propostas para designar "RPG" em português

Retrato de Rick Danger

Num tópico já discutido em 2007 aqui neste blogue, falou-se de várias hipóteses para dar um nome em português aos RPGs:

  1. "jogos de estratégia"
  2. "jogos de sociedade"
  3. "jogos de mesa"
  4. "jogos de tabuleiro"
  5. "jogos de personagem"
  6. "jogos de interpretação"
  7. "jogos de simulação"
  8. "jogos de desempenho de papéis"

Presentemente, ainda não desisti de encontrar uma expressão adequada e interessante que permita situar os nossos RPGs no contexto da nossa língua e, já agora, distanciá-los dos jogos de computador. Para isso, a minha proposta actual é "Jogos de Simulação Narrativa" (JSN). Os JSNs entrariam assim na lista: há os jogos de guerra, os jogos de tabuleiro, os jogos de cartas e os jogos de simulação narrativa.

Como já dizia o JB_Mael, há um risco de ser "demasiado abstracto e nada elucidativo", mas também é importante, havendo tantos RPGs diferentes, tentar ser o mais abrangente possível. A palavra "jogo" sugere o uso de estratégia/táctica. A palavra "simulação" sugere a elaboração de um cenário imaginário onde o jogador desempenha um papel. A palavra "narrativa" sugere a  criação de uma história. Julgo que, entre estes três pontos, é possível encontrar qualquer Role-Playing Game.

Apesar de abstracta, julgo que esta expressão é menos obscura do que a inglesa e, no mínimo, introduz a oportunidade para explicarmos cada um dos termos que a compõem - pois um RPG não é só um jogo, não é só a interpretação de um personagem e não é só contar uma história - e, assim, é um conceito tão diferente e interessante que reúne de forma fascinante estes três elementos.

Vota JSN Thumbs UpWink

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Gravar configuração" para activar as suas alterações.

Opiniões...

Eu continuo a preferir "Jogos de Personagem" (JdP), é simples, directo a dá uma noção (ou pelo menos desperta mais a curiosidade) do que trata este tipo de jogos.

 

Acho as outras sugestões fora de contexto ou muito abstractas.

 

Vota JdP Thumbs Up

 

 

 

persona

Nazgul escreveu:
Eu continuo a preferir "Jogos de Personagem"

Também gosto de como soa, mas a Personagem é só uma parte do jogo, não é?
Além disso, Jogos de Personagem parece-me que pode ser um nome para um exercício de teatro, um desafio de escrita criativa ou um treino de técnicas de venda. É uma expressão simples, mas também é ambígua.

De qualquer forma, é igualmente uma boa alternativa ao termo em inglês.

 

Olha, RIck, que a versão

Olha, RIck, que a versão inglesa tb se foca só na personagem.

Em ingles, "Roleplay" quer dizer literalmente "Interpretação de Papel" (ou seja, relacionado com a personagem). Visto que o termo ingles não foi questionado como "limitativo só à personagem" (se bem que o é), acho que jogo de personagem é o melhor.

Também pode ir-se para "Jogo de Interpretação", mas ainda pensam que estamos a brincar aos Interpretes da ONU....

___________________________________________

"HOUSE FLAMBEAU - where you teach your apprentices by pissing them off until their will to set you on fire overcomes the stactic paradigm"

"I still miss my ex-wife, but my aim is improving!"

___________________________________________

http://www.abreojogo.com/files/rpgenia.jpg

Eu Escrevi Um RPG Numa Semana!

hmm

pq a necessidade de criar um nome em pt e nao manter o normal RPG Oo?

de todos os que tao listados e falados fica-se com uma falta de sabor...

 

---- Latest News ----

It lives!

Se bem me lembro...

O que então se discutiu foi um nome para o hóbi na sua totalidade: rpgs, jogos de tabuleiro, etc. Não foi? É que muitas das expressões que citas apontam nesse sentido.

Jogos de simulação narrativa não! Razões: É uma expressão demasiado longa; com palavras que não se usam no dia-a-dia; e que não diz nada a quem não saiba o que quer dizer.

Jogos de personagens é a tradução mais literal de role playing games. É certo que não expressa o todo que compõe o jogo (como, aliás, não o fazem a expressão inglesa ou francesa) mas define o seu «coração», pelo que é uma expressão perfeitamente adequada. Não sobrepõe com os jogos de computador pois no contexto destes ninguém traduz para português «roleplaying».

Pessoalmente a expressão que prefiro é Jogos de Aventura(s). Os rpgs têm a aventura como motivo do jogo na sua grande maioria. A expressão é facilmente compreensível e explicável (mais do que jogo de personagens). Não se sobrepõe com outras utilizações da mesma. Permite ligar a cinema de aventura, o que dá pistas imediatamente identificáveis para compreender o jogo.

Proponho, em suma, jogos de aventura.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

let us brainstorm

DalimThor escreveu:
pq a necessidade de criar um nome em pt e nao manter o normal RPG Oo?

Right you are! How silly of me ;P

smascrns escreveu:
Pessoalmente a expressão que prefiro é Jogos de Aventura(s). Os rpgs têm a aventura como motivo do jogo na sua grande maioria. A expressão é facilmente compreensível e explicável (mais do que jogo de personagens). Não se sobrepõe com outras utilizações da mesma. Permite ligar a cinema de aventura, o que dá pistas imediatamente identificáveis para compreender o jogo.

Curto Jogos de Aventura, mesmo que tenda para estar mais próximo de um determinado sub-tipo de RPGs.

O meu propósito é que se tente ter uma ideia de como se pode falar destes jogos em português de forma a facilitar a sua divulgação. Das várias propostas para uma possível designação, acho que se deve escolher aquela mais apropriada ao contexto em que se está a explicar os RPGs.

Pessoalmente, se me derem meia-hora para falar no assunto, digo Jogos de Simulação Narrativa (com a sigla JSN, não é assim tão mais complicado que RPG, Sérgio). Se me derem cinco minutos, digo Jogos de Personagem. Se me derem cinco segundos, Jogos de Aventura.

Alguém tem mais sugestões?

 

smascrns escreveu:

smascrns escreveu:
Proponho, em suma, jogos de aventura.

A mim jogos de aventura faz-me pensar em Arkham Horror ou nos livros das Aventuras Fantásticas, ou ainda na maior parte dos jogos de PSP.

Gosto de Jogos de Simulação Narrativa, embora isso me remeta para os rpg's indies com maior enfoque na criação da estória e menos no da interpretação da personagem; não que haja algo errado nisto, simplesmente se quero falar sobre um jogo onde além de se contar estórias se interpretam personagens, parece haver algo que fica em falta.

Proponho por isso Jogos de Interpretação Narrativa, JIN, o que é giro pois parece Djinn (os génios árabes) e Jin ("pessoa" ou "homem" em japonês).

Nada mais a acrescentar, 'tá a circular, não há nada p'ra ver...

--~~--

Visitem o Ideonauta, um blog sobre roleplay!

Não te metas comigo, camarada; tenho n avisos à navegação, alguns deles em público, e não tenho medo de os usar.

A escrever: down*town, tech-noir rpg
Proto Agonístes um rpg de auto-descoberta, de um personagem e vários jogador

Qual é objectivo desta

Qual é objectivo desta discussão? Tentar arranjar uma alternativa coloquial em português para designar RPG's ou apenas uma forma portuguesa de traduzi-los?

Se se tratar da primeira opção, claro que RPG é uma sigla mais do que enraizada no vocabulário comum dos jogadores portugueses. Traduzi-la à nossa maneira redundaria num "rolplaiar" ou num "rolpleigueime". A língua portuguesa é fecunda em neologismos; tratar de arranjar uma palavra autêntica portuguesa que ande nas bocas do mundo será difícil neste momento, a não ser que a massa de jogadores se tornasse enorme e houvesse algum tipo de evolução semântica nesse sentido.

Tratar o RPG por Vossa Mercê requer, claro, um nome em português. Nesse caso, a minha opinião recai pelo simples e nada pretensioso "Jogo de Personagem". Toda a gente sabe do pano para mangas acerca da definição de RPG. Nada como manter a literalidade da tradução, na medida em que nos parece natural, na nossa língua.

 

Volgoque veritas iam attributa vino est.
Plinius Maior, Naturalis Historia Liber XIV, 141

ambiguidades

Apesar de concordar com "Jogos de Personagem", penso que é uma expressão que também facilmente se aplica a jogos como: Citadels, Puerto Rico, Pandemic, Battlestar Gallactica, Shadows Over Camelot, etc.

 

Reflectindo sobre este assunto...

.... convém não esquecer alguns pormenores.

é extremamente importante que um nome de um produto seja algo que "fique no ouvido", que o ouvinte se lembre quando voltar a casa e pense sobre o assunto.
Para esse efeito, as siglas são normalmente fundamentais. Julgo poder dizer que todos nós ouviu primeiro a expressão "RPG" e só mais tarde soube que queria dizer "Role-Playing Games".

Em segundo lugar, a idade actual é uma de jogos e entretenimento digital. O mundo inteiro está ligado online e a lingua universal é o inglês. Como tal, a maioria da população está familiarizada com alguns termos em inglês, mesmo que não percebam nada da lingua de Shakespeare. Um desses termos é justamente o "RPG", que todos conhecem - nem que seja por estar ligado a milhentos jogos online que hoje existem, sendo o mais famoso de todos o "World of Warcraft" - aka "WoW".

Portanto, convém sempre perguntar: Será que a tradução de termos específicos é vantajosa? E não serão os autores sempre obrigados a fazer referencia à palavra original, em inglês?

Em jeito de conclusão, permitam-me dizer que isto me faz relembrar discussões que houveram há muitos anos atrás na comunidade de informática. Tal como nos RPGs, é uma comunidade global, mas cuja língua "oficial" é o inglês. A conclusão a que se chegou foi que realmente não valia a pena, em alguns casos, efectuar traduções de termos específicos... e por isso mesmo estamos hoje todos contentes com os nossos Compact Discs ( CDs ), com os nossos BlueRays, e com as diskettes (ou como é mais normal escrever, disquete ). E não falemos dos joysticks.... ainda me lembro das piadas dos "paus da felicidade".... :D

PS: Ah, ja me ia esquecendo. As editoras já escolheram a tradução por nós: "Jogos de Personagem"... http://www.devir.pt/rpg/index.htm

o "vencedor" é Jogos de Personagem?

Continuo a achar que é importante termos várias expressões conforme o contexto. Os próprios RPGs precisam de se designar como tabletop ou pen & paper para se distinguir das versões para computador/consola - e já para não falar de quem diz que jogos como Polaris ou Primetime Adventures não são RPGs e deviam chamar-se Story Games ou outra coisa.

Para falar daquilo que os RPGs têem de especial, fiz este artigo sobre os Jogos de Simulação Narrativa (desculpa Rui, mas "Interpretação" é mais ambíguo). Escolhi a designação tendo em conta o objectivo.

O meu único problema com Jogos de Personagem é que, para começar a explicar o que é que eles são, é difícil evitar a frase "cada jogador tem uma personagem menos o mestre-jogo que controla etc, etc." quando acho que não é preciso falar em mestre-jogo para dar uma ideia geral do que é que são os RPGs (a definição do que é que é um MJ varia conforme o RPG, podendo mesmo não existir). Até acho que, para quem nunca ouviu falar do assunto, é de evitar a expressão "mestre-jogo" :)

 

Mas há sempre um mestre de jogo!

O problema nos chamados jogos sem mestre de jogo é que definem de forma errada o mestre de jogo. Quer dizer, esta expressão cobre duas realidades que tendem a ser confundidas: o MJ no sentido da lógica, da estrutura do jogo; o MJ no sentido de uma pessoa concreta que assume o desempenho daquela função lógica e estrutural do jogo, desempenhando esta função de forma exclusiva e continuada.

Ora a confusão entre estes dois sentidos leva a que, num jogo em que se prescinde de ter uma pessoa determinada a desempenhar a função lógica de MJ e apenas essa função, a dizer que não há MJ.

A verdade é que ele existe no sentido lógico. Simplesmente a função não é desempenhada por um jogador único que apenas faz de MJ. Antes pode ser distribuída por todos os jogadores, cada um desempenhando parcelas da função de MJ, acumulando com a função de jogador de personagem. Ou pode nem ser desempenhada pelos jogadores, antes sendo incorporada nos materiais de jogo com sistemas de gestão da função integrados nas regras. É este, por exemplo, o caso nos CRPGs.

O que é importante para a definição de jogo de personagens, do meu ponto de vista, é o conceito de função lógica, estrutural, de sistema de jogo. O essa função ser desempenhada apenas por uma pessoa que não faz mais nada no jogo, por várias que acumulam com o jogar personagens ou por nenhuma, é perfeitamente secundário e acessório.

Sérgio Mascarenhas

Sérgio

acho que sim?

smascrns escreveu:
O que é importante para a definição de jogo de personagens, do meu ponto de vista, é o conceito de função lógica, estrutural, de sistema de jogo. O essa função ser desempenhada apenas por uma pessoa que não faz mais nada no jogo, por várias que acumulam com o jogar personagens ou por nenhuma, é perfeitamente secundário e acessório.

Penso que estou de acordo. Se a expressão "mestre-jogo" é apenas um conceito que nem sempre corresponde a um participante no jogo, será uma palavra que se pode dispensar se se quiser definir os RPGs da forma mais abrangente possível.

No entanto, compreendo perfeitamente o ponto de vista de quem não concorda com essa abrangência e diga que certos jogos não são RPGs, mas sim Indies, Story Games ou outra coisa qualquer.