vch escreveu:

Ainda sṍ joguei com duas expansões:

Inns & Cathedrals - as catedrais e os lagos são engraçados para duplicar os pontos (ou para fazer zero no final do jogo), mas o que eu gostei mesmo foi o meeple que vale por dois.

O super meeple! Para mim esta é a melhor expansão do Carcassonne, basicamente só traz mesmo é novos tiles.

vch escreveu:

Traders & Builders - os rendimentos do castelo não são muito engraçados mas o construtor que permite jogares outra vez tem a sua piada

Esta expansão é fixe, mas mais uma vez só a comprei mesmo pelos tiles, mas as adições ao gameplay pela expansão são fixes. E traz porcos de madeira! Não há nada melhor que um meeple ao pé dum porco!

vch escreveu:

No geral, acho que o jogo perde bastante da sua simplicidade com expansões, e não traz uma grande mais valia. Como traz mais peças diferentes, torna-se bem mais comprido e deixam de existir tantas posições impossiveis (logo não posso ser porco :-( )

Eu acho que perde a simplicidade sim, mas ganha em dinamismo e variedade. Para mim, prefiro um jogo variado a um jogo simples, não que o Carcassonne base tenha algo de errado, mas para mim gosto do Carcassonne com muitos e muitos tiles.

----
"You can not escape me!" he roared. "Lead me into a trap and I'll pile the heads of your kinsmen at your feet! Hide from me and I'll tear apart the mountains to find you! I'll follow you to hell!"

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!

Eu jogo com a expansão

Eu jogo com a expansão inner & cathedrals e acho o jogo mto bom. Começamos o jogo com 5 tiles na mão em vez de tirarmos peça a peça. desta maneira é possível definir uma estratégia.
Da minha parte acabo por ganhar os jogos com os camponeses e o que me dá mesmo gozo no jogo é conseguir chegar ao fim do jogo em vantagem nesse aspecto.

Já alguém jogou o Castle

Já alguém jogou o Castle e/ou Hunters & Gatherers? já tendo jogado o Carcassone e gostado imenso do jogo gostava de o comprar ou algumas das versões alternativas.

Sabem se estas versões trazem coisas novas (boas/más/o que for) ao jogo?

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

Dois

O Castle só joguei uma vez mas pareceu-me bastante engraçado. Tem a (des)vantagem que só dá para dois jogadores. Tem umas peças especiais que são dadas ao primeiro a chegar a uma determinada pontuação (deveria permitir uma luta mais cerrada mas se estiveres muito à frente vais comprando as peças sozinho).

O Hunthers & Gatherers tambem gosto bastante. Se completares florestas (castelos) com pepitas podes jogar outra vez uma peça especial. Na relva (quintas) ganhas pontos pelos animais que tiveres (gazelas/gnus/mamutes) mas cada tigre mata uma gazela. E tens rios (estradas) cuja pontuação são o numero de peixes que estão nas pontas. Em termos de jogabilidade é muito parecido....

Nenhum deles tem expansões, nem são compativeis com o carcassone "normal". Em ambos o setup é mais demorado (principalmente o castle) e teem mais bits que o normal (principalmente o castle)

Carcassonne

vch escreveu:

Nenhum deles tem expansões

O Hunters&Gatherers tem uma expansao pequena, o King&Scout.

O meu grupo prefere muito mais o Hubters&Gatherers do que o Carcassonne normal. Algo a ter em conta.

----
"You can not escape me!" he roared. "Lead me into a trap and I'll pile the heads of your kinsmen at your feet! Hide from me and I'll tear apart the mountains to find you! I'll follow you to hell!"

---- Behold the pain and sorrow of the world, Dream of a place away from this nightmare. Give us love and unity, under the heart of night. O Death, come near us, and give us life!

Um do melhores...

Carcassonne para mim é um dos melhores jogos light para viciar non-gamers a minha mulher adora e eu adoro... Graças aos convivios com o pessoal boardgamer de Lisboa soube de uma sugestão que melhorou o jogo em quase 50% que é de ter 3 tiles na mão em vez de "pescar" uma peça em cada jogada, a estratégia aumenta e a jogabilidade melhora em todos os aspectos.

Tenho TODAS as expansões, e o jogo é simplesmente fabuloso, (acho que já disse isto)... aconselho vivamente...

  "Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida."

Che Guevara

é bonzinto...

O Carcassone original é bonzito. Um "6".

Como não joguei o Hunters e o Castle não posso dizer se são melhores ou piores.

De todos o que me interessa mais é sem duvida o Carcassone: The City, já que parece ser o que apresenta mais desafio e mecanismos mais apurados.

Nunca vi essa variante, o

Nunca vi essa variante, o que podes dizer sobre ela? 

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

Carcassone: The City

Sendo um "standalone", é mais estratégico, ainda que mantenha a mesma simplicidade da linha "Carc".

A diferença principal é que os jogadores constroem a cidade à qual vão acrescentando muralhas sobre as quais podem colocar guardas. Outra coisa interessante é o facto de neste jogo ser incomum o aparecimento de espaços vazios.

Dá para 2 a 4 jogadores e é considerado um jogo menos light do que os restantes carcassones.

Finalmente, é possivelmente o mais agradável à vista, muito por culpa do efeito que as muralhas e torres conferem ao tabuleiro.

bonito

Realmente fica bastante bonito com as muralhas e as torres (mas não gosto muito dos tiles), o que é um passo muito importante para começar a viciar um non-gamer. Porque é que é mais improvavel haver espaços vazios: tem menos restrições nas colocações (tal como o Castle) ?

Sinceramente não sei

Não tenho a certeza porque ainda não joguei. Li apenas as descrições e reviews no Geek, e, ao que consta, a razão para esse fenómeno é o facto de que ao colocar os tiles, o unico elemento obrigatório de conectar são as estradas, o que torna mais facil a colocação de tiles.

Comprei e joguei ontem o

Comprei e joguei ontem o Hunters & Gatherers e fiquei muito bem impressionado.

Usando a estrutura básica do Carcassone consegue ser um jogo um bocado mais estratégico e precisa de mais pensamento, uma vez que não só tens que gerir a construção de florestas e rios (visto coisas incompletas não darem pontuação no final do jogo, ao contrário do Carcassone) como também a contagem dos peixes nos lagos para conseguires capitalizar bem as Huts e os caçadores que se mete nos meadows para apanhar animais (outra grande fonte de rendimento).

As cartas das pepitas é que são uma grande introdução no jogo e podem mudar tudo quando alguém mete um shrine num meadow cheio de animais de outro jogador (como me aconteceu onte... raios eram 18 pontos!), ou simplesmente conseguir fechar outra secção do cenário (floresta ou rio), o que permite ganhar uma quantidade javarda de pontos num só jogada.

Em fim, gostei e acho que é um jogo que precisa de ser muito bem explorado.

Quanto ao Castles, decidi não comprar porque só dá para dois, talvez um dia destes pense nisso, expecialmente se alguém o trouxer para uma quarta-feira ou encontro hehe.

"the drunks of the Red-Piss Legion refuse to be vanquished"

REGRAS

Olá a todos, bom dia;

Arranjámos quatro expansões do carcassonne na alemanha :) e como tal as instruções vêm em alemão e não pescamos nada.
Será que há alguém que as tenha e nos podia fazer scans das instruções das mesmas?!

Nós sabemos algumas das regras de algumas expansões, mas queríamos mesmo ler tudo direitinho.

Se nos puderem ajudar, agradecemos e facultamos o email para nos poderem enviar os scans :)

são as extensões:
a princesa e o dragão
traders and builders
a torre
Inns and Cathedrals

muito obrg
bonjovi

Regras V.4 com todas as expansões

Podes descarregar este ficheiro do BGG http://www.boardgamegeek.com/file/info/22896

Tem 70 páginas e regras para todas as expansões.

Não te aconselho tentar jogar de imediato com as expansões, talvez começar pela Base e Inns & Cathedrals. Quando já dominarem o jogo com essa expansão, adicionarem a expansão Traders & Builders e só mais tarde pensar em adiconar as restantes e uma de cada vez.

Com essas expansões todas em jogo, este pode transformar-se numa experiência penosa. Pessoalmente não gosto da expanssão da Princesa e do Dragão, mas isso sou eu :).

Espero ter ajudado.

Boas jogas!

PS: Acho que o ficheiro depois de descarregado fica como PDF, mas na realidade é um ZIP, pelo que tens que abrir a partir do Winzip ou o sistema vai chamar o Acrobat e dá erro. (aconteceu-me isso!)

Herrar é umano.

regras

Bem, primeiro queria agradecer o link, pois dá-me muito jeito e é um bom documento compilado :) muito obrigada.

Agradeço as dicas, mas já jogo carcassonne com expansões há algum tempo e algumas são bem divertidas de se juntar! :)
Não digo todas ao mesmo tempo ehehe mas no outro dia falei com uma norueguesa que tem todas as expansões e num louco dia jogou com todas as possíveis ao mesmo tempo! :D bem, ela diz ter sido diabólico

mais uma vez muito obrigada :)
cumprimentos,
bonjovi

ps. agradeço tb as dicas do zip, mas a maravilha de não se ter um pc e ter-se um mac ;) passa por esse género de coisa não ser um problema ehehe muito obrigada mais uma vez

9 horas de jogo

Manuel Pombeiro
a.k.a.Firepigeon
LUDO ERGO SUM

Últimas jogatinas:

Negating the unforeseeable is utterly unrealistic, and scrambling to deal with problems is indeed a game skill.

:D

:D

Mas este é o meu favorito

Manuel Pombeiro
a.k.a.Firepigeon
LUDO ERGO SUM

Últimas jogatinas:

Negating the unforeseeable is utterly unrealistic, and scrambling to deal with problems is indeed a game skill.

Eu joguei bastante a versão

Eu joguei bastante a versão básica e o H&G, quase sempre a 2. O H&G é bastante melhor sem ser muito mais complexo. Suspeito que incorpora muitas ideias que terão surgido em extensões à versão básica mas de forma mais coerente e equilibrada (posso estar errado pois não conheço as extensões).

Qualquer dos jogos se joga bastante bem a 2 mas cada um com alguns problemas. Na versão básica o grande problema são as ermidas. Pode ocorrer que um jogador tenha sorte e obtenha a maior parte destas, o que lhe dá uma grande vantagem. No H&G há um par de cartas especiais que desequilibram grandemente o jogo.

No H&G a questão estratégica ganha outra dimensão pois a posse dos terrenos de caça (o equivalente aos terrenos agrícolas da versão básica) se torna bastante mais interessante.

Quanto a ser um «filler», «light», não ser um «gamers game», etc.,... cada um tem o seu critério. Uma das vantagens óbvias é ser um jogo muito acessível para quem não joga habitualmente jogos de tabuleiro e particularmente para crianças. Já pus miúdos de 5 anos a jogar.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio